Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

NINFETA ESTUPRADA I - NICOLE, PARTE 1

Oi! Eu sou a Nica, esse é o primeiro conto de uma série, espero que gostem, se me pedirem direitinho eu conto mais... adoro receber e-mails!__________Ninfeta estuprada I – Nicole parte 1



_____Oi, Meu nome é Nicole, eu tenho 19 anos e era virgem até há pouco tempo. Eu sei que tenho um corpão, sou morena clara, de pele bem branquinha e de cabelos negros lisos, minha bunda não é enorme, embora seja gostosa e eu tenho as coxas grossas. Mas minha melhor parte sempre foram os seios, meus peitões já são imensos, redondos com mamilos pontudos e sempre durinhos. Eu sempre me achei um pouco cheinha, tenho 1,58cm e 60kg, mas com 108 cm de busto. A bundinha também não é de se jogar fora, mas é realmente nas tetas que eu desmonto os caras, eles perdem os olhos nos meus decotes.



_____Gente, vocês não fazem idéia de como as minhas tetas já são grandes! Parecem dois enormes montes, generosos e bem branquinhos, para ter uma idéia, os meus seios são maiores que os da Mari Alexandre! Meus mamilos são sensíveis e já muito desenvolvidos, ficam durinhos à menor mudança de temperatura. Usar camisetinha fininha é um verdadeiro atentado ao pudor! Todos na rua, me olham com más intenções.



_____Eu sou bem patricinha, do tipo que sá veste roupa de marca e sá vou para lugares caros, eles são os melhores, é claro, e sempre estudei em colégio particular! Minhas amigas são as garotas mais bonitas e ricas da sala e sá saio com os garotos mais ricos, eu gosto de tudo do bom e do melhor.



_____Muitas pessoas no prédio e no colégio dizem que eu sou muito metida, que eu sou nojentinha, mas é inveja, por que eu sou bonita e tenho dinheiro, e além disso sei o meu lugar, que não é junto de gentalha. Eu gosto de mostrar que eu sou rica e que nasci para mandar, empregado tem que ser tratado com respeito, mas no seu lugarzinho, minha mãe me ensinou isso: não me meter com gentinha...



_____A única coisa que realmente eu tenho de defeito é que eu sou muito exibida Eu adoro atiçar os homens, minha roupa preferida é um tomara-que-caia de tecido bem fino, sem sutiã, e saia curta, eu andava com meus peitos grandes e rijos balançando pela rua. Os homens sá faltavam babar, loucos de tesão para pegar nos meus peitões. Os mamilos ficavam apontando durinhos sob o tecido e sabia que parava o trânsito.



_____Acabei convencendo minha melhores amigas que isso era um verdadeiro esporte, eu sou tipo uma líder do grupo, elas fazem tudo o que eu sugiro e acham que todas as coisas que eu invento são o máximo. Hoje em dia as três são tão safadas nesse ponto quanto eu, são a Aline, uma loura bonita e bem peituda, a Letícia, uma morena bronzeada magrinha, mas que tem uma bunda grande e perfeita, e a Akiko, uma japonesa cheinha mas muito gostosa, também com seios grandes.



_____Elas também adoram deixar os caras loucos de tesão e depois sair fora. É tão divertido ver a cara deles! Eles devem ir se masturbar na hora! Eu acho que essa brincadeira é o máximo e sempre fiz isso com todos os homens, mesmo os serventes e faxineiros. Tinha um porteiro no meu prédio que sá faltava babar na minha frente! Mas é claro que eu nunca fiz nada além de atiçar! Eu sou uma moça de família e quero casar virgem com um homem bem rico!



_____Certa vez, estava indo ao mercado para minha mãe, e como sempre fazia. Me vestia com um bustiê tipo tomara que caia, eu gosto de exibir minhas tetas balançando, soltas e bem firmes, aos olhos alheios, é meio vulgar mas eu não resisto! Um coroa ficou me olhando enquanto andava, tentando ver por dentro do meu decote e ele quase foi atropelado por que não conseguiu notar que já estava na rua! Foi um barato!



_____Eu não tinha, no entanto, a dimensão do perigo que isso representava, embora minha mãe sempre me advertisse. Ela também tem peitão e sabe o efeito que eles tem sobre os homens.



_____Um dia tudo mudou na minha vida. Eu cheguei em casa mais cedo e tinha esquecido a chave, nem meus pais nem a empregada estavam e fui ao play, aquela hora vazio, esperá-los chegar.



_____De repente me deu uma vontade tremenda de fazer xixi. Me dirigi então ao apartamento do porteiro, mas nem ele nem sua mulher estavam. Sabia que tinha um banheiro de serviço, mas eu não tinha a chave. Dei de cara com o Josias, o servente. Ele era um negão de cerca de 40 anos, forte e alto, sempre muito gentil e educado.



_____Ele é outro que eu adoro atiçar! O homem sempre ficou louco de tesão por mim, mais de uma vez eu vi que ele estava de pau duro, rasgando a calça. Umas duas vezes ele chegou a fazer umas insinuações e eu dei dois foras violentos no sujeito, cheguei a ameaçar contar para meus pais e botá-lo para fora do emprego, ainda assim ele não resistia a me ver passar toda gostosa, uma garota que ele nunca ia ter!



_____Eu pedi e ele me deu a chave. Eu entrei no banheiro, que era bem amplo, e estava examinando o vaso quando escutei a porta se abrindo e fechando novamente. Voltei-me subitamente e dei de cara com o Josias. Senti um calafrio, pois ele trancara a porta e me olhava de forma estranha. Balbuciei alguma coisa e ele nada disse. Simplesmente abriu a braguilha e tirou seu pênis para fora.



_____"Todo mundo tá vendo que você quer um pau sua vagabundinha", murmurou. "Segura esse aqui".



_____“Você está maluco Josias? Você sabe com quem está falando?”



_____“Sei! Com uma filhinha de papai metidinha que merece uma lição!” primeiro ele me deu um tapa na cara e eu fiquei chocada, parada de medo e surpresa, além da dor que estava sentindo, depois ele me empurrou e eu cai sentada sobre a privada. Olhei o pênis horrorizada. Ele era imenso e escuro e na medida em que se masturbava ele crescia numa rapidez incrível.



_____"Mostra esses peitos, mostra logo sua piranha, senão eu vou te encher de porrada".



_____"Não...” eu balbuciei já muito amedrontada “...o que é isso!"



_____Rapidamente ele abaixou meu tomara-que-caia e expôs meus seios enormes, cujos mamilos ficaram subitamente duros. Ele segurou meus peitos com força, apertando-os, brincando com os biquinhos com muita força.



_____"Nossa, são muito duros..." disse.



_____Eu tentei afastar suas mãos mas ele me deu outro tapa na cara. Eu senti mais medo que dor, e aquilo me humilhou muito, eu estava com vergonha do que estava acontecendo e achava que eu tinha causado tudo porque tinha atiçado o negão mostrando meus peitos enormes com aquele decote safado. Comecei a chorar, totalmente desamparada.



_____"E não grita..."- disse- "senão eu te arrebento de pancada".



_____Minhas lágrimas corriam e eu fiquei sentada, totalmente impotente. Ele se aproximou e encostou aquele pau imenso e preto na minha boca enquanto continuava apertando meus peitos. Eu não sabia o que fazer, eu era virgem e nunca tinha nem visto um pau de verdade na minha frente, agora aquele cacete enorme estava na minha cara, com um cheiro forte de homem no meu nariz.



_____“Abre a boca e chupa sua piranha, gosta de provocar não é? Agora vai ter que chupar uma rola, sua putinha!” Ele estava esfregando aquele cacetão na minha carinha, eu era uma adolescente boba, nuca tinha transado, sá gostava de botar tesão nos homens! Agora eu mas não tinha alternativa senão abrir bem minha boca. Sentia um misto de pavor e tesão.



_____"Ai... assim... abre bem essa boca"- dizia.



_____Com medo eu abri a boca e senti aquela pica enorme invadindo minha boquinha, o gosto salgado na minha língua era novo, eu nunca tinha chupado um pau. Mas não achei ruim, ele me fazia mexer a cabeça, eu sentia a cabecinha daquele pau chegando até a minha garganta, a pica deslizando pelos meus lábios. Era muito grande, devia ter uns 20 cm, e eu não conseguia ir além da metade daquele pau preto.



_____“Chupa direitinho sua filhinha de papai metida, chupa o pau do seu negão, viu como é gostoso mamar na minha pica?”



_____Mesmo sem querer eu comecei a ficar excitada, minha bucetinha estava latejando e toda molhada. Ele alternava seu pau, enfiando-o na minha boca e esfregando-o nos meus mamilos, ao mesmo tempo em que apertava minhas tetas, a essa altura eu já estava começando a gostar, meus biquinhos estavam bem duros na mão dele.



_____“É dona Nicole... você é mesmo uma pirainha chupadora de pica, sua vagabunda!” ele não parava de me xingar, e isso estranhamente me dava tesão. “patricinha branquinha peituda, chupa o pau do negão!”



_____Josias também se masturbava, práximo ao meu rosto, o cheiro forte também estava começando a parecer gostoso depois que eu me acostumei. Eu estava chupando o pau dele e não era ruim, eu estava pagando um boquete como diziam os meninos, será que eu era uma boqueteira e não sabia?. De repente ele enfiou aquele cacete em minha boca com força, segurou minha cabeça e gozou. Senti o jorro de porra na minha boca.



_____Era muita porra! O gosto era estranho e eu não gostei, mas as mãos dele não me deixavam tirar o caralho da minha boca, eu tive que engulir um pouco, mas assim que ele soltou minha cabeça eu imediatamente cuspi, enojada, mais por que era a primeira vez do que pelo gosto. Era muita porra MESMO! E ela escorreu pelo meu queixo, caindo sobre meus peitos.



_____Ele parece que gostou porque apontou o pau para o meu rosto e saiu mais um jato de porra quente na minha carinha e depois apontou o último goso nos meus peitões. Ele gozou tudo que podia e retirou o pênis. Guardou-o, já amolecido e saiu, sem antes me ameaçar:



_____"Não conta para ninguém senão te mato, heim?"



_____Eu fiquei ali sozinha, chorando e tentando limpar aquela porra toda. Como não tinha onde limpar e não tinha coragem de sair toda melada de goso eu acabei pegando com meus dedos a gosma ainda morna e engulindo tudo o que pude, na verdade eu acabei me acostumando com aquele gosto esquisito.



_____Não consegui contar nada para minha mãe e os práximos dias andei apavorada, com medo de encontrar o Josias pelo prédio. Sempre que eu o via ele era educado e cortês, sem nem parecer que alguma coisa tinha acontecido, mas quando ele olhava para mim, sem que ninguém estivesse observando, seus olhos brilhavam, furiosos e ameaçadores, e um terror medonho me gelava até os ossos.



_____O pior é que eu ficava toda molhada quando isso acontecia! Eu cheguei ater sonhos com o que tinha ocorrido e apesar de acordar assustada eu sentia que estava toda melada!



_____Isso era o que mais me assustava, afinal de contas o Josias era um zelador coroa e feio, negro e pobre. Eu sou um pouco racista e sonhar com aquela pica negra enorme é algo que me deixa aterrorizada.



Continua. Eu adoro receber e-mails, me escrevam!

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


porno com homens vestindo as calsinhas abertas em baixo de rendas brancas ese mastubado com elascontos eróticos peguei ela se masturbandocontos eroticoso titia chupa sobrinhameu namorado tica punheta amigaencaixando na buceta meladacontos eroticos encoixada pelo caderanteprimas contos eróticocontos eróticos só no cu das coroasComtos casadas fodidas na rua por camionistasvideos porno mulher da a buceta com as pernas bem abertas io macho ainda chupa seus peitoescontos eróticos de pai e filhaCasada dificuldades financeiras e velhos dotados contos eroticoscontos eroticos casei virgemso puta e dei gostoso a xana contos eroticoseu confesso sou puta desde novinhacomeu uma gordinha no onibus em viagem contos eroticosMelhores E Gostei Contos De Celebridades QUE Praticam Zoofiliacomer um cu contos eroticosrelatos eróticos de incesto sogra cheirando minhas calcinha usadasencoxando coroa casada em Jundiai conto realconto garoto chantageado a dar o cucontos orgia com jogadoresconto erotico me mastubrando com t cenouracomi o cu do meu irmao e da minha irma brincando de pique esconde contostia gozou no meu pau ao lado do primo contofazendeiracontoseroticosComendo a amiga de da mamãe uma coroa casada conto eróticocontos eroticos mamando na novinha cheia de leite no riacho de biquinigostei de ser enrabadohetero resolveu da a bundacomeçando se transformar travesti .. encarando pau enormeconto comedo que meu filho virasse gay dei pra eleconto erotico comendo a esposa do tio sem ele saberconto sem calcinha a troco de doceporno traicao roludo conto pornominha tia e puta contoamante da calcinha de presentegosta de putinhos lizinhos gritandoporno contos filha mais resenteconto erotico com prima de nove anocomi a melhor amiga da minha mae vai mete seu puto cotos eroticomulher gozando a um metro de distansia e mijandocontos eroticosde incestos anal chorandona picacontos eroticos com mae e tia dando cuanus enrabadoirmatezudacontos de putinhas casadaminha priminha titio contos eróticosponou.entre.aesposa.io.marido.ia.buceta.peitanoContos sou viadinho dos tios e amigos delesmulher melancia de cinta liga e espartilhominha mae me ensinou a ser putinha/contossContos punheta na depilacaocontos eroticos comi a irmazinhacontos eroticos gay troca troca na infancia com primos mais novosdirigindo sem calcinha contosconto casado dei pra travestiEu olhava a bucetinha de melina e ficava loucovídeos de lésbicas com grandes mentes se massageandocontos meu marido notou que eu estava arrombadaconto chupei a bucetinha da minha sobrinha de sete anos que ficava na minha casaPeguei meu filho mostrei minha vagina contos eroticosContos eroticos mamae e filha gulosa chupando o pauzao do seu filho e de cinco amigos dele em uma putaria na piscina de casaContos de casadas gravidas fudendo com dois ao mesmo tempoconto de desmaiei com a pica grande no cuconto porno gay cinemacontos eroticos papai gozando na minha bocaContos eroticos corno submissocontos meus amigos estupraram a minha maecomo tira pedra da teta sem para de tanto se matusbarcontos ela punhetava todoscontos eróticos crenteMeu nome é Suellen e essa aventura foi uma delícia.rnSempre nos demos bem, erámos vizinhos e amigos. Eu tinha 18 anos, ele 16. Nossas casas são práximas, tanto que a janela do quarto dele dava pra janela do meu quarto. Eu sempre gostei de provocá-lo,Fudeer minha avoContratei um travestir e ele comeu meu cuConto porno de incesto de padreminha mulher grávida chupou minha pica cm leite condensado contos eróticos