Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

RELATOS DE UMA FILHA...

Me chamo Carla, atualmente tenho 21 anos de idade, um filho de 1 ano e 6 meses e um marido, vamos chamar assim, de 19 anos.



Sou filha única e minha casa sempre foi um lugar muito tranquilo. Meus pais quase não brigavam, talvez aí estivesse o problema...



Quando eu tinha 19 anos de idade minha mãe, uma mulher muito correta, descobriu que meu pai, um canalha de marca maior, a traia diversas vezes. Ao descobrir, minha mãe ficou muito decepcionada e caiu em depressão. Eles se separam e somente 6 meses depois da separação minha mãe pareceu disposta a encarar a vida novamente. Estava com 32 anos. Lembro-me quando a vi feliz de novo. Estava linda, seus cabelos pretos e ondulados estavam soltos, sua pele branquinha estava lisa como há muito tempo não via, estava usando um vestido amarelo que realçava seus olhos azuis. Minha mãe era linda. Desde aquele dia resolveu voltar a viver. Começou a sair para festas e não raro se envolvia com algum homem. Minha mãe passou de uma mulher recatada, para uma mulher divorciada cheia de tesão. Com o passar dos tempos acabou conhecendo um homem em especial. Um coroa com seus 45 anos, negro, cabelos curtos e ficando brancos, um pouco mais alto que minha mãe e com um físico comum, tinha apenas braços fortes que se destacavam do resto do corpo. Minha mãe começou a levá-lo para nossa casa e aos poucos ele foi ganhando terreno. Minha mãe começou a ser dependente dele, vivia em sua função e fazia tudo que ele mandava. Até que um dia ele propôs algo a minha mãe, disse que se não aceitasse, ele nunca mais voltaria. Minha mãe, totalmente entregue a submissão, obedeceu. O desejo dele foi o começo dos meus...



Eu estava com 19 anos e minha mãe com 38. Estava sentada no sofá vendo um filme na TV quando ela sentou ao meu lado. Disse-me o quanto gostava dele, não em termos sentimentais, mas financeiros, ele era um homem estabilizado e que mantinha as nossas finanças saudáveis. Quando ouvi o que ele queria de mim senti ânsia de vômito. Relutei muito, mas percebi que nos dias seguintes minha mãe estava muito triste. O motivo? A minha recusa, ábvio. Foi então que chamei a minha mãe e decidi aceitar, por ela, e tão somente por ela. No dia combinado me aprontei como o ordenado, estava usando a roupa que ele pediu. Uma blusa branca, de alças, saia jeans, meias de algodão, coloridas, até a altura do joelho e cabelo amarrado, rabo de cavalo. Tenho os cabelos pretos, lisos, pele branca e olhos pretos, não puxei a minha mãe neste quesito, infelizmente. Mas mesmo sem ter olhos azuis como os de minha mãe, tenho um rosto agradável. Mas era chegada a hora...



Estava sentada no sofá, minha mãe abriu a porta para ele, que estava elegante, devo confessar. Minha mãe o beijou e ele logo a mandou sentar no chão. Obediente ela sentou.

Antunes, como se chama o dono de minha mãe, sentou ao meu lado. Acariciou a minha coxa ao mesmo tempo em que soprava em minha orelha, bem baixinho, os dizeres: “sua mãe é minha, por hoje você também será”. Dito isso, beijou o meu pescoço, aproximou a mão da minha xaninha, que incrivelmente estava úmida, ele percebeu quando a tocou: “eu sabia, filha de putinha, putinha é”. Pegou a minha mão e colocou em seu mastro negro e duro, que ele acabara de tirar da calça. Senti um calafrio percorrer o meu corpo, até se concentrar na xana. Ele pegou em minha nuca e ordenou que o sugasse. Sem jeito, tremendo, envolvi o seu mastro com minha boca quente. Ele gemia de prazer. Chamando-me de putinha o tempo todo, acariciava a minha nuca, às vezes forçava em direção ao seu pau. A sensação era estranha. Sentia nojo por ser “obrigada” a isso, mas ao mesmo tempo sentia uma estranha excitação. Quando enfim ele despejou o seu líquido em minha boca, puxou a minha cabeça para trás e me deu um longo beijo. Ao contrário do que eu supunha, ele parou por aí. Se deu por satisfeito e foi com minha mãe para o quarto.



Dias depois ele nos apresentou o seu filho, que ele chama de “Príncipe negro”, pois o rei era ele práprio. O garoto, com seus 19 anos, era muito parecido com o pai. Por alguma razão ele se encantou, desde o início, por mim. Mimado pelo pai, eu seria apenas mais um luxo que o pequeno príncipe teria. Isso me assombrava, e não demorou muitos dias para isso se concretizar.



O Rei negro, como ordenava ser chamado agora, queria que eu fosse a súdita fiel do seu príncipe, o pequeno príncipe negro. Relutei, mas o rei já havia feito as mesmas ameaças à minha mãe, não tive escolha... O Rei veio para nossa casa com o príncipe na bagagem. Comprou uma cama de casal para meu quarto, para que dormíssemos lá sempre que eles viessem a nossa casa. O Rei entrou com minha mãe nos aposentos reais dele e eu fui obrigada a entrar nos meus com o pequeno príncipe, na nossa primeira noite juntos. Eu estava com minha camisola preta, ele deitado ao meu lado. Logo começou a querer me beijar. Eu resisti, mas tive que ceder quando ele ameaçou gritar ao rei. Ele me beijou, seu pau real logo ficou duro e ele caiu sobre mim. Beijando-me ferozmente, abaixando as alças de minha camisola tocava em meus seios, ora com as mãos, ora com os lábios. Quando tirou o seu short a visão que foi revelada era de um pau preto, completamente duro. Caído sobre mim, me beijando e me molestando com a mão, começou a esfregar o pau em minha xana, ainda por cima da calcinha, depois com força a puxou até rasgar. Ficou brincando com a minha xana, esfregando o pau em minha entrada. Confesso que resisti, mas a sensação era boa. Ele percebeu: “você vai gostar, vai amar”. E eu iria mesmo...



Quando ele penetrou a minha xana virgem e úmida, encharcada para dizer a verdade, senti uma sensação única. Aquela carne me rasgando, entrando e saindo de minha xana em chamas... Gozei eu seu pau, antes dele. Depois de me remexer feito louca em seu pau, ele também gozou. Colocou-me de quatro – “você vai implorar pra eu te fuder”, disse ele... Mais uma vez acertou, eu iria. Ele penetrou o meu cuzinho, sem creme, sem ajuda. Apenas a carne na carne. Enquanto metia com força, meteu a sua mãozinha em minha xana e me deixou gemendo, meus gritos superaram a concorrência do quarto real... Eu era dele...



Estocando o seu pau no meu cuzinho e esfregando minha xota com sua mão eu delirava... Totalmente entregue ao prazer, entre os meus gemidos longos soltava verdadeiras súplicas: “Aí meu príncipe, me fode... Que delícia! Assim... ahhh, meu príncipe...”



Todo o tempo eu ficava esperando ansiosa, na janela de minha casa, o retorno do meu príncipe, ansiava fuder sempre... Todo manhã, antes de sair da minha casa, ele enfiava um vibrador, com seu nome nele, em minha xota... No meu cuzinho enfiava outro menor... Para se certificar de que eu não tiraria, ele encontrou um jeito... Uma espécie de selo, que ele colocava junto aos vibradores, se eu tentasse tirar, o selo se romperia e quando meu príncipe chegasse saberia que havia infringido as regras...



Assim eu ficava o dia todo... às vezes até 3 ou 4 dias. Não fazia minhas necessidades físicas até ele retirar os apetrechos, a vontade de mijar as vezes era tanta, que me excitava mais ainda... Até que ele chegava, e depois de tomar banho e se alimentar, enfim tirava o selo e os objetos... E logo íamos para o quarto, onde eu serviria aos seus desejos...



Quando estava mal humorado, me levava logo cedo para a varanda de minha casa... Atava-me aos mãos e os pés em uma cadeira, de modo que minhas pernas ficavam abertas, passava fita em minha boca e me deixava lá, amarrada, sem calcinha, sem sutiã, apenas minha camisola... Não satisfeito, passava em minha xota qualquer coisa que atraísse a língua do seu cachorro, Rufus, e este não demorava em me lamber... Ele ordenava a minha mãe que de uma em uma hora voltasse a passar comida em mim, para que o seu cachorro ficasse bem alimentado de comida e xota.



E assim o tempo passou, todos os dias seguia a rotina deliciosa de servir ao meu mestre... Meu marido...



O meu príncipe não gostava de camisinha, então desde o princípio fui ordenada a transar sem proteção... A cada dia que passava estávamos mais aperfeiçoados; ele na arte de fuder... E eu na função de sua putinha...



Sem proteção, acabei engravidando, dei a ele um herdeiro para o seu trono. Hoje, com 21 anos de idade, apesar de ser mãe, nosso relacionamento continua delicioso...



Escrevo este relato sob as suas ordens... Com a boca vendada, mãos livres para escrever... Sem calcinha, sem sutiã... Apenas uma cinta liga preta e minha inseparável camisola preta levantada até a cintura... Estou sentada em uma cadeira confortável, com as pernas bem abertas e amarradas nos pés da cadeira... Enquanto escrevo, minha xota enche de água e todos os seus amigos, cerca de 19 rapazes, que estão sentados no chão à minha frente, ficam observando a putinha excitada ao contar a prápria histária...



O que vai acontecer depois do ponto final? Sá o meu príncipe sabe...



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos de coroa com novinhocontos eróticos de gay e titio e amigo"amor vou dar" amigo colegacontos.eroticos.homem.cadeiranti.casado.com.mulher.traidocontos erotica de estrupamento de ninfetoscomi o cu do meu irmao e da minha irma brincando de pique esconde contosmeu tio um coroa safado contoconfesso transando com trêspornodoido provando da minha melhor amiga continuaçãocontos deu o cuzinho por um celularcontos de mulheres que tomaram ativador sexualcontos eróticos, eu, minha esposa puta e nossos vizinhoscomo e que aimha vagina abre na hora do sexo?Sentei na pica e cavalguei gostoso com a pica dentro parei prazerTransei com minha quando agente brincavahttp://googleweblight.com/?lite_url=http://biz-kon24.ru/conto_13911_no-cine-porno-carioca.html&ei=ea8Z-K7J&lc=pt-BR&s=1&m=276&host=www.google.com.br&ts=1516003814&sig=AOyes_Q1gH0JgEpGP49Lv3Pg-0YeXVtLBgcomentário de. mulher que ja deu a buceta pro entregador de bebidaDesvirginando a sobrinha de 18 anosComtos casadas fodidas em cima da mesa por desconhecidosvideo porno gay de homem que botou camisinha para comer seu parceiro apos gozar ele tira a camisinha e da para o amigo chupar seu pauwww.ver contos eroticos de professoras gostosas ruivas de 20 ate 30 anos tranzando com seu alunos de 16 a 19 anos de idadeconto erotico batendo sozinha minha siririca gozandoContos eroticos dois macho chupando minhas tetasesposafoi.encoxadaContos-esporrei na comida da cegacontos eróticos mamãe deu o cu eu viconto eu meu filho e meu pai cumemos minha esposa rabudacontos eróticos assaltantes me f****** na frente do meu filhocontos eroticos de lesbicas espiando os pais transando e fazem o mesconto trocando as filhascontos eroticos meu cunhado estourou meu cabacinhoa gostosa minha madrasta me vigiando com me masturbandoconto erotico colegiais sexo entre familiacontoseroticos meninicesou puta do meu enteado contoContos eroticos da tia com seu sobrinho menor com a perna quebrada contossexo minha dentistacontos de velhas gordas tomando gozada na carafilhababandopaucasada pelada em lugares movimentados contosComo eu faço para passar a minha pica dura na bunda da minha tiagay de zorbinha enfiado no regobrinco com tio levou no cuzinhoComtos erotico 6 com a casada.meu pai meteu conto gaycontos eroticos de vovoContos eroticos casada na excursãoMeu ex primo viuvo conto eroticoContos eróticos enteada larissa viajarpau na boca da namorada dpCasada atraido o novinho xvideocontos escraviseime arrombaram contos eróticoscontos eróticos foi andar sem causinha e se ferrroubebeu porra e vicioucontos eroticos primeira transa sadomasoquista quando meu dono me deixou presacontos erotticos gay fui passear naa casa de minha madrinha e comi o cu de um meninnoocontos eroticos meu irmãoconto eróticos pai pauzudo e filha baixinhacontos fudendo sogra so com brincadeirashistorias pornos virando mocinha CArnaval Antigo com muinto trAveco fazendo surubacontos esposa evangélica e cunhadacasadas safadas me deu a calcinha usadas contos eroticosContos.eroticos.crentizinha.abusada.no.cuzinhoconto erótico penha SC praiaassistir o video completo socando o anchinho no cu e na buceta da mulhercontos coroas minha chefeVem amor segure a rola dele para eu sentar em cima, vem meu corninhoespiando o.vizinho contos eroticoscontos eroticos homem casado dando para o primocontos Minha esposa rabuda provocando de shortinho contos swing40cm no cu da minha vo contosconto erotico chantagiei a esposa do meu funcionáriocontos eroticos traindo meu marido com o vendedor da lojacontos virei a cachorrinha do meu amigocantos erotico brincando de baralho com sobrinhagay de zorbinha enfiado no regoareganhando o cu e epois a boceta com a mao relaxandoe bom de maismete na minha vizinha gordinhanovinha chupano amigs