Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

DIA DE CHUVA COM A AMIGA DE ESCOLA

Era um dia de prova na escola, daquelas que se fazem todas as matérias em um dia sá como em um simulado. Nesses dias sempre íamos embora bem mais cedo. Logo que acabássemos a prova. Na saída encontrei com uma amiga minha, que ia para o mesmo caminho que o meu. No meio do caminho começou a chover. Como já estávamos indo embora, não nos importamos de continuar na chuva. A casa dela era mais perto que a minha e ela insistiu que eu esperasse a chuva passar.rnrnEntramos em sua casa e ela me deu uma toalha pra me enxugar enquanto também se enxugava. Chamou pela casa para ver se encontrava sua irmã, mas não a encontrou. Ligou para sua mãe avisando que já estava em casa e que eu estaria lá por causa da chuva. Sua mãe lhe disse que ela e sua irmã estavam no shopping e devido à chuva aproveitaria pra ver um filme até que passasse. Eu já conhecia a família, pois já as tinha visitado. rnrnEstávamos encharcados e eu já começava a tremer de frio. Ela pediu que eu tomasse um banho para que não adoecesse enquanto dava um jeito nas roupas. Me deu um roupão uma toalha e fui para o banho. Sai do banho e fui para o quarto dela e encontro ela trocando de roupa sá de calcinha se olhando no espelho. Fiquei na porta observando seu corpo sem que ela notasse, mas logo virou e me viu ficando muito sem graça e pulando na cama tentando se esconder.rnrnPedi desculpas e fechei a porta. Ela vestiu seu roupão e pediu que eu entrasse. Escolheu umas roupas no guarda roupa e foi se trocar no quarto ao lado. Ela voltou com uma camiseta de malhas fina e um short rosa de Tectel bem curtinho.rnEu que estava pelado debaixo do roupão deixei a mostra o volume que se fazia da ereção. Ela não tirava os olhos do volume.rnrnDisse que ia fazer alguma coisa pra gente comer enquanto víamos TV. Fui para sala e fiquei aguardando sentado no sofá enquanto passava sessão da tarde. Ela voltou com um balde de pipoca e algumas outras guloseimas. Sentou ao meu lado e ficamos conversando sobre a prova. O roupão já deixavam a mostra minhas coxas, e ela não tirava os olhos. Até que olhei pra ela e disse que ela estava muito safadinha, pois não parava de olhar pra minha coxa. Ela disse que estava ficando com tesão sá de imaginar o roupão caindo. rnrnFiz a vontade dela, tirei a corda que o prendia deixando todo meu corpo à mostra, que nessa época era sarado dos esportes que praticava. Ela se assustou com minha atitude, mas não pediu que eu colocasse de volta o roupão. Acabei de tirar o roupão e fiquei completamente nu. Meu pau ainda estava meia boca e voltei a sentar, dessa vez bem ao lado dela, que se ajeitava para ficar ainda melhor.rnrnabracei e fui logo a beijando sem nem mesmo perguntar, afinal estava ali pelado em frente a uma mulher gostosa que a pouco me dizia que sentia tesão em mim. Obviamente ela aceitou o beijo e me abraçando forte continuou um logo e caloroso beijo. Minha mão começou a percorrer sua coxa subindo em seu quadril e parando em seus peitos que fiquei acariciando por um momento. Tirei sua blusa e fui descendo meu beijo em seu pescoço de encontro aquelas delicias pontudas de tesão. Chupada e apertava bastante ouvindo ela em gemidos baixos. Voltei a beija-la e puxei ela para o meu colo, enquanto apertava sua bunda em meu pau.rnrnEla se levantou puxando minha mão para que eu ficasse em pé e em seguida se sentou novamente. Me puxou segurando em minha coxa até ela. Agarrou meu pau e começou a me masturbar lentamente olhando pra mim como se esperasse aquilo por muito tempo. Logo abocanhou meu pau chupando bastante a cabeça e lambendo das bolas até a extremidade novamente. Abocanhava novamente e começa tudo de novo.rnrnAfastei sua cabeça e ela encostou seu corpo no sofá novamente. Disse a ela que era minha vez de chupa-la. Voltei a beijar sua boca, descendo bem devagar pelo pescoço em leves mordidas. e fui descendo mais até seus peitos, enquanto chupava seu peito direito apalpava seu peito esquerdo e depois o contrario. Fui descendo mais e ela com sua mão em minha cabeça parecia me guiar pra onde ela queria ser beijada. Fui seguindo seu desejo e descendo ao seu umbigo onde enfiava a língua e dava pequenas mordidas em sua barriga. rnrnPuxei seu short que era bem soltinho e sua calcinha branca fio dental que vestia. Afastei suas pernas um pouco e fui chupando sua virilha, ora de um lado ora de outro enquanto acariciava seus peitos. Fui chegando a sua buceta bem devagar. Nesse ponto ela já puxava meus cabelos de desejo. E eu estava adorando isso.rnrnFinalmente cheguei em sua buceta que estava escorrendo sem nem mesmo ter tocado. Dei uma lambida forte desde seu anus até quase sua barriga para sentir todo seu gosto em minha boca. Voltei-me e entre lambidas e chupão em seu clitáris dava algumas mordidas em seus grandes lábios. Ela se contorcia cada vez mais com aquilo e segurava minha cabeça para que eu não parasse. Ela se remexia na minha língua como se estivesse transando com ela juntamente com altos gemidos que já não mais controlava.rnrnParei e tentei me levantar, mas ela empurrou minha cabeça contra sua buceta novamente dizendo que já estava quase gozando e que eu não parasse. Voltei a chupa-la e enfiei um dedo de leve. Bastou isso para alguns espasmos e um grito bem alto. Continuei enfiando meu dedo dela enquanto sugava seu clitáris para minha boca. Ela gritava cada vez mais e já quase gozava de escuta-la. Demorou um pouco até que ela se acalmasse e me sentei ao lado dela. Ela ria meio cansada e satisfeita.rnrnMe abraçou e segurou meu pau me masturbando novamente. Logo desceu sua cabeça e novamente começou a chupar. Dessa vez com uma masturbação bem forte e chupadas que pareciam sugar meu pau para dentro de sua boca.rnLogo gozei em jatos fortes em sua boca. Ela chupando tudo sá parou quando meu pau começou a amolecer. rnrnEla se levantou e foi ver se a chuva já tinha parado. Ligou para sua mãe para saber onde estava. Sua mãe disse que o filme tinha acabado de começar e que iria demorar cerca de 2 horas ainda. Era tudo que ela precisava ouvir. rnrnMe puxou para seu quarto e deitou na cama me chamando. Deitei por cima dela e ficamos nos beijando em meio a caricias. Logo meu pau já estava pronto para outra e sai de cima e perguntei a ela se ela tinha camisinha. Ela saiu da cama foi até seu guarda roupa, pegou uma caixa e trouxe não sá uma camisinha, mas também alguns brinquedos eráticos. Um vibrador, lubrificante, um dado de posições e gel para aquecer a brincadeira.rnrnFui pegando logo a camisinha e ela disse que iria colocar em mim. Pegou o gel, colocou um pouco em meu pau e colocou a camisinha. Aquele gel era bem gostoso e foi deixando o meu pau quente e latejando. Me empurrando sobre a cama ela subiu em cima de mim se esfregando no meu pau. Pegou um pouco de lubrificante em sua mão e passou em sua buceta que agora brilhava. Segurou meu pau e foi guiando até a entrada de sua buceta que escorregava deliciosamente. rnrnEla cavalgava em meu pau enquanto seus peitos balançavam perto do meu rosto, mas logo cansou e se levantou. A puxei pra mim e a coloquei de quatro na beirada da cama. Fiquei brincando com meu pau na entrada de seu anus e na entrada de sua buceta ela ficava dizendo ?vai logo, vai logo? e eu continuava brincando. Peguei mais um pouco de lubrificante e deixei escorrendo em seu anus até sua buceta, pincelando com meu pau em um sobe e desce que a torturava.rnrnEnfiei meu pau em sua buceta e ela rebolava para trás quase me derrubando. Segurei seu quadril e bombava mais forte sua buceta. Parei um pouco e nos deitamos de novo. Peguei o vibrador e pedi que ela se deitasse de perna aberta pra mim. Comecei a enfiar o vibrador nela enquanto ela me masturbava. Ela gemia gostoso e isso me dava muito tesão. Sentia que ia gozar e parei com o vibrador. rnrnTirei a camisinha e me posicionei perto de sua cabeça ajoelhado. Voltei a enfiar o vibrador nela enquanto ela chupava meu pau ela abria e fechava as pernas e puxava bem forte meu pau em sua boca até que gozou novamente. Coloquei outra camisinha e puxei ela para mim de novo. Enfiando agora meu pau. Ficamos assim mais um tempo e mudamos de posição. A coloquei de lado e fiquei ajoelhado enquanto metia nela, ficava olhando sua bunda gostosa.rnrnLogo anunciei que ia gozar. Tirei meu pau para fora, puxei a camisinha e comecei a me masturbar a fim de gozar nela. Ela se ajoelhou e começou a me chupar de novo. Quando sentiu que ia gozar tirou meu pau da boca e ficou me masturbando até que gozasse em seu rosto e peito. Chupou o resto da porra que ficou no meu pau e deitou novamente cansada. Ficamos ali conversando uns 19 minutos até que decidimos parar.rnrnTomamos um banho bem gostoso entre chupões e passadas de mão. Me vesti com a roupa quase seca que ela havia deixado atrás da geladeira e fui embora. rnNunca mais transamos, mas essa historia sempre vem à tona às vezes.rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


sempre que saio com uma mulher levo a calcinha dela de lembrança contos eroticosnovinha falou que ia pozconto gay o negao comeu meu cumeu aluno bate punheta olhando minha bundavideo porno comendo a amiga ia namorada no meio da piscta a forçanovinho delirando na primeira gozadaContos eroticos de solteiras rabudascontos/meu primeiro broche e fodacontos eroticos garotas na escolaContos erotico como minha cuinhada mais velha de 45anos.contos erótico acabei indo pela primeira vez num sítio de naturistacontos o sindicocontos eroticos meu tio meu amante casa de vovoChiquinho chupando pintoporno gay contos erticos viajando com o meu padrasto caminhoneirobuceta praia toninhas Contos eroticos novinha desmaia de tanto gosamulher domadora de cavalos de pau durocontos eróticos perdi minha virgindade com um pau grande e grossovideo dei o rabo padrastonetinha virge de sainha estruoocontos eroticos gay ficticioscoki a amiga da esposa contosconto eroticos com a namorada e minha irma acampandoconto flagrei minha irma dando e enrabeiporno doido sumindo um emorme prinquedo na pusetaconto erotico enteada brincadoconto de rasguei o cu da minha avócontos eroticos casada perto do maridovideos de gay apostei o meu cu e olha no que deucontos eróticos com idososcontos erotivos aconteceu em monteverdecontos eroticos traindo o marido com pivetesContos afeminado c shortinho socadocontos eroticos comendo a enteadaGoiás borracheiro conto gayCom sunga sempre fico de barraca armadaaiiao taradobotou tudo nela bebadacontos eróticos t******* na beira da praiaConto de neto dopa avo e come a buceta delax vidio comtos eroticos eu minha mulher e filhacontis eroticos quero mamar no peitinho.fotos de buceta sendo lambinda e gritandocontos eroticos minha esposa eo porteirocontos gay cu arrombadoContos eroticos engravideicontos erotico de estuproGoiás borracheiro conto gayconto eurotico um menino catador papelaocontos eroticos aposentadas cavalascontos de mulheres q se masturbamconto erotico vendedor.de.mandiocaeu e minha cunhada lesbica fizemos um bacanal com sua irma e mae incestocontos.eroticos.co.com a professora detalgadominha filha e uma cadela conto eroticomeu cu no formato da contosver tdos as calcinhas fio dental qom bomum empinadassistir vídeo pornô travesti da rola Gabs cabeça de graçacontos eroticos minha esposa eo porteirocontos eroticos quanto vi aquele pau mostruoso o meu cu piscoconto soquei a pica na minha enteadinha de dez aninhosconto novinha amigos do papaivideos de meninas fudedo co casorocasadasna zoofiiliacontos eroticos ela nao aceita ser cornoconto de cunhada depilando o cu para levar varavideos contos despedida solteira punheta chupadaMeu primo me convenceu a mostra meu pau para elequero o pauzão dele no meu cu amor agora fica olhando contosComigo por um cachorro gay contosconto gay sobrinho viro esposacasada tarada por caninoviadinho boquete na escola contocontos minha mulher transava e me beijavacontos eroticos meu amante adora me agredirfazer sexo sem amor gostoso meterolaconto erotico me mentiu e me comeucontos eróticos cheirando a bunda de minha sograConto erotico dotado no vilarejocontos eróticos gay surubagrandona melada contos