Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DOMESTICAÇÃO - FINAL

Domesticação - final



Cativeiro



Fui jogado de bruços no chão do furgão, meus pés e mãos foram atados sem muita gentileza. Fui mantido na posição durante todo o trajeto, que parecia não acabar nunca. Tentei pedir que me deixassem virar um pouco, como resposta senti um pé sobre minha nuca. Gemi com a dor, eles acharam muito engraçado. Meu corpo formigava, meus pulsos latejavam, respirava com dificuldade. Mais uma vez implorei para que deixassem mudar um pouco de posição, mas não houve trégua. Desmaiei.

Acordei num quarto amplo, imaculadamente limpo e bem mobiliado. Continuava amarrado, os braços doendo infernalmente, o medo e a fome também me atormentavam. Não esperei muito para ter companhia. Um dos homens que haviam me trazido entrara. Era forte e alto como convém aos seguranças. Aproximou-se e me apanhou pelo pescoço, sua pegada era forte, mas não pressionou o suficiente para sufocar. Evidentemente ele ganhou toda a minha atenção. O homem começou a me instruir. Fiquei sabendo que eu era um filho da puta arrogante e que pagaria por ter recusado os favores de João e que aprenderia a apreciar sua companhia. Não quisera amá-lo então iria temê-lo e que o azar era meu. Que deveria me comportar com humildade diante dele e que deveria fazer tudo o que ele ordenasse. Em seguida, me desamarrou e mandou que tomasse banho e me preparasse para meu senhor.

Quando finalmente me soltou murmurei “Meu Deus!” ao que respondeu “O seu deus é João Scorpio!” e desferiu tremendo tapa que me jogou longe. Assim que me vi desamarrado fui cumprir suas ordens. Tomei banho, fiz a barba, escovei os dentes tudo sob sua supervisão. Estava tão vexado que mantinha a cabeça baixa. Ganhei uma calça de pijama de seda, um chinelo de dedo com finas tiras de couro e uma corrente no pescoço. Dessa maneira fui conduzido, ou melhor, arrastado para a presença do meu senhor.



Descoberta



João estava sentado numa poltrona, parecia um rei todo empertigado feliz da vida. Fui arremessado aos seus pés, a ponta da corrente foi entregue a ele. Não pronunciou palavra, como estava de cabeça baixa vi seu sapato se movimentando na direção de meu rosto. Senti enganchar-se sob meu queixo e dessa forma, erguer meu rosto para que nossos olhos se encontrassem, vi a excitação que ele sentia. Depois percorreu meu rosto com o pé até que o posicionou perto da minha boca. Estava tão amedrontado que parecia que não era eu ali. Não preciso dizer da humilhação que sentia. “Lamba”, ordenou. “Por favor, não faça isso!” supliquei entre o desespero e o choro. A dureza de seu olhar e um puxão na corrente não me deixaram dúvidas, não cederia aos meus apelos, então pousei a língua sobre o sapato ele. “A sola”, ordenou com crueldade na voz. Tive que me contorcer para alcançar a sola do sapato e lambi. Satisfeito com a minha obediência afastou meu rosto com um pequeno e desdenhoso chute.

“A braguilha” disse abrindo as pernas. Incrédulo, vi minhas mãos tentando abri-la, como tremesse muito tive dificuldade com o cinto, podia ver o volume que se formara sob sua calça. Consegui finalmente abrir o zíper e vi a proporção da dor que me aguardava, estava rijo, era grosso e enorme . Comecei a chorar e paralisei, não consegui tocar nele. João deu novo puxão na corrente que fez meu rosto tocar aquele membro enorme, começou a esfregá-lo na minha cara. “Faça, se você se recusar ou se me morder arranco seus dentes.” Apavorado abri a boca e abocanhei com todo o cuidado a cabeça do pênis. João soltou um grunhido e forçou ele todo para dentro quase me sufocando. “Chupa, você sabe como é.” Comecei a sugar e lamber, ele ria quando sentia minhas ânsias de vômito, gostava bastante da sensação da boca vibrando no seu pau, “Ahhh! Delícia! Minha delicia!!!” Descobriu rapidamente que meus gemidos também poderiam ser fonte de prazer. Por isso, cravou as unhas nas minhas costas e eu gemi como um louco. João gozou profusamente na minha boca, engoli seu gozo, ele não precisava falar que era isso que deveria fazer, estava bastante ábvio e eu apreciava meus dentes.

João acariciou minha cabeça. “Bom menino”. Depois me arrastou para a cama. João arrancou a calça do pijama que eu ainda vestia “Você é lindo!” e começou a conhecer meu corpo. Apalpa, beija, morde se esfrega em mim dando especial atenção aos mamilos. “Aaaii! não! Aaaii!”, me devorou com os olhos, a boca e as mãos tudo junto. Por fim ordenou “De quatro”. Gemendo obedeci. “Que bunda mais linda você tem!” acariciou-a e logo enfiou um dedo em mim. “E esse cu tão bem feito e apertadinho!”. Senti que espalhava algo viscoso nele e então começou a se enfiar. “Faz força pra fora seu puto, senão vai doer muito mais. Ninguém te ensinou nada?” fiz como ele mandou e então arremeteu, penetrou afoito e fundo. Para minha surpresa a dor veio acompanhada de prazer, jamais imaginara uma coisa dessas. Envergonhado percebi que queria aquilo, comecei a rebolar timidamente de início. Ele bombava ritmada e firmemente. Riu vitorioso, cheio de si. “Sabia que era uma puta.” Cavalgou sobre meu corpo agora dácil, aberto e à sua disposição até que nossos gemidos se confundiram em tremendo gozo: prazer e dor em uníssono!

Hoje tenho imáveis, ações e muito dinheiro, mas isso significa muito pouco perto do prazer que sinto em pertencer a ele. Estamos juntos há dois gloriosos anos. Ele governa meu corpo e meus sentidos.

- Greg cheguei!

Ajoelho-me diante dele beijo seus pés e respondo.

- Que bom que está em casa meu Senhor João Scorpio.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos gays gemeosnão acredito que dei o cu contos eróticosmachos arrombador de gay afeminadocomendo a prima linda do cabelo super comprido e muito vadiarelato homem chorou com a tora no rabocontos vi minha irma com pausudomulher gostosa arrumando biquini em um deckConto minha amiga me dopou e me comeu com um caceteteconto erótico gay comi meu irmãoenteado comeu minha esposaconto eróticosexo gostoso contoscontos eróticos casal Passei a noite no autorama no Ibirapueravideos cazeio dado rabu coiado. taido aimapodendo com a sograestoria de cantos erotico minha tia sentou no meu colo e comi elacontos eróticos comendo as Vizinhas ciarececorninho manso contosContos eroticos minha primeira vez foi quase um estupro e eu gosteisexo gostoso foda maravilhosa grita quando o pau entra ui delicia mete essa vara na minha buceta no meu cu chupa a minha buceta vai porra ai que gostoso essa pirocacontos ajudando minha mae peituda na faxinaFuderan meu cu e minha esposa ajudou os carascomendo sogra e avo contocontos hericos de a buceta para filhoviciadinha em dar o cu contosconto deixou a buceta ficar peluda pra dar pro paium conto gozando no motelpau buceta dormia contosconto erotico real meu marido me liberou dar o meu raboconto erótico mulher é domada e faz marido assistir ela traindocontos eroticos meu genro se vestiu de mulherminha mulher adora ser brechada3negros-_contos eróticoscontos erótico de incesto eu novinha ano ... meu tio com 26*6cm de rola me arrombou Contos eroticos interraciais no escritoroscontos eróticos online pai tarado e filinha devassacontos perdi minha esposacontos eroticos enganocontos eroticos casal bimenininhas fudendo com vários cachorros contos eroticosconto de desmaiei com a pica grande no cucontos cornos forumMostra para mim gosto seca bem gostosa as pernas bem malhadas peitinho bem durinhocontoseroticos viajando com priminho no acrrocontos eroticos fui com meu sobrinhoconto seduzindo meucontos eróticos filhinha novinhacomo supa a boceta ligada tonadoMinha filhinha conto eroticoconto comendo viuvaconto erotico estuprada de mini saiacontos de fingindo dormirchupei no carro contoprimeira vez que comi meu amigocontos eroticos com foto empregada rabuda baixinhaConto erotico madrinhacontos no orfanato gaycontos fodendo a namorada de todo jeitobucetiha tihotia de calcinha contobuceta inchada da cunhada...contoscontos eroticos de meninos gay o dia q dei o cuzinho pela primeira vez e virei menina da molecadacontos minha garotinhameu sobrinho menor conto eróticovi outro gozar na boca de minha mulher contoscontos eroticos flagrei minha namoradaporno conto irmaminha mulher com os garotos contosComto fudemdo a sogra ea vizinha jumtas pornocontos comi a mha filha novinha virgempalhia de calcia preta nuaDei meu rabo e não me arreoendoconto gay negro pediu o branquinho em namoro