Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DOCE KAREN

Desde que Karen veio morar conosco éramos pequenos e brincávamos junto, minha mãe começou a tomar conta dela para a mãe de Karen poder trabalhar, a mãe de Karen morava no trabalho e sá aos fins de semana visitava Karen. Vivíamos brincando, tomávamos banho e íamos à escola juntos, eu sou mais velho que ela dois anos. O tempo foi passando e a mãe de Karen foi visitando cada vez menos e ela tornou-se uma irmã pra mim. Quando estávamos na adolescência Karen estava cada vez gostosa e era impossível não notar aquele corpinho, então sempre a abraçava com segundas intenções. O tempo ia passando e Karen tinha uma amiguinha da escola que sempre ia em casa, então comecei a namorar com ela e quando estávamos juntos ficávamos no nosso quarto. Karen sempre me ajudava a ficar sozinho com sua amiga, então aproveitava da situação e nosso namoro era muito quente, beijos, passadinhas de mão, chupadas nos peitos, mas sua amiguinha não deixava avançar muito. Karen e sua amiguinha sempre ficavam de segredinhos e no começo do namoro ela ia todos os dias em casa, mas com o tempo ela já não ia todos os dias.

Um dia tava eu minha irmãzinha no quarto e eu na esperança que a amiga dele viesse por que eu tava com um tesão daqueles, então eu perguntei para Karen se sua amiguinha viria, e a minha irmã disse:

- Eu acho que não, ela ta com um pouco de medo de você, ela me disse que você sá fica agarrando ela.

- Ela te falou alguma coisa?

- Ela tem medo, acho que você vai dormir na saudade.

- Do jeito que eu to, faço estrago danado.

- Se acalma, vai ter outra oportunidade.

Depois disso fiquei deitado e logo fui tomar banho e bati uma no banho, quando tava voltado minha irmã disse que iria tomar banho, me troquei como sempre coloquei uma camiseta e uma cueca, mas como meu pau tava muito sensível ao raspar na cueca já ameaçava a ficar duro, então tirei a cueca e coloquei o shortinho do pijama que era mais folgado e deitei.

Minha irmã voltou do banho e enrolada na toalha, pegou suas roupas e foi a banheiro se trocar, quando voltou estava como sempre camiseta e calça de malha e deitou, passou uns 19 minutos e ela disse:

- Mano, liga o ventilador um pouco, ta muito calor.

- Mas você colocou uma roupa de inverno e se cobriu, coloca uma roupa mais leve.

- To bem assim.

-Você ta com medo?

- Medo do que?

- Que eu te agarro!

- Deixa de ser bobo e vai se aliviar no banheiro.

- Preciso de um corpo pra roçar.

- Amanhã eu falo com minha amiga.

Percebi que não ter jeito, me acalmei a acabei cochilando e as vezes acordava e via minha irmãzinha na cama dela deitada assistindo a TV de costas pra mim. Fiquei admirando aquele bundão e comecei a ficar de pau duro e a me mexer na cama. Ela percebeu e olhou pra traz e eu fingir estar dormindo e sonhando, balbuciava o nome da amiguinha dela. Ele ficou olhando e aproveitei para virar de barriga pra cima e o pau ficou como um mastro de uma barraca que fazia com o calção do pijama, virei à cabeça de lado olhando pra ela com os olhos meio fechado. Ela se descobriu e colocou a mão por debaixo da calça e ficou mexendo na xoxota. Queria levantar e pular pra cima dela, mas fiquei olhando. Ela se levantou e tirou a calça e ficou de calcinha, sentou na cama e voltou colocar a mão na xoxota e se esfegrava, até que se levantou e veio em minha direção, parou e ficou olhando pro meu pau que tava quase explodindo, olhou pra mim e quase me pegou olhando pra ela, aproveitei e dei um suspiro e fui com a mão em direção ao meu pau e ela se afastou assustada, mas parou um pouco e ficou olhando, passei a mão sobre o pau e no impulso tirei para fora do calção e ela deu um gritinho.

Ficou olhando e aproximou do meu pau, suspirei e me virei e ela saiu rápido, deitou na cama e se cobriu, eu tava louco e com vontade de agarrar ela, esperei um pouco e fiz que tinha acordado, levantei e fui em direção da TV e desliguei e fui para o banheiro com a intenção de bater mais uma e depois dormir, mas quando cheguei no banheiro comecei a pensar que ela pegaria no meu pau se não tivesse virado e voltei para o quarto, parei na porta e fiquei olhando ela na cama com a bunda pra cima embaixo do lençol, cheguei perto e comecei a tirar o lençol bem devagarzinho e pra ver aquele bundão, tirei todo lençol e aquela bunda com a calcinha enfiada, perdi a cabeça e passei a mão de leve e senti ela arrepiar aquela bunda lisinha. Segurei meu pau e comecei a punhetar no intuito de gozar em cima da bunda dela, não estava raciocinando e nem pensei que ela tava acorda apenas fingindo dormir, com a outra mão passava na bunda dela e senti uma mexidinha, continuei passando mais no meio indo em direção da xoxota e por impulso ela deu mais uma arrebitada, e então caiu a ficha, ela tava fingindo dormir. Pensei vou dar uma encoxada nela e tava subindo na cama pra ficar em cima dela e dar uma encoxadinha, mas ela se virou de lado e ficou com a bunda pro meu lado e encostei o pau na bunda dela e tentei enfiar no meio das pernas dela, agora queria gozar no meio das coxas dela, quando fiz isso ela saiu e se virou e disse:

- O que você ta fazendo?

- Desculpa maninha, mas não aguentei.

- Você ta louco, vou falar pra mamãe.

- Você que começou, quase pegou no meu pau quando tava deitado.

- Você tava acordado?

- Eu vi tudo e fiquei loco, me desculpe.

- Ta bom, vamos esquecer, já e tarde vamos dormir.

Deitei e pensei, que merda eu fiz. Não tava conseguindo dormir e virava de um lado pro outro. E ela tava do mesmo jeito, até ela disse:

- Mano você ta acordado?

- To sem sono

- Eu também to sem sono

- Sabe mano, ai vi você cochilando e depois tava daquele jeito, eu não sou de ferro. Vou falar com a minha amiga se ela quebra o seu galho, ta bom!

- Agora não tava nem pensando nisso, mas fiquei atiçado. Acho que vou no banheiro me aliviar.

- Não precisa ir no banheiro, faz ai mesmo eu me viro ta bom.

- Se você se virar eu não vou aguentar.

- Como assim!

- Eu aqui e você virada com o bundão pra mim.

- Fica imaginando que eu to com você

- Você do meu lado e não posso nem passar a mão, você poderia deixar eu passar a mão um pouco.

- Ah, não sei, tenho medo

- Fica como nosso segredo, ninguém ficará sabendo.

- Ta bom, mas sá um pouco.

- Vem aqui, deita comigo.

Ela veio em minha direção e disse:

- Vou ficar virada

- Deita de ladinho

Ela deitou de lado de costas pra mim, encostei atrás dela e ela olhou para trás e disse:

- Você não vai passar a mão?

Cheguei com a cabeça até o seu ouvido e sussurrei: vou dar umas encoxadinhas antes, posso?

- Pode

Encostei e encaixei nela e ela disse:

- Já ta duro?

- Você me deixou assim.

Comecei a roçar na bunda dela e dava umas mordidinhas na sua orelha, então ela começou a gemer e rebolar no meu pau, percebi que a porta do quarto estava aberta e disse:

- Nossa! A porta do quarto ta aberta, vou fechar, me espere.

Levantei e fui fechar a porta, fechei e apaguei a luz, porque o abajur estava aceso. Retornei para a cama e ela deitada do mesmo jeito, mas estava coberta com o lençol, entrei debaixo do lençol e encaixei de novo e comecei a roçar e ela a gemer e rebolar no meu pau, passei uma mão por cima e outra por baixo e abracei, sussurrava no seu ouvido. Com a mão embaixo comecei a passar em direção aos seus peitinhos e a por cima na barriguinha em direção a xoxota, encontrei os pelinhos da xoxota e desci mais um pouco ao encontro do clitáris, notei que ela tinha tirado a calcinha e falei ao seu ouvido:

- Você não tava de calcinha?

- Tirei para facilitar

- Que! Delícia!

Aproveitei da situação e tirei meu short e com o pau duríssimo encostei no seu reguinho e ela suspirou e arrebitou a bundinha e disse:

- Como ele é quente!

Empurrei o meu pau e encaixou no meio das sua pernas e senti a xoxotinha melada, forcei mais um pouco e a cabeça do pau sai pela frente, voltei e forcei, comecei a foder o meio das pernas, como estava pouco úmido salivei a mão e tirei o pau do meio das pernas e molhei a cabeça do pau com a saliva e coloquei no meio outra vez, deslizava com mais facilidade, ela forçava para traz e eu pra frente e aumentei os movimentos junto com ela, com a mão na frente abri os lábios da xoxota para a cabeça do pau deslizar e roçar o clitáris e ela começou a gemer, os movimentos mais intensos senti o gozo chegar e falei:

- Vou gozar!

Começou a formigar e a gozar melando do cuzinho até a frente e ela tremia e finalmente gozou também e disse:

- Caralho!, como isso e bom!

Ficamos coladinhos e depois de um tempo me empurrou levantou pegou a calcinha enrolou na toalha e foi ao banheiro, fiquei deitado virei com a barriga pra cima, então ela voltou enroladas na toalha com rolo de papel higiênico e me deu, peguei o papel me limpei o joguei o papel no chão, ela tirou a toalha e já estava de calcinha, colocou a calça do pijama e pegou o papel sujo do chão e foi para o banheiro. Voltou apagou a luz, deitou se cobriu e ficamos em silencio até que adormeci.

Acordei no dia seguinte e ela não estava no quarto, levantei e tomei um banho, troquei de roupa e fui à cozinha e ela tomando café, disse bom dia! E me serviu o café. O nosso dia foi normal e não comentamos nada do acorrido. Quando eram uma 6 horas da tarde, a amiga dela a chamou no portão e elas ficaram conversando por um bom tempo, depois ela entrou e sentou no sofá e ficamos assistindo a TV. Já eram 19 horas, disse que iria tomar banho e depois deitar e ela ficou na sala, tomei o banho, coloquei uma camiseta e o short que tava na noite anterior e deitei, logo depois ela entrou no quarto pegou alguma coisa na gaveta e seu pijama e foi tomar banho, quando voltou estava com a toalha na cabeça e o pijama de calça comprida. Ficou secando o cabelo e sentou na cama dela de costas pra mim, depois levantou levou a toalha até o banheiro e voltou, encostou a porta, apagou a luz e colocou alguma coisa em cima da cômoda, puxou o lençol, deitou e se cobriu. Ficamos deitados e em silencio, então ela levantou foi até a porta e a trancou, veio e ficou entre a minha cama e a dela, e de costas pra mim deitou na cama dela com a bunda virada pra mim e se cobriu, passou uns 20 minutos levantou novamente ficou de pé entre a minha cama e a dela de costas pra mim e tirou a calça do pijama, ficando sá de calcinha que era uma fio dental com a bunda toda a mostra e deitou do mesmo jeito com a bunda virada pra mim, mas desta vez não se cobriu. Olhei e fiquei admirando a sua bunda e me excitei, mas não fiz nada, continuei deitado. Passou mais um tempo e ela me disse:

- Maninho, ta acordado?

- To sim!

Ela olhou pra traz e virou ficando de frente pra mim e ficou olhando, então levantou e pegou seu travesseiro e veio até minha cama e disse:

- Vai mais pra lá. Colocou o travesseiro e deitou, me abraçou, passou a mão no meio peito ficou fazendo um carinho e depois foi descendo a mão e chegou no meu pau que já tava duro, abaixou o short e segurou e movimentou como uma punhenta. Levantou o corpo e foi com a cabeça em direção ao meu pau, segurou e apertou um pouco, puxou pra baixa e cabeça do pau saiu e ela passou a língua, dei uma tremida e ela lambeu novamente e colocou na boca e começou a chupar e eu me entreguei, tava uma delicia, senti que iria gozar e coloquei a mão sobre a cabeça dela e ela sentiu que a cabeça do pau tava inchando, parou de punhetar e ficou chupando como num canudo de um refrigerante e não aguentei e jorrei o leite e ela deixou ele na boca até eu terminar, depois tirou o pau e o leite escorreu de sua boca em cima do meu pau. Ela levantou foi até a cômoda e pegou o papel higiênico que tinha deixado antes e limpou o meu pau e voltou a deitar do meu lado, me abraçou e colocou uma perna sobre o meu pau, começou a roçar a xoxotinha no meu quadril e me abraçou. Passei a mão por debaixo dela e a abracei forçando ela em mim e disse no seu ouvido:

- Você e muito gostosa!

Puxei ela e fiquei em cima dela, desci até seus peitinhos e mordi de leve os bicos e levantei a camiseta e matei a sede daqueles peitos, o meu pau começou a roçar na xoxota sob a calcinha e ela esfregava cada vez mais, fui descendo com a boca pela barriga até chegar na virilha, com as mãos puxei a calcinha revelando a mais bela e perfumada xoxota, beijei em cima e desci com a língua no meio dos lábios da xoxota como fosse um britador, tava encharcava, ela colocou a mão sobre a minha cabeça, abriu as pernas e puxou minha cabeça e gozou, estava preso que por um instante perdi o ar, então me soltou e amoleceu, ficamos quietinhos, ela saiu debaixo e levantou, recolocou a calcinha, me abraçou, beijou com selinho e disse.

- Boa Noite!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos eroticos pivetesmulher enrolada na toalha fica excitada e trepa gostosoSobrinho da Academia tia gordinha conto eroticocontos crente casadasum negao pegou minha mulher contoContoseroticos cavalofui trabalhar e meu marido usou minha calcinha fio dental contospai minha vi de calcinha e contosemcabeçando no cu bucetawww.eu aronbei minha sobrinha de doze anos de idadecontos eróticos de vibradorvi minha tia nua contoslena beijando sua amga gostosofotos cim zoom so de cacetes duros melado de porracontos de coroa com novinhotracei minha irmã contoshistoria erotica meu enteado novinho e bem dotado me arregaçou todahttp://comtos eroticos de estuprocontos erotico meu paiminha enteada gost contosconto erotico arrombei o travesti do baile funkcontos eroticos-estuprei minha irmacontos eróticos mostra essa rola filhocontos eróticos sobre irmã bucetudacontos eroticos meu amante arrombava eu e minha filha e meu marido descubriucontos eroticos de de me tinhas conquistando os avós incestomenina na punheta contosareela farraelacontos eroticostransei com meu amigo gayscontos esposa rebolou para,amigocontos eroticos minha sogra mamou no meu pau e depoi choroulconto ertico lambendo buceta ela gem mtocontos eroticos chupando a pica do meu filhocontos de incestos posando na sogracontos reais punheta gozadas"voce e muito corno"contos incesto comendo minha maemulher tarada Senta no pau do boneco no FlávioComtos erotico meu entiadocontos calcinha da filha tava cheia de porracontos eroticos abusada levando tapajovem mostrando os pelinhis fino ds bucetaContos Eróticos Nega bebada de leguincontos eroticos meu sobrinho pauzudoConto tomando no cuzinhocontosflagascontos transex fudendo com entregador de pizzacontos irma da o cu pro descolhecidohttp://googleweblight.com/?lite_url=http://idlestates.ru/conto_1729_pacto-de-porra-em-familia.html&ei=Tuthr3L0&lc=pt-BR&s=1&m=159&host=www.google.com.br&ts=1504527796&sig=ANTY_L0RczQERuUpbN0Q5efSyWyiLRB2ywcontos eróticos de bebados e drogados gaysfoda no escritório contosvideo porno primo sente atração pelo outro primo homenscontos eroticos marido capachoconto ele ficou sabendo do tamanho da bucetacontos eroticos: menininhas virgens chantageadascontos eroticos primo da esposamorena dano a boceta po cavelecontos minha esposa vigia a casa pra eu fuder a visinhaContos eróticos de noraPirocada sexo gay velhos tara contos veridicosmeu pai adora ser puta na camaconto eroticocontos arrombado no banheiroContos crossdresserela sentiu meu pau crescendo contos eroticosContos de putas safadasContos vovó no banhoconto erotico casada comdp e fotofui sondar e fui comido contoslevei minha mulher pro cara mais pauzudo comer na minha frentegeovana tira a calcinha e da a bucetacontos eu marido na prai de nudismoGozei dentro da xereca peluda da minha vizinha coroa enxutamuitus contus estupro na favelaxvidios pomba i gala no cu do irmazinho gaywww.mulatanua.comananzinha contos erotcocontos eroticos dominou toda a minha familiaGozei dentro da xereca peluda da minha vizinha coroa enxutaHistórias contos ficticios e reais de sexo com travestiscomi a melhor amiga da minha mae vai mete seu puto cotos eroticomendiga pedindo pra comer seu cu apos o dela era vigemmocinha bonitinha filha de papai de calcinha fio dentalminha irma casada conto eroticodando no ônibus contosmulheres casadas morenas claras 45 a 55 anos traindo com negaoA mulher do meu amigo gemeu baixinho na minha vara pra ele não ouvirbrincando com maninho acabou em sexoContos eroticos chupei o grilo da netinhaacontos evangélicao homem abre a periquita da mulher e chupa e coloca um botijão dentro da vajinha