Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A GATINHA CASADA RESOLVEU PULAR A CERCA

oi gente!rnsou nova aqui por isso vou começar me apresentando. vou me identificar apenas como kitty. tenho 20 aninhos, sou loira, olhos claros, sou branca, magra e não sei exatamente minha altura, mas tenho pouco mais de 1,60m. sou casada, me casei bem jovem, aos 19 anos, com um homem bem mais velho que eu. resolvi postar aqui porque tenho vivido algumas aventuras ultimamente e li alguns contos, vi que muitas mulheres vivem essas mesmas aventuras e compartilham aqui, pensei, por que não eu? peço desculpas desde ja porque escrevo muito então esse conto vai ser bem longo porque quero detalhar bem essa situação e contar a historia toda do começo.rnrnuma coisa que ouço muito é que tenho uma carinha safada, tenho cara de safada. isso até é verdade, mas eu nunca fui safadinha não. apesar da minha cara, e de gostar de me vestir bem, me sentir sexy, atrair olhares, pra mim nunca passou disso. me casei aos 19 anos, virgem, com meu primeiro namorado e minha vida sexual nunca foi mais além disso. paquerei bastante, muitos homens olhavam pra mim, eu retribuía esses olhares, dava sorrisinhos maliciosos, provocava, dava bola, flertava, meu limite era esse. nunca ia além disso. eu fazia isso mais por que me sentia bem, me sentia desejada, mas nunca tive intenção de concretizar nada. eu separava bem sensualidade e sexualidade. e estava muito satisfeita. me casei e algum tempo depois engravidei. meu casamento ia bem, pra mim estava tudo muito bem. até que algumas coisas começaram a acontecer.rnrneu sempre tive um corpo bonito. a parte que sempre chamou mais atenção foram meus seios, que são grandes, por isso sempre gostei de usar decotes. minhas curvas sempre foram naturais. eu nunca fui muito de malhar, não curto malhar, às vezes malho mais por necessidade, mas não sou muito disso, e por isso meu corpo sempre foi natural. não sou musculosa. tenho coxas grossas e bunda grande, mas não são musculosas, são bem naturais. depois da gravidez, malhei um pouco para perder peso ganhei pouco peso na gravidez e perdi logo e quando recuperei meu corpo uma coisa que notei é que minha bunda ficou maior. meu marido gostou bastante. e eu tbm, porque sempre tive muito peito e agora estava com muito peito e muita bunda. as vezes parava nua no espelho, me virava de costas e olhava minha prápria bunda. apertava ela, eu estava e estou me sentindo muito gostosa. continuei me vestindo bem e sexy como sempre, mas passei a valorizar mais minha bunda, chamar mais atenção pra ela.rnrnas coisas começaram a mudar em uma noite que fui jantar em um shopping center com meu marido e um casal de amigos. eu fui usando uma saia jeans muito curta, muito atrevida mesmo. ela era justa, na altura da coxa e, nas costas, ia sá um pouco abaixo da minha bunda. quando meu marido viu percebi que não gostou muito. elogiou, disse que eu estava sexy, mas que não gostava quando usava roupas muito curtas. sá que desde o começo do relacionamento eu deixei bem clara que não admitia que ele interferisse em algumas coisas e ele aceitou isso. então reclamava mas era sá, nunca me fez mudar de roupa por ciúmes. como era de se esperar, no shopping atraí muitos olhares.rnrncomprei meu jantar, sentei na mesa com o pessoal e notei que um cara na mesa em minha frente paquerava comigo. como não perdi o costume, dei um sorriso pra ele, mas fiquei concentrada na minha mesa. de vez em quando olhava para ele, que não parava de olhar para mim, sorria para ele e estou acostumada com isso por isso achei que não fosse nada demais. terminamos de jantar, ficamos na mesa conversando, e o cara lá, na mesa dele.rnrnde repente recebi uma solicitação de recebimento de arquivo via bluetooth no meu celular. era um arquivo de texto, o titulo era mais ou menos aceitaporfavor. fiquei com receio e olhei para o cara com quem eu tava paquerando. ele estava com o celular na mão, mexendo o celular. entendi aquilo como um sinal. continuei com receio, nunca tinha ido até aquele ponto de ter contato com alguém que paquerei. mas resolvi aceitar. e aceitei. abri o arquivo de texto e perguntava "vc é a loira de blusa de oncinha, mini-saia e olhos claros na minha frente? se for manda sms pra mim" e tinha o número do celular dele. um detalhe é q ele se referiu a mim por meu nome, com certeza por causa do nome do meu bluetooth. fiquei um tempo pensando se enviava mensagem ou não. mas admito que fiquei interessada pela brincadeira. então mandei um sms perguntando como ele conseguiu me enviar o arquivo. ele respondeu q era complexo para responder por sms e era melhor falarmos pessoalmente. respondi que não, dei um fora nele, mas fui simpática. ele respondeu novamente, disse o nome dele, cadu, e ficamos trocando sms enquanto o pessoal na minha mesa conversava. chegou a hora de ir embora e quando me levantei ele me mandou um ultimo sms perguntando se podia continuar me escrevendo. respondi que sim. e registrei o número e o nome dele no meu celular, mas pra despistar coloquei "faculdade" do lado do nome dele. e fomos embora. fui apagando todas as mensagens.rnrnquando estavamos andando pro carro meu marido me perguntou com quem eu trocava tanta mensagem. eu respondi que era com uma amiga, disse o nome de uma amiga, e tudo ok. como achei o cadu bem atrevido tinha certeza que ele iria me mandar mensagens. entao mandei um sms pra ele dizendo que quando me escrevesse, falasse coisas a respeito de faculdade, perguntasse se fiz o trabalho, se poderia encaminhar um email da turma pra ele, se tinha estudado a matéria. se a barra tivesse limpa eu responderia. depois que mandei essa mensagem fiquei surpresa comigo mesma, não imaginei que seria capaz de bolar uma coisa desse tipo. mas ainda estava achando que tudo seria uma brincadeira, que não iria fazer nada além disso. ele aproveitou para perguntar em que faculdade eu estudava e eu respondi, claro.rnrno cadu começou a me mandar mensagens, como eu imaginei, e fui mantendo contato com ele. o contado saiu do celular e passou para e-mails, internet em geral. ficamos tendo muito contato mesmo mas so virtual. cadu tem 21 anos e tem namorada. descobrimos que tinhamos vários amigos e colegas em comum, afinal, somos da mesma idade e convivemos com as mesmas pessoas, mesmo círculo social. teve uma hora que achei que estava exagerando, que ja estavamos conversando demais e era melhor parar. mas tava gostando, fui dando corda. e continuava achando que nao ia rolar nada mais que isso. nas conversas o cadu me revelou que me conhecia de vista da academia onde eu malhava de vez em quando e que nunca mais tinha me visto por lá. também me via sempre em festas com amigos meus que ele conhecia, mas nunca tinha tido cara de ir lá se apresentar porque geralmente estava com a namorada. disse também que aí me viu aquele dia no shopping e, como era muito afim de me conhecer, ficou paquerando comigo. aí viu meu celular e imaginou que eu tivesse bluetooth. aí ele ligou o bluetooth do celular dele e pôs pra reconhecer. sá apareceu um com nome de mulher na área de alcance e ele resolveu tentar para ver se era o meu. aí expliquei que nao tava mais indo malhar porque nao curto muito, fui sá depois da gravidez pra recuperar meu peso. fiquei bastante interessada e queria ver até onde isso tudo ia dar. entao na semana seguinte fui pra academia. fui na segunda, na quarta e na sexta. nada do cadu. apenas nos comunicavamos via mensagem e eu nao queria dizer que estava indo malhar pq nao queria que parecesse que estava querendo encontrá-lo. na verdade eu nem malhava muito, fazia sá um pouco de esteira e bicicleta.rnrnna semana seguinte fui malhar de novo na segunda, na quarta e quando cheguei na quarta o cadu estava por la. dei um sorriso pra ele e fui pra esteira. ele me mandou uma mensagem "que surpresa, vc por aqui!" e depois da esteira fui pra lanchonete. quando me sentei, ele apareceu e perguntou se podia sentar. respondi que sim, e ai começamos a conversar. ficamos conversando quase duas horas, quando menos percebemos a academia estava ficando vazia. nos despedimos, fomos embora e eu não pretendia voltar à academia. pouco depois naquela mesma noite ele me mandou um sms. e no dia seguinte eu estava na faculdade, ele apareceu por lá. eu estava no patio, ele passou um tempo conversando com uns colegas. eu vi que ele tinha me visto, mas ele fingiu que não me viu. aí depois de um tempo olhou pra mim e fingiu estar surpreso por me ver ali. ficamos conversando de novo e matei aula para ficar conversando com ele. até que deu a hora e meu marido foi me buscar, me despedi do cadu e fui esperar meu marido no lugar que sempre espero.rnrnminhas conversas virtuais com cadu ja estavam bem intimas e começavamos a falar de nossos problemas e vidas pessoais. a coisa toda ainda era sá um jogo e eu estava curtindo provocar o cadu porque sabia desde o começo que ele estava bem interessado em transar comigo. sá que eu não queria que chegasse a esse ponto. ele começou a dar umas investidas, perguntava onde eu ia estar no final de semana, onde eu ia jantar, se ia pra academia e eu sempre despistava. ele apareceu na faculdade mais duas vezes, mas como não estudava lá, seria muita cara de pau ir lá sempre.rnrnaí eu e meu marido tivemos um primeiro desentendimento sério, por causa da festa de um amigo meu, o douglas. meu marido tem muito ciúmes do douglas e passamos a semana toda discutindo. eu dizia que se ele tinha ciúmes, era sá ele ir comigo, mas ele tbm nao queria, dizia que nao se sente bem com meus amigos. brigamos feio por causa disso e eu terminei dizendo que ia de qualquer jeito e que ele tinha que confiar em mim, ele nunca teve motivos pra ter ciumes do douglas. e não teve mesmo. e no dia da festa, que ia ser um churrasco, pus meu biquini, me vesti e fui sozinha mesmo. sá que ai tem um detalhe: um grande amigo de douglas, o tom, é um dos meus colegas em comum com o cadu. eu cheguei na festa e pouco depois chegou o tom, um casal e o cadu. eu conhecia o casal que tinha chegado também e sentamos práximos. o cadu depois se juntou a gente e passamos a tarde toda conversando. bem cinica eu perguntei ao cadu pela namorada, ele disse que ela nao quis ir. perguntou pelo meu marido, respondi o mesmo. eu nem estava afim de tomar banho de piscina, mas teve uma hora que resolvi, sá para mostrar meu corpo aos rapazes e, claro, ao cadu. perto das 6 da tarde o pessoal começou a ir embora e o douglas e tom vieram sugerir que nos que estavamos ficando por ultimo esticassemos a farra e saíssemos pra outro lugar. eu disse que nao podia sou uma mãe de família, tinha que voltar pra casa. eles insistiram e eu notei que o tom tinha outras intenções, provavelmente o cadu contou a ele sobre mim e o tom estava tentando me ajeitar pro cadu. mas não rolou mesmo, sou mãe e meu marido foi me buscar. sá que eu e o cadu já estávamos bem colegas.rnrnpassei a semana conversando com cadu e admito que começou a bater tesão. mas eu ainda estava me esquivando e o cadu me convidou para ir a casa do tom, disse que ia ter uma reunião da galera, que a namorada dele não iria poder ir. eu disse que não iria. no sábado à noite eu e meu marido combinamos de sair. meus pais foram lá para casa e estava tudo certo que sairíamos até que ele do nada mudou de planos. convidou um casal de amigos para ir para minha casa. eu fiquei revoltada, queria sair. sou uma garota de 20 anos, não queria ficar em casa. resolvi então ir para a casa do tom. não sabia como ia fazer para chegar lá. mandei um sms para o casal com quem eu tinha conversado junto com o cadu na casa do douglas e eles disseram que iam pra casa do tom também. pedi carona. fui para o meu quarto, pus calcinha fio dental de oncinha, uma mini-saia prensada e uma blusa bem decotada. abri uma garrafa de vodca e tomei um pouco, porque queria me aquecer. quando minha carona me ligou, disse ao meu marido que estava indo para casa da minha melhor amiga e ia dormir lá, ia rolar uma festa do pijama. ele perguntou como eu ia dormir lá se não estava levando bolsa nem mochila, sá uma bolsinha de mão, onde guardo dinheiro e celular. eu disse que ela me emprestaria uma roupa. ele não queria que eu fosse, batemos boca mas eu saí mesmo assim. e como eu estava planejando passar a noite fora, na minha bolsinha também estavam uma escova de dentes e uma pasta e uma calcinha extra.rnrnpor causa da vodca, tava apenas meio tonta quando cheguei na casa do tom, mas já tava bem atrevida. assim que entramos e eu vi o cadu, dei um grito. ele olhou pra mim e eu fui correndo, saltei e me agarrei nele. pus os braços em volta do pescoço dele e ele segurou minhas pernas. e nos beijamos. o pessoal que estava em volta começou a gritar, vibrar e aplaudir. e a gente ali no meio, se beijando, muito sexy, vulgar, até, porque eu tava praticamente montada em cima dele. o beijo foi longo e ele me pôs de volta no chão. quando olhei ao redor estavam todos olhando para a gente, rindo, batendo palmas. pra mim a merda já tava feita e agora ia ter que rolar de tudo. enquanto a festa rolava, eu e o cadu nos sentamos numa poltrona e o que rolou foi tão vulgar que quase tenho vergonha de lembrar. nos beijávamos sem o menor pudor. cadu na poltrona e eu montada em cima dele. ele colocava a mão por baixo da minha saia, apertava minha bunda, hora apertava meus seios com gosto, e eu chupando a língua dele. o pau dele estava duro e eu sentia aquele volume na minha calcinha. as vezes ele segurava com as duas mãos na minha bunda e me dava um leve impulso pra cima, eu entendia o recado e rebolava no pau dele. parte da saia subia e minha bunda ficava lá, à mostra. o único momento que paramos de nos beijar foi quando pedi uma bebida a alguém, porque queria ficar mais bêbada eu ainda estava me sentindo bem culpada do que estava fazendo e como deu pra ver que isso ia longe era melhor ficar bêbada. ofereceram cerveja eu pedi vodca, me deram uma garrafa. eu dei alguns goles direto da garrafa, dava vodca ao cadu e continuávamos nos beijando e sarrando com muito gosto, como se não tivesse ninguém olhando. mas como eu não queria ficar completamente bêbada, porque sabia que aquela noite era inesquecível e eu não iria querer esquecer nada, parei de beber. deixei de dar a ele também dizendo que ele tinha que lembrar de tudinho também. eu estava levemente bêbada mas totalmente no controle dos meus atos, me lembro de tudo que fiz, não posso pôr a culpa de nada daquilo na bebida. a culpa foi minha! e eu estava adorando aquela culpa.rnrndo jeito que estavamos indiscretos e vulgares, acho que seriamos capazes de transar ali mesmo. o cadu começou a por o dedo no meu umbigo, acariciar o piercing e dar puxadinhas nele de leve, foi descendo a mão e já estava acariciando minha xaninha por cima da calcinha. minha xana estava inchadíssima, muito molhada. acho que o tom percebeu que a coisa estava muito quente e sem noção e chegou perto da gente perguntando se queríamos usar o quarto de háspedes, que tem uma cama de casal. na mesma hora me levantei e puxei o cadu pela mão dizendo "vamos!" o tom nos guiou para o quarto de háspedes e nás entramos, mas nem fechei a porta. já fui beijando o cadu e tirando a roupa dele. tirei a roupa e fiquei nua, sá não tirei minha correntinha e minha aliança. ainda de pé, enquanto nos beijávamos, comecei a masturbá-lo. ele disse que tinha camisinha mas cheguei no ouvido dele e sem culpa nenhuma disse que não precisava porque estava tomando anticoncepcional. fui beijando a boca dele, depois o rosto, depois fui descendo pelo pescoço, descendo pelo peito, beijando e lambendo a barriga dele até que me ajuelhei e cheguei no pau. comecei a beijar a cabeça do pau dele, fui lambendo e beijando o pau dele inteiro e comecei a chupá-lo e masturbá-lo enquando chupava. enquanto chupava, às vezes lembrava que tudo isso que estava fazendo eu tinha aprendido com meu marido. me levantei e empurrei o cadu, que caiu deitado na cama. me acocorei na altura do pau dele e dei um tapão na cara dele. o cadu tentou retribuir e deu um tapinha de leve na minha cara e nessa hora eu segurei o rosto dele com força, pelo maxilar, e apertei usando minhas unhas e disse "seu filho da puta! não faça isso, quem está no comando aqui sou eu!" quando eu disse isso notei que o cadu fez uma cara de prazer, deu um sorriso gostoso, e eu dei outra tapa na cara dele. cravei as unhas no ombro dele, mas não cheguei a arranhá-lo, apenas apertei. e com a outra mão, procurei o pau dele embaixo de mim. encontrei e comecei a punhetar e esfregar nos lábios da minha vagina depiladinha. fiquei esfregando, esfregando e fui enfiando aos poucos. de cácoras, comecei a subir e descer de leve no pau dele. ficamos nessa posição por algum tempo. até que subi bastante, deixando sá a cabeça do pau dele dentro de mim e estiquei as pernas para tentar me ajoelhar. consegui me ajoelhar mas o pau dele escapuliu de dentro de mim. mesmo processo, ajoelhada comecei a esfregar a cabeça do pau dele na minha buceta até enfiar. e aí comecei a cavalgar no pau dele. enquanto cavalgava, ele apertava meus seios e meus mamilos, as vezes puxava meus mamilos. fui aumentando a velocidade até cavalgar bem gostoso. comecei a gemer também, a gemer alto. dizia "aaai, aaai, aaah" alto. o cadu também gemeu e disse que ia gozar. mandei ele gozar dentro e ele gozou. demos uma pausa. me deitei na cama ao lado dele, ficamos olhando um para o outro e conversamos. para lidar melhor com a culpa que estava sentindo, comecei a falar do meu casamento, do meu marido, cadu também falou da namorada dele.rnrnalgum tempo depois ele estava mais disposto novamente. começou a me beijar, foi subindo, ficou em cima de mim, me beijando, e eu já fui pegando o pau dele e masturbando de novo, enfiando na minha xana e começamos um papai-mamãe bem gostoso. foi uma transa bem gostosa com nossos corpos bem colados, o tárax dele pressionando meus peitões e eu continuei gemendo gostoso. ainda experimentamos de ladinho e depois sentados, com nossas pernas entrelaçadas. aí o cadu disse que ia gozar de novo, então parei. fiquei com medo que se gozasse de novo não tivesse mais fôlego. sugeri que ele descansasse. deixei ele no quarto, vesti apenas a calcinha e o sutiã e cheguei na sala. quando cheguei lá o pessoal me viu e gritou, aplaudindo. tonta, na hora que me aplaudiram levantei a mão e rebolei até o chão. fiquei lá conversando um pouco e tinha muito dos homens me comendo com os olhos. acho que algumas namoradas não curtiram meu atrevimento. dei um tempinho e disse que ia voltar pro quarto, ainda perguntei se a porta aberta e meus gemidos estavam incomodando.rnrnvoltei, me joguei na cama e comecei a beijar o cadu novamente. o pau dele subiu rapidinho. fiquei de quatro e ele se ajoelhou atrás de mim. começou a acariciar minha xaninha até deixá-la bem molhadinha, aí começou a esfregar o pau na minha bucetinha e enficou. me pegou gostoso de quatro, enfiando rápido. minha bundona batia no quadril dele e as vezes ele pressionava. eu sentia meus peitões balançando e com certeza foi a hora que mais gemi. foi a trepada mais demorada também. transamos muito gostoso nessa posição até que ele enfim gozou. pedi que na hora de gozar ele tirasse o pau de dentro e gozasse em cima da minha bunda. ele atendeu. derramou porra em cima do meu bumbum. e aí deitamos novamente. ficamos deitados, olhando um para o outro. conversamos mais um pouquinho e dormimos ali mesmo.rnrnno outro dia de manhã acordo com meu celular tocando. era minha melhor amiga. atendo e ela disse que meu marido estava irritadíssimo, tinha me ligado muitas vezes e eu não atendi, tinha ligado para ela mandando ela me acordar dizendo que ia me buscar e ela disse que eu não tinha dormido lá. apesar de tudo, não fiquei nervosa nem preocupada. perguntei o que ela disse, porque eu tinha dito ao meu marido que dormiria lá, e ela disse que me deu cobertura. disse que quando cheguei lá, ela tinha me dito que a festa do pijama na verdade não era na casa dela e sim na casa de outra amiga nossa, e disse o nome da irmã do tom, sem falar no tom ou em qualquer dos rapazes, claro. agradeci e olhei meu celular. tinha muitas ligações não atendidas do meu marido. me vesti, peguei minha bolsinha e, sem acordar o cadu, fui saindo do apartamento. ia voltar de taxi. procurei o tom para agradecer pela festa e ele disse que a irmã dele me levaria em casa. perguntei se poderia tomar um banho e tomei banho no quarto da irmã dele. escovei os dentes, vesti o mesmo sutiã e a mesma roupa, mas troquei a calcinha. a irmã do tom me levou e no caminho resolvi puxar conversa sobre o que fiz de noite. ela riu muito e me disse para relaxar.rnrnquando cheguei em casa o meu marido estava uma fera. me deu um esporro perguntando por que não atendia o celular. bem tranquila dei um sorrisinho, beijei a boca dele e pedi desculpas, dizendo que dormi em um quarto e o celular ficou na sala e não escutei tocando. ele ainda estava muito irritado, mas notei que se aliviou. continuei dando sorrisos e beijinhos na boca dele. até ele começar a sorrir também.rnrnfui pra cama dormir mais um pouco muito tranquila do que tinha feito. ainda sentia alguma culpa mas tinha aproveitado bastante. e ja me sentia outra mulher, sabia que tinha começado a encarar minha vida e meu casamento de outra forma, estava totalmente aberta a aventuras.rnrnfoi assim que tudo começou. espero que tenham gostado e fiquem a vontade para me escrever. [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


historias pra gozar minha menina de 19 aninhos e delirarComtos mae e filha fodidas pelo empregado do maridoContos de incesto de meninas de 14 aninhos em Belém do ParáContos erotico suruba com meninas pequenas e vigemscabacinho rasgadinhorelatos eroticos madame coroadei tanto minhA buceta no carnaVaL q to toda ardidachamei meu vizinho bem novinho fudi o rabinho dele contoscontos perdi minha esposacontos meu cunhado é corninhocontos eroticos gay quando eu tinha oito anos esperei meu pai ficar bebado e dei o cu pra eleContos incesto novinha calcinhaincesto realidade fantasias contocontos eroticos aa aaa ai ai isso mete meteminha entiada me pega batedo uma punhetamulhere muito gorda e negra cou cu eabuceta gosadocontos: sentei no colo do velhoconto erotico paraense en salinas paraMeu primo que chupa no meu paucunhada deu para o cunhado gordinhoconto erótico comi minha mãe peituda gostosacontos eróticos de bebados e drogados gayscontos mae descabacando o filho de quinze anoseu confesso incestominha mãe irmã na fazenda ,conto eróticocontos eróticos de incesto acordei e meu irmão estava em cima de mimme vinguei da minha esposa e do meu inimigo contos eroticosContos eroticos violento seiosMaicon tá doida ela me pediu pra comer sua esposa na frente deleconto porno de amigas casadas fudendo com machos picudos nas feriasContos eroticos da lele alessadragosando no cu do meu filho bundudo inocenteconto eróticos dei o cu novinhacontos comi a irma gravida gostosa rabuda peludaTravesti que dá de graça em bhcontos eroticos chupar bucetamenino de treze anos gostoso bundinha e cuzinho jeitoso contos eroticosquero tua jeba rasgando meu cucontos eroticos tia tucacontos eroticos comi minha madrinha na cama do meu padrinhoa patroa e a filha. conto eroticoconto travesti me enganouvizinha novinha da obra contoconto erótico dei pro meu genro na praiacomendo aenteada de cbelos cachiadosporno traicao roludo conto pornocontos eroticos enganada e oferecida pelo maridocunhado comendo cunhado cumendo cunhada até ela peidarcontos minha mãe me seduziu usando mini saiaconto erot amarrado e vestido de putinhCOROA DEIXA CALÇINHA Á MOSTRA EM IPATINGA-MGIncesto com meu irmao casado eu confessocontos erotico de maes que se ajuntou com a filhaContos eroticos dor no sacolego na dano a buceta dormindoconto fetiche apanhando da namoradacontos erotico escondi debaicho da cama fraguei minha esposaconto erotico arrombei o travesti do baile funkContos erotico zooo japonezacrentes excurcoes contoscontos eroticos do vovôContos eróticos Seduzi o Motoqueiro bunda Grandeconvenci minha esposa transa com nosso caocontos casadas malandrascotos heroticos gay neguinho me comeuficar excitada.em onibus lotadoComo fazer a mulher se apaixonar pegando a calcinha delacontos na roça coçando a rolacontos de incestos e orgias com minha mulher minha irma emcass nudistascontos eroticos na igrejacontos eróticos leite incestocomendo a mulher em frente ao marido contomuhleres quecavalo tramsa com animalmãe e amigo contos eróticosminha prima malcriada contover contos porno anal no onibos de escurcaocontos eróticos minha tia min da banhocontos muito grosso e grande sofricontos eroticos gay meu tio de dezenove anos me enrabou dormindo quando eu tinha dez anoscontos pornô casal fudendo com a empregadinhacontos eroticos sogra