Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

FANTASIA DA MINHA NAMORADA PUTINHA.

Tudo começou numa ginástica laboral lá do meu setor, não imaginava que algo inocente pudesse terminar no que terminou.rn Depois dos exercícios individuais, sempre fazemos uma seção de massagem em dupla. Uma pessoa senta de frente pro encosto da cadeira enquanto a outra por trás passa duas bolas de massagear nas costas, depois trocam de posição.rn Aquele dia fiz dupla com Fernanda, uma estagiária que chegou um pouco depois de mim aquele núcleo. Fernanda sempre ia arrumadinha demais e a princípio não via nada de interessante nela. Pernas finas, baixinha... Com o tempo e aproximação fui notando sempre que conversávamos como seus seios era bonitos, volumosos, e, por mais que a blusa fosse comportada, eles pareciam sempre querer pular dali. Nesse dia ela estava de blusa branca de botões, peça com cara de trabalho mesmo, e seus peitos ali forçando os botões. Mesmo assim, sá havia notado, nada que me despertasse vontades.rn Voltando... Quando Fernanda sentou de costas pra mim para que eu começasse a massagem, delicadamente retirou os cabelos da nuca para que não atrapalhassem, e o cheiro bom, não sei se do cabelo ou de seu pescoço, me chegou. Estantaneamente, me imaginei beijando aquele pescoço e lambendo verozmente, e descendo a mão por dentro da sua gola branca até chegar nos seus peitos, sentir os bicos tocando a minha palma. Apertaria com brutalidade, e arrancaria aqueles botões afastando os peitos com a mão, enquanto lambia pescoço, nuca e orelhas.rn Nossa, viajei por instantes e me repreendi por ter pensado aquilo. Pobre Fernanda, se soubesse da minha mente maliciosa jamais permitiria que eu lhe fizesse massagem.rn Meses depois, a equipe toda viajou para realizar uma palestra em conjunto noutro estado. Ficamos alojados numa espécie de pensão, mas arquei com as depesas de um quarto individual, geralmente faço questão de privacidade. Até porque tenho costume de me masturbar sempre antes de dormir, e não abriria mão disso nos dias que passamos lá.rn Cada um se alojou nos seus respectivos cômodos assim que chegamos. Quando anoiteceu, todos já prontos para dormir foram bater um papo no terraço, mas eu me recolhi cedo, sá queria bater uma gostosa pra dormir. rn Fernanda deu por minha falta e foi até meu quarto perguntar porque eu não estava entre eles. Eu estava ainda sem roupa, coloquei uma camisolinha pequena por cima sá para abrir a porta. Ela ficou insistindo para que eu saísse do quarto, e por educação ainda passou um tempo lá conversando comigo, enquanto eu passava creme no corpo. Eu um momento, de costas pra ela, apoiei uma perna na cama para passar o creme esquecendo que estava ainda sem calcinha. Fernanda falava enquanto via minhas pernas e um pedaço de minha bunda torneada e morena. Quando me virei percebi que ela estava tentando desviar o olhar do meu corpo enquanto falava, mas tentada a continuar observando.rn Ela se despediu e foi ao encontro da turma. Eu deitei e fiquei a buscar inspirações para ter um orgasmo gostoso antes de dormir, acariciando minha buceta e sentindo-a ficar molhada aos poucos. Quantos caras não gostariam de fudê-la naquele momento, ensopada daquele suco, toda aberta, grelo inchado... Apertava meu peito, esfregava o tabaco feito louca! Tava muito gostoso, imaginava foda de todo jeito, cheia de tesão, prestes a gozar... Quando novamente ela entra no meu quarto, e dessa vez sem bater, vindo me perguntar de novo se está tudo bem. Não estava gemendo na hora, mas a respiração ofegante com certeza ela ouviu. Acendi a luz na mesinha de cabiceira e, constrangida, tentei dizer que me sentia meio cansada, por isso respirava fundo, e Fernanda veio em minha direção me olhando estranhamente, senti um quê de malícia na sua expressão de quem tinha notado o cheiro forte de buceta no ar. Parece que Fernanda não estava tão inocente. O tesão que tinha ido embora de repente quanto ouvi a porta sendo aberta, voltou na hora em que observei que a camisola que ela usava já não era a mesma da primeira vez que foi até meu quarto. Era branca de cetim, fina, mostrando os bicos duros apontando, de alça e meio decotada. Nossa! Tavam mais gostosos do que nunca.rn Sentou-se do meu lado e começou a concordar comigo, afirmando que eu parecia estar mesmo doente, passando a mão na minha barriga, no meu tárax carinhosamente. Mas eu saquei tudo. Fernanda se esticou provocativamente por cima de mim para alcançar um objeto do qual falava na cabeceira e eu não resisti quando vi em cima do meu rosto aquele busto, abaixei somente um pouco a camisola e finalmente meti a boca naqueles peitos apertando com as duas mãos com vontade. Na hora que me agarrei naqueles peitos tive uma vontade imensa de gozar, mas segurei, sá estava começando. Ela respondeu na hora encaminhando sua mão a minha buceta já molhada e começou a enfiar o dedo. Com as mãos ainda nos peitos, joguei Fernanda com tudo na cama e sentei em cima de seu quadril, continuando a mamar feito louca. Nos beijávamos e nos lambuzávamos rapidamente, até que ela veio pra cima de novo e desceu a boca até minha buceta começando a chupar. A língua firme pressionando meu clitáris, a língua pontuda entrando na buceta, a língua rápida, me fazia gemer muito e puxar o rosto dela contra mim, lambuzei aquela cara toda, rebolei no seu fucinho.rn Depois foi minha fez, puxei Fernanda pra cima do meu rosto, ficou sentada segurando no espelho da cama e eu me lambuzando por baixo dela. Buceta gostosa, suguei muito aquele pinguelo, lambi de cima abaixo e fiz gemer muito aquela cadela. Bebi todo seu caldo.rn Pra terminar gozamos ainda mais uma vez esfregando e estapiando a buceta uma da outra. A safada mamou muito meu peito também.rn No dia seguinte descobrimos que nosso amigo do quarto vizinho tinha percebido tudo. O nojento veio perguntar ironicamente porque eu tinha feito questão de um quarto sá pra mim se Fernanda pôde dormir comigo, falou que na práxima vez queria "participar". Vou confessar que sempre me senti atraída pelo jeito de macho desse cara. Mantinha a pose de intelectual, mas sempre achei que fosse bom de cama, cachorro. Aqueles pulsos grossos e as mãos grandes me indicavam uma boa pegada. Sempre que o via sentado com as pernas grossas abertas, tinha vontade de montar naquele colo. Como seria o pau dele?rn Até a noite, Fernanda já tinha dado corda suficiente ao cara. Todos foram conversar no terracinho como no dia anterior, tomando um vinho e dessa vez eu estava com eles. Fernanda, depois de ter conversado bastante com o rapaz, veio me perguntar se não podíamos terminar o vinho, os três, no meu quarto. Concordei.rn Continuamos o papo no meu quarto, e depois de umas já estávamos bem "soltinhos". Os assuntos já não eram do trabalho. Até que ele começou a falar que havia ficado a noite toda ouvindo nossa transa, bastante curioso imaginando como estávamos fazendo. Pediu pra ver um pouco do que fizemos, disse que ficaria a olhar.rn Fernanda e eu começamos a nos beijar, de um jeito bem safado com as línguas à mostra e as mãos assanhando os cabelos e começando a passear pelo corpo; eu segurava firmemente seu rosto e mordia seu queixo. Quando olhei pro cara, estava com a rola pra fora, punhetando enquanto via a cena. Reparei nela, que rola gostosa! Cabecinha rosa, tamanho e largura perfeita. Eu realmente cavalgaria muito naquele colo. Fiquei tentada a chupá-la, mas ele logo disse: "Continuem!"rn Fernanda se abaixou na minha frente e foi levantando meu vestido devagar com as mãos passando pelas laterais do meu corpo, beijando a parte que ia ficando descoberta. Beijou minha buceta por cima da calcinha, colocou a língua quente no meu umbigo, ficou girando dentro e em torno, lambendo desse jeito. Puta! Me deixou louca. Continuou subindo e começou a mamar meu peito. Terminei de tirar o vestido e sentei na cama enquanto a puta mamava, fiquei me masturbando ensopada, e o cara levantou a saia de Fernanda pra ter uma visão melhor enquanto ela tava de quatro. Daqui a pouco ele estava do meu lado, com a rola na minha cara esperando um boquete! Na hora eu caí de boca, que delícia de rola! Mamaria até agora, aquele caralho. Fernanda desceu pra minha buceta nessa hora.rn Depois de ter chupado muito a rola, peguei Fernanda. Ficamos eu e o cara mamando aqueles peitos, cada um em um. Mamávamos e nos beijávamos, e voltávamos pras tetas, e chupávamos juntos, misturávamos as línguas no bico e cuspíamos neles.rn Depois o cara veio pra trás de mim e me puxou bruscamente pelas pernas, me afastando dos peitos de Fernanda e me arrumando de quatro, encaixando atrás de mim e empurrando minha cabeça pra chupar aquela buceta. Socou gostoso, o nojento realmente sabia meter. Espancou minha bunda enquanto fodia. Eu não sabia se gemia ou se chupava a puta.rn Quando quis parar, o cara arrastou Fernanda pelos cabelos pra lamber minha buceta lambuzada e meu cu, queria socar nele agora. Eu fui no céu com aquela chupadinha no cu, preparou gostoso pra eu levar pica nele. Fernanda arregassou minha bunda pro cara enfiar.rn Me fudi! Foi muita rola na bunda. Socou com tudo, tive vontade de gritar. Até que ele foi fuder Fernanda; eu saí do meio e ele a pegou como estava, arreganhada na minha frente. Nessa hora sentei na cara dela pra ser chupada. Fiquei de frente pra ele nessa posição, que às vezes se inclinava pra me beijar e estapiar meu peito. Muito bom rebolar na cara dela, abri minha bunda com as duas mãos e esfreguei com vontade.rn Depois foi a vez dele de deitar. Fui cavalgar pra matar a vontade que já tinha, sentei naquela rola e quiquei muito. Fernanda sentou nele e ficou sendo chupada. As duas cheias de tesão tentando se pegar nessa posição, algumas vezes, pra trocar uns beijos lambuzados e uns apertos nos peitos.rn Ficamos as duas de quatro pra que ele lambesse as duas xotas e enfiasse na que quisesse e depois fomos dividir um boquete no cara. Chupei o ovo enquanto ela mamava, depois fui mamar enquanto ela chupava em baixo, depois labemos juntas o pau inteiro, de cima a baixo, cuspidas pra ficar bem babado, e ficamos dando lambidinhas rápidas na cabecinha, deixando ele louco. Gozou na cara das duas e terminamos nos lambendo.rn Foi a viagem a trabalho que mais valeu à pena. Desde então sempre marcamos programinhas de fim-de-semana, feriado, recesso... Os três, ou as duas! Haha.rn rn

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


porno agiota estouranda a buceta da mulher do devedocontos eroticos com a velha vizinha cabeludaContos eroticos ninfomaniacacontos eroticos travestis fudendo frentistas do posto de gasolina gaysporno traviti daboda grandecontos eróticosde lésbicasuma dp muita dor mais deliciosa conto.coroas peitos durinhos bicudo bundas gggwww.dei a buceta com dez anos contocontos eroticos formatura da secretariaContos tia de saia curtaContos eroticos punheta com o pastorconto porno meu irmao me comeu eu dormindocontos eroticos caminhoneiro obriga meninachantagiei minha irmã parte 2aluna coroa contomadrinhas branca da bunda empinadacontos bolinadas no parqueeu quero ler contos eroticos com mulheres que adora da pra homens da pica de cavalocontos eróticos pai e amigoscontos erotico me foderamconto branquinha casada trae com negoescontos eroticos escravoalgus dono de escravos estrupavão escravascontos eróticos encontrar minha antiga namorada depois de 30 anosconto erotico leitinhoeróticos ah ah aaaah chupa a minha bucetinha vai ah deliciative dar para um dotadoconto erotico pm macho batalhão estocadascontoerotico virgem pai 2filhasLora dismaiando no cu no anal em tres minutosvidios mulheres pelada mais o amigo e diz a ele pra bater ponheta na boca dela e derama galaconto cu de mae da sograsContos corno mansoconto incesto cunhadaporno sujo porra na boca guspe mijos e muita porcariaconto gemendo no pau do pone taradopornô compare com a comadre faz ela gozarencoxador no tremgay seduzindo hetero abaixando preso da casa so pra transarcontos eroticos esposas adora pau grande e muita porra levei ela pra dar pum cavaloxvideo mobile meu pai me castigouVideos porno porra boca raquel falando do prazer gozou duas vezes na sua bocaContos engoli porra grossa grudentarasguei a camisinha sem ela perce er e gozei dentro/contoscontos eroticos mulher castiga o homem emagando o saco e dando soco no saco contos incesto comendo minha mae no parqueminhas filhas piquena bricano com cachorro contos zoofiliaContos minha nora enfiou o vibrador no meu cugay surra chinelo putinhamulher rebolando de costa para o espelho de fio dentaleu com minha pica machucada e ainda comi minha namorada contos eróticossubindo na escada de saia para ajuda pintor pornocom mulher esforçado nos baile funkconto erotico sogra Alzheimercontos eroticoc de senhoras casada se vingando dando o cu pra negoesgordo pintudo conto teenscontos coroas amazonensescomi minha vó e mae contoscontos eróticos apanhado chorei muito e fiqueicom a buceta toda vermelhaContos eroticos pai q criou a filha sozinha trepando cm a filinha virgemContos eroticos drogada cuconto meu marido choro quando o negao me estrupominhaesposa numafesta-contos reaisconto erótico mulher é domada e faz marido assistir ela traindoa posição cavalgada pode machucar o útero.?'contos eroticos domia ele cospi nu meu curelatos minha esposa dando a bundinha eu chupando a x******contos de mulheres que colocaram silicone no seioContos eroticos corno panacacontos eroticos a crentinhacontos eroticos de mae chupandocontos eróticosgaysmeu primo de menorcontos eroticoscomendo.sograscontos eroticos gozando dentro da novinha