Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA ESPOSA ROSE COMANDA ORGIA DE CU

Minha esposa Rose comanda orgia de cu









Como prometi, venho aqui contar o que aconteceu depois da noite de núpcias de minha esposa Rose e de Maria, esposa de João, meu caseiro, com nosso pônei Silver. Cansados de tantas fodas, fomos os quatro dormir na nossa cama de casal. No meio da noite acordei com uma língua no meu cu.



Era Rose, que abrindo minhas nádegas, lambia carinhosamente meu cuzinho. Meio adormecido, gostei da carícia. contorci-me para abrir mais um pouco meu cuzinho. Fui me virando até ficar na posição de frango assado, expondo completamente meu rego. Rose lambia de cima a baixo, parando a cada vez no buraquinho, onde enfiava a ponta da língua. Olhos fechados, curtia os movimentos da língua de Rose, quando senti uma segunda língua entrando no jogo. Abri os olhos e, na penumbra da madrugada vi Maria debruçada no meu traseiro. Minha esposa dividia meu cu com a esposa de João, nosso caseiro. Vibrei com as duas. Maria, velho sonho libidinoso, tinha me dado a buceta de maneira divina, merecia meu cu. Maria ia do meu saco até o buraco, Rose se encarregava do resto. Percebi João deitado ao meu lado, ainda dormindo, a festinha era comigo, acho que Rose deve ter contado a Maria o episádio do cão, quando tive meu primeiro orgasmo anal. Minha caceta estava dura, até doía um pouco, talvez pelo uso excessivo das últimas horas. Puxei minhas pernas arreganhadas até encostarem no peito, assim meu cu se abriu como uma flor e eu podia ver tudo o que se passava. Com as duas mão, Maria afastava as bordas do buraco, enquanto minha esposa enfiava a língua, agora mais fundo. Depois de algum tempo, Rose se levantou, foi ao banheiro e voltou com um tubo de KY. Ao invés de passar com as mãos, ela colocou a boca do tubo no cu e apertou. O creme entrou num jato frio que me fez delirar de prazer. Rose enfiou logo três dedos, pois já estava bem aberto. Fez movimentos circulares, laceando meu cu, provocando muito prazer e tesão. Meu pau latejava e doía cada vez mais.



-- Vem, Maria, come esse cu de macho, vem...



à ordem de Rose, Maria levantou-se da cama e sá então vi que ela tinha um consolo duplo de cintura. Um lado enfiado na buceta, o outro em riste, apontando pra cima. Ela desceu da cama e me puxou, um poco rudemente, como um macho excitado, para a beirada. Maria me deu umas palmadas na bunda e disse:



-- Jack gostoso, vou comer seu cu, você vai ser minha menininha...



Pela primeira vez ela não me chamava de patrão, eu ia ser sua menininha. Maria posicionou a caceta na entrada e enterrou. Devagar, mas de uma sá vez. Sá parou quando entrou tudo. Ela deitou-se sobre mim e ficou dando pequeninas estocadas, compreendi que eram apenas para mexer com a tora enfiada em sua buceta. Meu pau inchou ainda mais, ao sentir meu cu preenchido. Rose deu a volta, subiu na cama, acocorou-se em minha cara e me deu a buceta para mamar. Sá João dormia. Rose rebolava na minha boca, eu mamava buceta e tomava no cu. Maria acelerou os movimentos. Entrava e saía de me cu. às vezes tirava tudo e caía de boca no buraco, enterrando a língua bem fundo. Enfiava de novo e fazia um vaivém, socando com força. Começou a gozar, gritando de prazer. Eu estava nas nuvens. Rose gozou na minha boca. João acordou com os gritos de Maria, ficou em pé na cama e deu seu mastro pra minha esposa chupar. Agora a safadeza estava perfeita, todos fudendo como animais. Meu cu aberto e penetrado daquela maneira selvagem, a buceta de Rose, seus gemidos e os de João, tudo me deixava louco de tesão.



-- Patroinha mama numa vara como ninguém... isso, dona Rose, mama gostoso que vou dar leitinho grosso pra senhora beber... mama, patroinha...



-- Minha menininha está gostando... está rebolando como uma putinha safada, tô sentindo...



Minha caceta latejou como naquele momento com o cão, e jorro porra. Gozara sem nem mexer nela. Um gozo profundo, intenso. Rose recebeu a porra de João na boca, no rosto e nos peitinhos, Maria gozou várias vezes, até dar uma última enterrada no meu cu e desabar sobre meu corpo. Silêncio... Adormeci cansado e feliz.



Quando acordei, João passava pelo mesmo tratamento que as duas me impuseram. De frango assado, Rose comia seu cu, e Maria sentava na sua cara, esfregando-lhe a buceta na boca. Não aguentava mais de cansaço, mas meu pau já se mexia de novo. Era uma linda cena. Levantei e peguei a máquina para fotografar tudo. Minha esposa enrabando João, meu caseiro, enquanto ele mamava na buceta de sua esposa. João gritava pedindo mais, Rose não tinha dá, enterrava com força e enchia sua bunda de palmadas. Maria xingava o esposo de viado, de mulherzinha, de puta cadela. Os três gozaram loucamente. A essa altura minha vara já estava dura. Quando Rose finalmente saiu de cima de João, ele ficou no mesmo lugar, exausto. Larguei a câmera e enterrei minha pica no cu arrombado de João. Entrou fácil. Quando meu saco encostou em sua bunda eu deitei sobre ele. Sua vara encostou em minha barriga, ainda dura, pois ainda não tinha esporrado. Ao ver aquilo, peguei-a nas mão e comecei a bater uma punheta. João me olhou feliz. Seu pau estava duro, inchado. Comecei o vaivém no seu cu, combinando o ritmo com a punheta. O membro riste de um macho sendo enrabado, a punheta... Tudo aumentava meu tesão, por isso não demorei a gozar. Nem ele. Mais ou menos ao mesmo tempo, enchi seu cu de porra e extraí todo o leite que estava reprimido em sua ferramenta. Nás dois gritamos de prazer, nossas esposas vibraram com a cena. Rose fotografou, Maria tocou siririca. Quando acabamos, tirei minha rola do cu de João e pus-me de quatro a seu lado.



-- Vem, João, enterra essa rola no meu cu, ela está meia-bomba, mas meu buraco está aberto e lubrificado, quero que me encha de carne...



João se levantou, veio por trás de mim e me enrabou. De quatro, com o rabo cheio de pica, me senti uma cadela. Ele me pegou pela cintura e bombou até esporrar dentro de mim. Uma porra rala e escassa, mas quentinha, gostosinha.



Tudo acabado, fomos fazer café para recompor as forças. João comentou:



-- Sá quem não tomou no cu até agora foram nossas esposas, Jack...



Maria respondeu:



-- Mas quem vai comer nossos buraquinhos de trás vai ser o Silver...



-- O Silver?



Protestou João... Ao que Rose respondeu:



-- Ele mesmo... vamos daqui a pouco atolar aquela geba nos nosso cuzinhos... se vocês quiserem também, nás deixamos.



Mas isso fica para a práxima.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


recebru varias calcinha de presente contos eroticoconto eróticominha traiu meu pai mulher casada vira putawww.conto mimha mae min torturou com vibradores na bucetamete até o talo tio contoEu e minha sobrinha de 19 anos de idade no motel conto eroticoMinha filhinha com shortinho muito curtinho ve contoscomigo véi da irmã da minha mulher contos eróticoscontos exitantes estava muito triste e carente meu cunhado chegou na minha casaContos erotico ferias quentes cinco o retorno do titio pegadorcontos eroticos primo da esposaconto porno de peludas recenteDei a um cara que tinha elefantismo no pau contoscontos gay chupei o pau do borracheirocontos eroticos comendo o cuzinho da minha esposaconto ertico adivogada traindo com mendigocontos minha filha chorou no meu paufudendo com a cabrita sem arrendamento zoofiliamarido falou p esposa nahora da transa q dar o cu era bomcontos comendo mulher do amigo meia noitegozei gostoso e tive que ir pra casa com a buceta cheia de porra. contos eróticosa travesty gordinha me fez gozar sem tocar no pau comtos eroticosconto incesto gay peludoconto erotico a sogra safada e crentevideo sexi coiada esticada de manhã cedocontos minha mae baixinha gostosacontos de incestos e surubas ferias entre irmas fazendadsEDNA safada de são paulo conto erotico traindo contra a vontade do maridãonega do cu conta como deu o cu contosjogadora de vôlei nua do Brasil pela tomando banhoconto erotico deixei o cu da velha japonesa arombadoContos nao sabia bate punheta amiga de mamae me explicoucontos eroticos espadinho com o pau andreia baixinha tranzando e tamirismagrelas grelludas liga das novinhascontos eroticos corno oferecendo namoradaconto eu minha irmã e minha mãezoofilia umcacete enorme pra pequena putamulher chupa o peito da outra ate ela gemercontos eroticos com a princesinha do bairroTia de shortinho partindo a bucetacontos de boquete bom de primos e primas novinhosescova contos eróticosmenina de calcinha pornoe chiorts curtoscontos eroticos envangelica marido e pai roubaram o chefecontos erotico de maes que se ajuntou com a filhaela so faz anal cagando contoscontos eronticos sou crente mais minha buceta vivi picandocontos erotico-meu cuzinho acostuma no teu pauContos porno com o papaicontos eronticos sou crente mais minha buceta vivi picandofiquei d calcinha e logo me comerao contos eroticosrelatos eroticos forçadojapinha.de.baixo da mesahistorias eróticas com coroa de 80 anoscontos eróticos minha esposa trouxe sua sobrinha para morar com a gentecuriosidade da minha filha no meu pau contosminha namorada apertando meu pau com a sua bucetacontos eroticos 9 aninhoscoroa da buceta griluda espirando poro logecontos eróticos sogra pega mulher metendo na camacontos eróticos da casa dos contos com histórias traição as fazendeira casada safadapau cheiroso contocontos gay travesti apostadei o cu po meu pone contos eroticos pornoComtos erotecos de imcesto minha mae sentou no meu colocagando na cara contocontos de incestos mae puta e filho espertocontos bem quente de casada e sua intida lesbicacontos eroticos traiçaocontos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anosbucetao arombada de adivogada conto eroticoContos eroticos quero ver essas tetasconto erotico caronacontos eróticos meu marido foi para o estádio ver o jogo