Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

A AMIGUINHA DE MINHA IRMÃ: SEGUNDA TRANSA.

Antes mandei uma transa q tive no São João com uma amiga de minha irmã q dormiu aqui em casa. Já me descrevi e a ela da outra vez q escrevi. Depois da transa fui pro meu quarto e ela voltou pro quarto de minha irmã. Tava cansadão mas sá dormi até umas oito horas e acordei pensando nela pra meus pais não pegarem nada. Se eles imaginassem q fudi a mina no quarto de minha irmã quem ia se fuder era eu. Mas foi td na boa, a gente acordou tomamos café e Priscila ficou na dela, como se não tivesse rolado nada. Vi logo q a putinha era safa e fiquei mais tranquilo. A gente deu um tempo e como tava chovendo ficou na sala vendo tv, de vez qdo a gente se olhava e sorria. Meu pai pediu pra eu comprar jornal e ela perguntou se na banca tinha revista, disse q sim e ela perguntou se tb podia ir pq queria compra uma revista. Pri era safa mesmo, a gente desceu e ninguém ficou ligado, sá minha irmã q sabia q a gente tinha trepado e sacou q a gente ir levar um papo sobre a transa. No elevador ela me abraçou e beijei logo ela, passando a mão na bundinha. Ela sorriu e me beijou mais forte. A gente chegou no play e saiu conversando. Perguntei como ela tava, se tava legal, ela disse q estava um pouco dolorida na xana e q parecia q tinha perdido a virgindade de novo, eu disse q era normal mas q logo ela ficava na boa, ela concordou e disse logo q queria q eu não pensasse mal dela, q ela não queria trair o namorado, q gostava dele e tava com vergonha pq não tinha resistido, tava se sentindo culpada e envergonhada e q ia ligar pra ele pra terminar o namoro e q não tinha nem coragem pra olhar ele de novo. Pensei, porra q mina boba, é menina nova mesmo, mas vou administrar a situação pq quero meter muito nessa bucetinha mas não quero ela pegando no meu pé, o corninho tinha q ficar na área. Ai disse logo: Pri desencana, não rolou nada demais e vc não tem culpa de nada, a gente fez amor e foi mais forte q a gente, tinha q rolar, vc é muito gata e linda eu tb não resisti e ai dei o maior caô nela, dizendo q ela não podia fazer isso com o cara, terminar por fone, era sacanagem, q o cara não merecia isso, se ela ficaria feliz se ele fizesse isso com ela. Ela se convenceu mas perguntou como a gente ia namorar sem ela terminar com ele. Pensei, porra putinha vc tem muito q aprender a fuder pra namorar comigo mas ai disse Pri ele não vai atrapalhar em nada e é até bom pq os pais dela podiam embarreirar pro eu ser mais velho q ela, q a gente ficaria sem ninguém saber e perguntei qual o lance dela com o corninho. Tinha sido o primeiro cara sério dela, q tavam namorando tinha seis meses e q ele tirou o cabaço dela no terceiro mês de namoro, eles transavam as vezes e gostava muito dele mas q comigo tinha sido diferente, foi um prazer muito forte, q ela nunca tinha sentido aquelas coisas, q achava q meu piru era duas vezes maior q o dele, qdo ela falou isso e ainda chamou de piru dei uma risadinha de ver como ela era novinha e inexperiente. Ia botar Pri do meu jeito, ensinar ela a fuder como gosto e o corninho tb ia ganhar pq a foda com ela ia ficar dez. Sá não queria ela pegando no pé. Ai disse gata vc quer namorar comigo, ela toda alegre disse q queria sim, eu ai falei q a gente era namo agora mas q ela não podia falar com ninguém pra não dar erro pra mim, q topava q ela namorasse o cara tb e q com o tempo ela ia dispensando ele pra não magoar o cara e ele depois não ficar bolado na gente, esses lances, tipo fui amigão do meu sácio, risos. Calculei logo q qdo ela tivesse fudendo beleza eu ficava com ela pra comer e o cara tirava de namorado. Ai rolou, ela disse q era mesmo melhor assim. Ai a gente se beijou e senti logo vontade de meter pica naquela vadia. Mas não tinha aonde a gente ir. A gente foi na banca e comprou as coisas e depois voltou pro prédio. Tava excitado e a fim dela de novo mas não tinha lugar pra fuder aquela putinha tão novinha. A gente pegou o elevador e apertei o ultimo andar, ela estranhou e foi apertar o andar onde moro, disse fica na boa. A gente desceu no último e levei ela pra escada. Perguntou o q a gente ia fazer e botei o dedo na boca pra ela fazer silêncio. Subi com ela pra um lugar lá em cima onde tem a caixa de água e fica vazio, peguei logo metendo o beijo na boquinha ela, falou o q vc quer Paulo, se alguém pegar a gente aqui, disse fica na sua gata, confia, não faz barulho. Meu dedo procurou logo a bucetinha dentro do shortinho q ela tava usando, em segundos o shortinho tava nos joelhos e a calcinha tb, ai vi q ela tava de absorvente, perguntei se ela tinha menstruado e ela respondeu q não mas q tava usando pq tava muito ardida das transa da noite e q tava preocupada em ter algum sangramento. Tirei o treco e joguei no chão, o dedo entrou logo facinho, ela gemeu e se soltou na minha mão, com um dedo na buceta procurei o cuzinho dela com a outra mão e brinquei com o dedo na portinha, forcei e coloquei um dedo no rabinho enquanto dedava ela de frente, ela falou em minha orelha, não faz assim Paulo, assim vc me deixa doida. Perguntei tá doendo, ela disse faz o q vc quiser. Beijava e lambia ela todinha, minha língua dançava naquelas orelhas e comecei a sentir ela ficar melada, disse gata vc tá ensopadinha, ela respondeu vc me deixa assim. O mel tava descendo forte, qto mais dedava ela mais ela se melava, meu pau tava estourando no short, qdo vi q Pri tava no ponto fiz ela se apoiar na escada empinando a bundinha pra trás, olhei o cuzinho lindo, rosadinho, abri a bundinha daquela putinha com as duas mãos e meti a língua no xicotinho dela, ela gemeu forte e disse Paulo vc faz cada coisa. Lambi muito aquele cuzinho sem tirar o dedo da buceta de Pri, ela gemia e se contorcia no ritmo de minha língua e a vontade q me dava era meter pica naquele rabinho e fuder ela todinha mas resisti imaginando q não era naquela escada q queria o cuzinho dela, ela ia me dar mas em outra hora e outro local. Levantei e ajeitei ela pra penetração, encostei minha pica na bucetinha dela e empurrei pra dentro, tava facinho, toda melada, botei até o talo.Ela gemeu e soltou um “aiiii” bem baixinho, comecei a bombar até a metade, tirava e metia todo de novo, botei um dedo na boquinha dela pra ela chupar e não gemer muito, com a outra mão apoiava a barriguinha de Pri e meti pica nela sem pena por uns cinco minutos, fui acelerando mais e mais e qdo senti o gozo chegando empurrei fundo e despejei dentro daquela buceta várias golfadas de gala quente. Tava satisfeito e a gente não podia demorar muito, tirei a pica e olhei aquele buraquinho dilatado voltando a se fechar lotado com minha gala. Realmente é bom demais ver uma mulher naquela posição, toda fudida e galada por mim e com Pri não foi diferente, foi muito gostoso ver q estava começando a botar ela do meu jeito. Virei ela de frente e ela me abraçou pedindo beijos, dei uns beijinhos enquanto subia a calcinha dela e ela se ajeitava, com minha gala escorrendo pelas pernas. Nos arrumamos e saímos discretamente, descemos a escada e viemos aqui pra casa como se não tivesse rolado nada.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


porno anal mae filho em viagemcontos eróticos comendo vizinha sueli coroaContos eu transo com meu sogro pauzudoconto erotico gay colo tioContos eroticos cheirando calcinhas de vendedores no banheiroconto chantagem afilhadaporn contos babesitter em casa familiacontos eurotico de mulheres casadas enfermeira de 35anoscontoscomi minha cunhadinha dormindoporno grades com minha prima de ragericonto erótico papai obedecercontos comiminha primarabinho impinadinho em fio dental da irmaContos eroticos usando botas cano longofoda no escritório contosmulheres gemendo metendo em baixo do cobertorvideos porno pai afunda as tanga da filha virgemcontos eroticos traindo marido na viajandocomtos de travesty petdedo o cabasso do cuzinhocomida pelo sobrinho contos eroticos a travesti segurou em minhas bolas e empurrou 23cm no meu cuConto de putaria com todos os machos da faveladei meu cu pra um bebado desconhecido contos gayconto erotico lesbico chupa meu grelinho ai vou gozar isso não para ai ai ai to gozandowww.conto eu vi o pedreiro mijandocontos eroticos de transando com a cunhada casada com o consentimento do seu maridocontos travesti e mulher casada juntas dando o cu pra homem e o cãoconto dpcontomeu pitbol mim raboumulher aguentamdo casete de cavaloTodos adorao meu cuzinho contos eróticoscontos de casada rabuda fiel e fogosa cantadasentei no colo do meu colega no onivus e ele ficou muito excitado contos de mulherFiquei parado olhando a bunda delacontos eroticos a gostosa da jussaraContos eróticos japonesafui comida peloamigo transexual contosna davela os homens nao tem frescura conto eroticomulher chama homem pra chupar sua b***** dela já foi gozar e alguns amigos queridoscontos.porno fui dar banho na minha filhinha e acabei enfiando o sabonte no cuzinho delacomhendo ass evangelicas contos eroticosconto seduziu heterocontos eroticosirmazinhacondos erodicos primas perdi meu cabaço para o patrao sobre chantagemulher louca de tesão gozando no peito na boca o dedo na bocacontos eroticos cu e bucetaconto eróticos mendigo batendo punheta na rua da minha casacontos eroticos - arrombando cuzinho"anelzinho aberto" gay contocontos eroticos meu primo mauricinhoflogdosexo.compauloelizabetho cu da minha esposa e meu contonega do cu conta como deu o cu contoscontos de meninas safadinhacontos eroticos no escurosou rabuda viajando.contos eroticosmeu namorado pediu um tempo fiu pra balada e aprontei conto eróticosvideo de homens nu de pau grosso e barriguinha salientecontos eroticos o porteiroContos eroticos/minha sogra cavalonao que é momeceicontos eroticos no escuroconto incesto de tanto pai insistir depois de muito tempo filha deixa pai meterconto esposa chantagemComtos mae e filha fodidas pelo empregado do maridocontos reais punheta gozadassubi a saia da e comi minha empregada vadiacontos a punheteira do papaicontos erotivos aconteceu em monteverdeconto erotico com prima de nove anocontos eroticos tia da esposa dormiu em casacontos heroticos gay meu primo de dezessete me comeu dormindo quando eu tinha oito anosRelato minha mulher no shopping sem calcinhanunca tinha visto um pau tão grandegostosa banco da bike shortinhowww contos eroticos de incestos como minha mae e minha irmaconto pequeno titio queria agarrar os seio da mocacontos peguei minha esposa fudendo com negao na nossa camac erotico metendo com a molecadaencoxando coroa casada em Jundiai conto realconto gay o negao comeu meu cu