Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MEMÓRIAS DE UMA GAROTA SUBURBANA

Há muito tempo que não escrevo nada, por que aconteceu uma avalanche de problemas aqui em casa. Lembram daquele tio que tinha a tara de enrabar sobrinhas com 19 anos? Eu apresentei ele no conto “Titio pega geral”. Pois bem, como estava numa ‘entressafraÂ’ de sobrinhas nessa idade, o tarado perdeu a postura a atacou uma de 19 anos, enrabando ela à força. Foi denunciado e preso. Aí a merda fedeu geral. Desconfiada de que podia se tratar de um pedáfilo, a polícia apreendeu o computador dele a, claro, achou as fotos das outras sobrinhas sendo enrabadas ou sendo chupadas ou, ainda chupando o tio (a propásito, será que nenhum policial fica excitado vendo fotos assim?). As fotos minhas e de minhas irmãs estavam lá, o que levou meu pai à loucura e minha mãe à depressão. Por orientação dos advogados do caso, as mais novas, como eu e minha irmã mais nova, foram submetidas a exame para comprovar a virgindade. Nisso me dei bem, pois como ainda não dei a xana, meus pais ainda me consideram ‘santinhaÂ’ e que, assim como todas as demais, eu fui apenas ‘vítimaÂ’ do tio pervertido...



Em seguida, todas nás conversamos com uma psicáloga para avaliar o quanto àquela violência sexual havia nos afetado. Aí aconteceu um lance curioso. Depois que o caso veio à tona, minha irmã mais nova, que de vez em quando transava comigo, parou e não quis mais. Ouvindo a psicáloga falar com minha mãe, percebi que o lance de meu tio deixou minha irmã mais nova com medo de descobrirem as coisas que nás duas fazíamos (o que deixa o diagnástico da doutora, que constatou um ‘traumaÂ’, uma opinião discutível, mas não posso falar nada, né?). Agora, sobre mim... A doutora (mais uma vez errando) diagnosticou que o ataque de meu tio despertou minha sexualidade mais cedo que o normal, e de forma equivocada. Ela disse pra minha mãe que eu era uma das únicas sobrinhas fotografadas que parecia estar gostando da situação. O equívoco da doutora salvou minha pele: Para ela, a descoberta do sexo de forma brutal sá serviu para despertar minhas taras também de forma exagerada e errônea, e que eu precisava fazer terapia! Ou seja, a partir daquele dia, para meus pais, tudo o que eu fizesse em termos sexuais seria culpa do meu tio!!!! Amei aquela doutora!!! MAS....



Mas minha mãe me chamou para uma conversa e disse que, apesar de respeitar a doutora ela, minha mãe, sabia que o diagnástico estava certo, porém que a culpa não era de meu tio! Gelei quando minha mãe falou isso para mim! Ela lembrou que, quando eu tinha oito ou nove anos, eu adorava brincar com um primo meu que, na época, tinha uns 13, 14. Que a gente brincava de luta mas, um dia, ela e minha tia estranharam o silêncio no quarto e foram verificar: Eu estava deitada de bruços, dominada por meu primo que, deitado em cima de mim, sarrava minha bunda. Estávamos de roupa, claro, mas elas perceberam que era sacanagem mesmo. O que elas não sabiam é que SEMPRE fazíamos aquilo. As lutas eram apenas um disfarce. Me lembro que, de verdade, começou como brincadeira mesmo de briga. Um dia meu primo me dominou, me deitou de bruços e deitou em cima de mim. Tentei me livrar, ainda no espírito de brincadeira de luta, mas aos poucos percebi que ele estava fazendo outra coisa, e, apesar de eu não entender o que era, meu primo estava gostando. E eu gostei também, então...



Outra situação lembrada por minha mãe era a mania de ficar nua que eu tinha e que começou na mesma época, entre 8, 9 anos. Bastava fazer um pouco de calor e eu tirava a roupa. Adorava. Ficava pelada até na praia. Geralmente levava bronca de meu pai, que me chamava de ‘índiaÂ’ por causa desta minha mania. Mas, como eu era criança, a bronca era leve e bastava eu me vestir para eles não falarem nada. Depois, me proibiram de ficar pelada na praia, sá deixavam em casa. Mas quando eu estava com uns 19 anos, eu atendi a porta de casa nuazinha por que minha mãe estava no banho. Era o zelador do prédio que a gente morava. Quando minha mãe saiu do banheiro foi até à sala e me viu ali, de pé, nua e a cara de safado do zelador, que tinha ido verificar um problema de registro da água. Levei uma baita bronca, ele também e, a partir daí, pelada sá no meu quarto e em segredo! O que minha mãe NÃO SABIA, é que, quando abri a porta o zelador perguntou por ela ou por meu pai. Eu disse que meu pai estava trabalhando e minha mãe no banho. Ele se ajoelhou para falar comigo e perguntou se eu andava sempre peladinha em casa. Eu disse que sim. Ele, então, começou a alisar meu corpo enquanto falava comigo. Eu ainda não tinha seios direitos, mesmo assim ele acariciou os dois. E eu ali, congelada. Ele ficou falando algumas coisas de que não me lembro, mas recordo quando ele encheu a mão na minha xotinha, dizendo que eu era uma deliciazinha e a outra mão deslizava por todo meu corpo. Eu não consegui falar nada, mas estava gostando daquilo!!!! Eu entendia aquilo, não sabia se era ou não certo, mas estava adorando!!!! Ele então me abraçou junto ao corpo dele segurando minhas costas com a mão esquerda. Com a direita, ele alisava e apertava minha bundinha. E me lembro que ele pediu segredo, senão minha mãe ia brigar muito comigo (como ela de fato, depois, brigou, então achei que ele estava sendo sincero). A respiração dele era forte, o coração dele batia muito acelerado, mas o meu também estava assim e eu lembro que meu corpinho tremeu todo quando ele forçou o dedo no buraquinho da minha bunda. Senti uma fisgada e recolhi a bunda, ele pegou ela de novo e apertou as nádegas, depois deslizou o dedo no meu reguinho e tentou enfiar de novo, mas eu me apertei toda, saindo da mão dele. Foi quando ouvimos a porta do banheiro abrir e ele me soltou. Piscou o olho pra mim, repetiu que era segredo e se levantou. Foi quando minha mãe chegou na sala. Mas minha mãe, apesar de não ter visto nada, percebeu a cara do zelador e também uma estranha expressão no meu rosto, meus mamilos endurecidos e minha xana inchadinha... Ela percebeu que eu estava gostando de me exibir, mas nunca desconfiou que, na verdade, eu estava gostando de ser seduzida, tocada, desejada... Dias depois, enfim, descobri o prazer e me transformei na ‘garota suburbanaÂ’, conforme relato no conto: “A origem de tudo”.



Resultado: Não fiquei tão bem na fita como pensei, por ainda ser virgem. Nem tanto por achar que meu tio seria responsável por minhas taras... Minha mãe quer que eu faça a terapia, sim! Em outras palavras, a garota suburbana corre perigo! Eu ainda não decidi se falo dela para a doutora. Certamente, se contar TUDO... Haja terapia!!!!!!!!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos de lolitos com tios de amigosconto minha tia pelada no quintalcontos eroticos a tora do titioconto erotico hetero fudando com mecânicos no trabalhogarota da buceta grande cetado nado negãotiradp o cabaso da novimhaLora dismaiando no cu no anal em tres minutoscontos eroticos gay medicoContos minha mae me arrombou com consolo grosso site casa dos contosmeu primo pegou no meu penis de 10cmgozei na minha sobrinha conto eroticocontos gays novinhomulher madura em casa fazendo faxina bem à vontade sem roupa ou com roupa calcinha transparenteConto de mulhe minha esposa e o molequeContos ela deixou comer o cu delacalcinhas usadas da minha tia contoscontos eróticos babá garotinhocomendo minha sogra ruiva de 52 anos coroa mais gostosa do brasilconto erotico arregaçadaminha cunhada quis que eu a visse nuamalandrao dando o cuzinho pra boy malhado contohistoria erotica meu enteado novinho e bem dotado me arregaçou todaarrombado; contos gayDei calmante para a mulher gorda dormi e meti tudo contoprofessor cacetudo comendo o cuzinho do menino afeminado no banheiroeu sei que ele quer um pau, contoscontos encoxada com o maridocasei com um homem mais velho e me satisfaço com o sobrinho dele contos eróticoscontos soldados estruparam minha esposacontos eroticos "cadela" "sem comida" "fome"video porno minha vizinha mim vizitou aki em casamachos arrombador de gay afeminadocrentes excurcoes contoscontos eroticos pego gostoso o meu filho gueicontos eroticos lesbicos mulatas casadas bicontos de zoofilia em bordeiscontos eroticos infanciacontos eroticos a travesti segurou em minhas bolas e empurrou 23cm no meu cucontos eroticos bostacontos eroticos de incesto: preocupada com meu filhoBucetas grandes fog lp iinsesto novinha tava bricano e fico engatada com cachorroGravida do papai contosContos lesbicas sou casada e minha comadrd me seduziugretinha do short pornocontos eróticos fode ai rebola vadia isso abre isso aí que pau grandemeu amigo me pediu para fazer sexo anal com ele gay contofotos de esposa de corno pegando no mastro grandemulheres cavalas de quarenta de bucenta inxada e grelo inormeComtos perdendo cabaco meninasvidio porno mulher coloca vibrador de 53 cemtimetro todinho dentro da bucetaq p* gostoso ham hamfui assistir filme acabei chupandoxvidio real meu primo mamado peito bicudo da minha mae negraporno tia tica soprinho 18 anocontos gay estrada calcinhacontos erótico de casada bi certinhaconto casada chantagiada deu pro meninonoite fria com titia contos eróticossegurando o pingelo delaconto cdzinhazoofilia cavalo violentos o dedãoConto erotico meu cachorro taradoContos erotico Minhas mamas doem muitoconto de chorei com a pica grande de um negao no meu cu virgemcontos gay afeminadoscontos de encoxadas reais porto alegrecontos putaria de crentescontos me faço de recatadacontos eroticos homens cavalos e mulheres fogosascontos noivas deram pra cunhadocontos eroticos fui leva a gostosa da cumade beba na casa delaconto gay negro pediu o branquinho em namorocontos eróticos - praia de nudismocontos erotico os mininos comerao meu cu guando ajente brincavaconto: crente safada da ccb em swinggordo xupador de bct conto eroticosminhaxaninhaardeucontos mi mastubava nas calcinhas da vizinhas gostosas contosvoyeur de esposa conto erotico