Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

BRINCADEIRAS NA FAZENDA

rnBRINCADEIRAS NA FAZENDA?rnrnMeu nome é Antonio tenho 23 anos e sou casado com Julia, ela com 21 anos. Todos nossos amigos nos chamam carinhosamente por Toninho e Julinha. Casamos-nos há 3 anos e levamos uma vida sem muitas aventuras ou emoções diferentes. rnJulinha é uma loira de 1.70 m. muito linda com um corpo espetacular que chama a atenção em qualquer lugar que vai. Sou moreno, mesma altura, tenho um corpo bonito e malhado na pequena academia que mantenho em casa. Apesar desses nossos atributos nunca houve muito fogo entre nás como casal. rnEu notava que alguns casais de amigos eram bem mais fogosos e cheio de safadezas. rnRealmente eu não gostaria de ter me casado aos 20 anos, mas para assumir uma das diretorias das empresas de minha família, fui aconselhado por papai que disse que se eu não fizesse isso, certamente minha ascensão aos cargos seria mais demorada, pois eles acreditavam que para ter responsabilidade teria que ser um homem casado.rnEu trabalhava muito sem me preocupar muito com divertimento e Julinha vivia me cobrando isso pois ela era bem ativa e queria sempre ir para as baladas...de tanto me encher o saco...de vez em quando eu a liberava a sair com as amigas da faculdade. Ela fazia o ultimo ano de direito e logo iria se formar.rnTeve uma vez que fomos ao aniversário do irmão mais novo de Julia e escutei sem querer uma ?amiga?rncomentando que minha esposa Julinha tinha fama de ?biscatinha casada? na faculdade. Até cobrei uma explicação de minha esposa sobre isso...mas ela saiu pela tangente dizendo que era pura inveja das outras mulheres. Minhas preocupações com os negácios das empresas eram muito maiores para ficar preocupado com esse tipo de fofoca. rnO fim de ano chegou e Julinha se formou e então ela disse que queria passar uma semana de férias na fazenda de seu tio Carlos.rnTio Carlão, Julinha o chamava assim, tinha uma espécie de Hotel Fazenda a uns 200 km da capital.rnEle tinha 45 anos e tinha ficado viúvo há uns 6 meses, sua esposa teve um ataque cardíaco fulminante.rnO Hotel Fazenda dele era bem rústico e tinha muitos cavalos para passeio e tinha uma pequena cachoeira com um lago que era a atração principal do lugar.rnMinha esposa comentou que quando era mocinha sempre ia passar ferias naquele lugar e adorava o lugar e o tio...e como fazia muito tempo que não ia lá...em vez de ir pra praia queria descansar naquele local...acabei concordando pois achei que também seria bom pra eu aliviar o stress. E quem sabe aqueles dias em contato com a natureza faria com que voltássemos a ter um pouco mais romance e tesão, pois de minha parte sá a procurava para transarmos uma vez por semana...quando muito.rnQuando chegamos à fazenda do tio Carlão foi uma festa sá de minha esposa, cheia de beijos e afagos carinhosos. Eu ainda não o conhecia, pois quando nos casamos ele não pode ir ao nossa casamento.rnTio Carlão era um homem alto de olhos azuis e com poucos cabelos grisalhos, e por viver no campo ti-nha uma pele toda bronzeada que realçava seu corpo bem definido com braços fortes. Realmente parecia um daqueles artistas de filmes de faroeste americanos...sua presença física impressionava.rnNa fazenda tinha 8 chalés, mas sá dois tinham hospedes e já estavam indo embora dali a dois dias. Nás ficamos na sede que era uma casa muito ampla e bem arejada...quase toda em madeira. Vi que também tinha uma boa academia com vários aparelhos, poderia até fazer meus exercícios de sempre.rnLogo ficou combinado que depois do almoço no outro dia iríamos visitar a cachoeira e o lago, Julinha já ficou animada pra se bronzear pois o calor era intenso.rnE como combinado fomos para a cachoeira...Julinha colocou um biquíni com uma camiseta por cima, eu coloquei um short por cima de uma sunga e uma camiseta...e tio Carlão um short jeans sem camisa.rnComo o local era perto da sede fomos a pé...notei que Julinha e o tio tinham bastante intimidades e brincavam um com o outro...e quando chegamos vi que realmente o local era maravilhoso...muitas arvores e uma água completamente limpa e transparente...aquele lago era formado por uma nascente um pouco acima dali. Minha esposa toda animada já foi tirando a camiseta ficando sá com um biquíni que de tão pequeno mal cobria sua bucetinha e o bico dos seus seios...apesar de bonito era bem escandaloso...e até comentei dizendo:rn-Julinha...esse teu biquíni é muito pequeno hein...podia ter comprado um pouquinho maior...né?rn-Toninho deixa de ser careta...tamos na fazenda do meu tio...quase ninguém vai ver...e quero ficar com marquinha bem pequena de biquíni...fica muito mais sexy. RSS.rnTio Carlão chegou perto de nás dizendo:rn-nossa...como vc tá linda minha sobrinha...um mulherão...a ultima vez que vc veio aqui...tinha 19 anos...rnja era linda...mas agora que casou...tá bem mais gata hein...to vendo que o casamento te deixou muito mais...gostosona...teu marido tá passando bem hein.RSS...esse biquíni...é lindo...pra vc...rnEla sorriu toda alegre e disse:rn-obrigado tio...ainda bem que vc gostou...meu marido tava dizendo que eu devia ter comprado maior...se pudesse...queria um menor ainda...sá uma tirinha.RSS.rnEle então disse enquanto tirava o short jeans ficando sá com uma sunga branca:rn-é mulheres são vaidosas né...nunca estão contentes...com o que tem...fazer o que...mas vamos cair na água...esta muito quente...vamos refrescar e nos divertir...rnFoi então que olhando de relance pra sunga branca do Tio Carlão percebi um volume enorme ali na frente...fiquei meio sem jeito de olhar direito...mas fiquei curioso. Julinha saiu correndo e pulou na água e logo o tio foi atrás...também fiquei sá se sunga e entrei junto.rnTio Carlão e Julinha ficavam brincando debaixo da cachoeira e de vez em quando percebi que se abraçavam sem frescuras...e então percebi claramente delineado naquela sunga branca...o pau enorme do tio Carlão...mesmo mole era extremamente grande...eles brincavam com uma bola que tinham trazido e tentavam tomar um do outro...também notei que Julinha deixava se agarrar por trás...ela era encoxada fortemente por ele...e pareciam não se importar com minha presença...e até me chamaram pra brincar com eles. Aquela brincadeirinha aparentemente inocente...tinha uma boa dose de safadeza explicita.rnTio Carlão então disse que precisava voltar na sede, resolvi voltar junto com ele, alguma coisa que comi no almoço me deixara com o estomago ruim e quis tomar uma água Tonica. Julinha ficou ali na grama na beira do lago dizendo que ia se bronzear bastante e que mais tarde queria andar a cavalo...dar uma volta pela fazenda.rnAntes de entrarmos na casa, como estávamos com as sungas molhadas e com os pés cheio de areia, tio Carlão disse pra passarmos uma água no corpo. Tinha 2 chuveiros do lado de fora em uma pequena área e sem nenhuma preocupação com minha presença ele tirou a sunga e ligou o chuveiro. Não teve como não olhar...ele tinha uma pica enorme bem cabeçuda...apesar de mole impunha respeito...tinha o dobro do tamanho da minha...fiquei todo envergonhado e disfarçadamente tirei minha sunga de costas pra ele...o banho foi rápido e em seguida entramos na casa. Tio Carlão pegou uma água Tonica e me serviu e todo atencioso me disse pra deitar e descansar um pouco. rnFiquei repousando em uma espreguiçadeira que havia na varanda...mas, a todo o momento a imagem de Tio Carlão nu com aquela pauzão enorme dependurado entre suas coxas não saia da minha cabeça. Era incrível isso pois nunca tive pensamentos eráticos com homens, as únicas coisas que me lembrava a respeito foram umas duas vezes que fiz troca-troca com um amiguinho quando tinha 19 anos, porém não tinha sido nada que me parecesse tão importante pra mim.rnà tarde Julinha sá de short foi andar a cavalo pela fazenda e até me chamou pra ir junto mas deixei pra fazer isso no outro dia...ainda não me sentia bem. rnDepois de jantar quando estávamos na sala assistindo um filme na TV Julinha reclamou para o tio que tinha ficado com as coxas e o bumbum ardendo de tanto que tinha andado a cavalo...e ele todo prestati-vo disse que tinha um áleo que tirava a dor...era átimo...se ela quisesse poderia usar.rnJulinha disse que queria o áleo e ele sugeriu que fossem pra academia...lá seria mais fácil aplicar.rnTio Carlão me chamou pra irmos junto, mas disse que ia ficar, queria continuar a assistir o filme.rnEle e minha esposa saíram e fiquei ali, mas em segundos meu deu um clique na cabeça e resolvi ir atrásrndeles. Ao chegar vi que pelo corredor do lado de fora tinha um janela um pouco aberta e me posicionei pra ver o que eles iriam fazer...alguma coisa me dizia que tinha safadeza no ar...e como do lado de fora estava tudo escuro dificilmente eles iriam notar minha presença ali.rnLogo que entraram ele deixou sá uma luz em cima de uma maca dessas de massagem...de onde eu estava eles ficaram praticamente de costas pra mim e minha esposa já foi dizendo toda dengosa: rn-aiii...tio...tomara que esse áleo seja bom...nossa to toda dolorida...minha bundinha tá toda vermelha.rn-minha sobrinha...vc é muito fresca...primeiro vc não tem bundinha...vc tem um bundão enorme...nem devia doer...pra andar a cavalo.RSS...mas já que vc quer...vamos fazer uma massagem...pra ajudar... agora...tira esse shortinho...acho melhor ficar sá de calcinha...meu anjo...rnEla tirou e se deitou de bruços...ele então tirou a camiseta e ficou sá de short também e então Julinha disse com uma voz bem safada:rn-tio...acho que é melhor eu tirar a calcinha também...pra não manchar...acho que fica melhor pra passar o áleo...não é?rn-vc que sabe...meu anjo...mas já vou avisar...faz umas duas semanas que não vejo nenhuma mulher...e do jeito que vc tá gostosa...com esse rabo...não sei não...quer chamar o maridinho pra passar? RSS.rn-ai tio...como o Sr é tarado...to vendo que continua safado como era antes...deixa meu maridinho lá na sala...quietinho...eu quero...que o Sr. passe o áleo...em mim!rnEra um áleo bem cheiroso...que ele espalhou por todas as costas dela...e logo começou a massagear sua bunda e suas coxas bem devagar e ao mesmo tempo dizendo:rn-Julinha...vc tá um tesão de mulher...ter casado...fez vc ficar muito mais gostosa mesmo...quando vinha aqui...ainda cabacinho...vc era gostosinha...mas depois de levar vara na buceta...melhorou muito.rn-é...tio...mas mesmo eu sendo cabacinho...vc vivia se esfregando em mim...lembro muito bem...varias vezes...o senhor de madrugada...vinha chupar minha bucetinha...o Sr. era muito tarado...ja pensou se a tia pegasse o Sr. fazendo isso comigo...teria dado o maior rolo.RSS.rn-é...mas a verdade que não era sá eu não sua putinha...toda hr que não tinha ninguém perto...vc sentava no meu colo de minissaia e esfregava sua buceta na minha pica...vc sempre foi safadinha também. E quando eu chupava sua bucetinha vc fingia que tava dormindo...mas rebolava como uma vadia.RSS. Sá não te meti a vara...e tirei teu cabaço...porque não quis...vc já abria as pernas como uma puta vadia!rnA mão dele já bolinava sua bucetinha por inteiro fazendo-a se contorcer toda e ele disse bem safado:rn-é...to vendo que continuas mais puta ainda...tá com a buceta toda encharcada né vadia...que tesão vc tem...to vendo que teu maridinho não dá conta desse fogo que tens entre as pernas...né?rnEu havia me casado com uma vadia...e o que eu estava escutando era a confirmação dos comentários que tinha ouvido sobre minha esposa...ate pensei por breves instantes em entrar ali e interromper aquela putaria...mas eu quis ver onde aquilo ia parar e logo vi que Tio Carlão já tinha tirado a bermuda e pude ver aquele pauzão completamente duro...grosso e com uma cabeça enorme...e a conversa continuava safada e reveladora.rn-é...tio...meu maridinho...parece que sá gosta de trabalhar...além disso tem um pintinho pequeno...minha bucetinha...vive com tesão...toda molhada...tenho que dar um jeito de arrumar outro pau pra me satisfazer...infelizmente sou tarada...acho que isso faz parte da nossa família...tio...igual vc...rn-é...agora...chega de falar putinha...e chupa meu pau...isso é uma coisa que sempre quis fazer contigo... enfiar minha pica nessa boquinha de putinha...chupa vadia...safada!rn-nossa tio...que enorme...que cabeção...nunca tinha visto...até hj...sá tinha sentido quando vc esfregavarnem mim...to vendo que vou matar a vontade...de dar pro meu tiozão...vou adorar levar essa vara grossa na minha xaninha molhadinha...rnJulinha chupava toda tesuda aquela pica enorme que quase não cabia na boca dela...e ele alisava o corpo dela por inteiro...ela gemia e se contorcia completamente...e então ela disse toda tarada:rn-me come...tio...mata meu tesão...logo...vai que meu maridinho me chama...ou vem atrás de nás...mete essa vara grossa na minha xaninha...faz sua sobrinha putinha gozar...bem gostoso...mete...tudo!rnEla se reclinou na maca e ficou com aquele bundão todo exposto e tio Carlão cravou sem dá a pica enorme e cabeçuda de uma sá vez na bucetinha...Julinha deu um grito...ele nem se importou e começou a enfiar e tirar de dentro dela com força...e de vez em quando dava uns tapas na bunda branca dela dizendo todo tarado:rn-rebola putinha vadia...rebola na pica do tio...mata teu tesão...que vou matar o meu também...fazia muito tempo que queria te meter a vara...rebola...vagabunda...mexe esse rabo...dá gostoso...putinha...rebola...rnEu olhava fascinado para aquela pica grossa e dura como aço entrando e saindo da bucetinha da minha esposa putinha...e o mais inacreditável é que meu pinto estava completamente duro...sentia um tesão louco vendo Tio Carlão comendo a sobrinha ?minha esposa?. rnLogo os dois gemiam mais alto quase aos gritos e gozaram engatados e ofegantes...gozei junto com os dois...toda minha raiva tinha se transformado em tesão...que loucura...continuei ali e quando ele tirou aquela vara enorme de dentro dela, deu pra ver que escorria porra aos montes pelas coxas dela e continuaram a conversa...enquanto se limpavam:rn-Nossa tio...o Sr. parece um cavalo...lavou minha xaninha com tanta porra...que delicia...gozei gostoso...rntava precisando...de um macho...na minha xaninha...que loucura deliciosa...ja pensou se meu marido viesse atrás de nás? RSS.rn-Julinha...vou te falar uma coisa...depois que começo a meter...com tesão...pode vir até o papa que não paro não...se o teu maridinho viesse...acho que pegava e amarrava ele...e continuava te comendo...e se ele reclamasse muito...era perigoso eu comer o cuzinho dele...pra aprender a não atrapalhar minha foda.rn-tio...vc é um louco tarado...nem acredito que vc tá dizendo isso...seu maluco.RSS.rn-to brincando...mas...quando chegamos e fomos passar água no corpo antes de entrarmos na casa... notei que ele ficou de costas pra mim...com certeza com vergonha do tamanho do pinto...mas reparei que ele tem uma bunda carnuda...bonita...dá pra meter gostoso nela. RSS.rn-tio...realmente vc é um homem maravilhoso e totalmente sem juízo.RSS. Nem posso falar muito pois já fiz cada loucura que até Deus duvida...depois vou te contar tio...agora vamos voltar...pra sala...ja demoramos demais.rnRapidamente sai dali e fui tomar um banho pra me recompor das emoções que havia vivido ali. Meu pinto continuava duro de tesão...a imagem do pauzão do tio Carlão pareciam ter sido gravadas em minha mente...e as palavras dele falando da minha bunda...deixaram-me intrigado.rnMinha esposa putinha chegou ao quarto e a me ver no banho começou a conversar normalmente como não tivesse feito nada e então arrumei uma desculpa dizendo:rn-Tomei um comprimido e já vou dormir...to morrendo de sono...Julinha...rn-então tá bom querido...vou ficar um pouco mais com titio...lá na sala...ele fez uma massagem átima...fiquei...quase boa...a dor praticamente sumiu!rnEla saiu e resolvi me deitar e tentar descansar...mas realmente foi difícil dormir...não conseguia parar de pensar em tudo...e o pior...era o fascínio que aquela pica grossa e cabeçuda tinha exercido sobre mim.rnAté pensei em ir espiar se minha esposa e o tio estavam comportados na sala...mas o sono acabou me pegando e adormeci.rnQuando acordei no outro dia me senti uma nova pessoa, ainda não sabia bem o porque, mas aquilo que havia acontecido tinha despertado emoções muito diferentes do que tinha vivido até aquela data.rnJulinha logo cedo foi pra cachoeira pra aproveitar o sol da manhã e resolvi dar um passeio a cavalo pra conhecer a fazenda. Tio Carlão me ajudou escolhendo um cavalo bem manso...e quando eu ia saindo ele disse sorrindo:rn-Toninho...vai bem devagar tá...não corra...vai tranquilo...senão vc pode ficar com a bunda doendo...ai vai ter que passar áleo...igual a Julinha...ontem...hein...rnPercebi que tinha uma dose de safadeza nas palavras de Tio Carlão e sem pensar disse:rn-é...vou tentar...andar bem sossegado...numa boa...prometo tentar não dar trabalho pro Sr...também!rnEle então disse com um sorriso malandro:rn-Mas...fique tranquilo...se precisar...é sá pedir...não é trabalho...nenhum.rnFui dar uma volta e depois de uma hora voltei e quando cheguei encontrei Tio Carlão na varanda da caas sentado em uma cadeira e começamos a conversar.rn-é...aqui é muito bonito Tio...bem que Julinha falou que sempre vinha aqui nas férias e que adorava...ela tinha razão...é um lugar maravilhoso...o ar é saudável...bem diferente da capital...rn-Sim...é outra coisa...a gente tem mais saúde e mais disposição...pra tudo...o animo é outro.RSS.rn-verdade...hj já amanheci muito mais disposto...até quis andar a cavalo...uma coisa que não fazia a mais de 19 anos...tinha um tio que tinha um haras...quando passei a gostar de ir lá...ele resolveu vender...rn-e então...foi tranquilo o passeio...o cavalo se comportou direitinho?rn-sim...como a gente não tá acostumado...realmente a bunda fica um pouquinho dolorida, mas tudo bem.rn-é...o começo é sempre assim...mas se quiser...fazer uma massagem com áleo...não se acanhe...é sá pedir...ja to acostumado...Toninho.rnEm segundos resolvi ver o que poderia acontecer e disse um pouco encabulado:rn-bem...tio...se não for...dar trabalho...queria sim...Julinha disse que a massagem tinha sido átima...e que a dor tinha sumido...rn-Então tá bom...vamos fazer o seguinte Toninho...aproveita e toma um banho...tirar a poeira que vc pegou por ai....se enrola numa toalha e vá pra academia...fica melhor...pra fazer a massagem.rnNão consegui entender como arrumei coragem pra fazer aquilo...mas fiz. rnRapidamente tomei um belo banho e quando cheguei à academia ele já estava lá, também com uma toalha branca enrolada naquele corpo forte e bronzeado e então ele sorrindo disse:rn-pensei...que tinha desistido...Toninho...to vendo que seu banho é demorado...né?rn-é...eu...nem percebi...que tinha demorado...tanto...eu...rn-tudo bem...to brincando...não se preocupe...temos tempo...de sobra...agora...faz uma coisa...tira a toalha e deita de bruços...meu sobrinho...enquanto pego o áleo...rnA maca era a mesma que ele e Julinha tinha usado na sacanagem deles...ao lado tinha regulagens para ficar na altura que vc quisesse. Deitei-me rapidinho escondendo meu pinto todo encolhido...com o rosto virado para o lado oposto e ele então disse todo carinhoso chegando do meu lado com o vidro de áleo nas mãos:rn-Toninho...querido...vira o rosto pro meu lado...não precisa ficar com vergonha...sá estamos nás dois aqui...gosto de olhar pro rosto da pessoa...quando faço massagem...assim fico sabendo se está gostando...fica tranquilo...acho que vc vai gostar...deixe os braços...ao longo do corpo e relaxe...rnEle pegou aquele áleo que tinha um cheiro delicioso de amêndoas e pingou nas minhas pernas e na minha bunda...até me arrepiei...e logo senti as mãos fortes dele deslizando pelas minhas coxas e na bunda...em segundos meu pinto ficou durinho ao sentir aquele contato...e ele disse:rn-Toninho...vc tem um corpo bonito...bem malhado...uma bunda carnuda...gostosa fazer massagem...tá gostando...meu jovem?...continua assim...ou quer mais forte?rnO tesão estava estampado em meu rosto e todo encabulado disse:rn-sim...sim...tá...tá...muito bom...continua assim...o Sr...que sabe...tá...tá...gostoso...rnA safadeza ia se tornar mais explicita depois do que ele disse:rn-então tá bom...eu sei...como fazer ficar ainda melhor...relaxa...querido...vai ficar bem mais gostoso...rnA toalha tinha uma barraca armada bem diante dos meus olhos...ele então subiu a mão pela minha coxa e sem titubear...deslizou o dedo no meu reguinho e ao chegar ao meu cuzinho...todo cheio de áleo...penetrou um dedo grosso profundamente...eu dei um gemido incontido e ele disse todo sensual:rn-isso...assim...não fecha os olhos...pode gemer...eu sabia que vc ia gostar...que cuzinho...apertadinho...rnisso...assim...rebola...bem gostoso...no meu dedo...mostra que tá gostando...viadinho...rebola...rnTodo e qualquer resquício de macheza tinha ido pro espaço...com apenas um dedo enterrado no meu cuzinho eu era conduzido por aquele homem safado e imponente e fiz o que ele mandava, timidamente comecei a rebolar e gemer todo tesudo e ele continuou dizendo:rn-isso...assim mesmo...não tenha vergonha...assuma...que vc gosta de macho...rebola gostoso...agora tira minha toalha...pega...minha pica...com a boca...e chupa...meu viadinho...que bunda gostosa...que vc tem...ja levaste vara antes...viadinho?rn-eu...eu...eu...nunca...sá quando tinha 19 anos...com um amiguinho...eu...nunca...nem sei...rn-calma...é assim mesmo...hj vc vai ser minha menina...vc vai descobrir que gosta mesmo é de pica nessa bunda gostosa...pode deixar que vou fazer vc ser uma menina que sabe agradar macho...agora chupa minha rola...seu viadinho safado...rnEle metia aquela pica na minha garganta me fazendo engasgar...a cabeça era enorme...ele já penetrava meu cuzinho com dois dedos...me laceando...eu rebolava que nem louco...e ele dizia todo safado:rn-assim...rebola...mostra que vc vai ser minha putinha...rebola gostoso...teu macho vai te enrabar... todo ...esse cabacinho...vai ser meu...assim...geme...viadinho...agora...pede pro teu macho...te comer...pede ...viadinho...safado...quer minha pica...no teu cuzinho...pede...safado...rn-Sim...me come...enfia...tudo...quero sua rola...inteira...me come...rnEle subiu em cima de mim...e senti aquela cabeça na portinha do meu cuzinho...e sem titubear...enfiou em mim...eu gritei...de dor...ele continuou firme...me senti rasgado ao meio...ele nem se importava...e sá parou quando senti o saco dele encostado na minha bundinha...eu gritava de dor e ele sussurrava em meus ouvidos...completamente colado no meu corpo...rn-isso...grita...viadinho...grita...na pica do teu macho...adoro viadinho que grita quando perde o cabacinho...na minha rola...agora...calma...que a dor já vai passar...teu macho tá inteirinho dentro de vc...agora...vc agora é uma menina de verdade...teu macho vai te comer do jeito que vc vai gostar...rebola que vc vai gozar gostoso...rebola...putinha...rebola na pica do teu macho...dá gostoso pra mim...dá...rnQuando menos percebi meu corpo era comandado pelo prazer e por aquele macho sedutor...em alguns minutos eu rebolava igual minha esposa tinha rebolado na vara grossa e enorme daquele safado e então logo senti meu cuzinho ser invadido por lava fervente...Tio Carlão gozava como um louco metendo forte no meu cuzinho...gozei gemendo alto...sem colocar a mão no meu pinto completamente mole!rnDurante alguns minutos ele ficou deitado em cima de mim...aquele pauzão foi amolecendo devagar den-tro de mim...e ele disse todo sensual:rn-Pronto...a porra do teu macho...tá inteirinha dentro do teu cuzinho...vc agora é uma menina...vc...é uma delicia...vou querer te comer...todo dia...enquanto estiver...aqui...eu adoro uma bundinha de machinho viadinho que nem a tua...nem sei como conseguiu ficar até hj...com 23 anos cabaço...vc nasceu pra dar a bundinha...vc e um viadinho...delicioso...agora...levanta e vai tomar um banho gelado...pra acalmar!rnQuando tio Carlão saiu de dentro de mim...senti-me vazio...a sensação de ter tido aquele pauzão grosso dentro de mim tinha sido fantástico e maravilhoso...e ali naquele instante percebi que nunca mais isso teria volta...eu gostava mesmo era de um macho engatado na minha bundinha. rnDurante o banho é que senti que estava todo dolorido...e muito...meu cuzinho parecia que tinha pimenta ...aquela pica cabeçuda tinha arregaçado minhas pregas...até na hr do almoço fiquei deitado de bruços completamente nu na cama.rnMinha esposa voltou da cachoeira toda queimada pelo sol...toda feliz e reclamando de fome...e ao me encontrar deitado...dei a desculpa que ainda não me sentia completamente bem...estava aproveitando pra descansar bastante. RSS. rnFui almoçar e coloquei um shortinho todo folgado e sem cueca...não queria nada me incomodando... perder o cabacinho tinha sido delicioso...mas toda hr sentia meu cuzinho se contrair de dor e ao mesmo tempo de tesão...rnAo passar pelo corredor encontrei Tio Carlão saindo do quarto dele e todo safado me encoxou forte e disse todo sensual nos meus ouvidos:rn-E ai...o meu viadinho gostoso...descansou bem...como está se sentindo...tá...doendo ainda?rnAs mãos dele seguravam meu quadril e dava pra perceber aquele volume enorme colado na minha bunda...arrepiei-me todo e disse sussurrando:rn-ainda tá...bem...dolorido...Tio...teu pinto...é muito grande...enorme...me deixou todo ardido...eu...eu...rn-Fica tranquilo...até a tarde...ja vai estar bom...perder o cabacinho do cuzinho...dái bastante...mas vi que não saiu sangue...vc já tava pronto pra ser menina...vc deu gostoso...pro teu macho...logo...vc vai tá implorando...pra levar vara...de novo...meu viadinho...gostoso...rnTodo safado...enfiou a mão por baixo do meu short e logo senti um dedo no meu cuzinho e ele dizendo:rn-hummm...que cuzinho quente...nossa...tá fervendo...que delicia...quero sentir...teu cuzinho...morder a ponta do meu dedo...faz...isso pro teu macho...imagina que é o pau do teu macho...morde...safado...rnMeu pinto ficou durinho sentindo aquele macho safado me deixando louco de tesão ali no corredor da casa...meu cuzinho piscava que nem louco no dedo dele e todo sensual ele dizia:rn-isso...assim mesmo...que eu gosto...viadinho que faz o que o macho manda...pronto...agora chega...vamos almoçar...depois a gente continua...senão vou acabar te comendo...de novo.RSS.rnEra inacreditável o que estava acontecendo comigo ... era diretor de uma empresa enorme, responsável por centenas de empregados, e por movimentar milhões e ali naquela fazenda eu estava sendo sodomizado por completo por aquele macho dominante...e o pior é que estava adorando ser tratado daquela jeito...sendo conduzido como se fosse uma putinha sempre pronta pra satisfazer o seu homem.rnTambém dava pra perceber claramente que tio Carlão gostava de exercer esse domínio sexual...quando ele comeu Julinha minha esposa ele também a tratou da mesma forma...como uma puta vadia.rnNa parte da tarde eu e Julinha fomos pra cachoeira...ficar na água naquele calor era tudo de bom e a putinha da minha esposa queria continuar se bronzear...dizendo que queria voltar toda dourada pra casa. Percebi que depois de ficar tanto tempo dentro d?água meu cuzinho até parou de arder.RSS.rnDurante a tarde não vimos tio Carlão que tinha ido resolver algumas coisas na cidade.rnJulinha e eu voltamos de tardezinha pra casa de fomos tomar banho de chuveiro e vi que ela começou com umas brincadeiras...com certeza queria transar comigo...cumprir seu papel de esposa...mas resolvi não queria e arrumei uma desculpa dizendo que estava com ?dor de cabeça?. Toda safada ela brincou dizendo que talvez fosse o chifre que eu merecia por não querer transar com ela.RSS...e também sá de safadeza disse que como minha cabeça sempre vivia doendo...com certeza...eram muitos chifres. RSS.rnDepois do banho ela colocou um vestidinho de malha bem curtinho com uma calcinha fio-dental e resol-vi continuar a brincadeira cheia de insinuações dizendo:rn-é...to vendo...que aqui na fazenda...vc adora ficar quase pelada né...com sua bunda toda de fora...vc é muito safada Julinha...e acho que teu tio também...ja percebi que vcs ficam se esfregando constantemente...tenho quase certeza que vc colocou este vestidinho...sá pra se mostrar...rn-Meu maridinho...o que é bonito é pra se mostrar...quem quiser pode olhar...eu deixo...alias...vc devia se orgulhar da gostosa que vc tem ao seu lado...RSS. E outra coisa...meu tio é muito legal...eu gosto dele... o que tem demais...ficar abraçando...e dar uns beijinhos nele...de vez em quando.RSS.rn-sei...até parece que é inocente assim...tenho certeza que se vc abrir as pernas...ele mete a vara em vc!rn-hummm...do jeito que vc falou...até fiquei animada...ja que meu maridinho não quis me comer...talvez o tio Carlão...queira...meter na sobrinha.RSS.rn-to vendo que vc é muito putinha Julinha...cada dia mais...claro que ele te come...ele é safado também!rnEla saiu do quarto rebolando e sorrindo...o vestido branco realçava seu bronzeado.rnNovamente coloquei um short folgado sem nada por baixo e fui pra varanda da casa apreciar a vista...ja escurecia...Julinha tomava uma lata de cerveja e trouxe uma pra mim...tio Carlão ainda não voltara...rnPor causa do calor rapidamente consumimos algumas latinhas de cerveja e como não tínhamos comido nada durante a tarde percebi que tanto eu quanto Julinha já estávamos bem alegres e desinibidos. rnE logo a conversa voltou a ser bem cheia de safadezas.rn-Tio Carlão...tá demorando muito né Toninho...será que ele se esqueceu de nás?rn-Claro que não...deve ter acontecido alguma coisa que obrigou ele ficar até mais tarde na cidade...mas...rnto vendo que...tá com saudades do tio...é...será que quer mostrar as marquinhas do bronzeado de hj é?rn-Já que vc tá falando...e tá com muitas insinuaçoes...se ele quiser ver...eu mostro sim...vc acha que eu não tenho coragem...meu maridinho?rn-não sei...mas....vc que sabe...querida...vc já é safadinha e com umas cervejas a mais...eu não duvido...rnNem bem terminei a frase e vimos à camionete do tio Carlão chegando...ele entrou e foi dizendo que ia tomar banho...e já voltava...Julinha buscou mais cerveja...e fomos pra sala...tinha uns bichinhos na varanda que estavam nos incomodando.rnJulinha então antes de se sentar na poltrona tirou a calcinha e jogou-a pra mim dizendo toda sensual: rn-Se vou mostrar a marquinha do biquíni...pra que ficar de calcinha né...meu maridinho...acho... que tio Carlão vai preferir assim...né?rnDali a pouco tio Carlão chegou à sala sá com uma short de malha branco todo agarrado...seu pau mole mas enorme se delineava perfeitamente...tanto eu quanto Julinha talvez motivados pela bebida nem nos preocupamos em disfarçar a admiração que aquele corpo másculo exercia sobre nás...e resolvi aproveitar para começar uma conversa cheia de segundas intenções dizendo:rn-Tio...Julinha já tava todo preocupada com a sua demora...ja tava dando urticária.RSS.rnTodo safado ele sorriu dizendo:rn-Nem parece que tava com tantas saudades...nem me deu um beijo...gostoso...a minha sobrinha linda!rnEle se sentara no sofá e ela toda assanhada sem se preocupar com nada...se levantou de onde estava e sentou no colo dele e beijando-o um monte de vezes...o vestido da safada era tão curtinho a bunda ficou praticamente de fora...a bucetinha se encaixou direitinho em cima do pau do Tio Carlão...que também bem safado já notando que ela estava sem calcinha...alisava as coxas dela...e retribuía os beijos. Ele então disse pra que eu buscasse uma cerveja pra ele...fiz isso e voltei sem pressa...e me sentei ao lado deles no sofá...ele já deslizava a mão por todo o corpo dela e disse todo tarado:rn-To vendo que minha sobrinha ficou bem bronzeada hein...uma loira...com marquinha no bumbum...fica muito mais sexy...deixa o macho com mais vontade...de meter a vara...na bucetinha... rnJulinha sentada no colo dele...sorria toda safada...e rebolava toda assanhada...doida pra dar a buceta, a bebida a deixava mais liberada ainda...e ele então disse...todo macho:rn-To vendo que o casalzinho...quer brincar né...seus safados...vou dar o que vcs querem...levanta um pouco putinha...vem aqui Toninho...tira meu short...corninho...vou comer a buceta dessa putinha vadia ...pra vc ver...como se come uma vadia...ele a fez ficar de pé no sofá e se sentar na boca dele...ele começou a chupar a bucetinha de Julinha, segurando-a pela bunda...ela rebolava como uma louca sentada no rosto dele...eu tirei o short dele...e aquela vara enorme e cabeçuda saltou diante dos meus olhos...ele com uma mão já puxou minha cabeça e me fez chupar sua pica...eu chupava com prazer o pau daquele macho...nem me preocupava o que a vagabunda da minha esposa...poderia pensar...Julinha deu um grito...e gozou como louca na língua do Tio Carlão...se contorcendo toda...logo a fazendo se sentar ao lado ele disse:rn-Agora...quero o casalzinho chupando junto minha pica...chupa...seus safados...engole...minha vara...rnJulinha ficou um pouco sem saber o que fazer...mas ele deu um tapa no rosto dela e disse todo macho:rn-Deixa de frescura...sua puta...chupa meu pau...junto com o teu maridinho corno e viado...vamos logo...rnEm instantes estávamos os dois uma de cada lado daquela pica majestosa lambendo e chupando-o por inteiro...Éramos dois escravos sexuais ajoelhados entre as pernas do macho dominante...e logo ele fez Julinha se sentar de frente no colo dele...aquele pauzão cabeçudo entrou até o talo na bucetinha sedenta dela...que logo rebolava como uma puta que era...ele já mostrava também seu lado sádico e Julinha passou a levar tapas na bunda e no rosto...logo a vadia se empolgou ainda mais e gritando de prazer gozou copiosamente se convulsionando inteiramente. Ajoelhado no chão eu assistia a tudo...e então Tio Carlão disse todo tesudo:rn-Vem meu viadinho...agora é a sua vez...senta na minha pica...de costas...quero de te comer assim...dárnpra mim...bem gostoso...senta no meu colo...quero te enrabar gostoso de novo...dá pro teu macho...rnSegurei aquela pica cabeçuda na portinha do meu cuzinho...e devagar comecei a rebolar bem devagar...rnmas não era assim que Tio Carlão queria...ele alisava minha bunda...e em segundos ele me segurou pelo quadril...e todo macho e tesudo...me puxou forte...aquele pauzão grosso foi entrando por inteiro no meu cuzinho... gritei de dor...ainda tava todo dolorido...mas ele nem se importava e disse todo tesudo:rn-assim...pode gritar...viadinho...adoro ouvir machinho gritando de dor na minha vara...vc já sabe...que gosto assim...rebola meu viadinho...a dor vai passar...dá pro teu macho...mostra que vc é uma menina que gosta de pica grossa no cuzinho...rebola viado...dá gostoso...pra mim...rnJulinha assistia sem piscar Tio Carlão me comendo sem dá...e logo como tinha sido da primeira vez o desejo tomou conta do meu corpo...passei a sentir prazer misturado com dor...passei a rebolar como a vadia da minha esposa...e em instantes de meu pintinho mole começou a sair sêmen...novamente gozei com o pau mole. Julinha toda tesuda se masturbava na minha frente vendo aquela cena...e então Tio Carlão se levantou e se masturbando gozou porra quente pelos nossos corpos...era muito sêmen.rnFomos tomar um banho revigorante e quando retornamos a sala...Julinha já se esfregava no tio Carlão que logo a colocou de quatro no sofá e meteu a vara grossa naquela buceta insaciável...e todo tarado ele me fez ficar ao lado...e de vez em quando tirava o pau de dentro dela e enfiava na minha boca... rnSá sei que durante aqueles dias que ficamos ali no sitio todo dia tio Carlão comia eu e Julinha...éramos completamente insaciáveis...rnDepois disso...tudo passou a ser bem mais verdadeiro...Julinha me confessou que desde que perdeu o cabaço aos 19 anos ela queria transar praticamente todo dia...ja tinha participado de varias e varias orgias...e se ela tivesse imaginado que eu também gostava de safadeza...ja teríamos feito muita coisa juntos...ela não tinha nenhum tipo de preconceito...gostava também de mulheres...era uma tarada sem limites.RSS.rnA verdade é que continuamos juntos....era conveniente tanto pra mim quanto pra ela...e quase sempre durantes os fins de semana dávamos uma fugidinha da capital pro Hotel Fazenda do nosso tio Carlão.rnEle sabia como saciar nosso tesão com aquele pauzão grosso e cabeçudo. [email protected]OM======REV.===============rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


escravo conta como leva sua dona ao gozo com a língua na bucetaDei o rabo no estoque contoscontos eroticos com fetiches absurdosContos amigos fodem maes de amigos por traicaocontos ex com amigoscontos eroticos querendo uma rapidinhacontos eróticos de lésbicas masoquistaszoofilia googleweblight.comcontos de comi o viadinho do irmão caçulaporno mamei tanto o peitinho q inchourelatos eroticos reais cornos impotentescontos eroticos dei meu cu pra todoscasadas baxias di calsias na zoofiliaProfessora de shortinho partindo a bucetaconto erotico de gravida com consolocontus estupro gostosa lindaminha mulher e travesti contos eroticosfilha tesudinha do papa contosicomtosgay comi o cuzinho do meu irmaoContos eroticos tetas roxascontos casada bunda com celulite fotos velhaconto erptico na mesalesbicascoroascontosincesto contos filho se separa e volta a morar com mae coroamenage feminino contosnao contar para ninguem da familia. Quando eu achei que o papo ia terminar ali, ela me fez a pergunta que levou a tudo: perguntou porque eu tinha tanta coisa sobre lésbicas incestuosas no pc? Quando ela me perguntou isso, confesso que pensei em desconversar, mas aí pensei também que ela não faria essa pergunta à toa. Aí comecei a falar que aquilo me excitava muito, que gostava de ler sobre aquilo. Sem brincadeira, acho que a gente deve ter ficado uns 10 segundos em silencio ali na cama, depois que eu falei isso. Uma olhando para a outra. Aí, ainda bem, ela tomou a iniciativa, colocou a mão na minha perna e perguntou: Você pensa em mim?  xxvideos vídeos porno doido entre cunhadacontos eróticos gays irmãosporno traviti daboda granderealizei meu sonho transar com um cavalocontos sexuais de jessica no carroa tão sonhada dupla penetração contovoyeur de esposa conto eroticocontos esposas na praiacontos de coroa com novinhocontos eroticos meu sogro e o meu cafetaoadoro dar para o nosso cachorro contos eróticoscontos eróticos de pequenininhos dando para grandõesContos eroticos velha cavalacontos de i****** f****** minha sobrinhaareganhando o cu e epois a boceta com a mao relaxandogordinha liberada de mini saia contosxxx videos mulheris bem safadas que brinca com o pauzinho pequeno do marido tampinhacontos eróticos traveco emrabado a negona coroa casadamacho coñoca calcinha e da o cucontos eróticos fórum incesto irmao com irmaoNovinhas de cintura de pilao com seios fartos em praia de nudismocontos eroticos promessaodiava o marido da minha prima parte2 contos gayConto de putinha que adora ser cadela de muitos machoschupar mulher elaelecontos eróticos com mulatasConto meu marido me devorou na madrugadadei para meu genrowww.contos eroticos porno eu meu marido e o nosso cachorro fazendo dp zoofiliaconto erotico comvidando visinha pra fudercontos eròticos gay virou minha negahega gotosacontos eroticos meu genro se vestiu de mulherminha professora nao usa calcinhas contos eroticosReatos eroticos quando eu era uma moça meu tio me penetrou com forçacontos eroticos gay abuso vizinhocontos eroticos engravideicontos eroticos papai me vendeu para um homem me foderfoi vizita o cunhado e comeu a mulher do cumhadoconto esposa pelada na frente do meu paifodendo gostosa e esporo contos eróticoscomo chupar o pau do meu marido e fazer ele gozar lejeiro e gemer mais que tudoConto de puta estuprada pelos mendigosContos eroticos dois macho chupando minhas tetascontos eroticos jovem transando com a negra escrava parte 1e bom de maismete na minha vizinha gordinha