Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

VALDO:GROSSEIRO E BEBUM, MAS MUITO HOMEM



Na mesma epoca em que eu transava o Valdo, namorava

uma linda descedente de chineses..linda mesmo. Mas o

nosso namoro platonico estava em crise. Ela reclamava da

ausencia de um relacionamento mais profundo entre nos.

Eu gostava dela e vivia em constante conflito interno.

Ela dizia que namorar comigo era como estar com uma AMIGA...E eu era incapaz de ser um homem para ela.

Cansado de tanto ferir os sentimentos dela, resolvi terminar

o nosso namoro e choramos muito juntos.

Por me sentir o mais cafageste dos seres humanos, resolvi

nunca mais usar as minhas amigas como namoradas para

mascarar a minha verdadeira identidade. Sim...ela tinha razao. Sou uma mulher que nasceu com orgao masculino, mesmo que atrofiado. Sinto que sou mulher e tenho cabeca

e pensamento de mulher bem como muitas caracteristicas

fisicas mostram que eu sou mulher.

Pouco antes da separacao, eu tinha comecado uma especie

de namoro com um homem que conheci durante uma competicao de meia -maratona. Ele era um homem tao

maravilhoso que nao pude resistir. E, no mesmo dia em

que nos conhecemos, nos tornamos amigos.

Embora nao sendo do "meio", senti que ele me via mais do

que como um simples amigo. No comeco, as nossas conversas eram sobre saude, musculos, receitas especiais

para atletas, etc. Mais sobre esse relacionamento ficara

para a proxima.



O assunto hoje eh ainda o inesquecivel VALDO, nome

verdadeiro do catador de latas.

Por saber que eh um relacionamento perigoso e impossivel,

lutava comigo mesmo para esquece-lo. Mas nao conseguia

esquecer aquele corpanzil de mais de 100kg, forte como

um touro agarrando meu corpo delgado.

Uma delicia quando os cento e tantos quilos de Valdo estao

sobre o meu corpo fino de 54 kg. Eu acho que se ele quizesse mesmo, poderia me quebrar ao meio com as proprias maos.

Valdo tinha um desses celulares prepagos que eu fazia

questao de pagar para facilitar o contato.



Um dia, sentindo muita vontade de dar novamente para

esse MACHO, combinei encontra-lo.

O ponto de encontro era num local dentro do meu carro

proximo da sua casa. Pensei em namorar com ele no

carro mesmo.

Jah era noite e estava usando uma bermuda jeans um tanto

pequeno e apertado para mim de proposito. Deixei o meu

minusculo penis preso entre minhas pernas, o que me deixava com aparencia de mulher. Enquanto esperava a

sua chegada dentro do carro, admirava minhas proprias

pernas.

De repente, ouvi a voz de VALDO dizendo..."Tah louca japinha!", "aqui eh muito perigoso mina!"

Concordando com ele resolvemos ir ateh a VILA ou favela

ou cortico onde ele morava.



Quando chegamos na vila...percebi um mundo estranho,

cheio de homens estranhos, olhando muito estranhamente

para mim. Quase entrei em panico de medo. Mas Valdo,

me acalmou dizendo que nao era para ligar. Entramos na

sua casa estranha de concreto.

Para meu desgosto, uma velha gorda estava jantando sozinha. Fiquei sem palavras de tanta vergonha e falei

baixinho para o Valdo que queria ir para outro lugar.

Valdo me puxou a mao e me levou a uma especie de

edicula grudada na casa que era o seu quarto. Aquela

velha era a sua mae.



O quarto de Valdo tinha uma cama de casal, armario, tv

grande e melhor do que eu tinha em casa. Havia tambem

uma outra cama menor atras de uma cortina.



Valdo me convidou para jantar junto com ele e sua mae, mas

resolvi ficar esperando no quarto.

Valdo voltou banhado com o corpo meio molhado e semi-nu

envolto com apenas uma toalha. Achei-o muito sexy...irresistivel aquele corpo enorme que me deu tanto prazer... Reparei no volume entre as suas pernas que

evidenciavam suas intencoes comigo.



Como um moleque, ele deixou a toalha cair e dancou

provocando movimentos de sobe e desce com batidas

do penis em seu proprio corpo. Acho que somente os homens

bem dotados conseguem fazer isso...achei interessante.

Pensava em como tinha aguentado aquele tronco dentro

de mim.



Depois de perfumar-se com uma coisa que parecia vinagre

para mim...lancou-se sobre mim e acabamos desabando

naquela cama..meia...suja.



Entrelacados com muito tesao, beijando na boca, e sendo

acariciada e lambida, pensei no que a mae dele estaria

pensando que estamos fazendo. Morria de vergonha de

ter que enfrentar os olhares dela, dos vizinhos, mas ao mesmo tempo, isso me excitava.

Eu deitada de costas, recebi uma massagem espetacular,

seguido de chupada profunda no meu cuzinho. Putz...que

delicia.

Ele mordia meus peitinhos, sugava como que quizesse

tirar leite de mim.

Como nunca havia obtido sucesso em fazer boquete para

ele, resolvi faze-lo gozar na minha boca.

Engoli aquele pau grosso, enorme o mais que pude, trabalhando mais no prepucio, quase deslocando os meus

maxilares de tanto que tinha que abrir minha boca.

Ao mesmo tempo em que eu trabalhava minha lingua na

cabeca, punhetava-o com as duas maos. Era um baita

tronco duro como aco. E ele gemia tao alto que com certeza

a sua mae ouvia tudo de outro comodo.

Lentamente comecei a sentir o melado saindo aos poucos.

Era um sabor meio salgado, meio doce.

As minhas duas maos estava cheias e nao conseguiam cobrir a circunferencia de sua pica que era mais grosso do que meu

ante-braco.

Ao mesmo tempo, olhava para o seu rosto e recebia carinho

tipo cafune nos meus cabelos e orelhas...Ele estava caindo

em delirio.

Apos uns 5 minutos, seus jatos de lava quente encheram minha boca. Era uma porra grossa, grudenta e quente que

eu insisti em mostrar para ele.

Seus dedos limparam a porra do meu queixo empurrando

para dentro de minha boca pedindo para mim engolir tudo.

Ao englorir com dificuldade que ele percebeu, seus olhos

brilharam de satisfacao.



Depois de terminar, me vesti com o mesmo jeans. Mas

de forma mais justa, mais encima

, com a cintura ateh o meu umbigo, de forma que a bermuda

ficou parecendo um shortinho. Pus uma camiseta curtinha e

pequena mostrando parte da minha barriguinha e ficamos

conversando.



Valdo insistiu que eu nao precisava ter medo nem vergonha

de ninguem lah e praticamente me arrastou ateh o outro

comodo para apresentar sua mae.

A mae dele me pareceu um pouco fria...com toda razao...



Saih arrastada pelas maos ateh a rua da vila que para mim era uma pequena favela.

Congelei de medo e vergonha na rua. As pessoas soh olhavam para mim paradas.

Valdo cumprimentou alguns e me levou ateh um barzinho...

sim..lah dentro da vila tem um barzinho do tipo bem provisorio, cheio de homens e algumas mulheres .

Valdo pediu uma mesa para ficar na rua.

Na mesa foram servidas umas coisas que eu nunca vih e

espetinhos de carne .

A cerveja foi oferecida pela multidao de amigos de Valdo ou

curiosos..sei lah. E eu ali daquele jeito...

Mas continuava com tesao de Valdo e estava louca para

dar para ele.

Comecei a beber as bebidas tao gentilmente oferecidas

a mim por cavalheiros desconhecidos que nao tiravam os olhos de nos.



Precebi com certa satisfacao que estava sendo tratada como

uma mulher...Mulher de Valdo.

Para minha surpresa...todos era muito educados e gentis

a ponto de me emocionar quase aos prantos.

O dono do bar parecia ser um tal de AZULAO e morri de satisfacao quando alguem disse" O Azulao, manda uma

ceva pra mocinha, da nossa" (acho que significa que eles

pagaram para mim).

O azulao apos servir a ceva para mim, passou por traz e

tropecou, causando risos do publico que gritou"Para de olha

pra pernas da moca" .

Tudo isso estava me agradando tanto que resolvi cruzar as

pernas e como nao havia motivo para mim provar nada...

resolvi curtir a minha" situacao de Mulher". Nesse mundo,

nao tem preconceito..sou mulher.



Valdo muito satisfeito, me levou de volta para sua casa e

insistiu que eu dormisse com ele.

Tomamos banho num chuveiro eletrico de dar medo de

tantos fios eletricos soltos.

Pedi para tomar banho sozinha para fazer uma lavagem intima...chamada enema. Lavei tudo por dentro super caprixado para levar pau mesmo!



Valdo estava deitado na cama totalmente nu, com aquele

corpo poderoso e o onipotente pau de tronco que me torturou

tanto.

Deitei-me ao lado dele caindo nos seus bracos enormes.

Fiz carinho no seu peito peludo, barriga, beijando levemente

nos labios finos.

Recebi aquele abraco fortissimo me puxando com forca ao

seu encontro. Os meus dois bracos ficaram presos dentro de

seus abraco de urso. Beijando sua boca,com a minha mao direita livre sobre seu ventre, peguei pau dele para punheta-lo.

Comei a ser lubrificada no anus com KY( o

melhor que usei ateh hoje).

Essa fase de lubrificacao era uma delicia...primeiro um dedo...depois 2 dedos...o dificil era o terceiro dedo.

Todo esse trabalho era para causar o alargamento da

minha entradinha. Pois sem esse trabalho, o penis nao entra

no anus. No caso de Valdo, ele tambem poderia machucar

o penis alem de machucar meu cuzinho.

Mesmo assim...sabia que iria doer muito. Eh uma dor

intensa, latejante e aguda como que rasgando o meu anus

e o musculo do esfincter..o anelzinho. Sabia que tinha que

tomar cuidado para nao romper esses musculos. Pode

causar problemas muito graves e incuraveis no futuro.



Mesmo preparado para a dor...eh uma dor sempre inesperada...uma dor que se fosse provocada em outra

situacao na mesma intensidade, em outro lugar do corpo, seria insuportavel...uma

verdadeira tortura. Porem, nessa situacao de "meter com o Valdo" a dor era ao mesmo tempo, um estimulo para sentir

mais tesao ainda.

Nessa noite, como ele jah havia gozado uma vez com o boquete...suas bombadas duraram muito tempo.

Eu costumava pegar a base de seu penis com as minhas maos para ser obstaculo para impedir uma entrada mais profunda.

O penis de valdo alem de anormalmente grosso, era muito

comprido. Se deixasse...ele me penetrava ateh tao fundo

que poderia me machucar. Jah havia experimentado com ele

essa sensacao estranha que somente ele causou em mim.

Se deixar...ele continua empurrando mesmo parecendo que

jah toccou no meu fundo.E, passa a entrar no intestino, que

acredito, pode ser muito perigoso. Tentei evitar.



Mas, quando eu fiquei deitada de bunda para cima e ele em cima de mim(posicao preferida) com travesseiro no meu ventre. Essa posicao eh mais relaxante e doi menos.

As suas bombadas sao mais leves e delicados nessa posicao.

Ele mordia minha arelha, pescoco e ao mesmo tempo

segurava minhas duas maos com suas maos.

Era interessante que quando ele empurrava mais, ele apertava mais as minhas maos quase quebrando-as.

Era muito gostoso assim, mas ficava indefesa com suas

empurradas mais profundas. Por isso, tentava deter a invasao mais profunda usando meus musculos...o que

parecia deixa-lo louco igual um animal.

Mesmo assim...meu corpo vai cansado e ficando desesperada

com a lembranca da outra vez...Estava entrando no meu outro buraco dentro do buraco...no intestino...e.isso

doi pra burro...

Nao havia como impedir mais...e relaxei...aguardando

a explosao das ondas de dor...

Quando senti...gritei com a espectativa da dor, antes de

comecar a sentir a dor. Quando ela veio...veio em ondas

latejantes como se estivesse rasgando e alargando tudo

dentro de mim...

Sentia-o dentro da minha barriga....

Sentia dores alternantes na intensidade quando a cabeca de

seu pau saia de meu intestino e voltava.

Ele estava demorando muito mais do que outros dias...

mesmo com tanta dor...tive um gozo anal(coisa que soh ele

conseguia em mim)...seguido de outros gozos anais...

eh muito diferente do orgasmo penial. Era algo leve e mais

rapido do que gozo penial..mas eram varios gozos intensos

que comecei a chorar de tao gostoso.

Ele soh falava gemendo..."Goza japinha...goza...goza..."

Parei de resitir e relaxei totalmente ..me entreguei ao

invasor... Que HOMEM GOSTOSO...

Senti que estava ardendo tudo..mas poderia morrer assim e

morreria feliz.

Valdo nao me largava...perdi a nocao do tempo.

Aquele homem variava a intensidade...e parecia sentir

o meu buraquinho dentro do anus...

As paredes do meu cuzinho estavam ardendo e tao sensiveis

que eu conseguia sentir cada uma das arterias que cobriam

todo seu penis...

Durante as suas estocadas de pistao, senti que mais uma onda de gozos estavam por vir...e avisei valdo de que iria gozar...e ele disse..."VAI!, goza japinha..goza...goza que eu vou gozar junto..vai...vai..."



Seu gozo invadiu minhas entranhas ateh o meu intestino...

calor na barriga...no anus...senti o meu corpo ser invandido

por varios orgasmos...tremores....Uma delicia gozar ao mesmo tempo que ele empurrava violentamente aquela

tora...

Valdo desabou sobre mim...me deixando um pouco preocupada..mas quase sufocando com seu peso sobre mim.

Chamei-o para confirmar..."Valdo...valdo meu bem...voce ta bem?"..."Ufaa..japinha...que me mata?!?!"



Ficamos deitados assim por um tempo....com e pau ainda dentro...Eu adoro quando eles ficam um bom tempo assim...

Com o Valdo eh uma delicia sentir o pau amolecendo dentro..saindo aos poucos...

Quando o valdo saiu de cima de mim...senti a porra saindo

de mim....Ele ficou olhando e deu tapinhas e carinhos na minha bunda castigada...e...por incrivel que pareca...

passou o dedo em meu cuzinho como que limpando a porra

escorrida e chupou tudo...

Tentei impedir esse ato vergonhoso....e ele disse que

depois de tanta safadeza, eu nao tinha mais razao para

ter vergonha disso.



...Uma das melhores transas que eu tive...



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Conto gay dei meu cu primeira vez depois da farraxvidio amaciando a esposahistorias heroticas detalhistas de peitudas gostosasConto erotico comi minha aluna virgemporno contos voyer no carro com esposamulheres com a bunda grabnde e a buceta grandeConto as primas na roçaContos eróticos com anal jovem inocente gostei gostoso ela chorouarranquei o cabacinho de 11 aninhos contosmulher mostrando partes intimas meladaconto tomando banho em familiamorena cabelos pretos seios durunhos e aureulas escuras deliciacontos eroticos pica grandeCacetudos batendo punheta no alimentosContos eroticos de travestis tarados.contos gay menino bundudomorena elisangela dando o cuzinho gostoso de cabo frioconto erótico o que rola em cine Porno do Brasilbem novinha virgem chorando najeba gigante contoscontos da minha mulher tomando banhocontos eróticos mostra logo filhosexo com a namorada do meu filho anal e ela gritaprometeu dar o cuzinho virgem contos eroticospau pulsou na bocacontos traidorajovem mostrando os pelinhis fino ds bucetacontos eroticos depois da brigaContos eroticos chupei o grilo da netinhaaconto etotico eu fedidinhaconto erotico bolinada na infanciacontos porno de casada se insinuando para pedreiroscontos aliviando as tetas de minha irmacontos eroticos minha prima hermafroditaconto erotico traindo contra a vontade do maridãofui comida e chingada feito puta pelo meu primopirulito do titio contos eroticosfui iniciada em zoofilia desde pequenaincesto real mãe gostosa da coxa grossa e quadril largomulhe chupa caserte do jegueconto os peitos bicudos de maefiquei com tezao no meu paicontos ela sentou no meu colo sem calcinhatransei com casada que encontrei na pracinhacontos velha casada fudendoContos eroticos : Aticei o porteiro e ele me pegou de jeitocontos eroticos velhos e novinhas santinhascontos eroticos pagamentoContos eroticos iniciando as meninascontoseroticos comendo sebo e bebendomijo de picabumbum arribitado na rolamae coroa mechama pra viaga com ela e durmo com ela insexto gostosa pornoConto de sexoEnfiando a cabeça da pica na buceta virgem filhacontos freirinhamocinha bonitinha filha de papai de calcinha fio dentalNovinhas sendo arrombadas por patrão e peões na fazenda contos eroticoscontos erotic quarto empregadacontos eroticos mulheres casadas cometendo insestoconto erotico o motorista me comeu e meu marido nao viuFodelança contos comendo a mulher e sua amigaZofilia Homem fodendo forte acadela ela chora sentido dorchapuleta inchada no cuzinho conto gay ajudei amigosContos eroticos Minha filha choronameninas não percebem de shortinho com a x******** parecendo ladoContoseroticoscomsogroContos eróticos boca maciaContos engoli porra grossa grudentacadeirante gay dando o cu pro negao em motel contos eroricoshomes esfregando nas mulhres no honibustravesti gritando pidido porra no seu cuvizinho tezudoContos er no carro do papaiContos her¨¦ticos incesto comi minha m0Š0e moleques me foderam conto gay