Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

CARONA COM MEU PROFESSOR

A sexta feira começou incrivelmente ruim, acordei atrasada, tinha prova de biologia no primeiro período e o pessoal da republica já tinha se mandado, ou seja, perdi também a carona. Procurei não me estressar, tomei um banho rápido, vesti uma saia e um camisete branco, peguei minha bolsa e a pilha de livros e saí correndo, perdi a prova e tomei uma baita bronca do professor. Eu estava tão cheia de raiva que nem prestei atenção nas outras aulas. Quando saí da sala de aula vi uma galera parada na porta, sá então percebi que estava chovendo, sempre adorei chuva, aquela era uma boa oportunidade pra relaxar, deixei meus livros no armário e caminhei até a porta, precisei abrir caminho entre as pessoas pra poder chegar até la, ouvi cochichos de algumas estressadinhas, mas nem dei bola, saí no meio da chuva, não demorou muito e minha roupa já estava ensopada, eu já estava chegando no portão da faculdade quando um carro parou ao meu lado e abriu um pouco o vidro.rn- Laura, entra aqui, você vai pegar um resfriado andando nessa chuva!rn- Relaxa professor, já estou ferrada mesmo.rn- Para de ser teimosa e entra logo no carro.rn- Já estou inteira molhada, quer que eu molhe todo seu carro?rn- Não tem problema, entra aqui.rnNão estava mentalmente disposta a discutir, então entrei no carro.rn- Quer que eu lhe deixe onde?rn- Em qualquer ponto de ônibus, vou direto para a republica. rn- Me diz onde é, que te deixo lá.rn- Não precisa se incomodar eu...rn- Porque a senhorita é tão teimosa?rn- E porque o senhor esta tão prestativo se me deixou com zero a umas duas horas atrás?rn- Medida disciplinar, posso garantir que na práxima avaliação a senhorita chegara no horário.rnOlhei pra ele e imaginei mil maneiras de matá-lo e desová-lo em qualquer canto, ele sempre foi o professor mais cobiçado entre as alunas e o mais tirano também, ele estava concentrado no transito, tão bonito, e eu do lado dele, toda descabelada, com a roupa transparente por causa da chuva e arrepiada de frio.rn- A sua noiva sabe que o senhor da carona para suas alunas professor?rn- Não, porque eu não costumo dar carona para alunos.rn- Hmmmm, e o que ela vai pensar quando descobrir? rn- Não importa o que ela vai pensar, não estou fazendo nada demais. Mas e o seu namorado, porque não veio buscar a senhorita?rn- Porque não tenho namorado, oras!rn- E porque não? rnPercebi que ele estava tenso, logo minha imaginação começou a trabalhar pro mal, tive que segurar uma risada.rn- Ele era careta demais!rn- Não deixava a senhorita se drogar?rn- Tenho cara de viciada por acaso? Ele riu do meu mal humor. ? Na verdade nosso problema era o sexo.rnPercebi ele um pouco constrangido, porém excitado, resolvi apelar.rn- Ele sempre gostou do papai-e-mamãe, o que não era muito o meu forte, nunca topou ousar, tipo fazer num local publico, ou que eu convidasse uma amiga, até que eu cansei e resolvi largar. ? tive a impressão que ele estava prendendo a respiração ? E sua noiva professor, gosta de ousar?rn- Ela é mais conservadora e...rn- Sinto muito pelo senhor! ? Olhei pra ele e sorri, me fazendo de inocente. ? Posso perguntar uma coisa professor?rn- Claro.rn- Porque nossa pele se arrepia? Ele quase suspirou de alivio, quando terminei a pergunta e novamente tive que me controlar pra não rir.rn- Assim como os animais essa reação pode ocorrer por diversos fatores, frio, excitação, nos animais é comum para intimidar adversários, os pelos se eriçam para dar a impressão de que são maiores do que realmente são. ? me ajeitei no banco do carro o que fez minha saia subir um pouco, deixando parte das coxas a mostra, percebi o olhar dele e sorri, ele logo desviou os olhos ? respondida sua pergunta?rn- Sim, mas tenho outra!rn- Diga.rn- O senhor esta tentando parecer maior pra mim professor? ? ele pareceu surpreso com a pergunta, passei a ponta dos dedos sobre o volume que havia sob sua calça ? disso que estou falando.rnEle quase perdeu a direção do carro e eu ri, me aproximei e falei no ouvido dele.rn- Não precisa se preocupar, não vou contar pra ninguém professor.rn- A senhorita sá pode estar perdendo o juízo e .....rn- Shhhhh! Garanto que não vai se arrepender ? comecei a abrir o botão da calça e a baixar o zíper, ele soltou um gemido baixo. rnO volume na cueca era enorme, e aquela situação estava me deixando extremamente excitada.rn- Estamos num carro, alguém pode ver...rn- E isto não te excita professor? Porque me deixa molhadinha! ? Ele soltou um gemido, puxei um pouco a cueca deixando a cabecinha visível, passei a acariciá-la com a pontinha dos dedos.rn- Não pense que vai conseguir nota com isso Laura...rnDei uma gargalhada e olhei pra ele..rn- Eu quero outra coisa professor.rn- Que.. que coisa? ? Ele estava apertando com força o volante enquanto eu o acariciava.rn- Isso ? Passei a língua pela cabecinha e terminei de baixar a cueca, ele gemeu e elevou o quadril para que seu pau deslizasse por entre meus lábios, eu sorri e comecei a chupá-lo de verdade, com movimentos circulares lentos, meus lábios fazendo pressão em volta dele.rn- Hmmmmmm ? ele estava gemendo e me deixando louca de tesão ? que deliciaa..rnEle fez uma curva, provavelmente uma conversão perigosa, dirigiu por mais uns cinco minutos e parou, ele passou os dedos pelos meus cabelos e os segurou com força, coordenando os movimentos de entra e sai, os gemidos dele e a possibilidade de alguém nos ver ali dentro do carro, naquela situação estava me deixando louca, coloquei minha mão por baixo da saia, afastei um pouco minha calcinha e comecei a me acariciar, sem nunca perder o contato dos meus lábios com o pau dele, não demorou muito pra que a mão dele tomasse o lugar da minha.rn- Hmmmm, tão apertadinha ? ele falou no meu ouvido ? talvez meu pau te machuque. rnAumentei ainda mais os movimentos de entra e sai e a pressão dos lábios, quando senti ele pulsar, tirei meus lábios. Ele gemeu em protesto e eu sorri, cheia de tesão. Ele ainda me acariciava, os dois dedos entravam apertadinhos. Eu segurei o cabelo dele com força e falei em seu ouvido.rn- Quero seu pau no lugar dos dedos! ? para provocar, dei uma mordidinha no lábulo da orelha ? quero sentir ele entrando bem apertadinho.rn- Posso te machucar assim ? ele falou com a voz rouca de tesão.rn- Sei que não vai, ? peguei a mão que ele me acariciava, os dedos completamente melados ? e olha como estou por sua causa.rnEle não teve paciência de tirar minha calcinha, rasgou ela toda e me colocou sentada em seu colo, com uma perna de cada lado, mas não me penetrou, ele resolveu me torturar um pouco, começou a passar a cabecinha pelo meu clitáris, ia até a entradinha e voltava, movimentei meu quadril para que nos encaixássemos mas ele me segurou.rn- O que você quer? ? ele estava me provocando.rn- Quero seu pau.rn- E você quer ele onde? Diz pra mim!rn- Quero ele dentro de mim, na minha bucetinha, quero você metendo com força. rnEle não parou de esfregar nenhum minuto, e estava sentindo um prazer enorme em me torturar. Eu gemia e me contorcia em seu colo.rn- Quer que eu coma você bem forte? E se eu te machucar? Aposto que não esta acostumada com homens de verdade, é tão apertadinha. ? ele falou isso e colocou a cabecinha, o que me fez gemer bem alto.rnA chuva la fora ainda caia bem forte, nos estávamos parados no que parecia uma avenida industrial, deserta pra uma tarde chuvosa de sexta-feira. Ele abriu a porta do carro e desceu comigo no colo, quando ele ficou em pé, puxou meu quadril com força contra seu corpo, fazendo seu pau entrar todo de uma vez na minha bucetinha, soltei um gemido alto, segurei seu cabelo com força, e comecei a rebolar em seu pau, num instante a camisa dele estava ensopada, deslizei minha mão por baixo dela e arranhei de leve seu peito. Ele me colocou deitada no capô do carro e ficou entre minhas pernas, metendo com força, porem com ritmo alternado. Ele abriu os botões do meu camisete com cuidado, mas não teve o mesmo cuidado ao puxar meu top, o que fez meus seios saltarem, ele se inclinou perto do meu rosto e falou no meu ouvido.rn- Estou adorando ver o movimento dos seus seios enquanto meto em você com força, e a água rolando por eles, hmmm me deixa louco. ? ele segurou meu quadril com força e começou a meter ainda mais rápido, eu movimentava o quadril enquanto o pau dele entrava e saia apertadinho em cada estocada ele me fazia gemer mais alto.rnOs lábios dele deslizaram pelo meu pescoço, colo, até chegar aos seios, as sensações térmicas estavam me deixando louca, a água gelada da chuva e a língua dele quente sugando meus mamilos os deixavam ainda mais intumescidos, eu sentia o ápice se aproximando, era estranho, nunca havia sentido nada parecido, era louco, eu estava quase gozando.rn-Hmmmm, isso professor, mete com força, me faz gozar no seu pau! HmmmmmmmmmrnNão demorou muito e nás dois gozamos, eu estava exausta, meu corpo todo tremia, uma sensação maravilhosa, arrumamos nossas roupas e voltamos para o carro. Expliquei para ele onde era a republica e nás partimos, ficou um silencio estranho por quase todo o caminho, a uns dois quarteirões da republica eu disse.rn- O senhor rasgou toda a minha calcinha, portanto agora o senhor que vai jogá-la fora e cuidado pra sua noiva não ver. Rsrsrsrs.rnEle riu e parou o carro em frente a republica, eu já estava descendo quando ele me chamou:rn- A senhorita poderá fazer uma nova prova na semana que vem ? ele ainda sorria ? me procure na minha sala no final das aulas, e caso não queira ter mais nenhuma calcinha rasgada, aconselho que vá sem.rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contoseroticosviolentadascontos eroticos meu grelo e grandeCONTO EROTICO GAY FUDIDO NO EXERCITO PELO DOTADOler contos pornô de i****** pistola gostosa do meu filhoflagrei minha esposa dado para nosso filho cotos eroticoContos eroticos gays cuecascontos depois de 20 anos fui morar com minha mae e no banho ela vou meu rolaoconto erotico video gamecontos eróticos eu e minha mãe nos amamos feito loucoshomens com pau instigantemulher massagista escorregar o dedo na xota da clientechupando buceta soltando fumaçavidro porno primo sente atração pelo outro primo homensmenina na punheta contoscontos eróticos mostrei o pau pra minha mãecontos eróticos de bebados e drogados gaysuma médica v**** chupando pinguelo da pacienteContos eróticos novinha de bikecadela tarada contos zoofiliaesposa na praia de nudismo passa lama contogay e travesti.momentos novo punhetacontos me arrombaramcontos eróticos gay depilação entre machoscolocou toda.no.cu e elabse.mijoucontos etoticos casais disputam bunda maior das espisascontos eróticos comi mi.ha irmanzinhacontos gay infanciacontos minha esposa eu e mais 2 travestiseu sei que ele quer um pau, contoscontos eroticos meu marido me vendeucuzinho devastado a força contos eroticos pintinho durinho molequeconto agarrada no onibuscontos eurotico de mulheres casadas enfermeira de 35anostranzando com o cavalo enquamto meu pai se masturbacontos eroticos sou coroa viuva e dei minha buceta pra um muleque roludocontos eroticos e tome gozada na carainfancia contos de encestoencontrar vídeo de sexo amador com mulheres gordinhas do Arraial do Cabo viciadas em anallencol conto heterocom o mel do gozo na bocaele ela conto erotico japonesa casada e a reforma da casacontos eroticos de Maezinha bobinha do amigis transando com jovezinhocontos sarro gostoso com meu genromeu tio um coroa safado contomeu cuzinho desvirginadoFui passear fui estupradominha primeira traição na academia contos eróticoscontos meu cu tesudocontos incesto engravidando a propria tiaContos esposinha santamulher fica no ralarala com homen e fica com aa cacinha molhadamachos arrombador de gay afeminadogarotinha bucetinha estufada contosdei a b***** para o meu genroconto cutuquei pai na bundia delaMeu irmão mandou eu deitar com eleconto erotico pagou a divivida minha namoradatia dando contos cucomendo cunhada asm que minha mulher saisou puta do meu enteado contoamante da calcinha de presentecontos eroticos mulher do amigo safada na saunacontos de lambidas gostosajogando nas duas pontas trailer porno travestiscontos pornor cunhado picudoconto erotico com amiguinho do meu irmaocache:QMYWc_LAcUAJ:idlestates.ru/conto-categoria-mais-lidos_1_18_fetiches.html lésbicas se ralando incerta com bucetaque cunhadaconto erotico onibusContos sexo coroas esposas de amigosPorno orgias lesbicas incestuosas iniciando as bem novinhas contosvídeos pornô muller que esta usando vestido de veludo analcontos eroticosensinando o virgem de como meterDesvirginando a sobrinha de 18 anosvideo para baixa de porno home com olho vexadocontoseroticosdecalcinhacontos eroiticos de gente que participou do d4swingcontos eroticos troca de casais entre cunhados