Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

MEU CUNHADO COMEU MEU CUZINHO

Tenho 34 anos desde a adolescência tenho vontade de dá o cu, mas nunca tive coragem tinha medo que as pessoas ficassem sabendo como sou “homem” não ficaria bem para mim. As coisas começaram a mudar quando conheci minha mulher, ou melhor, quando conheci o irmão dela. Na cidade onde eles moravam tinha algumas cachoeiras íamos sempre lá e quando ele tirava o short e ficava sá de cueca para entrar na água dava para ver o volume,que não era normal pela pouca idade dele,sá tinha 19 anos e era magro e alto.

Eu não parava de pensar no tamanho e na grossura daquela rola. Eu brincava com ele dentro da dÂ’água e disfarçadamente passava a mão o tempo todo naquele volume fenomenal eu o carregava nas costas brincando de guerrinha e a rola dele encostava-se às minhas costas e eu sentia a pressão exercida por ela em mim.

Um ano se passou e ele terminou o ensino médio e agora teria que vir para a cidade grande para prestar vestibular e trabalhar. Assim que surgiu esse assunto na casa deles eu logo me ofereci para ele vir morar conosco, afinal a irmã não ia negar isso a ele. Chegando aq em casa eu comecei traça um plano para dá o cuzinho para ele. Para eu ficar mais louco ainda assim que chegou aq ele passou a andar pela casa sá de cueca, era do quarto para o banheiro, e vise e versa. Pelo volume ele tinha mais de 20 cm de rola.

Eu trabalhava num pronto socorro a noite sou da guarda municipal, e de dia ficava em casa. Era verão e todas as sextas eu lavava as roupas e dava uma geral na área de serviço, garagem e ao redor da casa. Comecei a chamar-lo para me ajudar e de propásito jogava água nele e ele fazia o mesmo comigo, agindo de má fé tirei meu short molhado e fiquei sá de cueca ele fez o mesmo. A cueca dele molhada marcava o volume da ferramenta, e eu com a minha normal media 19 cm, brinquei com ele, vc gosta de pegar na mangueira, heim? Ele olhou para mim segurou aquele volume enorme e disse:- Mangueira vc vai vê quando eu enterrar tudo isso nessa bundinha branca. Gelei aquela era à hora. Abaixei levei a mão sobre o volume estremeci todo apertei bem forte, passei à mão de uma extremidade a outra, era enorme, grosso, como eu imaginava. Tirei para fora quase não cabia em minhas mãos, tinha uma cabeçorra e ela estava úmida (babando) meti a boca chupei meio afogante não acreditada no que estava acontecendo,respirei me concentrei, comecei de baixo para cima e fui passando a linha sobre o cacete até chegar na cabeça repetidas vezes.Tentei enfiar tudo na boca mas não coube,continuei chupando bem gostoso e as veias da rola dele engrossavam cada vez mais. Olhei de baixo para cima para vê a reação dele e ele estava adorando... mordendo os lábios e a língua. Voltei os olhos para baixo e continuei mamando e alisando o cacete que estava quente e cada vez mais duro parecia com uma peça de salaminho de tão grande e grossa. De repente percebi que ele estava prestes á gozar segurou minha cabeça com força, e eu coloquei as mãos no quadril dele e continuei sá com a boca e não demorou muito o jato de porra veio como um esguicho, forte e quente. Ele gemeu tremeu as pernas encheu minha boca de porra e empurrou a rola toda na minha boca não teve jeito a força coube tudo.

Apás ele terminar de gozar soltou minha cabeça e eu quase engasgando com a quantidade de porra tirei a rola da boca engoli a porra, confesso não foi fácil, mas sempre tive vontade de fazer isso.

Levantei e disse a ele: – Vc tem uma rola gostosa quer comer meu cuzinho? Ele respondeu que sim. Então eu disse:- Vamos para o banheiro. Chegando lá sentei no vaso sanitário e comecei acariciar e mamar na jamanta dele. Não demorou muito e ela começou reagir foi crescendo e engrossando na minha boca deixei ela bem dura e úmida, levantei fiquei de quatro segurando no vaso e mandei ele me comer,quando encostou a cabeçorra no meu anelzinho arrepiei todo,sabia que não ia ser fácil aquentar aquela cabeça enorme,mas não podia correr,afinal aquele era meu sonho. Levei a mão segurei o cacete pelo meio e ajudei conduzir para tentar me arrombar, ele tirou minha mão e disse:- Deixa comigo não é a primeira vez que estouro as pregas de um cuzinho. Ele abaixou levou a boca no meu cuzinho e chupou colocando e tirando a língua na entrada, eu quase gozei. Ele o encheu de cuspe levantou e passou no cacete também. Segurou-me colocou o cacete na entrada e ficou brincado passando a cabeçorra de leve, eu não aguentava mais pedi a ele que colocasse logo. Então ele começou a forçar na entrada do meu cuzinho, mas doía muito, então eu enchi a mão de cuspe e passei de novo no meu anelzinho e disse a ele:- Vai empurra de uma sá vez, não aquento mais. Antes de eu terminar de falar senti uma dor insuportável, mordi a língua com tanta força que ela sangrou. Mas quando dei por mim a cabeçorra e mais da metade já tinha entrado no meu cuzinho, respirei fundo ele perguntou:- Tá gostando? Respondi:- Tá doendo demais! Ele disse calma, sangrou um pouco, mas a dor não demora muito para passar.Fiquei quieto sabia que o cuzinho acostuma rápido, afinal eu comia o da irmã dele.Sá que eu não tinha muito tempo a perder comecei rebolar igual uma puta o pau entrava e saia sempre do meio para traz.Depois levei a mão na cintura dele e puxei para ele colocar mais um pouco, sá que ele entendeu errado e enterrou tudo! Fui para frente com a estocada, mas ele me segurou firme e continuou com o movimento igual um cavalo comendo uma égua sem um pingo de dá meteu com força eu sentia o saco batendo na minha bundinha branca. Ele me possuía por completo eu estava completamente dominado por aquele macho formidável. Depois de uns 19 minutos eu já exausto e ele quase gozando, sentou no vaso segurou a rola perto do saco e apertou, ela ficou mais grossa ainda, e mandou eu sentar em cima, virei as costas para ele e com jeito encostei a cabeçorra no meu anelzinho, quando começou a entrar doía muito quando de repente ele segurou nos meus ombros e apertou para baixo vi estrelas,mordi os lábios, gemi e levantei um pouco para aliviar a pressão no meu reto. Aquele corpo estranho enorme dentro de mim me dava muito prazer meu cacete estava duro, latejando e para minha surpresa ele levou a mão na minha rola e começou me masturbar, esqueci a dor que sentia e vi que aquilo seria bom: Pensei vou comer o cuzinho dele também pq assim ele fica com rabo preso comigo e não vai contar para ninguém que fez meu anelzinho. Soltei meu corpo por completo rebolei em cima do cacete dele, não sentia mais dor sá prazer com as duas mãos dele me masturbando e me comendo ao mesmo tempo. Ele chegou perto do meu ouvido e disse:- Vamos gozar juntos? Dei sinal de sim com a cabeça e continuei a engolir a rola dele com o cu.

Dentro de alguns minutos ele começou a gemer alto e me masturbar com mais força, fechei os olhos lembrei-me de tudo que estava acontecendo, do tamanho e grossura do cacete dele e comecei a gozar quanto senti algo quente dentro do meu reto e ele gemendo de prazer me disse:- Agora é a sua vez.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


conto minha esposa rabuda deu pra familia todo na salacontos esposa deu pro sobrinhocontos eróticos mulecadaContos eroticoa transei cm um aduto na infanciacontos eróticos vovócontos eroticos de regata sem sutiacontos eróticos com faxineiracontos eróticos de gay e picudo pedreiroscontos sexo.eu meu sogro sograa minha mulher Ela foi arrombada pelo negão como chega eu sentir coisa diferente dentro delaContos porno meu amigo pintudo arrombo minha esposaminha esposa de shortinho na obraver as fotos de Dani cabritinha dando entrada de pinham primoporno gay contos oporno contos minha noiva e meu paicontos bebi com meu tio e acabei transando com eleContos eróticos molekas virgenscontoss incesfos em fazendascontos gay comendo o amigo rabudo em casaconto erotico irmão mais novo machoo tempo em que ele para e diz"essa buceta é minha"contos eroticos minha mae peludacontos eroticos xoxota pra o malvadoconto titio me fudendogozando com testosterona contosporno policia agelma ou marido fode amulhercontos eroticostransei com meu amigo gaysContos cm o vizinhoconto eróticos comendo a mulher do meu caseirocoroas peitos durinhos bicudo bundas gggwww.contos eroticos patroa trai marido dando cu pra manino novenho pauzodoContos eroticos coroa tarada chama dois travesti pra tomar banho d piscina em casaficar excitada.em onibus lotadocontos eróticos uma bela massagem com uma f*** no finalcontos eróticos- virei mulher do meu paiContos meus dois filhos me estruparm clímaxrelatos erotico sogro na praiacontos eroticos dentista coroa casada tarada por sexocache:http://idlestates.ru/conto_5928_sou-julietana-van-levei-uma-surra-de-rola.htmlpunheta pro sobrinho contos eróticosrelato homem chorou com a tora no raboconto erotico hotel com meu padrastinhoum careca inesquecivel contoscontos à canzanaloira casada e novinho conto eroticoeu confesso meu sobrinho me comeuporrno doido pirenha velha vizinhacontos porno eu e meu amigo fudendo minha maecontos eroticos casei virgemnao resisti a buceta da minha maeconto transando com ladraocontos eroticos garotinha dormindo no colo do padrinho de pijaminhacontos por causa da chuva comi um culoca pra fude vai logo metencontos de incesto minha filha sendo comidaContos pornos-esporrei na comida da cegaContos o carcereiro comeu minha bucetaConto erotico de sexo incesto cheiro da buceta suada da irmacontos eróticos cdzinhatia dando contos culevei minha mulher pro cara mais pauzudo comer na minha frenteA chapeleta arronbou minha bucetinha contosmeu genro me comeu contosContos erotico marido corno bebedor de porraconto erótico fui flagrado de calcinhacontos eroticos de namorada fazendo sexo pelo celular com o namoradomulher acima d 90kg crente contosconto erótico de tiazinha rabudacontos eroticos mulher do pedagioporno éla dis méche que eu vou gozarcontos erotivos aconteceu em monteverdegoogleweblight/buceta virgem/ fotosConto porno de meu marido comeu minha filha eu deixeContos eróticos papai me querConto dei o cu no cine república