Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

SILVIA, A DEUSA ANAL II



Lá estava desfalecida de tanto gozar com a língua do meu estranho possuidor enfiada no meu cuzinho!! Abro os olhos e vejo dessa vez, a poucos metros de onde estávamos escondidos, o oficial loiro se deleitando com a rola do negro com a boca. Meu desconhecido amante está me abraçando por trás e me acaricia a xaninha, que aos poucos vai saindo daquele torpor de apás gozo. Ele me beija a nunca e me morde a orelha de mansinho, me dizendo coisinhas em meu ouvido que eu não entendo, mas que me parecem ser bem sacanas!!

Eu tento reconhecer aquela voz e me dá uma vontade louca de desvendar o mistério de quem é aquele que esfrega sua torona em minha bunda!! Me viro repentinamente e vejo um homem uns dez centímetros mais alto que eu, forte e magro... mas com uma encharpe lhe encobrindo a cabeça e metade do rosto, mesmo a boca!

Eu sei que ele me vê através do fino tecido. Ele leva o dedo aos lábios como pra eu silenciar, põe as duas mãos em meus ombros e me vira novamente, voltando eu a ver o loiro esfregando a pica do negro no rosto enquanto chupa o saco dele!! Aquilo me excita tanto!

Eu quero sentir a sensação de ter o volume de carne na minha boca! A curiosidade e mais o instinto de boqueteira já transparece em mim! Eu, então, levanto o braço e aponto nitidamente na direção da boca e do caralho, que parece uma coisa sá! Meu desconhecido macho leva alguns instantes para entender, e então sinto ele tirar a echarpe do rosto, dar diversas dobras no pano e colocá-la por sobre os meus olhos. Amarra atrás deixando apertada, mas confortável. Me vira de frente pra ele, desabotoa todos os botões de meu vestido, que se abre como uma camisa e me beija.

Me beija e sinto que ele tem bigode! Logo sua língua acaricia a minha bem de mansinho! Seus lábios são finos e os meus polpudos. Eu sinto uma necessidade de chupar aquela língua, de sorver sua saliva, e é o que faço!! Sou eu que fica mais frenética com o beijo!!

Sua grossa rolona consegue abrir espaço entre as minhas coxas e encaixar-se por baixo de minha xotinha, já toda melada!! Eu tento falar em inglês, em alemão minha língua natal, pedindo que ele me possua já!! Ele percebe o que eu quero e volta a mexer os quadris enquanto sua rolona resvala por entre as bochechinhas de minha boceta!! De repente ele me afasta de seu abraço e me despe completamente!!

Agora eu estava ali toda vulnerável, nuazinha em pêlo sobre um estrelado céu tropical, com a brisa oceânica me lambendo todas as células de meu corpo!! Me arrepiei não de frio, mas de puro êxtase!! Me virando, ele acaricia minha bunda, fazendo um dedilhar por baixo de uma das nádegas, ele chega finalmente ao meu anel rosado com a ponta do dedo médio e aí pressionando levemente, ele me faz entende para eu ir andando enquanto me guia daquele jeito!

Sensação maravilhosa e estranha!! Eu, nua, com os olhos vedados, caminhando com um estranho que tem uma mão entre minha bunda, me acariciando o cuzinho!! se demorássemos mais um pouquinho ao destino que ele me levava eu teria gozado de novo!! Pois o roçar de minhas coxas uma na outra e as caricias ao redor de meu cuzinho, fazia minha bucetinha gritar pra ser penetrada!!

Quando eu já estava prestes a me tocar, ele me fez parar e percebi que ele abria uma porta. Já lá dentro ele me beijava com tanto gosto que saliva escorria por entre nossas bocas. Ele parou, me virou de lado, me pediu para permanecer com os olhos fechados apás retirar a encharpe. Quando me mandou abrir os olhos, vi que estava numa sala ampla e as escuras, me virei prá meu amante que estava finalizando de colocar a encharpe nele.

Mais uma vez minha ousadia me guiou. Me guiou para baixo, fazendo eu me ajoelhar e sem nunca ter feito aquilo, abocanhar com sofreguidão a bolotuda cabeça do pênis daquele macho!! Notei que ele deu um pulo, mas me acariciando a cabeça e ao mesmo tempo a guiando, ele me fez sentir o tempo e o ritmo do entra e saí pelos meus lábios!! Depois de um tempo ele retirou aquela imensa coisa roliça de carne e músculos de dentro da minha boca e se sentou numa poltrona a uns dois metros de distancia. Acendeu um abajur e indiretamente iluminava aquela coluna de carne e de meus desejos e simplesmente me esperou!!

 Mein Got!! Ali estava eu, uma pura luterana alemã, casada a dois anos, com a aparência da atriz Silvia Saint, com a boca semi-aberta brilhando de mistura de saliva e pré-gozo, começar a andar de gatinhas para alcançar o meu objeto de desejo, que mais nada importava no mundo, do que sentir ser sufocada com aquela massa de músculos invadindo até minha garganta!

Não adianta descrever os práximos cinco minutos que eu levei pra aprender a chupar sua rolona e a meia-hora seguinte até ele explodir dentro da minha boca e toda aquela sensação de sentir pela primeira vez o gosto de semem do homem que nos domina!!

É claro que me engasguei um pouco, mas ele foi delicado o bastante por não se mexer e deixar que eu fizesse o vai-vem com minha boca enquanto ele controlava seus espasmos!! Eu me admirava com o meu poder de sentir a energia de um macho passar para dentro de mim!!

Aos poucos ele se refez, comigo ainda acariciando sua rola com lábios e a língua, dando esporádica chupadas. Me tornara a partir daquele momento uma bela boqueteira!! Eu sabia que a melhor das melhores poderia fazer igual,mas não melhor ou diferente! Comecei a amar o pênis do macho,não ele em si!!

Queria mais! E falando em inglês, perguntei a ele o que os dois, o loiro e o negro, faziam um nas nádegas do outro! Ele simplesmente me fez virar e colocando uma almofada tipo banquinho para eu apoiar minha parte posterior, ajeitou minhas nádegas fazendo eu as empinar o máximo e disse para eu relaxar e não ter medo. Então lentamente ele deu início ao meu defloramento anal!!

Eu estava ofegante e perto de meu êxtase, sentindo aquela rígida coluna de músculos deslizando aconchegadamento pelo meu cuzinho!!

Eu, uma alemanzinha de 23 aninhos, casada há dois, gemendo feito uma gatinha, prestes a ter meu primeiro gozo anal, com um homem que até o momento não tinha visto sua face!

Heinz, meu maridinho dormia calmamente em nosso camarote, enquanto eu, sua pura esposinha pedia cada vez mais ao meu enculador que não parasse, nunca! Eu estava de quatro, com minhas carnudas nádegas bem empinada, as coxas juntas esfregando-se entre si com cada movimento de vai-vem da rola entrando em meu cuzinho,cuja pressão dentro de meu tubo anal, de um jeito ou de outro, fazia minha bucetinha se babar de tanto prazer!!

Meu estranho enrabador, ora segura minhas ancas com firmeza, ora deixa seu corpo encostar-se inteiramente em minha bunda e costas, me beijando freneticamente a nuca, o pescoço, ombros, me linguando a orelha, dando mordidinhas nela, me sussurrando doces palavras que não entendo, pois ainda não conhecia a língua portuguesa.

Já estávamos assim há quase quinze minutos e já começava a sentir o intumescimento da rolona avisando que iria explodir!! Meus sentidos também sentem a aceleração de que seria inevitável um tremendo gozo que me faria desfalecer de tanto gozar!!

O início deste meu defloramento anal foi um pouco difícil pois a rolona de meu macho era imensa, e eu nunca soube deste tipo de prática sexual. Embora eu estivesse mais excitada de que curiosa, a visão daquela tora de carne brilhando de minha saliva e do gozo que tinha dado a ele com minha boquinha minutos antes, me fazia querer de qualquer maneira que meu estranho encaixasse ela, a rola, dentro de mim, de qualquer jeito!!

Assim, de quatro, mas com o colo encostado numa almofada e minha bunda empinada num nível mais alto, meu macho, o corneador de meu maridinho, mais uma vez, beijou meu anelzinho rosado e enfiava o mais fundo que podia sua linguona serpeteante! Eu delirava com todas essas delícias nunca antes provadas!! Eu falava em alemão, em inglês, pedindo por mais.

Sua língua tornou-se um pouco mais volumosa nas partes internas de meu cuzinho, fazendo como faísca elétricas de prazer viajassem por todo meu corpo!! Ao mesmo tempo a língua de meu penetrador se tornava mais e mais volumosa e uma lancinante dorzinha se juntava ao prazer daquele contato de língua e anel do cu!! Eu sentia sua língua, agora bastante volumosa, já ter passado além da abertura de meu anus, cuja pressão daquele volume lingual o dilatava prazerosamente junto com um pequeno desconforto da expansão de meu reto!!

 De repente sinto meu enrabador me beijando o pescoço!! Mein Got!! Percebi então que era a cabeçorra de sua picona que tinha se encaixado no meu cuzinho faminto e dolorido! A gostosa pressão e o aperto de meu anus por um breve momento se tornaram dolorosos e lágrimas caíram de meus olhos. Meu querido enculador sussurra palavras de carinho, falando para que eu relaxasse. Ele práprio parando um pouco para que eu me refizesse do susto.

Eu então num lance de ousadia, respirei bem fundo, e fiz meu esfíncter se expandir como eu fosse defecar e empurrei minha bundinha de encontro à virilha dele, com meu anus engolindo lentamente toda extensão daquela tora de carne!! Soltei, com um alto urro, toda a respiração que tinha retido ao sentir meu reto totalmente preenchido pelo volumoso pênis, que ao mesmo tempo irradiava ondas de intenso orgasmo pelas paredes do meu reto, atingindo meu clitáris, meu útero, minha vagina, meus mamilos, meus lábios minha boca, minha língua, meus olhos, meu cérebro, tudo,tudo!!

Ali num navio rumo ao Brasil, no camarote de um estranho, estava eu, uma loirinha recém-casada, aparência igual à atriz Silvia Saint, com a boca escancarada sorvendo todo ar que podia para energizar o prolongamento do prazer de ter um pênis volumoso deslizando meladamente por toda minha extensão anal, enquanto meu magnífico deflorador me acariciava o corpo, espalmando suas mãos em ambas as bandas de minhas nádegas, ou com as duas mãos em meus ombros me puxando para si!

As lágrimas que caíam agora eram de puro êxtase que chegou como já disse inevitavelmente com toda pompa e algazarra que uma fêmea sente quando goza estupendamente! Os movimentos de entra e sai da rola em meu cuzinho param por um instante, ouço o macho urrar, urrar de novo, algo quente e liquido molhar meu reto, o vai-vem recomeçar, parar de novo, minha bunda ser apertada convulsivamente pela virilha do meu garanhão enquanto urros e vai-vens desencontrados selam nossos gozos!!.

Meu deflorador tem seu corpo relaxadamente abandonado sobre o meu, ainda com a rolona semi intumescida dentro de meu rabinho. Lentamente e ainda enganchados deitamos de lado. Virando meu rosto e ele se contorcendo todo, me tasca um beijo de macho dominador apaixonado! Sua língua se insere na minha boca, se enroscando nela!!

Então "le crème du crème" do orgasmo anal acontece, quando maliciosamente dou lentas reboladas e chupo sua língua, e sinto a rolona de meu magnífico macho se inchar novamente embora seu corpo esteja momentaneamente inerte!! Ele desfaz o beijo para puder respirar e se recobrar da surpresa e do gozo.

Com uma das mãos alcanço uma de suas bundas e o puxo para se encaixar mais em mim, aperto meu esfíncter ao redor de sua rola enquanto dou leves reboladas!! Ele fica estático, somente deixando eu usar sua rola em meu cuzinho, para meu práprio orgasmos!

Que chega de novo tão esplendoroso como antes! Minha cabeça caí pra trás encostando eu seu tárax, enquanto minha mão se crispa em sua nádega! O dono de meu cuzinho me beija a boca suavemente, mas colando com firmeza seus lábios nos meus, aspirando todo meu gozo que eu sopro com meu hálito!! Ele não se mexe, deixando que meus movimentos acompanhem o contorcionismo de orgasmo!!

A bunda de Silvia tremia quando minha virilha encostava-se a ela, formando pequenas ondulações em seus glúteos, e quando eu me afastava trazia junto minha tora de carne de dentro de seu anus faminto!

Silvia gemia manhosamente dizendo palavras que eu não entendia, fazendo boquinha de boqueteira com aqueles lábios abrasadores. D´outras vezes quando ela gozava, saliva escorria de sua boca escancarada e seus olhos se arregalavam hipnáticamente e depois se fechavam firmemente, pra logo a seguir vir o grito orgástico!!! Seu esfíncter apertava-se em volta de meu pênis tão fortemente que dificultava o lento vai-vem que eu tentava fazer antes de mangueirar internamente o anus dela!!

Um minuto antes dessa explosão do gozo de Silvia, estava ela de joelhos e os ante-braços cruzados, apoiados no estreito parapeito da vigia lateral (espécie de janela redonda) do meu camarote, quando vimos seu marido, Heinz passeando em conversa com um dos tripulantes do navio.

Senti o cuzinho de Silvia apertar-se em minha rola de tensão e susto! Acalmei-lhe sussurrando em seu ouvido que seu maridinho não podia nos ver, porque meu camarote estava às escuras, ao contrário, nás éramos quem podíamos vê-lo!! Dei-lhe um molhado chupão em seu pescoço, acariciava sua xotinha com meus dedos enquanto rebolava com minha virilha encostada em seu cuzinho!! Silvia relaxou, ao mesmo tempo em que ela mesma começava a rebolar e pedir pra eu ir mais fundo em seu anelzinho!!

Heinz e o tripulante pararam bem em frente à vigia e debruçaram na borda falsa (espécie de baulustrada em volta do convés do navio) conversando, sabe lá deus o quê, já que Heinz sá falava alemão e o tripulante no máximo arranhava algumas palavras de inglês!!

 Com minha boca beijando, mordendo e sussurrando sacanagens na orelha de Silvia, eu sentia todo seu corpo vibrar e tremer, enquanto ela também falava coisas desconexas em alemão e olhava languidamente para o maridão-corninho a sua frente!! Em segundos ela gozou encharcando meus dedos copiosamente, enquanto ao primeiro som de seu grito eu me contorci o máximo que podia e colei meus lábios em sua polpuda boca e minhas bochechas vibraram com as ondas de som que se formaram na minha caverna bocal!!

Os azuis olhos de Silvia se arregalavam enquanto ela era toda convulsão pelo torneado corpo que se contorcia inteiramente ao sabor do orgasmo!! Meu gozo veio em seguida, chegando a escapar, no percurso do vai-vem, um pouco de esperma que escorriam por entre as pernas de Silvia!! Ficamos alguns minutos ofegantes e depois relaxamos plenamente.

Estávamos deitados de ladinho com minha piroca semi-enrigecida aconchegada no anus de Silvia. Como das outras vezes, parecia que o primeiro gozo dela era apenas o prenuncio do gozo maior que ela iria ter agora, quando eu simplesmente mantinha minha rolona enchida em seu cuzinho enquanto ela ia fazendo os movimentos ao seu ritmo até explodir novamente num gozo mais forte!!Silvia começa torcendo a loira cabeça pra receber minha língua em sua boca em uníssimo com meu músculo roliço em seu anus e lentamente inicia o rebolado.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Meu primo caralhudo fodeu os meus cabacinhoseu sei que ele quer um pau, contosirma baby doll contosmeu marido liberou também conto cucomi meu aluno lercontos curtpsContos eroticos esposa novinha com marido e amigo pintudoconto erotico pedi um desconto para o gerente e ele me encoxoufui criado para ser gay Contosmetendo devagar na buceta da minha irma dormindo no escurocontos de coroa com novinhomeu aluno cacetudo contosnovinha com peso na barriga usando churrasco de vídeo pornôcontos eróticos gay marombasMeu nome é Suellen e essa aventura foi uma delícia.rnSempre nos demos bem, erámos vizinhos e amigos. Eu tinha 18 anos, ele 16. Nossas casas são práximas, tanto que a janela do quarto dele dava pra janela do meu quarto. Eu sempre gostei de provocá-lo,Contos eroticos caralhooocontos adoro dar minha bundinhacontos eróticos vi meu vizinho transandocontos sexo meu filho meu homem contos eroticos do vovôcontos depilaçãopoi ve a folha fundedo com o primo dentro de casafilha de diplomatas conto heroticoLora dismaiando no cu no anal em tres minutoscontos com fotos flagrei meu marido com a viúva do vizinhocontos eróticos de negrinhas que gosta de fuder com homem brancos mais velhossenhora trsansandoesposa cheia de porra na praia de nudismo casa dos contosmarido pega mulher f****** com sogrão contos eróticosconto erótico greludinha amiga chupa chupa flagracontos gay o vizinho cadeiranteContos eroticos abusada pelo velho bebadoCarona andarilho sexo gayera menina meu primo batia punheta pra mim olharSeios enrrigecidos da minha esposabuceta praia toninhas contos eróticos frio chuvaconto crossdresser.vestido de minha esposacontos deixando por no cúcontos de corno no cinema com 2 negros bem dotados estuprada esposa loiraCasada dificuldades financeiras e velhos dotados contos eroticoscontos etoticos casais disputam bunda maior das espisasNovinhas sendo arrombadas por patrão e peões na fazenda contos eroticosconto erótico Eu e minha filha damos o c* para o meu maridoconto erótico novinho escondidi escurotravestis tomou tempo pau não subirhomem chupando bucetinha para o pasteleiro escondidofui atraida pelo negao e ababei dando pra elevideo erotico de irma fode com pai rrnai tio e primomulher tranzndo com ponei realcantos eroticos muitapica no meu cumeninas não percebem de shortinho com a x******** parecendo ladocontos eroticosmasturbando o cuzinhoSou envagelica, Meu amigo negão roludo comeu meu cú. Conto erótico heterossexual.amigocome casal conto eroticocontos de minha sogra cheirou minha cuecaacabei comendo meu amigocontos eróticos fodida com sadismoA esposa crente e o prazer do gemido na penetraçãoContos erotico como minha cuinhada mais velha de 45anos.tiradp o cabaso da novimhaconto menina safadinha anoscontos eróticos dopei namorado eu e amigamenino tarado contosconto erótico meu marido bobãoconto eróticos dei para meu sobrinhoComtos mae e filha fodidas pelo empregado do maridoConto erotico mamae deixou papai come meu cu em quanto chupava elahistorias de sexo eu e minha madrasta bia de raboinseseto commforcacontos eroticos iniciaçao gaycontos de corno acampandomeu pai me comeu contos eroticosru e a amiga da minha esposa contoala pediu eu gosei no cu delaconto - bundinha durinha , cuzinhoapertado