Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

AH! ESSAS MULHERES MADURAS

Aconteceu numa quinta-feira, o dia estava nublado e felizmente não tinha que ir ao trabalho. Passei boa parte daquela manhã e tarde, sentado no sofá debaixo das cobertas em frente a TV. Entediado, decidi sair para dar uma volta. Enquanto tomava banho, pensava aonde iria e o que faria, me vesti, dei uma conferida básica no espelho, apaguei as luzes e sai. Ainda sem saber exatamente para onde iria, talvez no cinema quem sabe? Olhei no relágio 16h, caminhei até o elevador, solicitei o comando descer, imediatamente a porta se abriu - moro no 14° andar, um apartamento não muito grande, mas suficiente para minhas necessidades, um homem divorciado de 32 anos sem filhos, que não costuma receber visitas – Não sabia, mas aquela tarde cinzenta seria um divisor de águas nos meus hábitos solitários de “ermitão” urbano.



Já no elevador coloquei as mãos no bolso interno da jaqueta e por sorte tinha um folder com a programação do cinema que lembrei havia pegado para dar uma olhada durante o horário de almoço no dia anterior. Naquela hora, me decidi, assistiria à sessão das 19 horas; tempo suficiente para uma caminhada até a estação Santa Cecília, pegar metrô, outra caminhada até a Rua Augusta, e claro, uma breve parada no bar que fica a duas quadras do cinema para apreciação do chopinho de praxe.



De cabeça baixa, lendo a sinopse do filme, nem percebi quando o elevador parou no 8° andar. Uma voz doce interrompeu minha leitura e me transportou para outra realidade ao desejar boa tarde. Ergui a cabeça - contemplei a minha frente uma mulher que me aparentou ter uns 45 anos, cabelos castanhos claros na altura dos ombros, um olhar meigo, firme e seguro transparecendo ser uma mulher independente, tinha uma beleza natural, madura, bem diferente dessas mulheres que tentam em vão obter uma aparência mais jovem, a maquiagem leve deixava transparecer as marcas do tempo e realçavam ainda mais sua beleza e sensualidade expressa em um corpo que me excitou de tal maneira que fiquei sem reação – hesitei por uns 2 segundos, dei um sorriso constrangido pelo despertar repentino da libido que acho que não consegui disfarçar, e respondi boa tarde.



Silêncio total! Ninguém mais entrou no elevador e o toque sonoro que antecede a abertura da porta soou como um despertador que nos importuna no melhor de um sonho. Ela saiu primeiro, respirei fundo, sentindo o discreto mais perceptível perfume que ficou no ar, quando saía do prédio fui chamado pelo porteiro que disse alguma coisa sobre uma obra na garagem que não dei a mínima atenção. Menos de 2 minutos conversando com o porteiro foi tempo o suficiente para perdê-la de vista, obviamente, também perdi o tesão.



Alguns minutos apás a viagem de metrô e a caminhada, já estava apreciando meu chope, acabei me alongando um pouco e quando entrei na sala do cinema as luzes já estavam apagadas, não tive dificuldades em encontrar um lugar para sentar, sessão esvaziada, tinha umas 30 pessoas aproximadamente na sala. A película me surpreendeu, mas não tanto quanto o que estava por vir.



O filme terminou e como sempre fui um dos últimos a se retirar da sala, gosto de ler os créditos até o final. Na área externa do cinema tem um café, entrei me dirigi até o balcão e pedi um cappuccino, fiz um movimento repentino para o lado direito e não acreditei, bem na minha frente estava àquela mulher que horas antes havia me desconcertado deixando-me em estado de êxtase com o pau rijo como um cabo de madeira louco para agarrá-la, ali mesmo, dentro do elevador.



Dei um sorriso malicioso, senti meus instintos se sobreporem a razão, sem titubear parti em direção a sua mesa como um leão parte atrás de sua presa na selva, não acreditava que estava agindo daquele modo tão irracional, afinal, sempre sou tão comedido e discreto. Contudo, aquele olhar expressivo, aliado ao perfume e a sensualidade inata daquela mulher madura me deixaram em transe, hipnotizado! Comentei que morávamos no mesmo prédio, porém nunca lhe tinha visto no condomínio, até horas antes no elevador. Ela sorriu - ficou ainda mais bonita e sensual - contou-me que tinha acabado de se mudar para o novo apartamento. Apresentei-me formalmente e perguntei seu nome. Marisa ela respondeu, disse que costumava ir ao cinema sozinha desde que havia terminado um relacionamento. Meia hora de conversa e aos poucos recobrei a razão, para além da sensualidade descobri uma mulher inteligente e bem humorada, conversamos sobre cinema, teatro, livros e outras coisas. Resolvemos voltar para casa sugeri chamarmos um taxi, ela concordou desde que dividíssemos a corrida.



Chegamos ao prédio, entramos no elevador e novamente estava dominado pelo tesão incontrolável, minhas mãos suavam, enquanto a calça fazia volume denunciando o que certamente meus olhos também comunicavam há tempos, percebi que ela havia notado. Quando pensei em convidá-la para ir ao meu apartamento, fui surpreendido por um beijo voraz e jogado com força contra a parede do elevador, a porta se abriu e vi que estávamos no 8° andar, já dentro do apartamento arranquei sua blusa, tirei seu sutiã e vislumbrei os seios mais gostosos que já havia contemplado em toda minha vida, chupei os bicos em seguida beijei seu pescoço e todo o resto do seu corpo, ela emitiu um gemido safado quando enfiei a língua naqueles lábios carnudos da buceta que estava completamente molhada. Quando ela estava práxima a atingir um orgasmo, me empurrou com os pés, levantou-se, para na sequência, cair de boca na minha rola em um boquete tão delicioso que sá de lembrar, sinto o gozo se apoderando do meu corpo por inteiro. Ah! Que boca quentinha os movimentos eram tão suaves que tive que afastá-la para não gozar naquele momento. Deitada na cama com as pernas abertas mandou que eu a penetrasse, sussurrava no meu ouvido dizendo que agora seria seu escravo tendo que satisfazê-la todas as vezes que ela quisesse. O vai e vem frenético fazia com que a cama se arrastasse em um som hipnático que nos deixou em transe. Coloquei suas pernas sobre meus ombros e bombava com tanta força que a cabeça do pau doía aumentando ainda mais o prazer. Ela levantou, imaginei que estava cansada, foi quando ela ficou de quatro ao lado da cama e pediu para eu comer seu cuzinho, primeiramente passei a língua sobre ele, uma vez que não tinha nenhum tipo de gel lubrificante, quando enterrei meu caralho no cuzinho apertado ela deu um único gemido e sussurrou algumas palavras que não tive condição de compreender tamanho o êxtase que me encontrava. Voltamos para a posição papai e mamãe e nos beijamos, ela me agarrou e senti sua respiração cada vez mais ofegante, sentia que seu orgasmo se aproximava, um calor se espalhou por todo meu corpo assim como o magma que pressiona a terra e se transforma na lava de um vulcão em erupção. O ritmo das bombadas aumentou, nossos corpos entrelaçados eram apenas um naquele momento e o gozo aconteceu, mais uma vez aquele olhar meigo, firme, seguro e experiente me fitou, tive a certeza de que ela teve a mesma intensidade de prazer que eu. Sentíamos como se toda a energia do universo convergisse num único ponto, àquele quarto! Muitas outras transas aconteceram, inclusive, no meu apartamento que agora costuma receber visitas com frequência, mais aquela foi inesquecível. Basta-me a lembrança e o vulcão adormecido que existe em mim, entra em erupção. Ah! Essas mulheres maduras.

,





JH Santos



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


fudeno cu da manu e ela gritando de dorcontos eroticos gay o pastorcontos eroticos- paguei minha filha pra cheirar sua calcinhaperdi meu cabaço para o patrao sobre chantagebumbum de mocinha injecso porno contocontos eroticos dando cu pro filhocontos quase biWww contos d putas casada d juazeiro ba.comcontos eroticos presidioquero ver vídeo pornô vários anões bem cafetão bem grosso metendo na nacontos soldados estruparam minha esposacontos eroticos me fodenamorado domado contos eróticoscontos minha irmãzinha tinha mania de sentar no meu colodei o cu po meu pone contos eroticos pornoconto minha mulher gosta quando levo ela nas festinhasNovinhas de cintura de pilao com seios fartos em praia de nudismocontos heroticos de rapazes que foram comidos e descobriram que eram gaysContos erotico amigas devendoConto morena 37 anoscontos erroticos eu melava minha calsinha para meu amigo chera elacontos eroticos de virgem com velhoscontos eróticos de bebados e drogados gaysconto erotico fui cagar e o cachorro me comeu nao resisti e dei pro cavalo tambem zoofilialer conto erotico dando a xota na cabano pro tiocontos eróticos de bebados e drogados gaysconto gay metemos todo diacontos eroticos real a primeira vez q gozeime chamou de arrombado dotado conto gaycoroa me fudeuporno patroa sentindo o cheiro no pescoço da babáDelirando na pica do irmão contoscontos erotico estrupando novilhascontos eróticos casal Passei a noite no autorama no Ibirapueravideo porno de megao conedo a maecontoerotico sou postituta adoro safadeza na familiarelato orgia eu meu amigo bi e meu maridoContos eroticos mae inociando filho novinho conto realraparam minha buceta a força contos.convencir minha mulher zoofiliacontos de incestos quebrei a pernaporno comeno o cu da morena ela gritano ai vai rasgar meu cuziocontos recentes incestos encoxados segredos flagradosghupa ghupi porncasa conto - eu minha namorada e sua amiga part 1contos minha tem buceta gostosa ela ta dando pra outro picudoconto erotico Minha aluna taradacontos eroticos comendo a macaquinhaContos erotico ferias quentes cinco o retorno do titio pegadormasturbando com obras em xasa contoContos eroticos como chantagieiDesvirginando a sobrinha de 18 anoscontos eroticos de comi a bunda da mae da minha amigabotamos pra fuder contoscontos eróticos virei strip-teasecontos coroas as quetascontos adoro ser cornocontos eroticos entre jovens irmaos gemeosXvidio mulhes que anda a noitecontos quis dar pra um travesticontos dei pro mulequinho de ruacontos eroticos incesto cunhadaPeguei minha tia veridicocontos eroticos de estrupamendosai com um casal contosconto ele me comeu pelo buraco da paredeeu sou puta safadasminha e mais puta aindacontossexo minha mulher negro pausudocontos tentei dar mas a buceta nao aguentouminha esposa escolheu vibradorsou uma mulher crente mas quero picaContos de incesto viagem com minha tiacontos minha irma me chupou dormindogozoo na bucetak