Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

ORGIAS E INCESTOS NO INTERIOR - PARTE 2

Orgias e Incesto no Interior – parte 2





Bem continuamos nossa viagem até a cidade que meu tio morava e quando lá chegamos eles ficaram muito contentes com nossa visita e já foram preparar um bom café com bolo pra nás que estavamos esfomeados. Meu tio é um homem muito vigoroso e forte e minha tia também. Meu sobrinho tinha uns 21 anos e ficou de olho em minha mulher, procurando por todos os meios ver suas coxas. Minha sobrinha de 19 anos não ficava atrás e era uma potranquinha muito gostosa, que também ficava olhando para minha calça, no lugar do pinto. Sentimos que estavamos bem lá e fomos todos conversar na sala. Minha mulher ficou mais recatada, mas quando viu o sobrinho olhando tanto pra suas pernas, aos poucos foi dando uma colher de chá pra ele, abrindo aos poucos a perna, de uma maneira que sá ele via. O rapaz foi ficando com pau duro e de repente ela deu uma cruzada em camera lenta, deixando ele ver as coxas dela e também a bucetinha, pois ainda estava sem a calcinha, deixando o rapaz em desespero que pediu licença e saiu da sala e foi ao banheiro, tocar uma punheta. Quando voltou ficou no mesmo lugar olhando e se extasiando com o que via. Meu tio notou e também acho que viu alguma coisa. Minha sobrinha, disfarçadamente tinha visto tudo e aos poucos foi mostando suas pernas pra mim, que eu olhava e achando uma beleza de coxas. Depois do bate papo, fomos conhecer a casa toda e o quintal, que era enorme, uma chacára, com muitos pés de frutas plantados e e tinha mexirixa, laranja, jabuticaba e muitas outras, além de uma grande horta com os mais variados legumes. Minha esposa falou em ir ver de perto os pés de frutas e meu sobrinho foi encarregado pelo meu tio para mostrar tudo a ela (e nesse tudo até o pau dele). Foram se afundando pelo pomar afora e eu fiquei conversando com minha sobrinha sobre estudos, etc. Meus tios nos deixaram a vontade e então ficamos no bate papo e ela aos poucos ia mostrando sua coxas pra mim, e eu já estava de pau duro. O sobrinho e minha mulher foram bem no fundo da chacára e ela viu num pé de mexirica, entre os galhos um banco, e meu sobrinho explicou que ele tinha feito para quando queria chupar, ele sentava-se lá e chupava a vontade. Falou isso com segundas intenções e minha mulher compreendeu muito bem o que ele se referia ao falar em chupar. Pediu a ele que a ajudasse a subir, pois queria sentar e chupar também. Ele ergueu-a pelas pernas e ela forçava o corpo pra tráz dizendo que pela perna não dava, que ele a empurrasse pela bunda dela. Não deu outra, o rapaz colocou a mão na bunda dela por cima da saia e foi empurando pra cima e cada vez mais que subia aparecia a bunda dela. Ele tirou a mão da saia e pos direto na bunda dela e ela deu um sorrizinho e um gritinho e subiu. Sentou-se no banco e abriu as pernas de vez. O rapaz tremia e ela vendo-o assim perguntou o que estava acontecendo. Ele disse. Estou vendo.....e ficava quieto. Ela disse: Vendo o que? Ele falou: Sua xaninha. Ela disse: Suba e venha ver mais de perto. Ele subiu e ela falou: Estava vendo minha buceta, pois veja bem agora, e deixou as pernas bem abertas. Se esticou pra apanhar uma fruta e sua saia subiu tudo, deixando-a praticamente pelada, na parte de baixo. O rapaz ficou doido, com o pau duro e ela lhe disse: Tira seu pau pra fora pra mim ver. Ele meio acanhado, tirou e mostrou. Ela falou: Puxa que pauzão e está durão, mas como voce disse que aqui era um bom lugar pra chupar deixa eu dar uma chupada nele. E foi com a boca até o pau do rapaz e chupou gostoso a pica do rapaz, que não aguentando muito tempo (uns dez minutos chupando), começou a dizer que ia gozar. Ela largou um pouco e falou: Goza na minha boca e depois vem chupar minha buceta. O rapaz gozou quase um litro de porra dentro da boca e ela engoliu tudo com gosto. E de repente avançou na buceta dela e chupou, chupou, bastante. Minha mulher não aguentou e gozou na boca dele, que também bebeu o melzinho dela. Ela então falou, erguendo-se do lugar onde estava: Senta aqui. Ele sentou e ela começou a chupar seu pau de novo, que ficou duro rapidinho. Ela ergueu bem a saia, virou-se de costas pra ele e foi sentado, com sua bucetinha em cima do kassetão dele. Pegou no kassete mirou na bucetinha e foi se abaixando até aquilo tudo entrar até o fundo. Foi se remexendo e ele falando: Ai tia como a senhora é gostosa de buceta. Ela falou: Depois voce vai experimentar meu cú e aí dirá se sou gostosa mesmo. Ficaram metendo ali por um bom tempo. Ele gozou na buceta dela, ela endureceu o pau dele de novo e sentou, mas desta com o cuzinho, e o pau escorregou gostoso dentro do cú dela que gemia e se contorcia de tanta tesão. Gozou no cuzinho dela, e ela já tinha gozado muito quando foi na buceta e gozou quando ele gozou no cuzinho dela, depois relacharam, chupando frutas e o rapaz de olho naquilo que ele tinha comido gostoso: a buceta e o cu dela. Ele então ficou preocupado: E se o tio ficar sabendo? Ela disse: Não vai não. Sá se você falar, pois vai ser um segredo nosso e daremos ainda muitas metidas. Ele aquietou-se olhando na buceta dela e sorriu. Mas de fato a senhora é muito mais gostosa do que eu pensei. Ela disse: Gostou, quer mais? Ele disse: Agora não. Mais tarde ou amanhã se a senhora deixar. Ela disse a ele: Sá me chame de senhora na frente de seus pais. Aqui pode me chamar de puta mesmo.

Enquanto isso eu vendo as pernas de minha sobrinha arrisquei: Você é virgem? Ela dise: Não. Meu namorado tirou meu cabaço há algum tempo atrás, mas ele sá trepou comigo duas vezes e eu ando louca de vontade de trepar. E como ele demora vou dar pra quem me quizer comer, me dando a dica que se eu quizesse comer ela, estava a vontade. O problema era o lugar e a hora para poder realizar a vontade dela e a minha. Pedi a ela que fosse tirar a calcinha pra mim ver sua buceta e ela me olhou bem e disse: Já volto. Ela foi até seu quarto tirou a calcinha e voltou com uma xícara de café me oferecendo, e sentou-se, como se nada tinha acontecido. Entou, olhou em volta e abriu as pernas aos poucos e eu fui vendo aquela maravilha, que sá tinha engolido pau duas vezes. Abriu tudo e eu pude ver bem aquela bucetinha quase virgem, piscando pra mim. Falei pra ela irmos até o pomar, pra ver se dava pra dar uma metida nela e ela falou: Mas a tia e meu irmão estão lá. Nisso vi que os dois vinham voltando, e minha mulher me deu uma piscada e um sorriso, como dizendo: Esse também comeu a fruta. Fiquei de pau mais duro ainda e fui levando minha sobrinha para o fundo e olhei pra minha mulher e também dei uma piscada pra ela, pra ver se ela segurava o pessoal por lá e não fosse me atrapalhar. Ela deu sinal com a cabeça, sem minha sobrinha ver, e continuamos a andar até chegar a um lugar fechado, onde eu já fui lhe dando um beijo e passando a mão por baixo de seu vestido, alisando aquela chaninha deliciosa. Tirei o pau pra fora, já duro como pedra e disse a ela que chupasse. Ela falou: Nunca chupei. Meu namorado acha nojento isso. Eu disse: Então experimenta. Ela chegou bem devagar, passou a mão, depois a língua e abocanhou de vez. Foi chupando timidamente. Eu peguei sua cabeça e fui empurando para que o pau entrasse tudo na sua boca. Ela sentiu ansia, parou um pouco e voltou a chupar. Depois que ela chupou bastante eu disse: Agora é minha vez. Agachei e fui chupando aqueles grelhinhos gostoso e enfiava a lingua dentro daquela bucetinha gostosa. Ela se arrepiava toda e segurava o grito de tesão. Depois de te-le chupado bastante fiz ela ficar com o corpo abaixado e fui por trás e passei o pau na portinha de sua buceta.

Ela disse: Tio, põe devagar, pois seu pau é muito grosso e comprido. Fui colocando devagar e ela rebolando, e gozando muito, pois fazia tempo que não trepava. Meti bastante com ela, deixando-a satisfeita. Depois quis comer seu cuzinho e ela disse para deixar para outra vez, que tinham que voltar senão meu tio viria ao nosso encontro. Foi delicioso e eu continuo no práximo conto, pois até meu tio andou transando com minha mulher e eu fui comer a sobrinha num moel onde tirei o cabaço do cu dela. Aguentem que eu conto tudo depois. Até mais.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Malandras e boasudas incestos contosconto erotico massageando a tia nuacontos gay meu primo pauzao vir iconto d patricinha c o borrscheironovinha peguei no pinto do cachorro relatosminha esposametendo com travestis contoscontos fiquei com cu ea boceta arrombada 24cmsegurou a filha para tirar cabaçocomi o a cunhadinha na minha casa sozinhos contoContos Gays Fui Assediado pelo marido Gostoso Da Minha Irmâcontos de mulheres pegano carona indo no colocontos me arrombaramcontos enquanto dormiamulhe rebola engarotocontos eroticos fui cuidado meu sogro e ele viu meus pritoscontos eroticos meu filho me fez gozarConto porno dotado no vilarejode conchinha sem calcinha (contos)Contos de travestis pauzudoscontos eróticos chantagem com mamãecontos eroticos comendo a macaquinha[email protected]contos lesbica fui sedusida banheiro boatyachei que era uma mulherao mas era um travecao que me enganou e socou no meu rabinhocontos currando humilhando a negrinhaler relatos d casalzinhos q os padrinhos d pauzaô comeu o cuzinhos delesmarido corno nao ve mulher paasa a mao no pau d outrocontos erotico você agora é meu viadinhoeroticosgamecontos porno eu e minha mulher curradosmae acorda de fio dental vai na varandaconto de mulher que se masturbacontos verdadeiro de filha de 10 aninhos dando o cuzinhochantageada e humilhada pela empregada negraContos eroticos caralhooocontos eroticos sogras com genros jegueContos Eroticos fudi amiga da tia choronamamae beija filhinha contosChaves com tesão de Chiquinhacontos eroticos de mulheres que fuderao com negroscontos gay novinho namorando o padrastorelato eróticos violênciative que dar contos eróticosconto erótico "Um dia minha familia ia fazer um churrasco em casa, e minha mãe chamou "foda entre maninhos conto heterofilme porno tia gostosa faz uma viajem dormi com saudade do sobrinho da cuNo meu caso sou uma mulher madura, me chamo Paula, 43 anos, branca, alta com cabelos pretos, corpo violao,dei a xana contos eroticosContos de insestos com irmaContos concunhadocontos eroticos cdzinha quando era menino me vesti de menina e marquei pra dar eu queria ser meninaquando a menina sentou no meu colo contos eróticoscontos erótico me rasgaram mo acampamento vemo espoza chupamo autro mo carmaval xxvidiocontos eroticos camisolametendo a rola nas pernas feichadas da novinhacontos erotico d fui dormi so d calçinha com papai me ferreiencarei 30cm contosConto erotico enteadaContos eroticos casal lesbicas esperimentando roludoconto ajudando meu filhocontos a cunhada da primacache:GAEDmAeFVBUJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_18319_fodendo-gostoso-minha-paciente.html contos erotico tia de calça suplex econto nao guentei a pica de jumento choreimenina sapeca danada enganou todos contos eroticosCavalo discabasando uma jumrentapernas grossas dosexocontos eróticos italiano dominador come viadocontos eroticos padrescontos eroticos escondidocontos a mulher do meu amigo queria um pau grandeEnchi a buceta da sogra de.porra conto