Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
JŠ estŠ liberada a Šrea de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

M…DICA COMPROMETIDA FAZ SURUBA COM OITO COROAS!

Como j√¬° sabem, meu nome √¬© Aline, sou m√¬©dica, tenho 28 anos. Tenho 1m60, 61kg, cabelos castanhos crespos, longos. Tenho seios m√¬©dios e bunda muito grande, empinada e redonda, muito gostosa. Tenho namorado, mas ele vive em outra cidade, e h√¬° muito tempo deixei de ser santinha. No momento estou tendo um caso com Eduardo, um m√¬©dico de 47 anos, casado, que trabalha no mesmo hospital que eu, cujo in√¬≠cio eu j√¬° contei aqui (M√¬©dica transa com colega coroa em congresso).



Vou contar agora a primeira suruba que participei, incentivada por Eduardo, em uma das vezes que trans√¬°vamos (a esposa dele e meu namorado pensavam que a gente estava de plant√¬£o, rsrsrsrs).



Enquanto me penetrava ele falava para que eu imaginasse estar chupando outro cara. Aquilo foi me dando mais tes√¬£o e gozei com o pau dele dentro do meu cu. Ele sentiu como eu fiquei com tes√¬£o e perguntou se eu gostaria de transar com mais outro cara junto. Eu respondi que sempre imaginava isto, mas n√¬£o tinha coragem de fazer. Ele me disse ent√¬£o que tinha um grupo de amigos que se reuniam toda a semana para conversar e fazer festas. Eram em oito homens. Se eu quisesse participar de uma festa era s√¬≥ dizer. Perguntei como eram as festas. Ele disse que o pessoal se reunia e algum ou mais de um levava alguma mulher e ela transava com todos. Eu disse que oito para mim seria muito. N√¬£o iria ag√¬ľentar. Ele riu e disse que eu ag√¬ľentaria sim e pediria mais. Fiquei de pensar no assunto e depois falar com ele.



Fomos embora. Fiquei durante duas semanas pensando na proposta da suruba. Nunca tinha feito isso, como seria, eu iria ag√¬ľentar tanto pau?



Criei coragem e liguei para ele e perguntei quem eram os amigos dele. Alguns eram ex-colegas da faculdade e outros amigos do clube. Todos entre 45-50 anos, casados e bem-sucedidos, como Eduardo. Como j√¬° disse no meu primeiro conto, tenho uma forte queda por homens mais velhos, fico maluca. Perguntei quando aconteceria a festa. Ele respondeu que na quinta √¬† noite.



Liguei para o Eduardo e combinei a festa para quinta √¬† noite. Para meu namorado, disse que ia substituir uma colega num plant√¬£o que ela n√¬£o poderia fazer, 24 horas, come√¬ßando √¬† tardinha. Apesar de morar em outra cidade, ele liga para minha casa todas as noites, a √ªnica desculpa que tenho para n√¬£o estar em casa √¬© estar trabalhando.



Na quinta-feira combinada eu estava super ansiosa, com tes√¬£o, com medo, com mais tes√¬£o ainda.

Fui tomar um banho. Ap√¬≥s o banho passei creme pelo corpo todo, deixando a pele bem macia.

Fui me vestir, coloquei uma calcinha preta de rendas, bem cavada na bunda. O soutien, tamb√¬©m preto de rendas bem curto. O vestido, n√¬£o sabia qual colocar, decidi colocar um bem justo e curto, rosa com estampas de flores, estilo menininha, para satisfazer a gula dos coroas. Para finalizar uma sand√¬°lia de salto alto. Estava pronta e linda. Como minha bunda √¬© muito grande e o vestido era justo, ficou super saliente, bem provocante.



Combinamos que ele me pegaria em casa √¬†s oito horas e ir√¬≠amos para o local da festa.

√¬Äs oito horas, nos encontramos. Sem perder tempo fomos para o local, era o apartamento de um deles.



Quando chegamos no apartamento, todos j√¬° estavam l√¬°. Fui apresentada para todos. Todos coroas casados, mas assim como o Eduardo, muito atraentes.

Olhei a volta e vi que era s√¬≥ eu de mulher. Perguntei se viria mais alguma mulher. Eles riram e responderam que n√¬£o. Seria apenas eu. Disse a eles que nunca tinha feito uma suruba, que seria a primeira vez. Pedi que tivessem cuidado comigo. Eles disseram que fariam o que me desse prazer, o que eu n√¬£o quisesse n√¬£o fariam.



Eu estava nervosa n√¬£o sabia o que fazer com todos aqueles oito homens me olhando e sabendo que iriam me comer. Sentei numa poltrona. Eduardo me ofereceu uma bebida, outro colocou uma musica e fui me sentindo mais √¬† vontade.

Olhei para eles e ri. N√¬£o sei o que fazer, disse. Um deles levantou-se e me puxou para dan√¬ßar.

Dancei com todos e todos me alisaram as costas beijaram meu pesco√¬ßo, bolinaram minha bunda. A tes√¬£o come√¬ßou a florescer. Soltei-me e comecei a dan√¬ßar sozinha para deix√¬°-los excitados, como se j√¬° n√¬£o estivessem.

Depois de alguns minutos dan√¬ßando, eu tirei o vestido e fiquei dan√¬ßando s√¬≥ de sand√¬°lia, calcinha e soutien. O pessoal come√¬ßou a tirar a roupa e ficar a minha volta, me bolinando na bunda, nos seios, me deixando bem excitada.

Eu dan√¬ßava e agarrava o pau deles e esfregava em mim. Ficava de costas e esfregava a minha bunda no pau de algu√¬©m. Aquilo estava uma delicia. Depois de muita esfrega√¬ß√¬£o, um me conduziu para cama onde me puseram sentada.



Eles resolveram dividir em turnos, quatro de cada vez, para poderem aproveitar melhor. Foram os primeiros quatro. Nunca me senti t√¬£o tesuda e desejada como naquela vez, era um verdadeiro revezamento de pau. Rodeada pelos quatro, chupava um de um lado e outro de outro, enquanto punhetava outros dois. Cada um ganhava uma punhetada e uma chupada, nessa ordem. Eles urravam de prazer e falavam altas sacanagens o tempo inteiro, diziam ‚¬Ä¬úPuxa Edu, mas que putinha gostosa essa sua colega, precisamos te visitar no hospital!‚¬Ä¬Ě Uns riam e diziam: ‚¬Ä¬úImagina teu namorando te vendo aqui, doutorinha putinha. Dando para quatro machos de verdade, dominando quatro paus...‚¬Ä¬Ě

Como os quatro estavam em ponto de bala, o primeiro deitou de costas e eu cavalguei, sem soltar os outros tr√™s: um em cada m√¬£o e outro na boca. Foi depois disso que come√¬ßou o verdadeiro rod√¬≠zio: Dupla penetra√¬ß√¬£o variada e, conforme um ia gozando, sa√¬≠a do quarto e chamava outro, que entrava na farra, sempre come√¬ßando por uma chupeta intercalada por uma punheta. Ganhei muitos tapas na bunda e pux√¬Ķes de cabelo dos meus coroas gostosos.



Simplesmente amei ser a putinha safadinha deles, fizeram o que quiseram comigo, coisas que meu namorado sequer imagina que um homem possa fazer com uma mulher, quem dir√¬° quatro por vez!!! Gozei absurdamente muito, derrubei todos aqueles paus duros. Perdi a conta no final, nem sei quantas vezes foram. Fiquei completamente encharcada com tantos jatos de porra que recebi... no rosto, no peito, pesco√¬ßo, bunda.



Continuo com meu caso com Eduardo, por enquanto ningu√¬©m no hospital desconfia. Ainda n√¬£o repetimos a dose da nossa festinha, mas j√¬° estamos planejando uma pr√¬≥xima, s√¬≥ que dessa vez com mais uma mo√¬ßa.



Beijos.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELE«√O DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos crente casadasas novinha gostosinha dando a b******** sendo engravidado tomando vinhocontos er√≥ticos dois mlks fetiches conto er√ɬ≥tico gay com estupro e muito dor e sangue em cima de uma camacontos esposa no baralhominha mae me iniciou em zoofiliaconto a vizinha tetuda casou mas seu casamento t maucontos eroticos meninas fumando maconha com a maeConto porno de marido e sogroeu estava raspada contos de esposa acanhadacontos comendo mulher na despedida de solteira no carnavaltitio me estuprou. tinha 7 aninhos incesto. analcontos eroticos de primos q ficaram com primascomtos bdsmcontos er√≥ticos patroa da m√£econtos de incesto fui adotad a para ser escrava sexualcontos eroticos gay comi o cu do pastorporno quente doido cara lasca buceta com cucontos er√≥ticos-meu pai me fez gozarconto flagrei minha irma dando e enrabeiEu homem casado fui cadela de cachorro contos eroticoscontos er√≥ticos,ai ai fode metecontos minha esposa em caldad fudeu com outrovi minha esposa dando mole contosmamado no papai contoscontos minha mae baixinha gostosacontos gay comendo o amigo rabudo em casacontos erotico dei o meu cu a forca pro caminhoneiroporno comtos corno vendo cu da mulher depois que negao aromboumelhorescontos er√≥ticos gosando pelocucontos pedi meu cabaco para um velhogozada de servente no cu do pedreiro com muita porratrepo com a enteada dormindocontos er√≥ticos com vizinha vi√ļvanega do cu conta como deu o cu contoscontos eroticoscalcinha algodaoConto de putaria com todos os machos da favelacontos eroticos a camareira do hotel me encontrou de pau duro no quartoContos er√≥ticos dei em nova igua√ßucontos eroticos a tres corno mesma camaconto erotico minhas prima se apaixonou por mimconto √©rotico patroa loira fucionario negroconto er√≥ticos desejandoa mulherdomeu filhoconto eu minha irm√£ e minha m√£eesculachado por v√°rios machos na frente do marido conto er√≥ticoTia de xana peluda e sobrinho metendo conto eroticocontos er√≥ticos com vizinhaconto real espiando no buraco casal sexo chacaraconto gaucha carinhosa safada com seios grandescontos eroticos cornosContos erotico menina de nove anos no bosqueminha primeira trai√ß√£ocontos esquentando a rela√ß√£ocontos sexuais de jessica no carrodesvirginando sobrinhanovinha teen transando na cam de bru√ßos com namoradoContos eroticos o comedor da familia do soniferoconto trepei filinha amiguinha 11aninhoscontos erroticos virei a puta do irmaoconto erotico d menino dando a bj da por uma apostamulher com contracionar peladaContos er√≥ticos jogo de sedu√ß√£ocontos eu durmo de saia sem calcinhaContos er√≥ticos jogo de sedu√ß√£oContos punheta na massagem no penis do meninoContos er√≥ticos gangbangputa do irmao contosxv leke dormindo .com madrstawww.fotos pi√ßas de camioneiroEnrabando A Tia Brava Contocontos eroticos com fotos coquei fio dental e pedi rpomeu genro passar protetor em mim