Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
JŠ estŠ liberada a Šrea de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

M…DICA COMPROMETIDA FAZ SURUBA COM OITO COROAS!

Como j√¬° sabem, meu nome √¬© Aline, sou m√¬©dica, tenho 28 anos. Tenho 1m60, 61kg, cabelos castanhos crespos, longos. Tenho seios m√¬©dios e bunda muito grande, empinada e redonda, muito gostosa. Tenho namorado, mas ele vive em outra cidade, e h√¬° muito tempo deixei de ser santinha. No momento estou tendo um caso com Eduardo, um m√¬©dico de 47 anos, casado, que trabalha no mesmo hospital que eu, cujo in√¬≠cio eu j√¬° contei aqui (M√¬©dica transa com colega coroa em congresso).



Vou contar agora a primeira suruba que participei, incentivada por Eduardo, em uma das vezes que trans√¬°vamos (a esposa dele e meu namorado pensavam que a gente estava de plant√¬£o, rsrsrsrs).



Enquanto me penetrava ele falava para que eu imaginasse estar chupando outro cara. Aquilo foi me dando mais tes√¬£o e gozei com o pau dele dentro do meu cu. Ele sentiu como eu fiquei com tes√¬£o e perguntou se eu gostaria de transar com mais outro cara junto. Eu respondi que sempre imaginava isto, mas n√¬£o tinha coragem de fazer. Ele me disse ent√¬£o que tinha um grupo de amigos que se reuniam toda a semana para conversar e fazer festas. Eram em oito homens. Se eu quisesse participar de uma festa era s√¬≥ dizer. Perguntei como eram as festas. Ele disse que o pessoal se reunia e algum ou mais de um levava alguma mulher e ela transava com todos. Eu disse que oito para mim seria muito. N√¬£o iria ag√¬ľentar. Ele riu e disse que eu ag√¬ľentaria sim e pediria mais. Fiquei de pensar no assunto e depois falar com ele.



Fomos embora. Fiquei durante duas semanas pensando na proposta da suruba. Nunca tinha feito isso, como seria, eu iria ag√¬ľentar tanto pau?



Criei coragem e liguei para ele e perguntei quem eram os amigos dele. Alguns eram ex-colegas da faculdade e outros amigos do clube. Todos entre 45-50 anos, casados e bem-sucedidos, como Eduardo. Como j√¬° disse no meu primeiro conto, tenho uma forte queda por homens mais velhos, fico maluca. Perguntei quando aconteceria a festa. Ele respondeu que na quinta √¬† noite.



Liguei para o Eduardo e combinei a festa para quinta √¬† noite. Para meu namorado, disse que ia substituir uma colega num plant√¬£o que ela n√¬£o poderia fazer, 24 horas, come√¬ßando √¬† tardinha. Apesar de morar em outra cidade, ele liga para minha casa todas as noites, a √ªnica desculpa que tenho para n√¬£o estar em casa √¬© estar trabalhando.



Na quinta-feira combinada eu estava super ansiosa, com tes√¬£o, com medo, com mais tes√¬£o ainda.

Fui tomar um banho. Ap√¬≥s o banho passei creme pelo corpo todo, deixando a pele bem macia.

Fui me vestir, coloquei uma calcinha preta de rendas, bem cavada na bunda. O soutien, tamb√¬©m preto de rendas bem curto. O vestido, n√¬£o sabia qual colocar, decidi colocar um bem justo e curto, rosa com estampas de flores, estilo menininha, para satisfazer a gula dos coroas. Para finalizar uma sand√¬°lia de salto alto. Estava pronta e linda. Como minha bunda √¬© muito grande e o vestido era justo, ficou super saliente, bem provocante.



Combinamos que ele me pegaria em casa √¬†s oito horas e ir√¬≠amos para o local da festa.

√¬Äs oito horas, nos encontramos. Sem perder tempo fomos para o local, era o apartamento de um deles.



Quando chegamos no apartamento, todos j√¬° estavam l√¬°. Fui apresentada para todos. Todos coroas casados, mas assim como o Eduardo, muito atraentes.

Olhei a volta e vi que era s√¬≥ eu de mulher. Perguntei se viria mais alguma mulher. Eles riram e responderam que n√¬£o. Seria apenas eu. Disse a eles que nunca tinha feito uma suruba, que seria a primeira vez. Pedi que tivessem cuidado comigo. Eles disseram que fariam o que me desse prazer, o que eu n√¬£o quisesse n√¬£o fariam.



Eu estava nervosa n√¬£o sabia o que fazer com todos aqueles oito homens me olhando e sabendo que iriam me comer. Sentei numa poltrona. Eduardo me ofereceu uma bebida, outro colocou uma musica e fui me sentindo mais √¬† vontade.

Olhei para eles e ri. N√¬£o sei o que fazer, disse. Um deles levantou-se e me puxou para dan√¬ßar.

Dancei com todos e todos me alisaram as costas beijaram meu pesco√¬ßo, bolinaram minha bunda. A tes√¬£o come√¬ßou a florescer. Soltei-me e comecei a dan√¬ßar sozinha para deix√¬°-los excitados, como se j√¬° n√¬£o estivessem.

Depois de alguns minutos dan√¬ßando, eu tirei o vestido e fiquei dan√¬ßando s√¬≥ de sand√¬°lia, calcinha e soutien. O pessoal come√¬ßou a tirar a roupa e ficar a minha volta, me bolinando na bunda, nos seios, me deixando bem excitada.

Eu dan√¬ßava e agarrava o pau deles e esfregava em mim. Ficava de costas e esfregava a minha bunda no pau de algu√¬©m. Aquilo estava uma delicia. Depois de muita esfrega√¬ß√¬£o, um me conduziu para cama onde me puseram sentada.



Eles resolveram dividir em turnos, quatro de cada vez, para poderem aproveitar melhor. Foram os primeiros quatro. Nunca me senti t√¬£o tesuda e desejada como naquela vez, era um verdadeiro revezamento de pau. Rodeada pelos quatro, chupava um de um lado e outro de outro, enquanto punhetava outros dois. Cada um ganhava uma punhetada e uma chupada, nessa ordem. Eles urravam de prazer e falavam altas sacanagens o tempo inteiro, diziam ‚¬Ä¬úPuxa Edu, mas que putinha gostosa essa sua colega, precisamos te visitar no hospital!‚¬Ä¬Ě Uns riam e diziam: ‚¬Ä¬úImagina teu namorando te vendo aqui, doutorinha putinha. Dando para quatro machos de verdade, dominando quatro paus...‚¬Ä¬Ě

Como os quatro estavam em ponto de bala, o primeiro deitou de costas e eu cavalguei, sem soltar os outros tr√™s: um em cada m√¬£o e outro na boca. Foi depois disso que come√¬ßou o verdadeiro rod√¬≠zio: Dupla penetra√¬ß√¬£o variada e, conforme um ia gozando, sa√¬≠a do quarto e chamava outro, que entrava na farra, sempre come√¬ßando por uma chupeta intercalada por uma punheta. Ganhei muitos tapas na bunda e pux√¬Ķes de cabelo dos meus coroas gostosos.



Simplesmente amei ser a putinha safadinha deles, fizeram o que quiseram comigo, coisas que meu namorado sequer imagina que um homem possa fazer com uma mulher, quem dir√¬° quatro por vez!!! Gozei absurdamente muito, derrubei todos aqueles paus duros. Perdi a conta no final, nem sei quantas vezes foram. Fiquei completamente encharcada com tantos jatos de porra que recebi... no rosto, no peito, pesco√¬ßo, bunda.



Continuo com meu caso com Eduardo, por enquanto ningu√¬©m no hospital desconfia. Ainda n√¬£o repetimos a dose da nossa festinha, mas j√¬° estamos planejando uma pr√¬≥xima, s√¬≥ que dessa vez com mais uma mo√¬ßa.



Beijos.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELE«√O DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


istorias eroticas de insesto filio de pinto pequeno come maicrente fudendo o cu contos eroticosarependidas de ter dado o cucontos suruba inesperada com a esposa e travestiareganhando o cu e epois a boceta com a mao relaxandocomo perdi o meu analcontos contados por mulheres que maridos insistiram para elas usar roupas mais curtastive dar para um dotadozoofilia contos eroticos homem fudendo co √ɬ©guas.brcontos er√≥ticos de bebados e drogados gaysvideos de casais namorando muitoogostosodando/o caba√ßo pro titio conto exitantecontos eroticos com cachorosfuder com padrasto contossexo contos eroticos titio e aninhacontos gozei pelo cucontos heroticos de mulheres casadas de manausesfregacao de rola contos amigos punheteirosfilhababandopaucontos er√≥ticos surpresa sou uma bonecacontos me vinguei com o meu ex namoradoeu mesmo arrumbo meu cu contos eroticosmalhadinha de cabelo vermelho malhadinha malhadapAi pegador filha a fossa no quarto pornopraia guaratuba contos sexoconto erotico de entidas e gravidacontos eroticosmulher r sogrosexo com tiabateno um poentaputa do meu funcion√°rio contocontos eroticos amigo gay experimentou meu biquinecontos er¬®¬ģticos incesto ensinei minha filha a ser cadelaconto erotico me mastubrando com t cenouravoyeur de esposa conto eroticoContos eroticos de travesris lindas do pau gostosos.xvideos preneditadoContos filho deixa mae so de calcinharoludo no onibusxvideoPeguei meu filho mostrei minha vagina contos eroticosv√≠deos porno novinha chora pq ela fala qui toi muitoso conto erotico de mendigosconto corno sondei ela tava debaixo deleTravesti mijando na cara do freguesvoyeur de esposa conto eroticobebeu porra e viciouconto erotico de casada mal comida pelo marido e bem comida por outro do pirocaocontos er√≥ticos mostra pra mam√£e est√° rolaf***** pelos pe√Ķes da obra contos er√≥ticos gayscontos com inje√ß√£oLambie o cu da minha esposacontos eroticos tirei a virgindade da minha tia gordinhasocar pasta de dente na vagina aperta.garota da buceta grande cetado nado neg√£ominha tia so de roupao contos eroticosContos supreendida pelo novinhoconto como tornar cornocontos de padrinhos com afilhadasconto arebentarao meu cu meumaridocontos eroticos me arrombouconto madrasta fudida a for√ßafiquei com o marido de minha amiga com aprova√ß√£o dela contos.eroticosincesto familia unida contoContos erotico orgia no meu curelatos de comadre dando a buceta pro compAdreconto erotico raquel morena deliciosavideo.de.neginhas.das.bundas.arrebitadas.dansando.fanke foi assim que comeram minha esposacontos er√≥ticos de bebados e drogados gaysContos eroticos picantes flagrasMulheres solteira salvdorcontos eroticos guri faz buraco para ver vizinhaconto erotico da grossura de uma latasobrinho mandando ve no cu da tia contosencoxada em coroa em Jundiai conto realsou branca e sempre quis da aum mulato mas sou casada contos contos eroticos meninas filhinhas subrinhas priminhas