Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

CANOA DA BUCETA AO CU. É QUANDO A LÍNGUA...

Canoa da buceta ao cu. É quando a língua passeia!



Então Jereba a botou de quatro, fez - lá empinar bem a bunda; e abrindo bem sua buceta com aquelas chupadeiras que mais pareciam dois files de alcatra, começou a usar a língua, acariciando seu clitáris, quando esse estava bem molhado, ia escorregando a língua até o cu. Jereba de joelhos por traz dela enfiava a cara dentro da bunda; seus movimentos com o pescoço eram de afirmação, dizia sim aquele ato maravilhoso. E como um ventríloquo, balançando a cabeça sim, sim, sim. Ela ia soltando devagar uns gemidos, dando sinal que estava gostando e que a coisa estava esquentando. Ela rebolava é pedia para jereba enfiar a cara dentro dela. Ele enfiando língua, nariz, lábios; e com a cara toda lambuzada ficava mais excitado.

E ficaram naquele remelexo por muito tempo. É chegada a hora, Jereba se levanta pede para ela empinar mais pouco. Jereba arregaça a cabeça do pau, aquela cabeça roxa e inchada, o pau robotizado, e a perfurou sem dá, adentrando a buceta e separando as chupadeiras carnudas. Ela gemeu como se sentisse um alivio; aquela piroca enorme estocando no fundo de sua xereca. Jereba agora, se movimentava no vai e vem bem devagar, sentia o saco bater-lhe o clitáris. Agarrou-a pela cintura bem forte, e colando melhor sua virilha na poupinha dela, batia-lhe com violência a púbis. A buceta já encharcada permitia a estocada ir mais fundo bem dentro. E os gemidos loucos a fez gozar varias vezes; o corpo dela desfalecia em espasmos. Mais jereba que agarrado a sua cintura não aliviava, e acelerava mais e mais o vai e vem. Ela gritava e pedia para enterrar aquela pica até o talo. O barulho que faziam devido essa posição, mais conhecida como cachorrinho, que ao longo do tempo foi sendo aperfeiçoada, e hoje podemos dizer que comer uma fêmea de quatro é um espetáculo a parte, para os apreciadores da foda selvagem.

Foi aí, depois de muito gozar, jereba retira seu pau inundado de dentro da buceta, e sem pestanejar, arregaça a cabeça de novo, empunhando na direção do cu. Ele vai empurrando lentamente; vai entrando a cabeça roxa e o pau vagarosamente, passando pelo cabresto e logo depois o corpo, as pregas do cu anatomicamente aconchegando o pau que já dentro se mexia. Sendo que de quatro a pica vai até o talo no cu, e ela que sem pudor permitia essa penetração e implorava que a pica estivesse definitivamente indo até o saco. Jereba alternava, em grandes estocadas no cu, indo até o talo, outras sá enfiando-lhe a cabeça roxa do pau, entre a glande e o cabresto. As vezes tirava a pica e enfiava-lhe de novo com violência. Ela chorava, a dor misturava-se com o prazer; há essa hora o cu já tinha se acostumado em ser açoitado, e num simples movimento ele pede para mudar de posição, curiosamente seus corpos já pareciam ter ensaiado essas trocas, e jereba deitou-se apontando o pau para o céu, ela em pé, por cima dele, abaixa devagar e espontaneamente, sentando delicadamente no pau. As pregas do cu mais uma vez aforecendo aconchego, aquela pica gigantesca com a cabeça roxa. Ela continuou sentando até desaparecer a pica dentro dela, rebolou um pouco para ajeitar mais, depois sentava e levantava, dando uma visão extraordinária da coisa; a pica ia lá dentro e saia um pouco, aí ela começou a acelerar o sentado indo e vindo incessantemente. A pica ia e vinha dentro dela com uma naturalidade, e ia arregaçando mais o cu. E em gemidos e palavras de incentivo, ela pedirá que arrebentasse aquele cu, que já tinha se rendido aquela pica que tanto o maltratava. Devido a aceleração dela, jereba sofrendo não aguentava mais, e num jato firme gozou dentro do cu, e a porra escorria-lhe pelo saco, pelo pau, jereba gemia dando graças aquele gozo violento e extasiático. Mais ela não parou, sentava e levantava encima do pau, até que ele amolecesse como acontece depois de uma gozada violenta. Ela sentiu que já tinha ido toda porra, estão lentamente, desacelerando devagar, devagar, parou, retirou o pau de dentro e começou a chupar a cabeça, agradecendo por ele ter enfiado aquela pica dentro dela. Sorrindo um para o outro, beijaram-se e abraçaram-se carinhosamente.



Ass, Lathea











VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


cavalo estocando muito forte na putacontos filme com cunhada mostrando a buceta de sainhacontos eroticos minha sobrinha bucetudacontos comi minha mae e o travesticonto - bucetinha novinha cheirosa e depiladaContos Gays Fui Assediado pelo marido Gostoso Da Minha Irmâfiquei com a buceta ardisa pela grossa rolatenho 20 e comir e comir o cu do meu irmao de 15mulhe vais boguete em bebudoFODA GRAVE arrombando ninfetinhacontos eroticos tia da esposa dormiu em casacontos treinador gay da escolinhaconto erotico viadinho dei meo fu virgepornô com cavalos mangalarga fazendo com mulheres no cavaleteaprimeira coroa que transei vou contar como aconteseuenso botar po para mulher do corno contosContos de transexiincesto primo bolinando prima pequena de cinco anosXvidio mulhes que anda a noiteA briga do casal contosContos heroticos esposa quer muitas picascontos eróticos de manicures safadascontos de filhas enrrabadas pelos pais de pénis grandes e grossoscontos eroticos minha anjinhacontos ninha cachorra chupou minha bucetavidio de mulier xupanoporno abuzado mulhe olho tapadocontos eroticos bolas cheias de leitepedreiro velho gay contosporno éla dis méche que eu vou gozarcontos eroticos com solteira no cinema pornocontos fui comer o cu da minha esposa dormindo tava alagadoContos eroticos humilhado seioshomens poloneses de pau duro sacanagem gayzoofilia cavalo violentos o dedãoEu e meu macho padrastocontos eroticos: fui comido pelo meu inimigo safadinhoai devagar porra caralho sua pica e muito grossaMulheres se jutao para fazer xexo contosMulher dando cu pra coroa do pinto torto contoscontos corno empretei minha mulher para traveti e fikei vendonamorada desobediente contos eroticoscontos heroticos gay meu primo de dezessete me comeu dormindo quando eu tinha oito anoscontos gays adoro cheirar uma rolavideo porno de anos gozando dento e escorredocontos de corno no cinema com 2 negros bem dotados estuprada esposa loiraMulheres solteira salvdortraficante comendo a travesti conto eroticoa minha mulher Ela foi arrombada pelo negão como chega eu sentir coisa diferente dentro delaconto erótico vesti cinta liga pro meu filhocontos eroticos a mae do meu amigotiraram a roupa da esposa contocontos eroticos enfermeirascontos eroticos caguei no pau do meu padrinhofilme pornô com gordinhas empadãocontos eróticos férias com porracontos eróticos cu saindo pra foracarnavaldeputariascontos eroticos comi o cu da minha vizinha mendigacontos eroticos o ventocontos eroticos de homens casadosConto erótico gay camisa social de sedaporno aniverssrio do sobrinho a tia fudet com elecontos eróticos​, praia de nudismobocetinha sem nenhum pelo e piquenininhCONTOSPORNO.sapecaFeirao big foto penetrando no cuzinhocontos eroticos entregadorcontos minha bunda ernome encoxada de pau super durocontos esposa e a visinha fodem com cãoconto erotico meu pai me fudeucon erot vendo meus amigos estoura esposinhacontos eroticos nordestecontos minha sogra safada chupando meu pau escondido do meu sogro e dando o cucontos eroticos chorou dormindoboqueteira gaucha conto