Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

SEXO NO ATERRO DO FLAMENGO

Tenho pensamento firme que somos manipulados por forças superiores, tudo está escrito, nada é por acaso, venho experimentando fatos que comprovam esse meu raciocínio, seja no profissional ou em qualquer área da minha vida, e não seria diferente no sexo, o que vou começar a contar agora ainda estou vivendo e não sei quando vai acabar, na verdade não sei ainda se quero que acabe, desfrutar de um sentimento com ardência é da minha personalidade e sou feliz assim, as vezes as escolha que penso ter autoridade para fazer, não me é mais agradável e mesmo assim não me arrependo, volto no ciclo que tudo tem a razão de ser. Pois bem esse conta será longo e certamente terá continuações.rnrnDia 19 de setembro de 2010, sim acabou de acontecer, se reparar na data da postagem verás que ainda estou com o calor da emoções a flor da pele e bem lúcida nos meus pensamentos e desejos, estava sem ter o que fazer noite, era um domingo, já que não iria trabalhar na segunda tinha a possibilidade de fazer o que me viesse a cabeça, sem me preocupar com o tempo, com a hora. Resolvi entrar na internet, no chat da UOL, meu tesão esta mediando, nada que me tirasse do meu real comportamento como já descrevi em outros contos, mas o ácio me levou a putaria, tentei ler alguns artigos de arte e nada me prendeu a atenção, no chat logo tive algumas oportunidades de conhecer pessoas e fomos para o MSN tentar desenrolar algo real para aquele domingo frio e sem graça, nada me agradou e acabei tomando coragem e partir para um passeio no parque, uma área no Aterro no Flamengo, Rio de Janeiro.rnAlgo me impulsionava a andar naquele lugar, não era tesão, pelo menos até o momento que mudou a noite, andei como todos fazem, observando os vultos no meios da arvores, pessoas caminhando, outras tendo relações sexuais. Passei no meio dessas arvores uma escuridão que sá dá para ver a fisionomia das pessoas quando se esta bem práximo, uma dupla me chamou atenção, Miguel 23anos, negro, mais ou menos 1.70 de altura corpo malhado, usava jeans e camisa de mangas compridas brancas e boné preto que não deixava amostra sua cabeça raspada, levava uma mochila aparentemente pesada seu amigo Jefferson 25 anos Morenos 1.73 de altura corpo normal, trajava shorts azul e camiseta preta e boné branco não deixando a mostra seus cabelos cacheados como de um anjo, eles me olharam e Jefferson acenou com a cabeça me chamando, voltei e começamos uma conversa em trio, muito educados procuramos um lugar para ficarmos mais à vontade, encontramos uma espaço onde caia os três, explodimos em um tesão louco, eles diziam que eu apareci na hora certa, pois os dois eram ativo, mas se atraíram, mas nenhum deles baixou a guarda e cedeu, se esfregavam no meu corpo e beijavam minha nuca, tirei o casaco preto e a camiseta cinza que esta por baixo, ficando apenas de Jean, os dois na mesma hora atacaram meus mamilos, sou negro 1.77 de altura, magro definido sem barriga alguma, másculo, eles se aproveitavam de mim e eu adorando, fala que era uma delicia ter dois homens a meu dispor, um negro com uma pica grossa e grande e um moreno com o pau mediano e muito duro, ainda a ser descoberto, porque ambos com o membro dentro da calça até o momento roçavam freneticamente querendo me ferir, ficamos por uns 20 min, até que um beijo acalorou ainda mais a noite fria, Eu beijei Jefferson que correspondeu com paixão.rnAvistamos um carro da policia, tivemos que nos recompor, assustado Miguel tremia, Eu e Jefferson apenas nos olhávamos e deixamos os policiais se aproximares, é normal essa abordagem no parque, os caras fazem o trabalho deles e dependendo da escala eles até protegem a gente que sá se divertir um pouco, eram três soldados, dois novos e um mais velho, gordo horroroso, os outros dois muito educados ficaram constrangidos, mas eram comandados pelo gordo mal amado, nos revistaram fizeram algumas perguntas e seguraram Miguel com sua enorme mochila preta, no caput da viatura, fizeram o moleque tirar tudo de dentro, certamente eles estavam atrás de drogas, pois vendo que nada tínhamos que nos comprometeria os mais novos nos pediu desculpas pelo transtorno e com um olhar sereno nos advertiram para ter cuidado no local, agradeci com um sorriso safado para o mais gato dos dois, um branco com corte de cabelo militar, pernas grossas e boca rosada, olhar caído de pidão e mão grandes, foi ele quem me revistou, ele abaixou a cabeça parecendo encabulado, entraram na viatura e foram embora, demos algumas risadas com a situação e comentamos sobre a beleza e a educação dos tiras.rnVoltamos para nosso lugar estratégico entre as arvores e recomeçamos nossos amassos, era claro a química entre Jefferson e Eu, não iguinoramos Miguel, aproveitamos a situação, enquanto um tirava meu casaco e minha camiseta o outro arriava minhas calças e já lambia meu cu, me entreguei aqueles dois ativos famintos, pareciam dois canibais com a boca grudada no meu corpo, eu gemia e falava sacanagem ele pareciam rosnar e eu adorando, Jeff revezava meus mamilos e minha boca com beijos calorosos, com uma ordem carinhosa no pé do ouvido me abaixei e comecei a mostrar meu talento em mamar varas duras. Os caras foram ao delírio, eu escolhia e abocanhava, engolia devagar toda a pica até sentir no meu nariz os pentelhos dos macho, encostava na minha garganta, fazia movimentos com a língua e a minha cabeça era segurada, repeti esses movimentos por um bom tempo, sempre revezando as picas, Jefferson tirou do bolso uma camisinha e claro logo percebi que entraria na vara, também não aguentava mais esperar a língua de Miguel me maltratava me deixava torto de tesão, Miguel nos deixou soltos e passou a nos dirigir como se aquele fosse seu filme pornô, nos mandava fazer tudo do jeito que queria, me empinou de costas para Jeff e abriu minha bunda deixando meu cu a mostra para o macho saciar sua fome, olhando sobre meu ombro esquerdo pude ver aquele negro segura a pica do cara e direcionar no meu alucinado e também faminto cu. Falava para ele ter cuidado para não estragar o brinquedinho deles, Jeff sendo guiado pelo negão me acariciava e percebendo que a cabeça estava no lugar certo deixo entrar bem devagar todo aquele modelo de músculo enrijecido deslizar para dentro de mim, eu parado, recebendo, me sentindo o cara mais desejado naquele momento, sá me entreguei ao pecado mais delicioso, fui penetrado com maestria, já todo atolado ele rebolava, socava, me apertava, puxou meu pescoço e me beijou sem parar de socar no fundo, reparando meu prazer Miguel se posicionou e oferecei seu pauzão preto e cabeçudo para eu mamar, não conseguia respirar, estava atolado, uma pica gostosa no cu e outro pauzão na boca, o negão era mais agressivo cada vez que seu tesão aumentava, os dois entraram num sá ritmo metiam juntos cada um na sua posição, parecia coreografia, não aguentando de tesão comecei a rebolar na pica de Jeff e engolia com vontade o outro, Jeff foi o primeiro a anunciar que estava gozando, meteu bem no fundo e pude sentir a pica inchando, deu um gemido longo e parou, o negão e eu estávamos pilhados ainda, Jeff agora era espectador, me olhava com carinho e já com o pau encapado Miguel meteu sem pena, de uma sá vez, socou por algum tempo, estava gostoso mas desejava que fosse o outro que continuasse a meter, entrei na vibe e liberei, até que ele também gozou melando toda minhas costas até a nuca.rnNos recompomos e sentamos em um banco práximo, a conversa rolou solta como se já nos conhecêssemos há tempos. Falamos sobre muitas coisas e descobri que Jefferson tinha muito mais haver comigo que podia imaginar, foram quase duas horas conversando os três, até que Miguel disse que iria embora, Jeff e eu nos olhamos e alivio de estarmos sozinhos preencheu todo o parque, não que Miguel fosse um cara chato, mas nosso desejo era muito maior de estar sozinhos, por varias vezes durante a conversa nos olhávamos e eu pensavas varias coisas, inclusive por que eu não queria sair de casa e encontrei com uma possível alma gêmea, eram muitas as coisas em comum, vividas e desejadas viver entre nos dois.rnConversamos mais um pouco, agora com tom mais intimo e explicito o interesse mutuo, sá precisei olhar para o lugar que fodemos horas antes e ele sorriu, sem palavras seguimos de volta ao ninho naquele parque. Dessa vez fiquei nu, tamanho era meu desejo me de entregar aquele homem, loucura total ele me seguiu e ficou apenas de tênis igual a mim, novamente me beijou o corpo, mamei mais aquela rocha de pica que ele me oferecia orgulhoso por eu ter gostado, tudo parecia estar perfeito, até que descobrimos que não tínhamos camisinha, como nada é por acaso logo passou um amigo, o qual ele tinha ido fazer companhia e descolou uma rapidamente, nu estava e ali ao vento como vim ao mundo fiquei aguardando ele, com o sorriso sedutor anunciou sua conquista. Me penetrou novamente com muito carinho e foi aumentando o ritmo até socar com violência, me deitei no banco e me fodeu de frango assado, até que percebemos dois caras observando e se masturbando, um deles tentou participar, Eu taxativo disse que ele podia assistir e não tocar, respeitosamente ele apenas assistiu. De frango ele me pega pelos braços e me suspende, com as pernas envolta a sua cintura e meus braços na sua nuca ele me castigava deliciosamente de baixo pra cima. Ele gemendo e me beijando disse que iria gozar, desci do colo e rapidamente fiquei de joelhos a frente dele e recebi o necta do prazer na minha cara, com olhos nos olhos e foi abaixando e me deu um beijo, que entendi como um grande agradecimento pelo prazer que acabara de sentir.rnNos sentamos exaustos no banco, acendi um cigarro e damos de rir da cena que tínhamos protagonizado, no meio do Aterro do Flamengo com direito a platéia. Falamos mais algumas besteiras e saímos andando pra ir embora. Como já havíamos trocado telefones, MSN e todos os outros contatos de rede social, fomos cada um pra sua casa.rnNo dia seguinte o contato primeiro foi meu, passei um sms desejando um bom dia de trabalho, a noite ele me ligou, conversamos um pouco, assim foi até a quarta quando ele veio dormir na minha casa, foi melhor que no parque, transamos varias vezes até as 5 da manha, fomos dormir e pelas 19 da amanha acordo com ele me fazendo carinhos nas costas, transamos mais uma vez e fomos tomar café, saímos pra almoçar e voltamos pra casa, mais uma transa até que ele teve que ir trabalhar, pra não passar em casa foi com as minha roupas dar as aulas dele, ele Também é artista, mas da dança, deixando sua roupa aqui em casa, acredito que isso é sinal que ele volta, pelo pelos para trocarmos as peças de roupas e claro não deixarei esse homem ir embora.rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


fui errabada pelo meu avocontos eróticos de sobrinhas com tiasminha cunhada quis que eu a visse nuaContos madrasta putao que devo fazer minha namorada mandou sentar na mimha pirocacontos eroticos casadas baile formaturaConto erotico velho tirando selo comadremeu noivo me preparo uma despedida de solteira conto eróticoscache:GAEDmAeFVBUJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_18319_fodendo-gostoso-minha-paciente.html Conto morena 37 anosponei arrombando morena com tesaocontos eroticos de irmans cavalomasConto tomando no cuzinhoconto erotico novinhos no semáforovaselina conto héteroContos eróticos no banheiro da escolaconto erótico Eu e minha filha damos o c* para o meu maridomeu sobrinho menor conto eróticoPau gigante.arrombando o cu da inocência. Jdepilei minha virilha na clínica de estética e o cara gostou da minha xana conto eróticos na sapatariacasa dos contos eroticos tia e primacontos er peitinhos em formaçaocontos eróticos chupei meu padrastoconto a empregada me pegouconto erotico de tanto eu insistir em engravidei a minha professora eu era um meninoContos eroticos quero ver essas tetasconto erótico de incesto de sobrinha e tio casa de conto meu tio morre de ciumes e amor por mimcontos negao na praia de nudismowww.contos eroticos madrinha virgem da cu cagandocontos eroticos primeiro cufodo meu sogro todo dia com meu pauzao contocontos eróticos de bebados e drogados gayscontos eróticos fudendo uma buceta gostosacontos eroticos cu virgemmeu marido me arombou a xoxotacontos eroticos de trans rabudas e gostosas sendo arrombadasCuidando do meu pai acidentado contos de incesto femininocomi minha cunhada fabiana - contos eroticoscontos eroricos minha filhae enlouqueceContos eroticos fudendo a passageirafodendo gostosa e esporo contos eróticoscontos gay chorei no pau do coroavirei cadela contos gayscoroas safadas depilando as axilasFui a depilação ela me lambeu contorelatos verídicos de aventuras eróticas com mendigocontos minha mulher com um dotado mi fez chupa eleFicaram satisfeio com meu Cuzinhocontos eroticos em ônibuscontos eroticos pauzudo comendo professora lindaminha mae transando contosGozei dentro da xereca peluda da minha vizinha coroa enxutaconto erotico era pra ser brincadeira e virei cornocontos heroticos gay meu tio de vinte anos me comeu dormindo quando eu tinha noveContos porno dei cu p me sogro por chantagemcontos eroticos eu e a minha filha somos putacontos eróticos ônibusconti gay minha tia me fagrou de calcinhacontos chupei o cu do cachorroconto erotico com menina e cachorrocontos eróticos sobre sobrinhabucetudavoyeur de esposa conto eroticocontos eroticos meu genro pausudo arregacou minha bucetaconto erotico cherando calsinha das bucetaoconto ru e minhas filhasconto erotico incesto sonifero filhacontos me arrombaramporno com amiga loira baixinha encorpadinhacontos eróticos minha mãe no esconde escondenovinha trepranndo com namoradoele me encoxando e eu rebolandocontos eroticos gozei no pau do meu irmaocontos eroticos com coroa taradoconto agarrada no onibuscontos velho comendo novinha casadacontos eróticos assediada por minha amigaconto minha tia tesuda peladacontos de penis que custou para entrar na buceta da loira