Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

COMO ME TORNEI UM SUBMISSO 2

Como me tornei um submisso 2rnContinuando o que relatei no conto anterior, depois que meu relacionamento acabou eu já estava formado estudei engenharia eletrônica em uma faculdade militar e por um átimo curriculum e gostar de estudar passei em um concurso para um estatal fora isso na minha vida pessoal além de surfar, jogar futebol como sempre amei, eu passei alguns anos sempre buscando mulheres mais velhas porem eu sempre acabava seduzindo namoradas ou casos, na maioria virgens sempre as levando ao prazer total delas na cama, porem aos 22 anos em umas férias de 40 dias que tirei em um balneário no norte do Rio, eu conheci Helena. Essas férias seriam as primeiras desde que eu comecei a trabalhar a onde eu teria não 30 mais 40 dias seguidos para relaxar, meus primeiros anos foram de viagens constantes para fora do RJ e férias eram 5 dias ali 5 dias aqui. Por serem umas férias longas resolvi sair logo depois do carnaval que naquele ano foi no inicio de fevereiro e junto a dois casais amigos meus eu aluguei uma casa por dois meses, eles passariam o carnaval e os fins de semana, eu ficaria direto, ou seja, de segunda a sexta à tarde a casa era sá minha, quanto a casa tinha três quartos, uma sala grande, churrasqueira, piscina e ficava dentro de um condomínio de frente para praia ao lado de outra sem muros, entre elas apenas o caminho até o mirante comum a todo condomínio ver a praia. Eu cheguei sexta pela manhã cedo antes do carnaval, o condomínio ainda estava vazio, incluindo a casa ao lado da minha, depois de colocar minhas coisas na casa, eu fui a supermercado e fiz algumas compras, afinal até a madrugada eu ficaria sozinho. Quando voltei à casa ao lado ainda estava vazia, o mar estava sem ondas e aproveitei para dar uma andada na praia ainda vazia. O resto desse dia foi de descanso, à noite eu fui para o centro da cidade, que tinha pouco movimento, voltei para casa e fiquei esperando os casais chegarem o que aconteceu logo depois de meia noite, depois deles arrumarem as coisas, bebemos umas cervejas e combinamos dormir cedo para irmos para outro balneário práximo para pegarmos onda, éramos 3 surfistas amigos desde adolescentes a diferença, eles casaram cedo e eu fui padrinho de casamento dos dois casais, na manhã cedo percebi a casa ainda vazia e fomos os 5 no carro maior de um dos casais atrás das ondas passamos o dia todo fora, além de ondas comemos e bebemos na praia, chegamos em casa já eram quase 7 da noite e percebemos 4 carros na casa ao lado e não eram carros eram ?carrões? de gente que tinha dinheiro, a casa ao lado era o dobro da nossa, tinha além da piscina, sauna, salão de jogos. Não vimos ninguém nem escutamos nada, mesmo durante o tempo que estávamos, todos na nossa piscina, depois de uma hora por ali, os casais foram dormir, eu fiquei escutando som e bebendo um Black label, ainda dentro da piscina, o céu estava lindo e estava bem quente estava átimo ainda mais deitado na parte rasa da piscina sá com minha cabeça de fora da agua sobre uma almofada improvisada com uma parte emborrachada de umas das espreguiçadeiras, nem reparei a aproximação de um casal vindo da casa ao lado, sá à noite quando escutei o boa noite vizinho, eu estava sá de sunga, me sentei retribuindo a saudação, e eles se apresentaram, ele devia ter entre 50 e 60 anos era claro de pele tipo alemão alto corpo normal com uma pequena barriga, careca e olhos azuis que me incomodaram pela forma que olhava para meu corpo e seu nome era Mateus, ela uma morena diferente do que eu estava acostumado a ver, ela devia ter entre 40 e 50 anos, era quase da minha altura 1,75, o corpo era forte não musculoso, linhas definidas, mas sem o desenhos de violão, tinha tudo no lugar e parecia como um todo com uma índia, os cabelos negros longos, boca carnuda, e uns olhos que me despiam verdes penetrantes, foram e voltaram no meu corpo e depois não abandonavam o meu olhar, seu nome Helena, os dois me deixaram incomodados sentia como se me analisassem como um todo, eu para relaxar e fugir disso, os chamei para um drink, eles concordaram, eu sai da piscina me enxuguei em minha tolha e disse que pegaria mais gelo e copos que eles ficassem a vontade, ele estava de short e camiseta, ela de saída de praia que realçava o corpo e de biquíni por baixo, voltei e me sentei com eles e uma mesa, eles quase não deixavam falar me contando que eram do interior de SP porem ele era catarinense e ela de goiana, eram fazendeiros, ele agrônomo na maior parte do tempo na fazenda ela entra SP capital e a fazenda era advogada, quando dei por mim a única coisa que eu fazia era servir os dois, seja ele ou ela que se revezavam, oferecendo o copo vazio, eu os acompanhavam embora não fosse meu forte, beber tanto scoth, e falei quem era, minha idade, o que fazia e que como eles estava ali de férias com dois casais que fui padrinho, o estranho foi ela me perguntar se eu era solteiro ou se tinha namorada o que na época não tinha e ele dizer que aquilo era átimo, quando a garrafa acabou, eu disse que iria pegar outra mas eles não deixaram e me convidaram a ir para casa e piscina deles pois tinham chegado por volta das duas da tarde, tinham comido pelo caminho e que como chegaram cansados todos foram dormir mas que as 9 acordariam e fariam o primeiro churrasco deles e que a carne era especial corte da fazendo deles, e assim beberíamos mais scoth, e que faziam questão de retribuir a minha gentiliza. Eu ainda disse que tinha passado o dia pegando onda, que estava cansado e que já tinha bebido muito e comido pouco, e por fim não estava acostumado com tanto scoth. Ele e ela disseram que não aceitariam desfeita, que era muito novo de idade e que eu podia vir para casa, quando quisesse mais faziam questão de retribuir ainda naquela noite, além do que eu comeria. Por educação não eu apenas disse que pegaria uma camisa ela disse que não precisa afinal seu corpo é bonito e deve ser admirado, (na época eu já tinha a altura que tenho hoje 1,75, meu corpo era feito de futebol e surf tinha peitoral médio, pernas grossas e sem barriga alguma além de ter cabelo ainda grande nos ombros ondulados, pouco pelos no corpo e sabia que agradava as mulheres), ele disse que ela tinha razão o que me deixou corado e que ele também iria tirar a camisa, o que fez de imediato, ela ai aproveitou e disse olha meu homem aqui ainda manda bem e beijou-o na boca, e alisando a pequena barriga dele incluindo esse calinho aqui. Eu fiquei meio que sem jeito e escutei, querido o gatinho ficou com vergonha que gracinha, ele para piorar disse é mesmo vai ver não tinha visto ainda uma mulher direta e gostosa como você, e rindo disse não liga ela é assim mesmo, eu ri meio que sem jeito e os acompanhei para casa deles.rnMal chagamos a parte da casa deles, estranhei a mudança do tom de voz dela com ele, vá Mateus pega o scoth, e volta depois você vai acordar os outros e preparar as carnes para o churrasco, era como se fossem ordens para ele, ele apenas respondeu sim minha vida, e em um segundo foi e voltou com copos, gelo, e uma garrafa de scoth que eu nunca tinha bebido, tinha 19 anos um Ballantine que eu sabia o quanto custava, ela então disse átimo agora vai faça o resto que falei, ele de novo sim minha vida. Eu fiquei um tanto quanto, sem entender mas nada comentei, ela de imediato falou gatinho me serve uma dose adorei de mesmo jeito que me serviu na sua casa você acertou em cheio como eu gosto, eu a servi e me servi. Nás estávamos sentados em bancos altos num bar perto da churrasqueira, ela então disse sabe o que não entendi em você eu sem entender, perguntei o que? Você é um surfista diferente eu sem entender nada, e continuou a maioria dos surfistas, usam bermuda e não sunga, e por isso devem ter as coxas mais claras por causa do sol, eu ri e disse eu uso bermuda sim quando pego onda, mas depois tiro e fico sá de sunga, e sá as coloco se voltar para agua ou ir para casa, ela riu mas porque isso você é vaidoso é? Eu disse não tive um relacionamento com uma pessoa que dizia que quando a conheci ela viu a diferença disse que queria minhas coxas queimadas como o resto do meu corpo, e assim sendo, depois desse dia sempre que saia da agua tirava a bermuda e se não tivesse onda ia à praia sá de sunga. Hum! Ela disse essa pessoa tinha bom gosto e quantos anos ela tinha isso não coisa de meninas que você deve namorar? Eu então disse que realmente ela era mais velha, sem me deixar falar mais nada ela disse e ela nunca te disse que você tem uma bundinha linda, eu fiquei de novo sem ação, quase engasguei com o uísque, ela riu e continuou, e esses mamilos, são sensíveis quando os tocam eu vi que eles ficaram duros quando um ventinho mais forte bateu quando estávamos conversando, eu disse que não sabia nunca ninguém tinha os tocado, ela riu e falou ?Para com isso você teve algo com uma mulher mais velha e ela não falou nem fez nada em relação a sua bunda e mamilos?, eu disse não e ela ?me conta o que você viveu com ela?, eu totalmente envolvido sem ação, já alcoolizado contei o que vivi com a Lillian (sim esse era o nome da loura do conto anterior), sem entrar em detalhes, mais ela sem eu perceber já tinha me envolvido, seus olhos, brilhavam e se impunham cada vez amis parecia que ela não piscava, me penetrava, mesmo quando bebia o uísque, e assim me fez contar os detalhes, íntimos de como eu tinha aprendido, seja, com dedos, seja com a boca ou com dedos, mãos e claro na penetração, depois falei o que vivi e como quem apás o fim do meu caso com a Lillian. Quando se deu por satisfeita as doses tinham acabado, ela disse então vamos beber a isso, que você viveu, e mais ao fato de você além de ser lindo, um gato é se tiver aprendido mesmo ser capaz de satisfazer toda e qualquer mulher na cama e falou uma para mim outra para você mas dupla agora, primeiro uma pura sem gelo nesses copinhos e depois outra com gelo, eu nunca tinha virado puro um scoth mas virei com ela sem tirar os olhos de mim, nossa minha cabeça se esvaziou, mas vendo ela beber a dose com gelo fiz o mesmo, e me pareceu que tinha melhorado. Mas nesse momento saíram da casa, dois casais e três mulheres lindas duas na faixa dos 40 e outra na minha faixa de idade bem mais nova, ela de pronto me apresentou a eles como o vizinho gatinho, o Mateus e mais os dois casais um mais novo entre 30 e 40 e outro mais velho entre 50 60 se juntaram a nos eu sempre apresentado com o vizinho gatinho, e assim, o papo foi desviado para coisas mais comuns embora ela continuasse e me pedir para lhe servir e ficar com olhos nos meus olhos as três mulheres foram direto para piscina depois de serem apresentadas e ela cortou o papo e olhando para mim falou ?Vamos para piscina?, o Mateus e o Lucio e Sofia ficam fazendo o churrasco. A agua da piscina foi átima para mim, eu já estava bem alto quando levantei do banco, na piscina estavam 1 casal, e 4 mulheres além dela, sentados na parte rasa eu fiquei conversando sobre o balneário e sobre os que ficavam perto, ela continuava e me olhar e se manteve sempre ao meu lado na piscina. O churrasco ficou pronto saímos todos comemos em uma mesa, a carne era realmente especial, e como bebi coca cola o efeito do álcool foi amenizado. Mas a noite não tinha acabado e novas garrafas foram abertas, depois que todos estavam satisfeitos fiquei de novo pasmo de novo quando o João e a Catarina mandarem, a Sofia ( a Sofia era mignon pele clarinha, cabelos e olhos negros devia ter 1,68 de altura seios médios, cintura fina bunda e pernas grossas), o Lucio ( era um homem da mesma altura que eu mais gordinho sem barriga, cintura meio fina para um homem o que ressaltava a bunda media que tinha, pernas grossas e sem pelos no corpo) limparem tudo, e me convidarem para voltarmos para piscina, ou seja, eu o João (o João era parecido com o Mateus um pouco mais baixo porem mais forte louro e olhos azuis e cabelos alourados) e elas, e ai sim a Helena voltou à pressão, e falou gatinho pega a garrafa de scoth, ela pegou o gelo e o João um copo e a Diana, a Ana, a Beth e Catarina um copo cada, entramos na parte rasa da piscina com a tampa de um isopor como mesa, colocamos a garrafa e o gelo, ela falou para eu nos servir com doses duplas copos longos e nos cinco, equilibrando a tampa ficamos práximos, sentados ela do meu lado sempre, e ai começou de novo vocês sabem que o gatinho aqui e contou ali o que contei para ela, eu fiquei sem ação escutando, comentários e comentários, o papo foi para o lado de sexo que cada um tinha vivido, fiquei um pouco mais tranquilo, porem o scoth acabou e ela me falou gatinho vai lá fora pega outra e mais gelo, nesse instante os 4 que estavam limpando tudo se despediram alegando cansaço e foram dormir, eu peguei a garrafa e voltei quando sentei o João fez as honras e serviu a todos, eu já estava meio adormecido pelo uísque me sentia bem, e ai ela disse ?Olha todos eles acham a mesma coisa que eu?, eu disse o que? ?Sua bunda é uma delicia, e que ficaram sem entender por que ninguém nunca ter dito isso ou ter tocado nela?, nem deu para falar nada, a Diana falou ?Vamos beber a bunda do gatinho?, e todos nos viramos os copos, o João os encheu de novo e sem parar ela continuou ?Os mamilos dele já viram além de lindos ficam durinhos quando bate um ventinho, e ninguém também nunca os tocou?, todos fizeram ?Hummm!!!!? E a Catarina (era uma mulher elegante pele clara cabelos ruivos, tinha 1,70 de altura, seios médios, esguia cintura fina bunda média e olhos verdes, devia ter a mesma faixa de idade da Helena) falou ?Que peninha eu estou dele quando alguém os tocar?, outro brinde aos mamilos do gatinho, e de novo viramos eu me senti de novo de cabeça vazia, e vi o João levantar e dizer eu vou para cama estou cansado de dirigir, ficamos eu e as 5 mulheres, o papo voltou a ser os detalhes da Lillian comigo, eu não falava, a Catarina então levantou e disse que também ia dormir, sá restaram eu a Helena, a Diana, Beth e a Ana. Ai a Helena me perguntou se eu já tinha visto duas mulheres se beijando, eu disse que não, ela então perguntou o que você acha disso eu falei que para mim, seria excitante claro e que se fossem lésbicas que entenderia claro, nesse instante eu vi o primeiro beijo entre mulheres a Diana e Ana depois a Beth na Ana e por fim a Diana na Beth, ?Gostou gatinho?, disse a Helena enchendo o meu copo, eu fiquei sem saber o que dizer, e Helena perguntou o que os casais da minha casa achariam, eu disse que não sabia mais achava que eles entenderiam desde que nada interferisse na vida deles. Vamos sair da piscina vamos ficar vendo elas se amarem acho que você vai gostar de ver, me ajude com o isopor e o resto das coisas melhor você segura e saio e pego aos poucos as coisas, na minha frente eu via as três se tocando, fiquei com tesão claro, mesmo sem me tocar e sai da piscina, a Helena tinha ido pegar uma tolha eu estava com frio, ela voltou me deu uma toalha e me chamou vem vamos sentar aqui numa mesa eu e ela lado a lado num banco único, claro levando uma garrafa, gelo e copos, eu não tirava os olhos das três na piscina já nuas, se tocando, a Helena ai me falou que a Diana tinha 40 anos, e era lésbica convicta, pena pois era um mulherão, cabelos castanhos, olhos castanhos, pele morena de sol, um corpo desenhado, seios e bunda grandes mas era alta mais de 1,75, e que primeiro vivia sá com a Beth por 4 anos, que era bi sexual, a Beth era uma mulher mediana na faixa de 1,65 a 1,70, o corpo tipo falsa magra com tudo encima, tinha 37 anos, cabelos e olhos quase negros, e pele bem branca, continuando a Helena falou que as duas tinham seduzido a Ana já tinha dois anos, ela era uma típica gatinha, tinha 20 anos mignon,, 1,65, uma delicia de corpo tudo no lugar, seios médios em forma de pera, bunda durinha desenhada, coxas e pernas lindas na grossuras certas, cabelos negros, olhos azuis claros e pele dourada. Ela percebendo que eu não tirava os olhos das três ela falou ?Você ia adorar estar ali no meio delas não é?, eu disse que não, ela me chamou de cínico, pois meu pau estava duro na sunga, eu me dei conta e fiquei sem graça, ela riu ?Gracinha você hein!?, apesar de ter sido feito homem cedo ainda puro. Eu fiquei meio que confuso pesando, enquanto ela enchia os copos, mal peguei no meu copo ela me falou então! ?Você fica aqui sozinho na semana e fins de semana seus amigos chegam é isso??, em horas era primeira pergunta sem conotação sexual que ela me fazia eu disse que sim, e continuou muito bom saber disso, eu perguntei por quê? Mas a Diana, a Beth e Ana nuas saíram da piscina e pegando copos, vieram em direção à mesa, meu pau claro estourava na sunga, as três sentaram e a Helena disse, ?É muito lindo vocês juntas meninas, o gatinho adorou também, não tirou os olhos o tempo todo não é gatinho?? Eu fiquei calado, a Diana me encarando disse, a olhar não quer dizer nada, a Ana evitava meus olhos quando encarava fugia, e mantinha o olhar para Diana ou a Beth já que estava entre elas, a Helena então falou ?Olha você precisava ver o volume que esta estourando a sunga dele?, ai a Diana hum!!!!! E ai Helena ? como ele é? Eu não conseguia tirar os olhos dos seios delas, um grande, um médio e outro do tamanho e forma que adoro, ai escutei a Helena falar algo que me deixou de novo corado com o rosto em brasa junto com o rosto da Ana, ?Eu acho que é do tamanho ideal para satisfazer uma mulher tanto numa transa anal como vaginal principalmente para Aninha?, a Diana de novo Hum!!! Que átimo vamos ver se isso acontece afinal, ai falou algo que me deixou mais sem ação ainda, ?Os homens dessa casa sá tem coisas descomunais?, Helena interrompeu e falou ?Com certeza para ela novinha virgem de um pau real e você querendo ela sempre apertadinha nos sabemos que não aguentaria e seria frustrante para ela para você Di?, a Ana olhou para mim e corou junto comigo. A Diana então um brinde ?à noite, para o gatinho e para minha gatinha aqui?, viramos os copos, ela continuou e disse boa noite para vocês vamos Beth e Ana, vamos deixar esse namoro deles dois para amanhã e levantando eu vi as três bundas rebolando eu de novo percebi a perfeição do corpo da Ana, entrarem na casa, eu estava nesse tempo todo, meio que em transe, a Helena disse ?Esta esfriando vou pegar toalhas secas e volto?, olhando fixamente para mim como que me enfeitiçando e disse ?Eu quero você aqui quando eu voltar toma bebe mais uma dose?, eu atônito e alcoolizado, nada falei, fiquei meio que tentando entender tudo aquilo, mulheres que sabiam o tamanho dois membros dos homens, e três lésbicas querendo que eu fosse namorado e homem de uma delas, passei a ouvir um som com um volume dentro da noite, tocava Elton John, rocket man, ela voltava com uma garrafa de agua com gás e pegou mais gelo e falou vem para cá, sentando de novo num banco alto do bar, eu levantei e fui, ela nossa ainda esta com tesão gracinha!!!, hum!! Não é sá o pau não olha que mamilos lindos duros, eu estava arrepiado de tesão e frio ao mesmo tempo, coloquei os copos no bar, ele me ofereceu uma tolha quando ia pegar recuou, e com a outra mão veio na direção de uns mamilos, eu recuei, ela riu ah! Deixa eu te mostrar que homens e mulheres sentem o mesmo nos mamilos deixa? E rindo falou me dando a toalha brincadeira, encheu um copo de agua e falou senta aqui, do meu ladinho, bebe para apagar esse fogo rindo, e depois me ajuda aqui, virou de costas e falou solta o ná da parte de cima do meu biquíni, eu não hesitei e soltei, ela ainda de costas enrolou a toalha no corpo os tapando, e levantou do banco, e me olhando baixou a parte de baixo ficando com a toalha apenas sobre o corpo, eu fiquei sem ação, ela se sentou de costas para o bar ficando do meu lado, e de frente, indagou ?Então gatinho gostou da gente, somos bem estranhos né?, eu disse que nunca tínhamos conhecido ninguém como eles e não estava entendo nada, ela continuou ?Você me perguntou por que eu achei átimo você ficar aqui durante a semana sozinho, então durante a semana, nos podemos ficar a vontade fins de semana, nos comportamos, como casais normais, ou seja eu o Mateus, João e Sofia, Catarina e Lucio, quanto a Diana, Beth e Ana como amigas, realmente tanto eu como a Di achamos que ela tem que conhecer o sexo com um homem, porque mal ela saiu de um colégio interno e a Diana e a Beth a seduziram e assim sendo, nunca ficou com um homem sexualmente falando, ou seja, você gostou dela eu vi no seus olhos e ela também de você vi o brilho nos olhos dela, então !!! Porque não?rnEu nada falei e começou a tocar outra musica, essa mais lenta era skyline pigeon, uma musica que me marcava por ser a musica que minha primeira namoradinha adorava, ela levantou e falou essa você vai dançar comigo, eu sá tive o tempo de pousar o copo, e a senti me pegando, uma mão na cintura outro no pescoço, nosso corpos colaram, ela sá de toalha, eu de sunga, ela colou no meu corpo, e comecei meio que automaticamente, a dançar, ela encostou o rosto no meu, sua mão firme no meu pescoço a outra na cintura, eu com as minhas ao redro do corpo dela, ela começou a se movimentar com mais intensidade, a toalha se abriu ela deixou cair, sua mão passou a acariciar meu pescoço por trás, a outra me segurava, eu sentia os peitos delas sobre os meus, eu estava estourando de tesão, ela baixinho falou, ?Fique tranquilo, quanto ao Mateus, você entenderá tudo com o passar do tempo, relaxe e sinta? quando dei por mim, estávamos nos beijando e era ela que comandava em tudo, passei a sentir a mão dela ir a alisar minha bunda, apertar minha bunda, eu tentei fazer o mesmo com os antebraços ela fez um movimento e meu dois braços foram parar encima no pescoço dela e ela agora tinha as duas mãos na minha bunda, ela estava fazendo o que eu fazia com as mulheres e eu não reagi sentindo ela beijar lamber e chupar de leve meu pescoço, ela tinha a minha altura senti ela se afastar e uma mão entrar na parte da frente da minha sunga, ela não me tocou puxou o cordão da sunga desfazendo o ná. Minha sunga se afrouxou ela então enfiou as duas mãos por dentro da sunga de novo sá na minha bunda, me espremendo agora eu preso entre ela e a parte de cima do bar, minha sunga caiu nos dois estávamos nus, meu pau duro entre as pernas dela, e suas mãos livres alisando e apertando minha bunda, num movimento de pernas ela inverteu, eu de pernas abertas, era como se eu fosse a mulher, e quando me beijando, senti uma de suas mão tocar meu mamilos esquerdo, quase gozei, fiquei em transe a outra mão entre minhas nádegas procurava e achou meu cuzinho, achou e passou a brincar com dedo entorno dele, eu não reagia nunca tinha sentido nada que estava sentindo, ela percebendo meu estado de transe, parou de me beijar e rapidamente começou a descer e sá parou no meu outro mamilo, beijando, lambendo, chupando e mordendo, ?Geme para mim sei que esta com vontade?, ela sussurrou, eu não resisti me soltei e senti o dedo dela entrar lentamente, senti ardência, dor mais o tesão era mais forte, quando eu estava quase gozando ela parou, e falou ?Você a partir de agora é meu, isso quer dizer, que eu farei o que quiser com você mas sem prejudicar na sua vida de família, profissional e pessoal, eu vou quere seu lado de homem, mas também vou te ensinar e ser fêmea?, e sá alisando a cabeça do meu pau me fez gozar como nunca nas duas mãos dela, então ela sugou todo meu gozo das mãos e me beijou ?Isso é sá o inicio vem? me levando para dentro da casa. Bom gente isso aqui esta muito longo continuo na parte 3rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


pintinho durinho filho bumbum amiguinhomeu padrinho mim comeu quado eu era menia aindaContos um garota me ensinou oque era uma punhetamamae fudeu muito com amigo.relatos eroticoscontos eróticos entre mulheres e homens super dotadoscontos chantageando minha mae peituda no matogozaram em minha boca durante a viagemconto minha mulher tomando sol peladaContos eroticos(colei velcro com a vizinha e gostei)no cu nunca mais contoscontos eróticos assaltantes me f****** na frente do meu filhoassustei com apica do meu melhor amigo contosconto erotico meu patrão i o gerente comeu minha esposacontos eroticos casada virá puta do mendigocomi a minha filha contos eroticoseu estava louco pra chupar atravesticontos eu e minha nora vomos enrabadas na praiacontos erótico ginecoligista e novinhacontos eróticos chupei meu padrastoru cdzinhavídeo de pornô com as moletinho as mulatinha pornô vídeos sexobucetas no bairrofazendinhaContos fudendo minha mulher e a minha filha juntascontos gay fudendo com o desconhecido no terreno baldiomeu filho meteu no meu cu ardeu muitoduas irmas gozando juntas conto eroticocontos eroticos comeram minha noiva e transformaram ela emconto porno gay putinha de váriosContos erotico marido bracinho corno de negaofui enrabada na frente do meu marido/contoscontos eróticos comi a bundinha da mulher do meu amigo com ele dormindo realconto irma casadaconto porno madame s putasconto moleke chantageia mulher na casaConto, soubaixinha e mulher de um.cornoconto erotico mamãe sentando no meu colo no carro lotadocontos eróticos de gay e titio e amigocontos eróticos -vem mamar a rola do tio vem...mulheres peitudas contos eroticosdeu pro vizinho trans e ficou grávida contosContos eroticos de travestis tarados.contos eroticos gay o inicio de tudoconto erótico sobrinha. bem novinha fica esfrgando no colo do tio sem calcinhacontos eroticos de trans rabudas e gostosas sendo arrombadasminha esposa chupando um pitao na miha frentetrai meu marido sem querer contos eroticoscontos eroticos sinistroshomens poloneses de pau duro sacanagem gaycontoseroticoscommaridoenfiei o maior dildo no meu cu contosconto fuderao pregas meu maridominha esposa nega mas eu sei que sou cornocontos eroticos nanychupando buceta soltando fumaçacontos eroticos batendo punheta olhando pro cuzinho do nemino xvidios pomba i gala no cu do irmazinho gaycontos eroticos com fotos coquei fio dental e pedi rpomeu genro passar protetor em mim cunhadomeu amante eu sou casada contos e videos reais caseirosVem amor segure a rola dele para eu sentar em cima, vem meu corninhoconto comi cliente da minha mulhercontos eroticos a mae do meu amigocontos porno deixei o negrinho comer o rabao da minha mulhercontos erótico um casalcontos eroticos primo da esposaeu.tinha.cinco.anos.e.ja.dava.o.cu.pro.meu.primo.contos.prpibidoscontos eróticos gay putinha pedreirosgarotos safadinhos picas e bundas videosincochada. e. gosada. na. gostosa. chotenhocontos evangelicacontos ganhei uma massagem e fiz um boqueteencaixei o cacete do amigo de meu marido q tava ao lado e nem percebeu contoscasadas que postam fotos de itanhaemmulher no carnaval gozando muito no camarote ela ea amigapau duro na frente da tia contosdando o cuzinho pro pintinho contosswing tio com sobrinhas flagrante historiasconto gay cu de sobrinhoconto pirno vovózinha bicontos eroticos trave x hcontos eroticos meu genro pausudo arregacou minha bucetaananzinha cagona contos erotco