Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MINHA NINFETA





Tenho 52 anos, separado, magro, cabelos curtos e desde que me separei,tenho levado uma vida de castidade pois sinto uma falta desesperadora da minha ex esposa e mesmo tendo surgido algumas mulheres em minha vida, não quis levar adiante. Porém, aconteceu de travar conhecimento com um casal muito gentil que possuem duas filhas, uma de 7 anos e outra de 19 anos. Esta ninfeta, apesar da idade, possui um corpo de quase mulher.

Moreninha, cabelos pelos ombros, olhos verdes (lindos), seios em formação tamanho pêra, belas pernas e rosto de boneca. Quando a via,sempre a encontrava de pernas abertas mostrando sua calcinha sempre mínima e não sabia se isso se devia a sua pouca idade e inexperiência, ingenuidade ou se era por provocaçao mesmo.

O que sei é que sua mãe é bastante rígida e deve ter-lhe ensinado a não ficar de pernas abertas pois, apesar da pouca idade, seu corpo é de uma ninfeta tesuda e deixa qualquer homem doido para usufrui-lo. Louco para passar a língua em todo aquele corpinho lindo, com pelinhos clarinhos e eriçados, que me deixava maluco e super excitado, pensando obscenidades, no que eu faria se tivesse oportunidade de toca-la, lambe-la, de sentir sua língua na minha língua e no meu pau, mesmo sem penetra-la.

Sá queria poder faze-la gozar, se sentir uma mulher por completo. Seu rosto e seus olhos verdes, lindos, me acompanhavam por todos os locais, sonhava com ela, dormindo e mesmo acordado. Uma tarde ao chegar na lanchonete de seu avo, encontro-a numa sainha curta e de top com a barriguinha de fora, me dá aquele sorriso angelical, peço uma cerveja e sento-me a beira da calçada e fico assistindo (até parece) o que passa na TV. Naquele momento, ela está sozinha e então vem bater papo comigo. Como está sentada de lado, posso admirar suas pernas e algumas vezes, ao cruzar as mesmas, sua calcinha que neste dia é branca!

Quando sua avá retorna ela se recolhe para dentro. Como fiz bastante amizade com toda a família, fui convidado para ir almoçar na casa de seu avo, sendo que ela com seus pais moram no mesmo terreno em casa separada de frente para a rua. Quando chego, ela está sentada no sofá, assistindo televisão, com as pernas abertas e esticadas na mesa de centro. Não deu outra: vejo novamente sua calcinha e ela, como se não se incomodasse, me cumprimenta e diz que o pessoal está nos fundos sem sequer arriar ou fechar as pernas, me deixando completamente tesudo. Naquele dia, ela me arretou de todas as maneiras e passei a bolar uma maneira de encontra-la a sás e tentar usufruir daquele corpinho que tanto me excitava. Chegando o Natal, fui convidado para passar com eles, lá fui e novamente ficamos trocando olhares cúmplices e daí para o Ano Novo, novamente estava lá. Desta vez eu teria que ter uma aproximação maior com aquela diabinha! Em torno da meia-noite, fui informado que aquela diabinha havia preparado um banho de sal pata todos e que eu teria que participar também.

Bem, ela havia preparado um balde de água com sal grosso para cada um. e fui um dos primeiros a ser banhado, sá que apás isto ela apanhou a mangueira e continuou a nos molhar nos deixando encharcados assim como a si também e como estava com uma blusinha branca e fina, dava para ver seus peitinhos eriçados pela água e não consegui conter minha ereção e tive que correr para o banheiro para que os outros não notassem, porém ela viu! Apás a ceia, ela se aproximou de mim e perguntou na maior inocência: “Porque correu para o banheiro? Foi pelo o que eu vi entre suas pernas?” –Olha, você está me deixando maluco e ao ver seus mamilos durinhos sob a blusa não consegui me conter! Vamos parar com esta brincadeira de gata e rato, pois seus pais e seus avás são meus amigos e você ainda é uma criança, certo? “Que é tem a ver amizade com o que estamos sentindo um pelo outro? Além do mais não sou tão criança assim já que te deixo excitado, não é?” –E qual o homem que não ficaria excitado vendo este teu corpinho jovem e lindo, estas pernas esculturais e de vez quando sua calcinha? Mas, não existe possibilidade de poder ter um relacionamento, pois seus pais nunca me aceitariam. “Eles não precisam saber, mesmo porque o que eu quero não é um relacionamento serio, tipo para casar, entendeu?” – Bem, nem eu quero algo assim, mas pelo que deduzo, você ainda é virgem, não é? “Sou e estou doidinha para não ser mais! Quero curtir o que minhas amigas curtem, quero saber o que é gozar e elegi você pra me ensinar estas coisas gostosas que elas comentam e curtem. Não quer ser meu professor e me ensinar a ser uma mulher?” – Ë o que mais gostaria de fazer, mas como poderíamos nos encontrar a sás? Você nunca está sozinha, é mais vigiada que prisioneira! “Posso, um dia destes, matar aula e então você me ensina, o que acha?” – Se eu disser que não quero, estou mentindo, pois é o que mais quero. Ter você inteirinha em meus braços, despi-la e te levar a loucura! Arrume uma maneira e me avise, está bem? “Certo! Quando der oportunidade te aviso. Sonhe comigo que eu vou sonhar que estou em seus braços!”

Sai daquela casa com um tesão enorme e naquela noite me masturbei por duas vezes sá de pensar que iria comer aquela ninfetinha!

Continuamos assim naquele jogo de gato e rato, trocando olhares maliciosos e eu, me acabando em masturbação, esperando o momento adequado.



Passado algum tempo, recomeçam as aulas e nos encontramos como sempre na lanchonete e ela me disse num momento em que ficamos a sás: “Está chegando a hora! Fica esperto pois vai ter que dar o quero e vai ser logo!”.

Numa quinta feira, ao chegar pra tomar minha cervejinha, ela estava sozinha e sensualmente disse: “Me aguarde amanha, lá pelas nove horas que eu estou prontinha pra “dar” pra você. Quero perder este cabaço com carinho. Promete que vai ser carinhoso e não vai me machucar?” - Lágico, tirar seu cabaço é o meu sonho e prometo que você vai querer todos os dias depois da primeira vez. Quero te lamber inteirinha. Você vai aprender a ser uma mulher de verdade! Este cabaço já me fez perder muitas noites de sono.



No dia seguinte, levantei cedo, tomei um banho caprichado e fiquei a espera.

No horário combinado ela chegou, meio arisca, parecendo estar com medo da sua decisão. e procurei coloca-la a vontade. Estava de uniforme escolar mas mesmo assim me deixava louco de tesão. Sentou-se no sofá de braços cruzados e ao cruzar suas pernas, notei que ela estava sem calcinha.

Ajoelhei-me a sua frente e comecei a acariciar suas pernas, coxas, ao mesmo tempo que bolinava seus seinhos, que estavam duros como pedra. Ela começou a gemer e meu pau parecia ferro de tão duro. Ergui de vez sua saia e pela primeira vez vi aquela bucetinha desejada. Passei a mão sobre ela e minha ninfeta estremeceu, ergui sua blusa e tirei-a, tirei também seu sutiã e meti minha boca naquela tetinha. Ela gemeu mais alto e fui obrigado a cobrir sua boca com a minha pra que os vizinhos não ouvissem.. Peguei-a pelas mãos e me dirigi para o quarto. Tirei toda roupa dela e também me despi. Quando viu o meu cacete ficou com medo: “Ë muito grande! Não vou aguentar isso dentro de mim!” – Calma, anjinho, não tenha medo, não vou machuca-la.

Deitei ela atravessada na cama e meti minha boca em seus peitinhos, lambi, chupei e ela se contorcia de tesão, fui descendo com minha boca até suas pernas, ali também lambi, deixando-a ainda mas excitada. Com uma mão nos seus peitos, meti a língua em sua xoxota que se encontrava encharcada de líquidos, enfiei minha língua la dentro e chupei, chupei, chupei até ela gozar pela primeira vez em sua vida. Quase desmaiou quando atingiu o orgasmo, Deitei-me ao seu lado e fui acariciando-a para se recuperar. Peguei sua mão e a levei pro meu cacete. Quase gozei quando ela apertou meu pau e passou a manusear. Virou-se pra mim e me beijou dizendo: “Quando você meter em mim vai ser melhor que esta chupada?” – Pode acreditar que sim, mas antes você vai chupar picolé. E fui encaminhando sua cabeça pra minha pica, ela quis fugir mas não deixei e ela meio receosa, começou a lamber meu pau, forcei sua cabeça mais um pouco e ela finalmente engoliu a cabeça de meu pau.

Fui ensinando ela como fazer uma chupeta bem feita, - Movimente sua cabeça pra cima e pra baixo. Isso! Contorne a língua no cacete bem devagar, chupe sá a cabeça. Logo ela estava fazendo sozinha tudo como mandei. Não aguentava mais de tesão e avisei que ia gozar, ela quis tirar a boca da minha pica, mas não deixei e avisei-a que se nao gostasse do sabor, que cuspisse então. E gozei como um jumento, se assustou com os primeiros jatos de porra mas continuou chupando até eu me esvair. Engoliu tudo! De repente jogou-se na cama de costas pra mim e começou a chorar arrependida.

-Calma minha criança. Não fique envergonhada. No sexo vale tudo. Eu também chupei você até gozar e você gostou, não foi? “Sim, adorei ser chupada por você, mas não esperava chupar você e que tinha tanta porra assim. Mas, será que vou aguentar esse pau dentro de mim?” – Claro que vai, vou colocar aos poucos e devagar. Veja, já está duro de novo. Agora vou torna-la mulher!!!

Trepei sobre ela e beijei-a enquanto direcionava meu pau pra sua xoxotinha. Empurrei a cabeça e ela estremeceu. Enfiei mais um pouco e ela quis fugir. Parei e esperei um pouco acariciando-a e falando palavras confortadoras e sem ela perceber de imediato, fui enterrando naquela buceta tão desejada. Vi lagrimas em seus olhos mas não desisti e sempre balbuciando palavras alentadoras, empurrei tudo!!!

Soltou um grito sufocado pela minha boca e começou a se contorcer e iniciamos a foda propriamente dita. Senti ela gozar no meu pau mas continuava se contorcendo, querendo mais. Me controlava pra não gozar pois queria usufruir daquele fruto por muito tempo. Dava uma paradinha e continuava, de repente senti estremecer novamente e então não aguentei mais e gozei!

Cai sobre seu corpo, cansado, esgotado e vi seu rosto sorridente. “Porra como pode ser tao bom! Devia ter experimentado a mais tempo! Você vai sempre me dar este picão??”



Sempre que você quiser e tivermos condições pra isso. Mas este foi sá o começo. Você tem muito ainda pra aprender. Neste momento ela lembrou que pra todos os efeitos estava no colégio e as aulas deviam estar terminando. Levantou-se rapidamente pra se vestir e reclamou: “Minha xoxota ta dolorida e sangrou!!! Ë sempre assim?” – Mas sá na primeira vez, daqui pra frente não terá mais dor, sá prazer. Quando vamos nos ver novamente?

Qualquer dia destes, agora que aprendi o caminho, vou querer sempre! Você disse que tenho muito pra aprender e quero que você me ensine tudo! Vou tomar um banho e correr pro colégio. Me beijou sufocadoramente e correu pro banheiro. Vi sua bundinha redondinha e pensei comigo: ë o práximo passo. Comer este cúzinho.

Sá nos vimos novamente 3 dias depois. Como sempre, devíamos nos entender telepaticamente e entendi quando insinuou para o dia seguinte no mesmo horário. Dia seguinte levantei excitado e fiquei aguardando minha criança chegar. Estava de pau duro como um doido. Ficava pensando em como faria pra comer aquele cúzinho, teria que ter calma pra não assusta-la. Logo que chegou nos beijamos alucinadamente, língua com língua, eu sugava sua língua e ela gemia loucamente. Passava a mão em seu corpinho gostoso e ele se esfregava em mim, gemendo. Meu pau parecia que ia quebrar de tão duro.

Comecei a despi-la lentamente enquanto ela abria minha bragueta e metia a mão no meu pau apertando-o, a cabeça entumescida e molhada de líquidos enchia sua mão. Quando despidos, peguei-a no colo e a levei pra cama, deitando-a de costas e abrindo suas pernas cai de boca na xota tesuda. Gemia alto e pedia mais. Eu parava, continuava, caprichei na chupeta, mordendo seu grelinho fazendo-a gritar de prazer. Então virei-me e posicionei me pau em direçao a sua boca. Ela entendeu e partimos pra um 69 fenomenal. Quando gozou pela segunda vez, não aguentei e enchi sua boca de porra. Engasgou-se mas continuou chupando até secar e me esgotar fisicamente

.

Ficamos ali por momentos recuperando-nos. Sua cara era de felicidade e alegria. Como você é gostoso! Ah se eu pudesse estar com você todos os dias. Sabe que minha xota ficou ardendo por dias seguidos? Mas valeu a pena. E agora? Qual o práximo passo, como vai ser nossa foda hoje? Não vamos ficar sá na chupeta, né?

Claro que não, você vai aprender outras técnicas hoje, sá não tenha pressa. Venha por cima de mim e enfie você mesma meu pau na sua bucetinha gostosa. Assim fez e lentamente foi descendo sobre meu pau, segurando-o quando doía, depois descendo mais, até entrar tudo. Agora você é que vai ter que requebrar e corcovear, pois eu estou quase incapacitado debaixo de você. Começou então a foda propriamente dita, a cadelinha aprendia rápido e logo estava num entra e sai alucinado, me deixando louco.

Depois de alguns minutos naquela posição, virei-a de bruços e me posicionei por trás dela, fazendo-a ficar de quatro e enterrei meu na sua xoxota até o talo. Agarrei-a pelas ancas e meti doidamente até ela gritar que ia gozar novamente. Mete meu macho, mete fundo que vou gozar. Arregaça minha buceta. Me fode com força. Enterra até o fundo!! Eu senti meu pau atingir seu pequeno útero e não aguentei. GOZEI!!!! Cai sobre ela e ali fiquei, acariciando sua bunda gostosa.

Ali ficamos deitados em recuperação, conversando e dando tempo pra continuar pois eu queria mais e mesmo cansado fiquei arretando ela, passando a mão em sua xota em seu rabo gostoso e como quem não quer nada, adentrava meu dedo em seu cu fazendo-a gemer mesmo dando a entender que não estava gostando do que eu fazia em seu cu. Que você pensa que está fazendo com este dedo? So arretando seu cúzinho. Não tem nada de mais nisso. Porque? Isso não se faz, não sou puta. Minha querida, num quarto, entre o casal não existe limites. Sexo é bom de todas as maneiras.

Mas no meu cu não! Nem pense nisso! Michele, é o seguinte: eu quero comer seu cu e sei que vou te-lo mas, vou deixa-la a vontade para decidir quando eu o terei, não vou força-la a nada. Sei que um dia qualquer você me dara espontaneamente. Não tenho pressa! Você é louco, eu nunca darei meu cu pra alguém! Não fique zangada, já disse que não vou insistir, agora, que tal fazer uma chupetinha no meu pinto?

Rapidamente enfiou-se entre minhas pernas e de frente pra mim enfiou a cabeça na boca e começou um boquete sensacional. Chupava, lambia, engolia, ia e vinha com a cabeça e eu assistindo de camarote. Que boquinha deliciosa, que língua ágil. Eu gemia como um condenado e forçava sua cabeça para engolir mais e mais de meu pau. Ela conseguiu engolir a metade! Sentindo que daquele jeito não ia aguentar muito, puxei-a por cima de mim e fi-la sentar no meu pau.

Que gruta quente! Que delicia de buceta. Apertadinha, pequena, meu pau entrava apertado, chegando a arder. Parecia ser a primeira vez! Michele gemendo alto, me beija de língua, enfiando no fundo de minha boca. Paizao, eu vou gozar de novo! Não to mais aguentando de tanto tesão! Goza comigo! GOZA COMIGO!!! Bem no fundo, me enche de porra mais uma vez! Então não aguentei e gemendo também, gozei!! Gozamos juntos!!

Puta que pariu, que menina tesuda e gostosa. E era minha!! Eu que estava “comendo”ela! Mas, tudo que é bom dura pouco e Michele precisava ir. Tomamos um banho onde fiz questão de ensaboa-la e esfregar todo seu corpo lindo e, aproveitando minha mão ensaboada, enfiei um dedo no seu cu. Ela se agarrou em mim e gritou: seu puto, porque fez isso? Doeu, sabia? Sei que doeu, mas não negue que gostou. Gostou ou não? Ë paizao, você é foda mesmo. Desse jeito vai acabar comendo meu cu mesmo.

Ao me despedir,trocamos um beijo alucinado e marcamos pra outra semana. Bom, assim teria tempo pra conseguir um creme anestesiante pra comer aquele cu. Comprei o creme também um consolo de 19 centimetros para acostuma-la antes de enterrar minha pica de 18.

Durante a semana me masturbei diversas vezes pensando naquele cu. Tinha certeza que ia conseguir fatura-lo!! No dia combinado, lá está ela uniformizada como sempre. Desta vez porém com uma surpresa, estava sem calcinha. Despi ela ali na sala de estar mesmo, fiz ela sentar no sofá e pedi pra esperar por mim. Fui ao banheiro e apanhei o que previamente havia preparado. Uma bacia água, lamina de barbear, um tesoura e sabonete. Pra que isso perguntou.. Abra as pernas, vou te depilar. Vou deixar sua buceta carequinha e depois vou chupar até você gozar na minha boca. Caprichei na raspada! Deixei-a igual bumbum de nenem e aí.....cai de boca. Que delicia, adoro xota careca. Caprichei e em poucos minutos, Michele gozou em minha boca.

Paizao, que tesão, puta que pariu pensei que ia morrer de tanto tesão. Porque não fez isso antes? Porque queria deixa-la mais a vontade, nem toda mulher gosta de depilar a xana. Mas eu adoro uma xana careca. Parece bumbum de criança! E aí, já tomou a decisão? Vai me dar o prazer de comer seu cúzinho? Calma paizao, seu pau é muito grande e tenho medo de me machucar. Não precisa temer, vou ser bem carinhoso e até comprei um creme especial pra você não sentir tanta dor.

Vamos pro quarto que quero comer sua xota careca!!! Jogou-se na cama de pernas abertas e gritou: VEM, ME COME COM FORÇA!! TÓ TARADA!!! Aproximei minha pica de sua buceta e enterrei com força, entrando tudo de uma vez. Ela gritou: ISSO, ENFIA COM FORÇA, ME RASGA! Come sua putinha com vontade, depois eu te chupo bem gostoso. Quero chupar este pau até gozar em minha boca, Quero PORRA dentro de mim! Pois vai ter cadelinha. Também quero gozar na sua garganta. Aproveitei aquele momento em que estava beijando sua boca. com minhas mãos na sua bunda e enterrei um dedo em seu cu. Ela rebolou e senti seu gozo no meu pau. Paizao, você não desiste mesmo, né? Já disse que não, quero e vou comer seu cu. Aí não aguentei mais e gozei fartamente.

Novamente uma ducha pra recuperar. Sabe que meu cu ta doendo sá de ter enfiado seu dedo? Já passa, e agora eu dar um trato nele com o creme e você vai aprender a gostar de ter no cu. Apanhei o creme, apás deita-la de bruços, e fui enfiando lentamente em seu cu, fazendo um entra e sai suave e ela foi relaxando e gemendo feito gata. Sem ela perceber, apanhei o consolinho e fui enfiando devagar. Ela gemia alto e rebolava perguntando: está enfiando seu pau? Não ainda minha gatinha, é sá um aperitivo pra você se acostumar. Como assim? Que está enfiando no meu cu? Tirei o consolo e mostrei. Veja, este entrou todinho e já alargou um tanto seu cu. Ta quase pronta para sentir minha pica entrando aí.

Então enfiei mais um pouco aquele consolo nela e foi relaxando, começando a gostar da brincadeira. Senti que era minha hora e trepei sobre ela posicionando minha pica pro seu cu. Meu anjo vai ser agora. Aguenta firme pois vou por aos poucos e devagar. Se estiver doendo muito fala que eu paro. Forcei e a cabeça entrou. Ela quis fugir mas segurei-a pelos ombros e pedi calma. Forcei mais um pouco e entrou uns 5 centimentros. Gritou mais alto e mandei-a enterrar a cara no travesseiro pra sufocar seus gritos. Forcei mais e fui até a metade da pica. Parei novamente, dei um tempo e estoquei mais forte enterrando tudo de vez. Eu não aguentava mais ficar sá sentindo um pouco do cu. Eu queria tudo! Seu berro foi terrível, começou a chorar e pedir pra tirar. Porra se eu tirasse agora, ela não me daria mais! Tinha que ser um pouco cruel para comer aquele cu com vontade e saciar meu desejo.

Comecei a estocar lentamente e ela foi relaxando, começando a sentir prazer também. Logo estava rebolando no meu pau pedindo mais. Enfia tudo paizao, coma este cu que tanto queria, rasga ele. Me arrebenta toda. Agora sou sua puta de verdade! Meti com força, com vontade e logo não aguentei mais e enchi seu cu de porra. Ela gritou de prazer e também gozou. Cai sobre ela e fiquei ali até meu pau amolecer. Quando o tirei, seu cu estava vermelho e alargado, cheio de porra e sangue. Apanhei uma toalha e limpei-a carinhosamente, dando beijos em suas costas, fazendo caricias em seu corpo para ela relaxar totalmente.

Correu pro banheiro. Demorou um monte! Ouvi a descarga do sanitÂ’rio e depois o chuveiro sendo ligado. Aí também fui pro banheiro. Paizao, meu cu ta rasgado. Ta largo pra caralho! Calma, logo volta ao normal. E aí? Gostou meu amorzinho? No começo doeu pra caralho mas depois senti um prazer danado de bom. Sá que ainda prefiro na xana. Não quer dizer que não vou te dar meu cu de vez em quando. Sá que vai ser quando eu quizer, topa? Claro, Michele que topo, não vou força-la a nada. Sexo tem que ser espontaneo.

Você ainda deve a chupetinha que prometeu! Dá tempo? Nem respondeu, agachou-se ali no piso do banheiro e apanhou meu pau, gritando: porra ta todo esfolado! Claro acabou de comer um cu virgem. Olhou-me nos olhos com cara de felicidade e enfiou meu pau na boca começando uma chupeta divina. Chupou, lambeu, roçava a língua, enfiava até onde podia e ficamos nisto uns 19 minutos até não aguentei mais e avisei: VOU GOZAR NA SUA BOCA! Sá fez sinal com a cabeça que sim e enchi sua boca de porra, pelo tanto de pica que tinha em sua boca, acho que foi direto pro estomago. Ficou com meu pau na boca até amolecer. Quando levantou-se vi que em sua boca ainda havia porra que ela engoliu de frente pra mim.

Havia transformado aquela menina numa puta mesmo. Agora era uma mulher completa. Até no cu tinha levado!

Quinze dias depois, inesperadamente, logo apás o almoço, ouço bater a porta. Quando abro ali está minha ninfeta, de blusinha e saia curta, mostrando seus joelhos e algo mais. Linda, sorridente e diz: SURPRESA!! Entra e me abraça, me beijando loucamente. Trocamos beijos alucinados e caricias, pois era a primeira vez que ela aparecia em minha casa durante a tarde. Resolvi matar minha aula de balé e meus estudos com uma colega, gostou? Adorei minha linda, estava louco de saudades de você. Veio pa ficar um pouco ou sá de passagem? Como se fosse possível vir até aqui sá pra passar. Quero mesmo é foder!!

Arranquei suas roupas e chupei seus peitos pequenos e duros, apertava um e chupava o outro depois, revesava trocando-os, deixando-a louca de tesão. Sua mão foi em direçao ao meu pau, abriu a bragueta e tirou-o pra fora iniciando um vai e vem. Tirei minha bermuda e meu pau ficou em pé na mão dela, expelindo liquidos que ajudavam na masturbação que ela fazia em mim. Não aguentava mais e ergui-a em meus braços e levei-a pro quarto jogando-a na cama. Abriu as pernas e pediu: vem, me chupa, me come, faz o que quiser mas me foda! Não resisti e cai de boca em sua xoxota gostosa. Chupei por longo tempo depois posicionei-me e enterrei minha pica nela. Entrei com tudo e senti atingir seu útero. O tesão era tanto que entrava e saia rapidamente, ela gemia e pedia: isso, enfia tudo, me coma com força! Fode sua cadelinha!! Aquilo não durou muito. Enchi sua xota de porra, era tanta que escorria por suas pernas.

Porque demorou tanto? Quase morri de tanta punheta! Meus pais estão me vigiando muito, até parece que estão sabendo de alguma coisa. Precisamos tomar mais cuidado, nos encontrar menos. Estou planejando com uma amiga pra estudarmos a tarde em sua casa ou a biblioteca e aí, se você topar o que vou propor, poderemos foder a vontade.

Que quer propor? Sabe, esta minha amiga, Gisele, outro dia em sua casa, quando estudávamos a beira da piscina, me jogou pra dentro da água e atirou-se também. Num movimento brusco arrancou a parte de cima do meu biquíni e fiquei com os seios de fora. Ela veio em minha direção sorrindo e disse: que seios lindos, posso toca-los? Devem ser durinhos pois são menores que os meus. Ta louca, que histária é essa de toca-los? Que tem de mais em toca-los, talvez até mordiscar seus mamilos? deixa, eu deixo você fazer em mim, topa? E arrancou também a parte de cima de seu biquíni mostrando seus seios pra mim. Lindos, um tanto maiores que os meus com mamilos grandes.

Inesperadamente suas mãos já estavam em meus seios, aquilo me arrepiou todinha que fiquei sem ação e ela aproveitou este momento, apertando meus mamilos, não aguentei e gemi, ela então meteu a boca neles. Me entreguei aquelas caricias e sem sentir passei a fazer movimentos nos seus seios também. Logo estávamos nos beijando! Que loucura, eu estava beijando uma mulher! Sendo beijada por uma mulher e gostando!

Catamos nossos sutiãs e entramos na casa indo direto pro quarto. Falei pra Gisele: que aconteceu conosco? Nunca pensei fazer algo assim. Vou ser sincera com você Michele, faz muito tempo que queria chupar seus peitinhos, adoro eles! Já fiz com outra amiga mas com você é tão gostoso, deixa eu continuar? Deixa vai. Me rendi e deixei deitando na cama. Ela veio por cima de mim e caiu de boca, Suas mãos acariciavam meu corpo todo e senti uma mão na minha buceta, roçando-a por cima do biquíni. Logo esta mão entrou lá dentro e tocou diretamente minha xana. Quase desmaiei de tesão! Me entreguei totalmente e ela aproveitou e foi tirando minha calcinha deixando-me pelada em baixo dela.. Foi descendo me lambendo toda e chegou na xexeca enfiando a língua lá dentro. Que loucura, paizao, eu não conseguia acreditar que estava fazendo aquilo, mas tava tão gostoso, que linguinha gostosa da putinha. Gozei na cara dela!! Ela chupou até deixar minha xota sequinha.

Gostou Michele? Não negue que foi bom. Claro que foi sá nunca pensei em fazer isso com uma mulher, ainda mais com você! Que tal voce me chupar agora? Você vai ter o prazer de chupar uma xota virgem o que não é seus caso, né? Como sabe se sou ou não virgem? Basta tocar e chupar que se nota. Experimente em mim, já saberá. Mais uma vez me rendi suguei primeiro seus seios e depois fiz o mesmo roteiro que ela havia feito em mim. Aquela xota cabeluda me atraia e chupei, chupei até faze-la gozar.

Depois, conversando ela me perguntou quem havia me descabaçado e se ela podia perder o cabaço pra ele também. Quis desconversar mas não teve jeito, não contei seu nome mas disse que falaria com você e se você topasse, poderia dar pra você, que eu deixaria. Ela é morena, cabelos curtos, olhos castanhos, seios médios, pernas roliças, gostosa e o que gosta, bunda arrebitada. Que me diz?

Você tem certeza que quer isso? Que não vai sentir ciúmes e que ela não contará pra ninguém? Claro, ela não vai querer contar que deu a buceta, ainda mais pra alguém com idade do pai dela. Eu não quero perder você Michele! Você é minha gatinha, quero foder sempre você Se você garante por si e por ela, topo. Sá que tem uma coisa, vocês vão ter que transarem na minha frente! E aí, topa? Eu sabia que você ia querer algo em troca. Você é foda mesmo. Topo é lágico. Então manda ela raspar a buceta. Pode deixar que eu mesma vou fazer isso. Deve dar um prazer incrível não é? Pra mim dá, é como se estivesse fodendo. E quando vai ser? Por mim, amanha mesmo, que acha? Tudo bem, mas agora eu quero uma chupeta caprichada.

Nem precisava pedir! A putinha virou-se deixando sua buceta na minha cara e meteu minha rola na boca engolindo a metade. Gemi alto e também mande ver na sua bucetinha cheirosa. Nos chupamos por longos minutos até gozarmos juntos. Paizao, você vai querer comer o cu dela também? O que você acha? Será que não vou? Você é tarado por cu, mas o meu ainda vai demorar pra ter novamente. Come o da Gisele que eu até te ajudo.

Tudo acertado para o da seguinte,Michele se foi e eu fiquei sentado no sofá, pensando: porra vou comer duas ninfetas num dia sá e juntas ainda! Aquela noite sá sonhos eráticos!

Dia seguinte acordei cedo e me preparei tomando energéticos e vitaminas, pois o dia será de fuder. Duas horas da tarde chegam as duas. Já havia visto Gisele na saída do colégio e tinha admirado sua bunda muitas vezes. Quando ela me viu pareceu me reconhecer e timidamente me cumprimentou. E aí paizao, que acha da minha amiga, não é bonita? Sim Michele é muito bonita, deve ter muitos admiradores. Cadê meu beijo princesinha? Michele se agarrou em meu pescoço e engoliu minha língua esfregando seu corpo no meu. Minha rola reagiu na hora! Vem Gisele, dá um beijo no paizao. Gisele fez o mesmo e Michele e sentiu meu pau entre suas pernas. Gemeu de tesão. Aquela menina tava a fim de rola mesmo.

Comecei a tirar a roupa de Michele e ela pediu pra Gisele também tirar. Eu tirava a roupa e Michele admirava o corpo de Gisele se despindo sem muita cerimônia, como se fosse entre suas amigas e não com um desconhecido que iria come-la. Vi seus peitos rígidos com os mamilos entusmecidos, depois sua barriguinha linda, suas pernas roliças e grossas,sua buceta depilada. Quando agachou-se pra apanhar as roupas, pude ver sua bunda perfeita, redondinha. Michele ajoelhou-se e tirou minha bermuda deixando meu pau sair pra fora em riste. Vi medo nos olhos de Gisele, como que pensando, será que vou aguentar?

Michele mandou Gisele se ajoelhar também e disse: vem chupar esta picona. Voce nunca chupou uma pica não é? Não, nunca chupei, me ensina! E assim foi Michele ensinava e Gisele seguia suas orientações, logo já não estava mais aguentando e gemendo pedi pra pararem senão gozaria na cara delas. Michele sá disse: GOZE MEU MACHO, assim Gisele já sente o gosto de porra de uma vez.

Gozei e vi minha porra jorrar na cara delas. Se olharam e sorrindo se beijaram, uma chupando a porra da cara da outra. Passaram a se acariciar, eram mãos nos seios, na bunda, na xota, no corpo todo. Michele pegou Gisele pela mão e rumou pro quarto. As segui e fiquei na porta vendo o iria acontecer Se jogaram na cama e partiram pra um 69. Fiquei assistindo de camarotes o meneio daqueles corpos, o corcovear das duas cadelinhas. Se chuparam por longo tempo, me deixando recuperar. Quando gozaram, eu já tava de pinto duro, louco pra foder aquela ninfeta.

Quando se separaram, meti-me entre elas e passei a acaricia-las, tocar nos corpinhos tesudos. Paizao, já ta pronto pra comer a Gisele? Você tem que apagar o fogo dela. Sua xana ta quente pra caralho. Rolei por cima de Gisele e mamei seus peitos como um cão faminto. Ela gemia, se contorcia, as vezes parecia chorar, posicionei meu pau na direção de sua xota e empurrei a cabeça. Ela deu um grito e pediu pra parar. Que parar que nada, você veio aqui pra perder o cabaço e vai perder. Enterrei mais um pouco, ela chorava e continuava pedindo pra parar. Meus amigos, qual homem pararia naquele momento? Tirar cabaço não é muito comum, principalmente para um homem de minha idade e não perderia aquele por nada no mundo.

Mandei Michele sentar na cara dela com sua buceta e quando ela fez isso, enterrei tudo. Seu berro foi sufocado pela buceta de Michele. Comecei a estocar lentamente com a cara na bunda de Michele. Aproveitei e lambi sua xana, sua bunda e quando ela menos esperava enfiei a língua no seu cu. Ela gritou de prazer. Comecei a movimentar rapidamente dentro de Gisele e ela começou a acompanhar, começando a sentir prazer.

Lambia um cu e comia uma virgem. Que loucura! Eu estava no céu! Já não aguentando mais, gemi alto e falei: vai Gisele, goza comigo agora, vou te encher de porra cadelinha, mexe seu corpo e me acompanha. Pude observar que Michele gozava na cara de Gisele e então eu e ela também gozamos. Por longos momentos ficamos estáticos, até desfazermos nosso malabarismo sexual.

Quando saquei meu pau de dentro de Gisele, vi sua buceta arregaçada sangrando, apanhei uma toalha e limpei-a. Vi lágrimas nos olhos dela, mas também vi felicidade. Puta que pariu que pau grande, você me rasgou toda! Minha buceta ta ardendo. Sangrou?? Claro que sangrou, este é o sinal que seu cabaço foi pro espaço. Mas ta doendo um pouco, vai doer por muito tempo? Não, logo passa, vai e toma uma ducha quente pra aliviar pois isso sá foi o começo, tem muito mais ainda.

E daí paizao, gostou da bucetinha dela? Ë melhor que a minha? Michele, já está com ciúmes? Você prometeu que não teria e sabe que você é que minha princesinha, minha putinha exclusiva e que vai me ter sempre que puder e quiser, Não estou com ciúmes, sá perguntei por perguntar, vai comer o cu dela hoje? Não sei, talvez, mas antes quero foder com você, gostou da lambida no cu? Adorei! Quando você fez aquilo gozei na hora. Você não sentiu nojo? Porque sentiria, já te disse que no sexo não tem limites. Você deveria fazer o mesmo em mim. Deve dar uma sensação sensacional não é? Se dá! Ë de perder o fôlego!

Você quer mesmo que lamba seu cu? Que enfie minha língua ali? Claro que quero se você não sentir nojo pode fazer a qualquer momento. Quando Gisele retornou, nos encontrou num 69 louco. Chupava a buceta, lambia a bunda, de vez quando enfiando minha língua no cúzinho e Michele também enfiou sua língua no meu cu. Gemi alto e quase gozei. Porra que sensação gostosa. Será que eu tinha tendências homosexuais? Não queria nem pensar nisto e pedi pra Michele ficar de quatro e enfiei meu pau na sua xota. Gisele olhava tudo de olhos arregalados ao ver como Michele aguentava meu pau sem reclamar. Dava tapas na bunda dela e estocava com força. PRINCESINHA GOZA COMIGO AGORA!! VOU TE ENCHER DE PORRA!! Vai paizao, que também vou gozar bem gostoso disse gemendo alto. Eu não aguentei e gozei, gozei, minha porra mais uma vez escorria por suas pernas.

Sai de cima dela e vi Gisele se enfiar entre as pernas dela e lamber minha porra. Aquela seria uma putinha de verdade! Não perdia tempo, Michele não aguentava mais e caiu de lado, mesmo assim Gisele continuou chupando sua buceta, até limpar tudo. Ficamos paralizados. Michele parecia não acreditar que sua amiga tinha feito aquilo. Porra Gisele você vai virar uma puta deste jeito. Eu quero ser a puta de vocês! Posso também te chamar de paizao? Pode lindinha, mas vai ter que me obedecer em tudo que te pedir. No que ta pensando? Nesta tua bundinha linda, neste seu cúzinho. Ta louco, mal aguentei sua pica na buceta e vem falar em cu. Pode crer que você aguenta sim. Com carinho e com um creme que tenho, você vai adorar tomar no cu. Aí Michele não se aguentou e me incentivou: vai paizao, faz como fez comigo, ela vai gostar.

Apanhei o creme e o consolinho e mandei ela ficar de quatro, meio com receio, obedeceu. Umedeci seu cu com o creme e enfiei um dedo devagar. Ela gemeu alto mas não reclamou. Enfiei mais fundo e sem ela perceber, apanhei o consolo e troquei por meu dedo, enterrando a metade. Aí ela gritou: pare ta doendo muito. Calma gatinha, enfia a cara no travesseiro e aguenta que vai mais.Enfiei todo o consolo. Ela tremeu toda e quis fugir. Agarrei-a pelos ombros e tirei o consolo, vi seu cu aberto e direcionei meu pau enterrando a cabeça. Desta vez seu grito foi mais alto, enfiei um dedo na xota e comecei a acariciar seu clitáris enquanto ia enterrando minha pica lentamente. Gisele chorava e reclamava mas não desisti e fui enfiando, enfiando até que enterrei tudo, então parei.

E aí Gisele, ta gostando do meu pau no seu cu? Ta todinho dentro de você! Agora nás vamos foder de verdade! Comecei a estocar e mesmo gemendo, ela começou a reagir e movimentar-se comigo. Michele incentivava: vai paizao, come o cu dela com gosto, enfia tudo, arregaça este cu como fez comigo. Pois é, já não tava mais aguentando e acelerei meus movimentos, Gisele me acompanhava e gritei pra ela: VOU GOZAR CADELINHA, GOZA COMIGO! AGORAAAAAA!!!Gozei feito camelo e cai de lado.

Michele, curiosa, foi observar o cu de Gisele. Porra Gisele você vai ficar uns 3 dias sem sentar direito. Teu cu ta arregaçado. Claro, uma pica de jumento entrou aí! Ta doendo pra caramba, acho que até me caguei toda. Vou tomar um banho e limpar esta sujeira.

Bom, eu estava completamente acabado. Tinha certeza que não aguentaria mais uma sessão de foda. Mas Michele ainda não estava contente, pegou uma toalha limpou bem meu pau e me puxando por ele, me levou pro banheiro. Me deu um banho caprichado, lavou bem meu pinto e disse: ainda vai me dar mais vez hoje, nem que demore um tanto. Mas eu quero mais! Meteu o pinto mole na boca e engoliu ele por inteiro. Senti meu pinto reagir timidamente mas segurei sua cabeça e pedi; espere um pouco, não sou de ferro.

Na cama, Gisele reclamava de dor no cu mas se dizia feliz por ter perdido os dois cabaços no mesmo dia, já perguntando quando faríamos sexo de novo. Michele não se aguentando mais, caiu de boca e senti meu pau crescer em sua boca, crescia e saia pra fora pois era muita pica. Quando bem duro, ela começou um boquete sensacional, eu me arrepiava todo, sentia uma ardência no pau mas ela não me deixava escapar e num repente, trepou no meu pau enfiando todo dentro dela.

Caramba como seu pau é gostoso, me enche inteirinha, sinto ele lá no meu útero. Vamos meter bem devagar pra aproveitar bem, quero sentir ele por bastante tempo. Sei lá creio que ficamos meia hora fodendo até gozarmos. Bem agora era hora das gatinhas se mandarem e eu poder me recuperar. Beijos e adeus! Mais tarde fui a lanchonee de seus pais tomar minha cervejinha de sempre e lá estavam as duas com a maior cara de felicidade e inocência.

Bem, imaginem como foram os dias dali pra frente. Com a minha idade e duas ninfetas pra fuder! Sá felicidade.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


porno contos minha noiva e meu paivideos de homens que dao palmadas fortes na buceta pelada da mulher sem docontos minha enteada minha amantecontos abusadocontos porno comi ela bebadacontos eróticos Cidinhacomtos eroticos o velho tarado do elevadorcontos eroticos dando para um caocontos incesto mãe fofinhasó não doidão priminha gostosacontos eroticos segundas intençoesConto fio dental taradocontos de sogra gravida transandowxvidio ver mulher gozando no cambio do carro pegueimeu amigocomendo o cu da minha mulhercunhada espiando contocontos eroticos gay recem casadocontos eróticos eposa e amigocasa dos contos gay desgraçado arrombadorContos de sexo en onibusvideos cazeio dado rabu coiado. taido aimameu cunhado tirou o cabaço do cú da minha esposamuito tempo sem mamar no pauA briga do casal contoscontos picante de casada sem calcinhaso putao dando o cu e gozando e gritandoconto erotico - boleia para a universidadecontos quis dar pra um travestiminha esposa nem desconfia que eu gosto é de rola contos gayContos eroticos com cunhadasenso botar po para mulher do corno contosnovos contos eróticos entre namorados dpmilhares de contos eroticos pai maecaralho meu empurra tudo nu meu cuzinholongos contos eroticos estupros dpcontos eróticos funcionáriaContos eróticos dando de mama pra minhas irmãzinhasconto: conheci um caralhoSou novinha e putinha boqueteirá do papai contoseroticosdesabafo sou casada trai meu marido com eletricistarelatos eroticos nunca pensei que eu depois de casadocontos putinha do matagalfilha vestida de short coton contosler conto erótico f****** a minha tia numa festa fantasiasocando na minha irmã compressão sexecontos bi vi meu pri meter na prinha prima fiz ele comer meu cu e eu fudi eláComtos casadas fodidas pelo filho e o sobrinhohistorias eroticas de onibus lotadoscontos erótico acabei indo pela primeira vez num sítio de naturistacontos dando no banheirocontos.eroticos.co.com a professora detalgadocomi o cu da vizinha cavala contotia me humilhou contocontoseroticos homemque gosta de cuspe,sebo de pau e mijocuzinho da zildacontos de cú de solteironacontos sado marido violentoscontos eroticos primeira vez de coroa rabuda de cornoMulher deixado melar tudo encima da buceta peludaminha mulher explorando meu cu contopai da minha amiguinha mostrou o pauMe Faz um Cafuné conto gaylesibica xupa sua filha adotiva co.contoscontos eroticos fudendo minha bisavoolha o pezinho dela todo gozadinhocontos eroticostransei com meu amigo gayshome afuder mulher com penis mais grandecontos eroticos marido bebeu e eu encoxei a mulherRelato de zoofilia dando o cabaço pro burroconto minha tia pelada no quintalcontos completos quentes esfregando so pra judiar pedindo mascontos eroticos sonifero na primacontos eroticos aprendendo a fazer meu primeiro boquete com meu padrinho velhoconto erótico seduzidabundagaypassivaConto erótico me deu sonífero comeu minha bucetacontos eróticos foi andar sem causinha e se ferrrou