Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

FILHAS SAFADINHAS

FILHINHAS SAFADINHASrnMeu nome é Augusto, moro em São Paulo, tenho 37 anos, sou moreno claro. Casado com Joana, ela é loura de olhos verdes, mais ou menos 1,60 m de altura, cabelos bem lisos e compridos, muito elogiada pela minha família e outras pessoas pela sua beleza. rnTemos um casal de filhos, Carol, tem um corpo pequenino como a mãe, sem curvas, e uma cara angelical, com uma pele bem branquinha com suas bochechas rosadinhas e seus cabelinhos loirinhos como a mãe sá que um pouco mais encaracolados, e Felipe também bem branquinho, com a pele rosadinha como um anjinho.rnMinha família é recatada e por isso até aquela data nunca tinha pensado em nada diferente com meus filhos. rnAntes do aniversário de nossa filha Carol, minha mulher pediu para que fizéssemos um álbum de fotos para ela, procurei um amigo meu, Joel, um cara grandão, musculoso, que é fotágrafo e combinei com ele de levar a Carol ao seu estúdio para tirarmos umas fotos, falei com ele sobre as roupas das fotos e ele falou que providenciaria.rn Na segunda-feira eu e minha filha fomos ao estúdio do meu amigo que ficava em anexo à sua casa, pois minha mulher tinha que levar meu filho ao médico, chegando lá o Joel nos recebeu e nos levou a sala preparada para as fotos, com vários desenhos, bonecas e brinquedos espalhados, minha filha adorou, ele foi e abriu um armário onde tinha várias roupinhas e algumas roupas bem mais assanhadas como minissaia, top e biquínis, quando eu olhei para o armário o Joel falou que alguns pais adoravam levar as filhas para tirar fotos com ele e que eles adoravam ver as filhas com aquelas roupas e falou que também tinha uma filha na idade da Carol que adorava ser fotografada. rnNão falei nada, apenas fiquei vendo o trabalho dele, apás uma hora as fotos tinha sido feitas e sentamos os três para beber um refrigerante, quando o Joel perguntou:rn- Você gostaria de vê-la ser fotografada com outras roupinhas mais provocantes? rnEle me mostrou justamente as minissaias e os biquínis e eu imediatamente disse que não, porém a Carol falou:rn- Ah papai, por favor, deixa, vai, eu quero mais fotos, seja bonzinho! Ela insistiu tanto e eu acabei cedendo. O Joel disse que iria chamar a Priscila sua filha que estava em casa pois ela tinha recém chegado da escola, para conhecer a Carol e deixá-la mais à vontade já que estaria com uma amiguinha da sua idade, enquanto mandou ela colocar uma blusinha vermelha minúscula e uma minissaia que tinha no máximo quatro dedos e uma calcinha muito pequena, eu protestei novamente, porém ele falou que as fotos seriam entregues apenas para mim e que ele já tinha visto muitas mulheres nuas e que era minha filha e que eu não deveria ver maldade e que sua filha estando junta iria querer ser fotografada também. Acabei cedendo novamente e enquanto a Carol voltava do banheiro como uma verdadeira putinha, a saia mal cobria a calcinha dela, o Joel me apresentava a Priscila, uma moreninha do tamanho da Carol que chegou me beijando e muito desinibida dizia com um certo jeitinho provocante:rn- Oi Augusto, adorei te conhecer e também a Carol, acho que vamos ser bons amigos, você não acha? Notei o olhar do Joel em Carol, ele falou:rn-Nossa, ela tem um corpinho lindo, vão ficar maravilhosas as fotos. E logo começou a tirar fotos, pedindo que a Priscila também fosse colocar outra roupa, pois ainda estava com o uniforme do colégio. Enquanto a Priscila se trocava pediu que a Carol se virasse para ele e falou: rn- Puxe mais a minissaia para cima. E eu olhando a minha filha rapidamente levantando a saia para ele e mostrando a calcinha. Apesar de vê-la sem roupas muitas vezes, naquela hora senti algo coisa diferente, certo tesão que nunca havia sentido antes e meu pinto começou a endurecer. Ele mandou:rn- Diminua o tamanho da calcinha enrolando os ladinhos com os dedos. Com um pouco de vergonha ela diminuiu mais o tamanho atrás e notei que ele se aproximou dela e ele mesmo ajeitou a calcinha, ele olhou para mim e deu um sorriso, vi que ele enterrou todinho ele na bundinha da minha filhinha deixando-a toda de fora, ele falou: rn- Agora sim, ela tem a pele muito branquinha, linda, e passando a mão nas nádegas completou: rn- Que macio esse bumbunzinho, Augusto! rnArrepiei-me todo e comecei a pensar que tinha feito bobagem, estava ali com minha filhinha quase nua na frente de outro homem. Ele começou a fotografar e depois de algumas fotos mandou ela colocar um biquíni rosinha, ela voltou com o menor que eu tinha visto, e a Priscila sua filha também apareceu com um minúsculo shortinho branco e um topezinho também minúsculo e pequeno para ela pois dava pra notar os peitinhos durinhos pequeninos com a pontinha dos mamilos também durinhos. O pior é que eu estava gostando da brincadeira desse fotágrafo sacana e meu juízo já estava fora de mim crescendo no meio das pernas. O biquíni rosa que a Carol estava era daqueles de amarrar do ladinho de cortininha, eu enlouquecia e percebia a respiração ofegante dele quando ele falou: rn- Nossa... Essas meninas tão show... Muito lindinhas você não acha Augusto? Que lindas filhas fomos capazes de fazer, hem? Enquanto elas faziam uma carinha de sapecas gostando do que tava acontecendo.rn Ele recomeçou a tirar fotos, depois de fazer várias com a Carol e a Pris de costas, mandou se virarem e veio ajeitar o biquíni da Carol na frente, primeiro a parte de cima, dizendo: rn- Me deixa colocar certinho aqui, e foi diminuindo a parte de cima roçando sempre as mãos nos seus peitinhos, eu morrendo de tesão vendo aquilo, um homem safado passando a mão na minha filhinha, mas ela nem ligava, e eu percebia que ela estava gostando muito pois dava uns gemidinhos de contentamento, logo foi para a parte de baixo e também diminuiu, deixando sá a xoxotinha tapada, e a Priscila parece que já conhecia os pensamentos do pai e antes que ele pedisse levantou o topezinho de modo que seus peitinhos ficaram à mostra e abaixou um lado do diminuto shortinho ficando suspendendo o mesmo com o dedinho polegar deixando aparecer a metade da xoxoxotinha e ele aproveitou para também passar a mão no bumbum dela dizendo: rn - Isso delícia, como o papai gosta e você também né sua safadinha!! Ela concordou com a cabecinha. Naquela hora meu tesão já estava incontrolável e eu sentia o pinto crescer na cueca e ter uma sensação de prazer nunca antes imaginada. E tirando mais fotos disse para Carol, vira de lado e desamarra a parte de baixo, ela me olha e eu a mando fazer, ele pede para ela ficar segurando as tirinhas, aí ele falou agora solta a tirinha da parte de trás, eu fiquei meio sem saber o que fazia e falei. rn- Vai filhinha solta para ele, vai. Ele olhou para mim e deu um grande sorriso e fotografou, e falou agora solta da frente, minha pequena filhinha soltou, sua bucetinha ficou semi destapada, e disse pra sua filhinha: rn- Pris, faz aquilo que você tanto gosta, mostra pra Carol e pro Augusto o quanto você é safadinha e ela disse com a carinha de sapeca: rn- Você sabe papai que sou sua safadinha, você manda e eu obedeço. Aí ela abaixou mais o shorts de modo que apareceu sua bucetinha sem pelos, que delícia de menina, uma xoxoxotinha com os lábios salientes e aparecendo o buraquinho do grelo semiaberto enquanto tirava o top pela cabecinha com aqueles lindos cabelos pretos e deixava os peitinhos todo à mostra. Que anjinho safado, pensei eu, e delicioso. E para meu alívio ele disse pra Carol: rn- Agora sente ainda sem amarrar. Ela sentou e ele falou:rn- Solte a parte de cima da calcinha e fique segurando o sutiã do biquíni sá pelas tirinhas, esticando os braços, ela fez e logo ele falou agora solte as tirinhas, ela soltou e vimos aqueles peitinhos que nem tinham sido bem formados ainda, e ele exclamou:rn- Que maravilha de menina. E começou a fotografar mandando ela se levantar, e nem lembrávamos mais que ela havia soltado as tiras de um lado da parte de baixo, e quando levantou sua calcinha caiu no chão, e rapidamente tentou cobrir sua xoxotinha, e ele falou: - Deixa cair. Ela ficou imável, não sabia o que fazer, mas obedeceu e ele foi tirando as fotos dando voltas em torno dela, tirando fotos da parte da frente e do bumbum, foi dizendo que ela tinha um bumbum lindo, que nunca tinha visto um bumbum tão lisinho e tão branquinho... Sá sei que ele deve ter tirado umas 30 fotos sá dessa parte do corpo da minha filhinha e eu ali olhando e morrendo de excitação e com o pinto em brasas vendo a Carol com a carinha mais safada do mundo curtindo tudo aquilo e continuou tirando fotos da Carol junto com a Priscila que nessas alturas já estava totalmente peladinha e me dizia: rn-Veja que bucetinha linda que a Priscila tem, veja ela fica bem à vontade porque gosta muito de nossas brincadeiras. Quando ele falou isso percebi o olhar de safadinha da Prisicila que olhava pra ele e mordia a pontinha da língua e esfregava os lindos lábios e pensei comigo: Agora não tem volta pra mim, pois também a Carol estava gostando da coisa e pegando o jeitinho feminino de se insinuar acompanhando a Priscila que tava muito à vontade. Aí ele as pegou no colo e as deitou na cama e foi tirando mais fotos... Pedia para que elas ficassem de lado, de costas, e quando ficaram de bruços ele pediu para abrirem um pouco as perninhas no que prontamente a Carol obedeceu antes mesmo da Priscila e eu percebi que sua xoxotinha estava brilhando de molhadinha pois estava ficando excitada com a brincadeira nova.rnObedeceram e ele foi tirando fotos e pedindo para ir levantando o corpo bem devagar até que ficassem de joelhos com o bumbum bem empinado e completamente expostas aquelas maravilhas de bucetinhas saltadas mostrando os grelinhos rosadinhos e os cuzinhos mostrando as pregas. Que visão maravilhosa a minha, vendo a Carol com o bumbum fofinho toda arrebitadinho... E ela gostando muito, porque pela sua carinha de safada estava curtindo o momento como nunca imaginei ver isso de minha filhinha e eu sá ia escutando o clique da máquina... Ele foi passando a mão bem lentamente nas costas dela e acabou desamarrando a parte de cima do biquíni que ainda estava meio dependurado, e foi massageando as suas costas e ela foi ficando mais molinha ainda... Percebi que ela estava completamente ensopada de tanto líquido que saia de sua bucetinha, sá sei que na posição que ela estava com o bumbum totalmente empinado ele devia estar meio doido, pois eu sentia a sua respiração descompassada... Fui ouvindo os cliques, foram tantos que nem sei quantos foram... Ele foi virando elas na cama e as deixando de barriga para cima, vi seus peitinhos expostos... E ele não parava de tirar as fotos até que pegou no tornozelo da Carol e foi flexionando os seus joelhos até que ela encostasse nos seus pequenos seios e pegou as suas mãos e pôs nas coxas em baixo dos joelhos para que as pernas não voltassem para baixo... Nossa! O que tava acontecendo comigo, porque eu tava deixando aquilo acontecer... E ele foi tirando fotos e pedindo para ela abrir as pernas bem devagar e ela começou a abrir e ele ia tirando as fotos e pedindo... Vai abre mais um pouquinho... Passa a mão bem levezinho na bucetinha... Abre a um pouquinho ela vai... E ela foi fazendo tudo o que ele pedia e eu sá ia ouvindo os cliques... E ele pedindo... Abre mais um pouco, deixa eu ver o seu cabaçinho e ela toda entregue pegou com as pontas do dedos e abriu o máximo que pode os seus lábios vaginais e ele foi tirando as fotos...Aí ele disse para Prisicila que também acompanhava as posições que o pai mandava: dá um bejinho no peitinho dela Prisicila e passa a mãozinha na bucetinha para o papai tirar mais algumas fotos. A Prisicla prontamente obedeceu e eu percebi que a Carol dava gemidinhos de prazer enquanto a Priscila esfregava sua mãozinha de leve na bucetinha dela. rnNesse momento eu vi que o Joel não aguentava mais e fiquei imaginando até onde iria sua audácia foi quando não aguentou mais e tirou toda a roupa e me assustei um pouco quando vi aquele pinto enorme. E eu ali de pé vendo tudo isso acontecer ele olha para mim e fala aproveita Augusto, vamos curtir essas meninas que estão pegando fogo nas xaninhas e eu também não aguentando mais tiro minha roupa e fico pelado, minha pica também esta enorme sá em ver minha filhinha peladinha na frente dele ali deitada, com as pernas abertas e com a bucetinha toda arreganhada... e desejando algo mais...um pinto naquela raxinha para satisfazê-la de verdade.Quando dei por mim ele começou a passar a língua na bucetinha dela, passava de cima pra baixo e ela ia tendo descargas elétricas no seu corpo e se contorcia toda... Eu imaginando que seria a primeira vez que ela sentia aquilo tudo... Ele passava a língua desde o seu clitáris até o seu cuzinho... Nossa como era gostoso ver aquilo... Eu tava quase morrendo de prazer quando ele foi subindo e começou a chupar os seus seios e ai eu me agachei atrás dele e vi aquela pica enorme e bem grossa e quente passando nos lábios da xaninha da minha filhinha, olhei para baixo e vi o seu pênis... Fiquei com medo pois era muito grande ... Ele pegou a minha mão e fez com que eu pegasse no seu pênis e a conduziu na entradinha da bucetinha de minha filhinha toda exposta diante daquela enorme pica e quando peguei senti pulsar em minha mão... Ai ele pediu para ficar passando na entradinha da bucetinha da minha filhinha... Fui passando de cima em baixo, do clitáris ao ânus... Já não tinha mais consciência do que estava acontecendo, sá sentia prazer, um prazer que eu achava que jamais existisse... Ele começou a gemer e não aguentando mais falou que tava quase gozando e eu na hora comecei a empurrar aquele pau enorme na entradinha da xaninha dela e fui forçando para dentro até romper o seu cabaçinho, ela gemeu um pouquinho, mas o prazer de ver aquela pica rasgando a bucetinha da minha filhinha Carol foi indescritivel e ele enfiava e tirava sem parar até que senti ele se contrair e começar a soltar um líquido bem quentinho no fundo da xaninha dela, e ela se contorcia toda de prazer, apesar de estar sentindo um pouco de dor pelo tamanho do pau que a invadia. Nossa ele não parava mais de soltar aquele líquido, foi tanto que vi escorrer na sua bundinha...quando parou ele desabou do na cama ao lado da Priscila que enquanto o pai metia na minha filhinha ela beijava a boquinha da Carol e logo em seguida a do seu pai. Na hora fiquei com uma sensação estranha, pois nunca tinha imaginado minha filhinha pelada na frente de um homem e de repente tava ali sendo fodida como uma vadiazinha... Passei a mão no rostinho rosadinho dela e comecei a beijar ela na boca no que fui prontamente correspondido com aquela linguinha quente e molhadinha e falei: rn- Papai te ama amorzinho! Você tá gostando? Ela concordou com a cabecinha. E fui descendo e passei a língua naquela bucetinha deliciosa e suguei todo aquele liquido que ainda saia dela e coloquei ela de ladinho, de costas para ele e ele percebendo foi passando as mãos em seu bumbum, quando dei por mim ela já tava ficando molinha novamente e ele passando a pontinha do dedo no seu cuzinho...Ela dizia: rn- Papai que delícia a sua língua na minha xoxotinha. E tão bom quando o pinto do Joel estava lá dentro mexendo sem parar, eu quero mais, por favor, não parem !!! rnTava muito gostoso ouvir e ver aquilo até que ele aproveitando que o seu liquido tinha escorrido pelo bumbum dela e lubrificado, enfiou bem devagarinho o dedo dentro do seu cuzinho, ela entre nás dois gemendo e eu beijando aquela pequena boquinha deliciosa, ele começou a dar mordidinhas em sua nuca e foi a abraçando por trás e quando menos esperava ele começou a esfregar o pinto bem na entradinha daquele cuzinho rosadinho... Ela começou a perder os sentidos de novo até que ele forçou a entrada e ela olhava para mim com aquela carinha de quero mais e eu disse:rn - Vai com calma Joel, você vai arrebentar ela. E logo apás eu a consolei dizendo: rn- Vai putinha rebola na pica desse teu macho, que papai tá aqui do teu ladinho pra você se acalmar. Ela dizia: rn- Ah papai, que coisa gostosa eu to sentindo, eu quero mais, mais... Me ajuda a sentir aquela sensação deliciosa que senti quando ele enfiava o pinto na minha xoxotinha, enfia agora o teu pinto nela também.rnEle começou a morder a nuca dela e a passar a mão na bucetinha, eu fui sentindo uma quentura no meu corpo e passei a mão entre as pernas dela, peguei aquela pica enorme e coloquei na entrada do cuzinho da minha filha. rn -Vai enfia essa pica enorme no cuzinho dela. Quando vi ela tava empinando a bunda e forçando para trás, entrou todinho, senti os seus pêlos encostando na polpa da bundinha dela, perdi o controle e comecei a sentir suas descargas elétricas pois ela estava encostadinha com os peitinhos em mim e ela se jogava para trás, e ele tirava e enfiava até o fim num vai e vem delicioso e ela gemia e dizia novamente:rn- Ah papai que delícia, tá doendo um pouquinho mas eu aguento, coloca também logo esse pinto em mim, ahhh eu aguento sim! Quero sentir vocês dois dentro de mim ao mesmo tempo. Aproveitando a posição ela mesma pegou com sua mãozinha o meu pinto e colocou na entrada de sua grutinha e foi ajeitando a entrada já que o Joel dava as estocadas com seu pau no seu cuzinho jogando ela pra frente e facilitando a entrada do meu pau naquela bucetinha deliciosa.rnEu não sei como ela aguentava, mas gemia e se contorcia toda, um pouco de dor e muito prazer.rnEla logo virou recheio no meio de nás dois, com aqueles dois paus, um enorme no cuzinho e o meu não tão pequeno também na sua grutinha.rnEu delirava e logo ejaculei uma tonelada de porra dentro dela enquanto ela me abraçava e dizia:rn- Como isso é gostoso papai, eu sinto você jorrar alguma coisa quentinha dentro de mim e sinto um arrepio que vai da minha nuca pra todo meu corpo. Ah, como sou feliz, papai!rnE eu sentia os seus espasmos vaginais mordendo o meu pinto e o Joel continuava a meter o pau naquele cuzinho num vai e vem desenfreado.rn Logo fiz com que ele deitasse de barriga para cima e ela ficasse sentada sobre ele, então entrei no meio dos dois e comecei a lamber a bucetinha da minha filhinha enquanto os ovos e a pica enorme do Joel tentavam novamente encontrar aquela grutinha deliciosa foi quando ele disse pra Priscila sua filhinha que fizesse comigo aquilo que ela tanto gostava de fazer com ele, e ela mais que rapidamente ficou de joelhos no chão e disse: rn- Vou engolir inteirinho teu pinto, Augusto, como eu faço com o do meu pai e acho que você vai gostar muito do jeito que vou te chupar porque quando faço isso meu pai grita sem parar e abocanhou meu pinto que ainda estava meio duro, apesar de estar molhado pelo meu líquido que deixei na bucetinha da Carol. Que sensação deliciosa aquela boquinha mordendo a ponta do meu pau de uma maneira habilidosa e imaginei que ela fazia isso com o pai dela há muito tempo, enquanto eu tentava lamber a bucetinha de minha filha que cavalgava sobre o Joel com muito jeito procurando gozar com a melhor posição possível pois eu percebia que ela escorregava de minha boca para o pau do Joel que já estava em ponto de bala novamente pra entrar naquela raxinha que sá terminou quando eu conduzi aquele pau no cuzinho de minha filha e ele soltou novamente aquele liquido quentinho bem no fundinho do seu cuzinho e eu já não aguentava mais e soltei novamente todo o meu liquido naquela boquinha sedenta da Prisicila e ela lambeu todinho não deixando nenhuma gota, foi delicioso porém percebi que a filhinha do Joel ainda não estava satisfeita pois imediatamente que viu o pau do seu pai meio mole depois que tinha comido o cuzinho da Carol, colocou o na boquinha e rapidamente o Joel já estava com o pau duro novamente e disse: rn -Ah filhinha, mostra pro Augusto e pra Carol o que você sabe fazer. E ela deitou-se numa cama com as perninhas mais abertas possíveis e pediu, implorou para seu pai: rn- Papai, por favor, então agora é minha vez, me fode, me come gostosinho minha bucetinha pois eu também preciso sentir o que vocês já sentiram, quero gozar muito e minha xoxotinha tá pegando fogo de vontade desse seu pinto enorme. E o Joel deitou-se em cima daquela safadinha e meteu o pau que eu vi até as bolas entrarem de tanto que a menina puxava ele sobre ela e dizia:rn-Ah! que delícia papai, não para, por favor, continua, mete mais forte, papai, bem fundo, me faz sentir aquela sensação gostosa que já está vindo. E dizia isso e se retorcia toda na cama acolhendo na xoxotinha aquela pica quente e enorme, até que vimos o Joel se retorcer também e dizer: rn -Estou gozando em sua bucetinha, filhota, mexe mais, mexe mais, e ela agarrava com as mãozinhas nas costas de seu pai de modo a deixar algumas marcas dos seus dedinhos e com as pernas entrelaçadas em torno da cintura dele gritava: rn- Eu também estou gozando papai, ah, delícia de pinto esse do meu pai, né Carol, você não acha? Você bem sabe porque acabou de experimentar o pau dele enquanto eu chupava o pinto de seu pai. Falou isso com uma pitadinha de ciúmes pois o pai dela havia comido a bucetinha e o cuzinho da Carol antes dela. E pela carinha dela ela gostava de ter aquele pinto enorme sá pra ela e estava acostumada a gozar naquele pau frequentemente.rnTerminamos de gozar várias vezes da maneira mais deliciosa que existe, já que toda a vez que lembro desse fato, não importa onde, meu pinto fica duro e meu tesão aflora que sou obrigado a bater uma boa punheta pra não passar vergonha com o pau duro na frente dos outros, homenageando aquelas xoxotinhas tão pequeninas mas tão vorazes por um pinto quente e duro.rnNo dia seguinte ele me mostrou as fotos no computador, nossa! Eram tão nítidas e escandalosas que nem reconhecia nossas filhinhas ali, sá sei que dias depois fizemos mais uma sessão de fotos para ele e comparamos a bucetinha da Carol antes e depois de desvirginada, a diferença era grande, pois antes tinha uma membraninha fechando e agora nem sinal dela. Ele também a ensinou a chupar e a engolir sua porra e dizia ela:rn- Uma delícia papai, é tão salgadinha e gostosa que dá vontade de chupar o dia inteiro! Virou uma bezerrinha. E a Priscila também me ensinou a ejacular naquela boquinha de um jeito que ela adorava e depois me deixava seco pois não tirava a boquinha até a última gota enquanto seu pai metia por trás o pinto na sua bucetinha rosadinha e ela gemia de prazer. Hoje gozamos pelo menos três vezes por semana.rnQuem gostou escreva pra nás:[email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos socando a rola na negrinhacontos eroticos de quata feira de cinzacontofudi minha cunhadacontos de chorei com a pica de meu avô no cuwww.contos eroticos de trindo sendo leiloada.comcaralho de crioulo pornflagrei conto gaycasada se vendendo pro caminhoneiro-contoscorno mijado contosContos duas safadas com um machoQualquer coisa agreciva por sexo incesto contoscontos eroticos no casino pagou com a mulhercdzinha dando bundinha vestida de sainha rosa gosando gostoso sem tocar no pauSentei na pica e cavalguei gostoso com a pica dentro parei prazercontos eróticos meu segredonegra sendo humilhada e obrigada a engolir vomitoContos eroticos sobrinho da rola grande e grossa pegou a tia e fes ela desmaiarmeu compadre tem fantasia herotica cm migo o q devo fazercontos eroticos de madame cm entregadoconto erotico praia de nudismoConto erotico virando gay cem quere e a força e chouvido no quarto a irmã transandoconto erotico catador de papel comendo.buceta da novinhaminhas duas irmãs conto eróticocontossexo minha mulher negro pausudofundura da buceta midindo pornopriquitor porinterocontos eroticos comi a mulher do traficantecontos eróticos de mães e filho de pau grandecontos eroticos minha vizinha dos sonhosxvidio travesti lisarolarola na professora contocontos de coroa com novinhoQuando eu era pequena meu primo comia meu cu e eu peidavaEu morava sozinho na cidade a filha do meu amigo ela veio do interior pra ela ser minha empregada conto eroticocontos eroticos tia deu pra mim e primoencoxada onibus apagado contoscontos mulher espreita homem a masturbar-sechantagiei a mulher do colega que traia ele conto eroticocontoscomi minha cunhadinha dormindocontos eróticos lanchacontos fui encoxada no onibus e meu marido nem percebeuDei meu rabo e não me arreoendosex zoo com o cão fora do normal no doti contos eroticos minha mae peludaconto erotico no colocontos erroticos deixei o cu da minha prima todo abertocontos comeram minha mulher no colegiotive que dar contos eróticosmeu cu e meu genrocontos tia rabuda exibindo calcinha de perna abertacontos eróticos gay com homens dotados no churrascominha sobrinha eu vou sempre fuder ela no motel conto eroticoContos eroticos de patricinhas trasando com os ficantescontos eroticos cegoporno zoo insesto e dominacao en contos eroticoscontos erotico minha patroa faz nudismocontos de quen comeu coroas dos seios bicudossapata velha greluda e ninfetaconto real meu vizinho me estuprouconto monte de calcinhas sem lavarcontos eroticps o coroa bombou mesmobocetinha sem nenhum pelo e piquenininhcontos eroticos com enteadacontos eroticos cunhadocontos pornô de incesto meu pai curou o trauma que eu tinha do meu corpinho sem graça, baixinha magrela e sem peitosMeninas novinhas de onze e doze perdendo a virgindadecontosMeu sobrinho me fez gozar gostoso contos eroticos de gayscontos eroticos minha esposa eo porteironamorada virgem.contocalcinhas usadas da minha tia contoscontos eroticos casadas 50 anoscontos dei um beijao na boca do meu tiodei para o comedor do bairro filhos contopau pulsou na bocacomi o cu da enteada - contoscontos gays tio e sobrinhocontos eróticos fudendova esposa e a filha do amigo