Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A SECRETÁRIA NINFETA E O CHEFE

A histária que vou relatar é verídica e começou há cerca de 4 anos. Tudo começou quando eu (Sandro, solteiro, 30 anos, micro empresário), contratei uma secretária, a Priscilla, que na época contava com 19 aninhos (em 2006).

Priscilla era a mais linda garota que eu já tinha visto, loira, cerca de 1,67 m, cabelos longos e compridos, quadris largos (tinha um traseiro maravilhoso), os seios eram pequenos, e o único defeito dela era que tinha um namorado, e era fiel. Desde o primeiro dia que Priscilla começou a trabalhar para mim, como secretária, eu ficava rodeando a gata, tentando de tudo para traçá-la, no entanto, sempre ouvi negativas. Ela me dizia que era fiel ao namorado.

A minha obsessão para ter a Priscilla na cama aumentava, o tempo passou, e há dois anos atrás, finalmente eu consegui uma evolução. Tímida, porém eu já conseguia passar a mão naquele traseiro maravilhoso, encoxá-lo, sem receber um esporro da gata, que até gostava da brincadeira.

O namorado vinha diariamente buscá-la na saída do trabalho, por volta das 17h00. Um belo dia eu tive uma idéia de provocar o perigo, eis que o namorado da Priscilla parava o carro bem em frente ao escritário da empresa, que, no entanto, por ter insul-film, não dava acesso visual ao que acontecia lá dentro.

Quando a ninfeta maravilhosa da minha empregada já se preparava para ir embora, eu, propositalmente, me coloquei práximo à janela insul-filmada, e quando ela veio despedir-se de mim, com um beijinho no rosto, como era de costume, eu rapidamente dei a volta por trás dela, agarrando-a pelo traseiro, e perguntei-lhe: “o que será que o corno do seu namorado iria dizer se me visse encoxando o seu rabão?”

Eu percebi que a Priscilla não ofereceu resistência, pelo contrário, deixou-me encoxá-la, parecia ter ficado excitada com o fato do namorado estar do outro lado do vidro, sem conseguir vê-la sendo deliciosamente encoxada pelo chefe. Disse-lhe então: “se gostou, amanhã podemos repetir a dose, com mais calma”, eis que para mim também foi surpresa a retribuição da gata, e precisava estar preparado para comê-la, ter coisas como preservativos, deixar a minha mesa limpa de papéis, para que pudesse deitá-la, etc.

Ela então, sacanamente, me disse “sá se for na hora que o meu namorado chegar”. Logicamente, ele ficaria no lugar que sempre ficou, do lado de fora da empresa, ela queria ficar olhando para a cara dele. O que foi aceito por mim.

No dia seguinte, não aguentei de ansiedade, as horas não passavam. Preparei tudo, limpei a minha mesa, preparei as camisinhas, enfim, tudo em ordem. A gata veio preparada também, ela veio com um vestido justo, não chegava ser mini saia, mais realçava bem o seu lindo traseiro, bem como o fio dental que usava.

Demorou, mas enfim chegou a hora. Naquele dia, o corno parou o carro e faltavam ainda uns quinze minutos para o horário de saída da Priscilla. Foi sá ele encostar o carro e eu que já estava explodindo de tesão, chamei-a para práximo da janela e lhe disse: “ligue para o celular dele e diga que o seu serviço irá atrasar um pouco, cerca de 20 a 30 minutos”, o que fui atendido.

Enquanto a gata discava para o namorado, eu encoxava-a por trás, passando as mãos pelos pequenos seios (por cima do vestido), e tascava-lhe beijos na nuca, que a deixaram totalmente excitada com todo o clima. Assim que ela desligou o celular, virei-a de frente para mim, enfiei a mão por entre as suas linda coxas, chegando com os dedos na sua linda e apertada vagina, que já estava ensopada. Eu, que adoro o clima de perigo, dizia para a Priscilla: “olha para o corno e relaxe, que do resto eu cuido”.

A gata tem a pele clara e, com o calor que os corpos geraram com aquela situação, as bochechas do rosto dela ficaram totalmente rosadas e quentes. Coloquei-a sobre a minha mesa, ela se apoiava com os dois braços para trás, ficando meio sentada, com aquela bucetinha molhada no canto da mesa. Não perdi tempo, puxei o fio dental preto que ela usava para o lado (nessa altura, o vestido dela estava arregaçado para cima) e mandei-lhe a língua, que não encontrou dificuldade para penetrar na bucetinha molhada da ninfeta.

Ela se contorcia de prazer, sem contudo tirar o olho do corno, que esperava do lado de fora do escritário. Trocamos de lugar, sentei-me sobre a mesa e pedi que ela fizesse um boquete, devo confessar, ela não tinha muita prática, se engasgava com o meu mastro na boca. Disse-lhe então “vem aqui que agora o corno vai sentir o chifre crescer de verdade”, coloquei-a de quatro sobre a mesa, vesti a camisinha e judiei da menina, que se contorcia e pedia para eu enfiar-lhe o cacete.

Porém, eu que sou meio safado na cama, passava-lhe o cabeção do meu pau por entre as bochechas da sua lubrificadíssima vagina, esfregando-o apenas, sem introduzir o mastro, e ela implorava para eu enterrar tudo. Depois de brincar por quase um minuto, meti-lhe o pau.

Nossa, a Priscilla estava muito quente, nunca tinha sentido uma temperatura vaginal tão alta, e estava totalmente lubrificada, eis que a gata já havia gozado. Não demorou muito, explodi na sua xoxota, que parecia até ter estourado o preservativo, de tanto líquido que saiu de dentro, dos sucessivos gozos da ninfeta.

Acabamos aquela linda transa e a gata ainda olhava fixamente para o namorado corno, como se tudo aquilo tivesse uma força e uma magia. Enfim, ela estava alucinada com o que tinha acontecido. Depois daquele dia, repetimos a dose diversas vezes, sempre com o corno presente (do lado de fora da empresa, é claro), pois a Priscilla havia descoberto que o seu maior fetiche era trair o namorado olhando para ele.

Ah, a propásito, o rabão da gata eu sá consegui traçar depois de umas dez vezes que estivemos juntos, era totalmente virgem...., mas essa é uma histária que eu vou contar mais para frente, aguardem....



se vc gatinha!!! gostaria de saber mais, meu msn é [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


bundinha cobiçado conto erótico gayRelatos de gay quie derao ao pedreiro saradocontos eu e meu marido adoramos ir no cinema ver pornodesde pequena pratico zoofiliamãe não deixa filho fude.com ela.na.vuzinhacontos minha namorada tem a buceta arrombadaviajei e transei no onibus marido corno assumidoler contos pornô de incesto durante um assaltanto eu fui obrigado a fuder minha mãeinquilino viu as minhas calcinhas contos eroticocontos eróticos de bebados e drogados gaysa minha prima rabuda me deu seu cu conto eróticoscontos eróticos virei cd para usar fio dentalMe Estruparam No Banheiro da escola contos eroticos gaysContos eroticos No bar sozinhacontos eróticos comi cunhada carentecontos eroticos tio comendo sobrinhasMimha mae me obrigava dar a peluda para o picudover contos porno anal no onibos de escurcaocontos gay cuzinho frouxovideo porno minha vizinha mim vizitou aki em casaporno fui estudar na casa da prima gostosa e ela dise que ia ter aula de fideporno contos pintando a cssa da casadavelha peituda cheia de celulites contocontos eróticos esposas traduzidas na minha frentecontos eróticos cadela e putona famíliasconto comi uma buceta muito apertada que doeu meu paucontos enteadaselma melando a pica de cocorcontos traindocontos eroticos cdzinha quando era menino me vesti de menina e marquei pra dar eu queria ser meninacontos vendo a irma sendo fodida betinhacontos eroticos como passei a ser travesti por causa do meu cunhadotive dar para um dotadocontos meu calmante é picacontos-fiz amor com minha irmaFudi minha filha, contosconto esposa com molequechantageada e humilhada pela empregada negraConto gay com cantocontos eroticos cunhadapornô doido a tia convencia sobrinha a chupalaconto erotico submissa gozei choreiconto vendo minha tia se depilandocontos esposa bundaconto gay sobrinho viro esposachantagiei a negra contocontos dando no banheiroSou casada fui pra um acampamento com os colegas a amigas so rou surubadepilando a minha tia gravida contos eroticosminha bunda grande contoContos erotico Minhas mamas doem muitomenina sapeca danada enganou todos contos eroticoscontos eroticos chupando a pica do meu filhocontos eroticos tias e sogras casadascontos eroticos espadinho com o pau Contos eroticos de solteiras rabudasconto erotico viado afeminado escravizado por macho dominadorquero tua jeba rasgando meu cuvidiod etoticos madrata dominando a esteadaconto acordei com meu sobrinho me chupando a xotaliga contos de loirinhaContos eroticos violento seioscontos eróticos contei que fiz dp com negroscontos eróticos gay sendo putinha na minha casaContos eroticos iniciando as meninascontos erótico estuprada po bardidoContos sogra medindo o tamanho do paucontos de sexo com novinhas dando cabacinhocontos enquanto dormiacontos eróticos abusada virgemBridge safadinha dando a seu marido em sua casaninfomaniaca conto