Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

TRANCADA COM O CHAVEIRO





Era uma Sexta-feira à noite, e eu, entediada de assistir TV, já que meu namorado estava viajando, resolvo trocar de roupa e dar uma volta, procurar algumas amigas num barzinho badalado da cidade.

Sou baixa, tenho pernas grossas e seios de médio a grandes, um colo muito bonito, que os homens adoram. Escolho uma saia curta, uma blusinha branca decotada, uma sandália de salto, e pego as chaves pra sair de casa. Tento abrir a porta e nada, está quebrada. “droga! Logo numa Sexta à noite!”. Mesmo tendo que pagar uma fortuna pela visita do chaveiro à noite, a posibilidade de ficar trancada em casa numa Sexta feira é muito pior. Procuro o número na lista, e o chaveiro promete a visita pra 19 minutos.

Enquanto espero, resolvo ajeitar a maquiagem.

Quando chega, explico o que está acontecendo e, ele do lado de fora, desmonta a fechadura.

Ao abrir a porta, uma surpresa. Alto, moreno, musculoso, e muito cheiroso. Completamente diferente do que eu imaginaria pra um chaveiro em plena Sexta-feira à noite. Percebo que ele me olha de cima a baixo, e tenta disfarçar o olhar guloso que percebo no canto do olho dele.

Com a fechadura desmontada, ele continua o trabalho. Percebo que ele olha demais pra mim, e começo a ficar incomodada. Me arrependo de náo Ter trocado de roupa enquanto espero. Me sinto completamente invadida e vulnerável, ali, sozinha, com aquele homem. Apás montar a fecharura novamente, ele resolve testá-la e, como eu podia imaginar pelo jeito que ele me olhava, não consegue abrir. Ele avisa que estamos trancados, e pede pra ligar pra loja e chamar outro chaveiro. Eu mostro o telefone, e fico cada vez mais apavorada.

Amo muito meu namorado, nunca o traí, e aquele homem me olhando como se eu estivesse nua me deixa em pânico.

Ele disca, e depois pede a quem está do outro lado da linha que venha ajudá-lo, dando meu endereço.

Desliga o telefone e fica ali, parado, de pé, me olhando. Percebo um volume na calça dele, e resolvo oferecer uma água, pra sair daquela situação constrangedora. Ele aceita, e eu vou até a cozinha. Quando chego perto da geladeira ele chega por trás, me encosta na parede e começa a beijar minha orelha, passa a língua na minha orelha, dizendo que sou muito gostosa, que adora quando uma gostosa como eu o chama à noite, que é por isso mesmo que ele trabalha sá à noite, porque sempre tem uma gostosinha carente que o chama. Eu tento gritar, dizer que não sou carente, que quero que ele vá embora, mas ele pãe a mão na minha boca e não me deixa falar. Começa a beijar minha nuca e apalpar meus seios, e me empurra cada vez mais pra parede. Sinto ele me encoxando, forçando seu pênis na minha bunda e fazendo movimentos de vai e vém. Tento gritar, ele acha um pano e me amordaça. Me vira de frente, beija meu pescoço, tira a minha blusa e começa a beijar meus seios. Começa a morder meus mamilos, e um misto de dor e prazer começa a me deixar muito excitada. Ele morde com mais força, eu tento gritar e empurrá-lo, ele segura meus braços abertos com força, diz que eu é que liguei pra ele vir, agora que aguente.

Me deita sobre a mesa, beija meus seios e vai descendo bela barriga, lambendo minha barriga, meu umbigo, a virilha, e abre minhas pernas. Minha vagina está toda molhada, estou ficando excitada, ele diz “está vendo, minha putinha, como você queria?”. Enfia a língua com força, suga os lábios, tento gritar de dor e chutá-lo. Ele abre minhas pernas com força e me penetra de uma sá vez, fazendo com que eu me contorça num misto de dor e prazer. Segura meus quadris e fica estocando algumas vezes, me fazendo gozar e gozando logo depois. Percebendo que já estou completamente rendida e exausta de prazer, ele tira a mordaça, me amarra na mesa e me venda. Começo a gostar da situação, quando escuto a campainha tocar.

Entro em pânico novamente quando lembro que o chaveiro havia chamado ajuda, e que mais alguém deve Ter chegado. Ele me amordaça novamente e sai da cozinha, me deixando nua, com os braços e pernas amarradas na mesa, vendada e amordaçada, completamente vulnerável.

Logo ouço passos vindo da porta em direção à cozinha (nessa hora tenho certeza que o primeiro chaveiro já havia consertado a porta). Tento gritar, sem conseguir. Ouço-os resmungarem alguma coisa, e começam, os dois, a chupar meus seios, lamber meu pescoço e barriga. São duas línguas e quatro mãos a me tocar, todas as partes do meu corpo sendo exploradas, e eu sem conseguir me mexer, sem saber quem me toca, minha pele quente de tanto prazer.

De repente sinto um cubo de gelo ser esfregado em mim. Começa pelo pescoço, desce entre os seios, circula longamente nos mamilos, deixando-os rijos, e vai descendo pelo umbigo. Me contorço, gozando de prazer. O gelo desce, passa pelos pêlos, e é esfregado nos meus lábios, fazendo com que minha vagina se contraia, e eu goze novamente. Nesse momento, colocam um cubo de gelo dentro da minha vagina, e como ele escorrega, logo aparece um pênis pronto pra segurá-lo lá dentro. Gozo novamente, com um pênis quentinho e um cubo de gelo tocando o colo. Enquanto sou penetrada sem saber por quem, o outro continua chupando meus seios, mordendo meus mamilos. Eu quase morro de tanto prazer, querendo que aquele momento não termine nunca. Depois eles passam a se revezar na penetração, primeiro um, depois o outro, minha vagina começa a ficar dolorida de tanta esfregação, mas o prazer é tanto que eu nem me importo. Eles ficam por muito tempo se revezando, depois gozam sobre a minha barriga, me enchendo daquela porra quente e eu gozando novamente.

Acordo no outro dia, desamarrada, ainda sobre a mesa, com um cartão com o telefone do chaveiro do meu lado. Ah, tomara que minha chave quebre logo!

Se você quiser me visitar numa Sexta à noite, me escreva [email protected]



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


travesty bonita cimasturbandconti gay minha tia me fagrou de calcinhajornalistas rabudas contoscasa dos contos erotica me doparamContos eroticos de solteiras rabudascomi minha tia no escuroconto erotico comendo a massatorepeutaContos eroticos casal vendo pintudo urinarcontos eróticos escrava é putonacortos eroticos curmir minha empregadacontos eroticos gay meu pai me comeuconto gaucha carinhosa safada com seios grandescontos lesbico meus pais viajaramgozando na bucetinha apertada da cunhadinha que fica muito brabaa calcinha da lulu contocontos eróticos meu padrasto lambia minha buceta como loucocontos masturbcontos eroticos paguei as dividas da minha funcionária noiva rabudaconto minha calcinhaporno mulher no onibus deixando um homem te alisar por baixo da saia mesmo com o corno juntoConto minha filha so anda de fio dental em casaestoria porno a fantasia do meu marido e c cornoConto gay com cantoCasa dos contos: Virgem na baladaconto arrombando namoradacontos comeu cuzinho dormindobotando a patroa pra gozarmeu subrinho enfiou o dedo no meu cu contosocar pasta de dente na vagina aperta.caralho meu empurra tudo nu meu cuzinhocontos eroticos sogra mijonacontos gay fudendo com o desconhecido no terreno baldiocontis eroticos peguei minha esposa enfiando a buceta na cabeceira da camavou contar como realizei minha voltade de trepar com dois e der duas rolas na bucetacontos eroticos minha sogra franciscacontos eróticos de cunhadas e subrinhascontos gay com homens grandes e peludos terminadasgay fica frocho cu com duas rola gradi no cuContos eroticos mamae e filha gulosa chupando o pauzao do seu filho e de cinco amigos dele em uma putaria na piscina de casacontos incesto engravidando a tiaContos eroticos detesto camisinha gosto de sentir o calor da rola dentro gozando dentro traicaocontos eroticos cheiro de calcinhawww.dei a buceta com dez anos contocontos erotis orgia biesfregando na mãe de shortinhocontos de incestos quebrei a pernacontos eroticos minha mulher gosta de apertar minhas bolascontos eróticos dominado pela sogracontos eroticos trair meu marido no puteiromenina saindo escola dei carona ela com 11 aninhos contoscontos eroticos droguei minha priminha ninfeta e comicontos eroticos quero fudermeninas deixando gozar nos seus chinelinhos havaianascontos/como mamei meu primeiro caralhovelha gorda com fome de velho a /.porrnodoido.comnora dando pro sogrocontosminhasobrinhae sua amigacontosconto porno eu comi minha cunhada coroa de 69 anosvendo mamãe transar no cine porno contos eroticoscontos eroticos comendo mulhers deficientrcontos velho comendo novinha casadawww.contos eroticos com fotos de comendo a madrastacontos eroticos eu feia e gordafilha esposa de papai pintudo contosa calcinha de minha mae contoscontos eroticos de incestos de irmao comendo o cú da irma novinha com manteigasentei na rola do padrinho contos eróticoscontos eróticos só no cu das coroas crentesdepois do chopp me fodi contoscontos incesto minha filha fazendo fisting em mimcontos erroticos eu melava minha calsinha para meu amigo chera elaconto erotico nao resiste e peguei cunhadaDedo na xoxota contosConto erótico infância dupla penetracaomeu marido viu os amigos dele me comerem contosContos eroticos comendo cu da madrasta e da meia irmaquad erotico a apostaContos chupando o cu do gordinhocontos pornos pesados de arrombamento anal de novinhos a forcaconto de mulher transando com meninos novinhosmenininhas 10 aninhos fudendo contossexoconto de zoofilia de uma dona de casacontos sobrinho pega tiaconto real meu vizinho me agarrouleitinho do titio contos inocentesconto no colinho sem calcinha sentada num jumento humanoconto de uma pica grande arrombou meu cu virgem chorei de dorcontos tentei dar mas a buceta nao aguentouver vidio porno puxando berada da buceta dela pra doenovos relatos eróticos com fotos de corno minha esposa andando na rua toda gozadacontos eróticos de bebados e drogados gaysconto erótico meu pai fude minha esposa rindo da minha caraO primo do meu marido é meu machocontos er irmas vizinhaconto nudismo arombado mulherConto erotico aos 60 anoa dei a buceta para o garotocuzinho devastado a força contos eroticos conto erotico as pregas da empregada