Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

QUE PESCA, QUE NADA .

No ano de 1994, um amigo do trabalho (Nelson), me pediu ajuda, pois seu pai (Nestor),um homem baixo 1,65m de altura,calvo e com uma barriguinha, com poucos pelos pelo corpo, um homem na época com 62 anos, havia ficado viuvo a mais de 19 anos,e ficava muito em casa, sá saia quando ia pescar ou coisa parecida, mas fazia tempo que não saia, meu amigo me perguntou se eu não poderia esquematizar uma pescaria, pois eu estava de férias e poderia convidar seu pai, para tira-lo de casa.

Foi escolhido um lugar em Nazaré Paulista, e ficou combinado que eu e o Sr Nestor iriamos na sexta feira a tarde, e Nelson e mais dois amigos da empresa iriam sabado a tarde, depois do trabalho.

Tudo preparado carro, barraca, apetrechos de pescaria e material de camping, fomos para o local escolhido, no caminho percebemos que o tempo estava um pouco nublado, e chegando no local corremos pra montar a barraca e recolher madeira pra fogueira, para poder passar a noite no local. Ja era final de tarde da sexta feira,a barraca estava montada e eu eo sr Nestor saimos pra buscar madeira um pouco distante da barraca quando fomos surpreendidos por uma forte chuva e voltamos correndo para o acampamento, mas ja estavamos ensopados dentro da barraca e foi nescessario tirar a roupa que se encontra-va muito molhada, mas a nossa surpresa foi que a mochila onde se encotrava as minhas roupas estava no carro a mais de mil metros do local onde estavamos, sendo que seu Nestor havia trazido somente a roupa que estava no corpo e um cobertor grande.

A noite começou a fazer frio e seu Nestor trouxe uma garrafa pequena de cachaça, para ajudar a espantar o frio, começamos a beber, ja um pouco mais a vontade decidimos que ja que a chuva não ia passar iriamos deitar pra dormir, um pra cada lado.

Peguei rapido no sono, mas durante a noite percebi que seu Nestor começou a me abraçar pelas pernas, mas o seu pinto ficava na altura da minha bunda, mesmo de baixo pra cima a altura ficava no jeito, aquilo começou a me incomodar pois percebi que ele havia tido uma ereção e eu não sabia se era proposital ou ele estava dormindo, decidi deixar pra ver até onde ele ia.

Seu nestor desceu um pouco o corpo e começou a beijar a minha bunda e aquilo começou a me dar prazer (eu nunca havia sido passivo),e ele com muito cuidado me virou de barriga pra baixo e começou bem devagar a passar a lingua pelo meu rego indo em direçao ao meu cu, aquilo tava me deixando louco de tesão, foi quando ele me deu dois toques pra virar de frente e começou a me chupar o pinto, ele chupava com muito cuidado e com um jeito de enlouquecer, ora chupava a cabeça ora chupava o saco e

descia ate o cú, aquilo era uma loucura, tava quase gozando quando ele de deu toques pra ficar de quatro, e na posição de quatro com a bunda bem aberta, ele brincava no meu cuzinho ora passando a lingua, ora enfiando a pontinha da lingua, ele ficou algum tempo assim, foi quando eu percebi que le se ajeitou atraz de mim e com seu penis muito duro, começou a esfregar a cabeça do penis no meu cuzinho que nessa altura do campeonato piscava muito desejando ser invadido.

ele passou bastante cuspe na cabeça do pinto e no meu cuzinhoe foi colocando a cabeça bem devagar, com muito cuidado, ele colocou a cabeça e depois que percebeu que a cabeça ja havia se alojado, me pegou pela cintura e foi devagar empurrando, o pinto não era grande e nem grosso e por isso não doia, era uma coisa meio estranha e prazerosa ao mesmo tempo dava tesão e vontade de ir ao banheiro, eu permaneci naquela posição por alguns mimutos e seu Nestor colocava e tirava bem devagar, ele me deu um toque pra deitar e se deitou por cima e continuava a colocar e tirar o pau e beijava minhas costas e nuca me dando um prazer indiscretivel, ficamos assim por algum tempo e ele pediu pra virar d frente, colocou o pau no cu que ja havia se acostumado com o intruso e começou a bombar mais rapido e beijava meu peito, passava alingua nos mamilos me levando a loucura, bombou cada vez mais rapido atolando até o saco, foi neste momento que senti seu penis começar a tremer e espirrar dentro do meu cú, ele saiu de cima de mim e pegou meu pau e me fez a melhor chupeta, eu gozei muito.

Pguei no sono e acordei no outro dia com seu Nestor beijando de novo minha bunda e repetimos tudo de novo.

Ligamos pra o Nelsom avisando que não daria pra continuar com a pescaria pois o tempo não ajudaria

e eu passei a visitar seu Nestor pelo menos duas vezes por semana.

hoje eu procuro outro seu Nestor pra fazer visitas e ir pescar



[email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


menininha contos eroticoscontos eroticos com menina de 07anos na praiacontos erotico de maes que se ajuntou com a filhacontos erotico gay negro dando pra brancoConto eroticxo gozando na boca do paio cu mais largo do mundo contosconto comi uma buceta muito apertada que doeu meu paucontos lesbica fui sedusida banheiro boatymeu filho me encoxaram a noite bunduda,menino malcriado contos eroticocontos o amigo do filho me errabou no tanque lavando roupaconto erotico da titia rabuda do rabao no carnavalp****** do papai contos eróticoscontos de corno com pedreiros negros hiper dotados e jumentoscontos mae descabacando o filho de quinze anosmulher que ja sento no maior peni todo atoladoContos eroticos - me come vai, mete maninho.contos enterra tudo devagarinho no meu cuzinhosuco de uma magrela trepando em pornô famíliaMinha esposa arregaçadasconto peguei meu marido estrupando a vizinhaminha esposa vestida à vontade em casaacabei comendo minha tia contoscontos eroticos ela foi banha e lavou meu pintinhopesquisar saístes da putaria lésbicas como fazer sexo com uma menina virgem e quebrar seu cabassocontos eroticos comendo a macaquinhahistorias heroticad comi airmanzinha da minha namoradanojentocontoso assaltante e a vitima contos eroticoscontos de incestos quebrei a pernagostosinhacontoeroticomenina sapeca danada enganou todos contos eroticospunheten o rabo da minha esposacontos eróticos eu inocente meu vizinho me pegou no flagra transandocontos eróticos gay meu meio irmãoCom medo da jeba enormemenina saindo escola dei carona ela com 11 aninhos contosconto cinema porno casalhistorias de meninas q foram estupradas e gostaramdesabafo sou casada trai meu marido com eletricistacontos eróticos de gay comi o amigo do meu padrinhoContos eróticos de noracontos eroticos cdzinha quando era menino me vesti de menina e marquei pra dar eu queria ser meninaquero vídeo pornô de mulher com os peitão e o Filipe pequenininhoo tempo em que ele para e diz"essa buceta é minha"mamandoxvidioincesto Minha mãe e o meu paucontos eroticos gay fiquei sozinho em casa meu vizinho veio mim comercontos eroticos de ferias em familapunhetabdo no hospitalMinha mulher gosta de mostra a buceta pros meus amigos ai eles comem Ela contos eroticoscontos eróticos com mulher carentecontos fui encoxada no onibus e meu marido nem percebeufudendo a empregada rabuda negra com fotos contoasteen recem casada contoscontos irma mais velhacontos minha filha novinha deitou com eu e a sua mae...e a pica comeucontos erotico gay quando mim focaraoputa de todos da familia contowww.conto mimha mae min torturou com vibradores na bucetacontos.gay chupando pau do pedreiro coroa safadocontos eróticos casamentocontos manaenrabado na cadeia contosminha mulher explorando meu cu contoconto erotico tia de fio dentalcontos sexo esposa recatada e seu irmãoconto erotico catador de papel comendo.buceta da novinhagozei na minha sobrinha conto eroticoconto minha madrasta me transformou em mulheruma coroa da bunda grande do cabelo liso e peidando a b***** para o cachorrocontos erotico viajando com paimeu cuzinho desvirginadocontos eróticos angolanomeu marido quis q eu derse pra ele e seu irmão conto erótico incestomulheres gemendo metendo em baixo do cobertor