Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

COMENDO A PEQUENINA PELA CASA...

O acontecido dessa vez não envolveu nenhuma das minhas priminhas putas, mas foi igualmente interessante. Na époda eu tinha já dezoito anos. Tenho um tio que é amasiado com uma mulher que se chama Carla, que tem dois filhos, um moleque mala de dez anos e uma linda garotinha de dezesseis anos. Camila é magra e pequenina, mas tem seios redondinhos e empinados, assim como um bumbum torneadinho. Seus cabelos são loiros e lisinhos, mas sua pele é um pouquinho amorenada.



Morávamos no mesmo bairro, e um belo dia encontrei a mocinha dentro do onibus que estava lotado. Acabei ficando atrás dela, para poder conversarmos. NAs sacodidelas do lotação, o corpinho esguio de Camila se encostava completamente no meu, e eu sentia sua bundinha relando em minha cintura por debaixo da calça jeans que usava. Conversamos sobre frivolidades e como tenho o costume de falar muita bobeira, chamamos a atenção de todos no onibus pelas nossas gargalhadas. Ela decia num ponto antes do meu, e me chamou para descer com ela, para não cortar o assunto. Desci e fomos caminhando até sua casa. Ela me chamou pra entrar e como não tinha nada pra fazer, aceitei. No modesto apartamento, apenas o irmão mais novo se divertia com um video game na sala. Camila então propos que fossemos para o quarto, para podermos conversar sossegados.



Entramos no quarto e ela encostou a porta.



"Estou louca pra tirar essa roupa" disse ela tirando a calça jeans. Fiquei paralisado, ao lado da porta, vendo a se despir da calça com um rápido movemento. Vi então a calcinha branca que usava, pequenininha, enterrada entre suas nádegas. Ela se virou e me encoarou.



"Algum problema?" o sorriso que ela tinha nos lábios era encantador.



Camila abriu a gaveta e tirou um pequeno vestido soutinho. Tirou a camiseta, mostrando-me um sutiã tambem branquinho, mas logo se vestiu. Meu penis formava um enorme volume em minha calça, que ela viu e sorriu. Ela se sentou na cama e me convidou a fazer o mesmo. Continuou a conversar frivolidades, mas eu já não conseguia pensar em outra coisa. Decorridos alguns minutos, ela me chamou pra ir à cozinha, preprar alguma coisa para comermos.



Lá, fiquei de pé, vendo-a preparar alguma coisa. Meu cacete continuava duro feito pedra. Do nada, me olhando com o memso sorriso tarado, disse:



"Estou com as mãos ocupadas e minha calcinha está me encomodando, poderia tirá-la para mim?"



Me apressei em satisfazer o pedido da pequena. Levantei seu vestido o suficiente para agarra a calcinha pelas laterais e guincha-la para baixo. No entanto, não abaixei o vestidinho. enterrei a mão em suas nadegas e senti meus dedos se molharem ao tocar sua bocetinha. Ela gemeu baixinho.



"Parou de incomodar?" perguntei sem parar de acaricia-la. Ela moveu a cabeça em negativa.



Enterrei um dos dedos em sua vagina e depois outro. Ela se contorcia, apoiando-se na mesa e arrebitando cada vez mais a bundinha. Da sala, podia ouvir os sons do video game e por vezes o irmãozinho chingando ou comemorando. Tirei o cacete pra fora e esfreguei no reguinho de Camila. Ela continuo a se contercer e soltou um mordido gemido quando enterrei de uma sá vez em sua bocetinha. Não sou bem dotado, apenas os suficiente para fazê-la gemer gostoso, embora tão baixo que eu mal ouvia. Segurei su cintura e estoquei feito um louco. O menino continua va sua jornada de jogos na sala enquanto sua irma se acabava no meu cacete.



"Vamos pro quarto..." disse ela sem muita força, deixando o vestido cair sobre o corpo e levando pela mão.



No quarto, tirei sua roupa com rapidez e fiz com que se ajoelhasse. Ela chupou meu cacete com voracidade, apalpando minhas bolas com a mão livre.



"Tive uma idéia" disse Camila me lançando outro daqueles olhares.



Ela saiu pelada pela porta do quarto, me levando até o corredor, onde continuo a me chupar. Com uma leve inclinada no corpo, eu podia ver seu irmão, e isso tornava as coisas mais excitantes ainda. Ela se levantou e voltei a bombar em sua bocetinha, desta vez carregando seu pequeno corpinho no colo e deixando-a escorregar sobre meu cacete. Andei por todos os cantos da casa onde o garoto não nos visse, carregando minha putinha pequenina em meus braços e sem sair de dentro de sua bocetinha.



No quarto de sua mae, deitei-a sobre a cama como uma galinha assada e a fiz gozar metendo com força em sua bocetinha. Continuei bombando até que fomos para o banheiro e lá ela me chupou mais uma vez, onde gozei em seu lindo rostinho. Ela batia meu cacete em sua face cheia de porra, espalhando ainda mais o esperma.



Voltei para o quarto ela tomava um banho. Logo depois a mãe dela chegou e eu achei melhor ir embora. Nos encontramos outras vezes e sempre que estamos sozinhos, ou com o irmão dela, damos um jeito de transar. Ela nunca confessou, mas algo me fez pensar que ela tinha uma tara com seu maninho...



Vai saber...

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


perdi minha mulher no jogo contos eroticoscontos bucetinha novagruda nos pelinhos da bucetasafadinha dava ocupado na escola contos eróticoscontos eróticos assaltantes me f****** na frente do meu filhocontos pirralho roludocontos eróticos contei que fiz dp com negrosconto erotico minhas prima se apaixonou por mimComi minha cunhada mais velha casada Adrianacontos eroticos apostei meu marido e pedircontos genroconto porno enfiaram um ovo no meu cuconto de encesto meu pai ficou empotentecontos incesto buceta rapadinha cheia de tezaoconto e foto da Branquinha casada e g*****conto erotico cinema marido e mulhercomo me tornei viado parte 3 contpsmeus peitinhos doíam...Conto erotico comendo gordinha durante colheita do cafécontos erótico arrependimentos e chorandocontos sexo a primeira vez que comi o travestisconto eroticos cheguei em casa com o cu cheio de porrae arrombadoa arte de apanhar contos eroticoConto erótico namorada mestiçacontos homem casado chupa picq homem casadoconto chantagem da minha irmacomo fazer pra minha namorada veste shortinho curtocontos-gays fui arrombado por um bombeiro no motelconto erotico homem andando fay de cueca pela.casacoxas grossas e b***** bem rosadinhacontos de coroa com novinhoContos gay saindo de carro a noite vestido de mulhercontos eróticos, minha esposa putacontos eroticos mostrei o pau pras mulheres no parquefudi a bundinha da juju com minha rola grande contoscontos de mulher insatisfeita com maridoContos eroticos de incestos.mamae vai dar boa noite de camisola pro filhogozoo na bucetakvoyeur de esposa conto eroticomeu maridinho dormiu trepei rolonaconto erótico Eu e minha filha damos o c* para o meu maridocontos uma menina me seduziucontoseroticos encoxand me ninas picinascontos erotico gay negro dando pra brancoa velha e o pedreiro contos eroticosContos eroticos flagrou namoradacontos eróticos eu putinha cavalacontos eróticos quentes minha namorada em dp reaiscache:GAEDmAeFVBUJ:okinawa-ufa.ru/m/conto_18319_fodendo-gostoso-minha-paciente.html contos eroticos chorando com o pau enterrado no cu e o macho arrancando bostacontos erotico gay quando mim focarao a bebe leite de variostomou viagra e meteu na esposacontos eróticos de sequestrosconti erotico a massagista enfiou o dedo no meu cu e chupacontos eronticos tia levatou a saia de lado e setou em mimcontos eróticos de Poucontos gay fudendo com o desconhecido no terreno baldiocomedo a filha de fio dentalcontos eroticos a tia que mijocontos de corno minha mulher me trocou por outrocontos cadelas no ciocontos eróticos amiga novinhaContos eróticos metendo debaixo da cobertaemcabeçando no cu bucetacontos erótico de estupro em boatesbaraguay da buceta grande e carnudaconto de cornocontos minha prima defisiete me viu batedo umaContos eroticos de mesticascontos eróticos de bebados e drogados gayscontos eróticos​, praia de nudismoa patroa e a filha. conto eroticocontos mordidinha na buceta