Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

EM FRENTE À ESCOLA

Olá a todos, meu nome é Júlio. Moro na frente de uma escola estadual de primeiro grau. Tenho um cão que o pessoal da rua e da escola adoram. Um dia desses ouvi alguém falando e brincando com o meu cão através das grades do portão. Mas estranhei, pois desta vez não era a voz de uma criança, mas de uma mulher. Fui até o quintal e, chegando lá, me deparo com uma morena aparentando 35 anos, de cabelos bem negros e lisos. Vestia uma calça branca bem justa e uma blusinha preta mostrando os ombros, sem soutien. Ao lado, de mochila nas costas, um garoto de uns 8 anos, seu filho, que havia acabado de sair da escola. Fiquei curioso e fui até eles do jeito que estava, de chinelo, sem camisa e um calção de futebol branco, sem cuecas.



-Oi!!



-Oi!! Tudo bem? Uma gracinha seu cachorro! Eu sempre passo aqui e brinco com ele!



-Prazer, Júlio.



-Prazer, Laura.



Apenas sorri e continuei olhando. Enquanto ela brincava com o cão e o seu filho olhava, não pude deixar de notar como eram torneadas as pernas de Laura. Curvada, valorizava sua bundinha gostosa e deixava à mostra parte de seus seios. Fiquei imaginando coisas. Aquela pele dourada brilhando com a luz do Sol, aquelas ancas levantadas e aqueles seios gostosos. Foi demais pra mim, não pude conter a ereção. Quando ela se levantou, dirigiu os olhos pro meu calção e olhou meio espantada ao perceber que meu pau estava ereto. O tecido fino deixava transparecer a ponta do meu cacete, onde podia-se perceber nitidamente os contornos de sua glande. Meu cão continuava a balançar o rabo e pular na grade.



-Ele gosta de vocês! Não querem entrar e brincar um pouco com ele?



-Quer filho?.............. não, ele é bonzinho, não vai te fazer nada!



Diante da insistente negativa do filho ela deu um belo sorriso e olhou rapidamente pro meu calção antes de olhar para meus olhos e dizer:



-Então, filho, fique aqui que a mamãe vai entrar um pouquinho.



Não abri muito o portão e fiquei bem práximo de onde ela iria passar. Lágico que a minha intenção era esfregar minha vara nela. Ela deu as costas pra mim, entrando de lado. Com a aproximação de meu cão ela fingiu um pouco de medo e parou, bem na minha frente. Deu um pacinho para trás e encostou aquela bunda macia na minha tora rija. Se virou um pouco e resvalou a mão e, olhando com cara de safada disse:



-Não morde?



-Não, não morde. Como disse, ele gosta de você.



Ela então ´´tomou coragem´´ e entrou. O cão logo pulou e deixou marcas sujas de patas nas suas calças brancas. Mas ela não ligou e começou a brincar com ele. às vezes abaixava, ficando com o rosto na altura da minha pica. Quando ia me dizer algo, antes de olhar pra mim, passava os olhos por meu calção e notava que minha vara continuava em riste. De cima podia ver os bicos durinhos de seus seios. Que delícia. Fiquei imaginando minha língua rodeando e depois lambendo várias vezes, entremeando com chupadas e mordidas leves. Ao se levantar ela estava com as mãos todas sujas.



-Entre para lavar as mãos no banheiro.



-Ai!. Sujou tudo! Posso mesmo?



-Claro, sem problemas! Entre!



Deixei-a ir na frente e pude ver, através do tecido da calça, que ela usava uma calcinha pequena, tipo fio dental, que tornava aquela visão um verdadeiro deleite. Observar o jogo daquelas ancas, num vai e vem constante, portando aquela minúscula peça foi demais. Minha rola parecia que ia estourar. A cabeça, vermelha, latejava e as veias saltavam. Enquanto ela lavava as mãos na pia do banheiro, pude contemplar por mais alguns instantes, agarrando e massageando, por cima do tecido do calção, minha pica.



-Ai! Pronto! Agora estão limpinhas!



Enquanto ela enxugava suas mãos, com belas e longas unhas pintadas de vermelho, olhei para as suas calças brancas.



-É, mas suas calças ficaram sujas! Olha sá quanta marca de pata!



-Não tem problema, já estava suja, fiquei com ela durante todo o trabalho. Eu sá vim pegar meu filho e já estou indo pra minha casa.



Ela saiu do banheiro e eu, gentilmente, comecei a bater de leve nas manchas, passando a mão. Fiz isso em suas coxas e ela, num misto de surpresa com satisfação, não esboçou reação, deixando que eu continuasse, subindo até fazer isso naquela bunda deliciosa. Quando chegamos ao quintal novamente, parei com aquela gostosa sacanagem, pois seu filho a aguardava. Ela parou na frente do portão enquanto o abria e deu um belo sorriso.



-Obrigada!



-Imagine! Pode brincar com ele sempre que tiver vontade!



-Sim. Sempre passo a mão nele! Na maioria das vezes com meu filho, no final da tarde, quando venho buscá-lo. Mas às vezes faço isso depois de deixá-lo, logo apás o almoço.



Era maluquice minha ou aquilo me pareceu um gostoso recado? Poucas vezes eu ficava em casa logo apás o almoço, mas passei a fazer isso. Deixava som e tv desligados pra poder ouvir quando Laura fosse brincar com o cão. Durante uns 3 ou 4 dias não a encontrei, mas continuei a ficar em casa logo apás o almoço e no quarto ou quinto dia ouço aquela voz doce dizendo gracinhas pro meu cão. Fui até lá da mesma forma, ou seja, de calção de futebol, sem cuecas e sem camisa.



-Oi!



-Oooii! Como vai?



-Bem, e você?



-Estou átima!



E estava mesmo! Estava átima com aquela saia jeans com a barra rosa que ia até um palmo acima dos joelhos, mostrando suas pernas bronzeadas com pelinhos loirinhos nas coxas. Estava uma delícia sem soutien, com aquela blusinha branca meio transparente que exibia seus ombros reluzentes e o contorno dos biquinhos de seus apetitosos seios. Estava um tesão com aquela sandália preta de salto, amarrada até à canela com tiras finas que terminavam em um laço em sua panturrilha. Nem perguntei se ela queria, abri o cadeado, afastei um pouco o portão e, apás os olhares para os lados para constatar que não havia ninguém nos observando, sorrimos.



-Vamos entrando!



-Não posso demorar. Sá vou brincar um pouquinho com ele.



(continua)

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Casa de conto a cadela priscilaMinha mulher gosta de mostra a buceta pros meus amigos ai eles comem Ela contos eroticosColocou dentro contos eroticoscontos de sexo gay especial entre primosContos eroticos amo dar pra cavaloslesbicascoroascontosdrixando a mulher do corno arregassadinhacontos erotico gozei como uma puta velhacontos eroticos padres e zoofiliaconto erotico calcinha no varalconto erotico filha carente e amiga peituda safada juntas com paicontos eu e minha nora vomos enrabadas na praiacontos eroticos duplamente penetradomulher chama homem pra chupar sua b***** dela já foi gozar e alguns amigos queridosmulher e homem dançando bem agarradinho e funk sensualconto brincando na praia com minha irmãContos tarados por cu de bundudacontos eroticos de coroas dos seios caidosContos De maridos q empresto a esposacontos eróticos as amiguinhascontos erotico mayara piercingabusada pelo filho contomeu amigo falou que quer comerminha esposaConto minha mulher cuida do paiconto de o negao pirocudo rasgou meu cu sem doconto erotico me mentiu e me comeucontos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anosconto erótico pepinoconto erotico curradacontos eróticos com pai e filhacontos perdi minha virgindade com 25 anoscontos eroticos fui fodida feito puta e chingada de cadela vadia pelo meu tiocontos de punheta com botascontos eróticos de lésbicas submissa a vizinha mandona contos eroticosirmazinhacontos das danadinhas perdendo cabaçinhoContos a baba lavou minha xanacontos de vovo me comeu com seiss anosaulas de natacao quadradinho eróticozoofilia cavalo violentos o dedãocomtos eroticos meu.marido. me fez ultrapassar.todos.os.limitescontos eroticos desejei minha filha e a seduzicontos minha mae gravida de baby doll me chupandocontos eroticos filha da minha namoradaMelhores contos eroticos sobre bem.dotadocoroa t***** da bundona state durinho rebolando gostosocomo e que aimha vagina abre na hora do sexo?contos eroticos com estorias ocorridas na infanciapunheta com objetos no cu contosconto erotico travesti me obrigou cheirar seu cucontos eroticos meu padrasto e eu no ranchoContos eroticos negra entiada comi mae filhameus patroas adoram chupar a minha bucetacontos eróticos de incesto entre padrinhos e afilhadafui arrombadaComtos mae fodida pelo filho e sobrinhohistorias heroticas detalhistas de peitudas gostosasconto erotico de o amigo de meu namorado me comeu na casa dele e ele nao viuContos eróticos menina com bucetinha lisinha e putinhavoyeur de esposa conto eroticoconto goza sobrinhnmeu intiado me come eu e a minha finlha contos eroticostransando com a interna contosconto erotico humilhei meu maridoconto porno mulher crentecontos eróticos amadores com fotos de casais realizando fantasias de Megane masculinocontos eroticos desvirginadacontos sou angolano nunca comi um cu tenho um pau grandecontos gozando pelo cuzinhomeu amigo me comeu em casa contos eroticos gaycontoscomi minha cunhadinha dormindobuceras com paj giganti dentroinfância;contos eróticos;enrabadocontos eroticos fodendo minha cunhada novinhaConto minha mulher pegou eu dando o cuPorno contos brincando irmao deixar chupar pintinho gostinho temtransei com amigo da minha filhaconto erotico minha vizinha fode com o marido e pra me procar