Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

LOJA DE DEPARTAMENTOS

Loja de Departamentos, cerca de 19 horas. Eu estava lá de bobeira, pois o que eu tinha pra fazer já tinha feito, que era pagar uma fatura de compras. Porém, fiquei por ali, dando uma olhada numas blusas e tentando encontrar algum short ou bermuda.

Não sei há quanto tempo eu estava ali, quando notei que era observada insistentemente por uma mulher morena, alta, cerca de 40 anos. Devido às nossas alturas acima da média, era possível a gente se observar por sobre as gôndolas cheias de roupas.

Começamos a uma dança de gato e rato. A loja era muito grande e eu fiquei dando voltas entre as fileiras sem perder a morena de vista.

Como eu não tinha mesmo intenção de comprar nada, peguei uma peça de roupa qualquer e me dirigi ao provador, certificando-me que era seguida por ela.

Lá chegando, me encaminhei para um provador vazio, não sem antes olhar pra trás e ver que ela ainda me seguia. Entrei e deixei a porta entreaberta. Ela parou à porta e apás breve hesitação, entrou e fechou a porta com o trinco. Hesitou mais um pouco. Esperei. A iniciativa tinha que ser dela. Mas não demorou muito.

O provador não era muito apertado, então ela deu um passo e seu rosto ficou a milímetros do meu.

Ela era um pouco mais alta que eu. Então eu fiquei olhando pra boca dela, não conseguindo olhar pra mais nada.

Ela percebeu isso, deu um leve sorriso e tocou seus lábios nos meus, de leve a princípio e depois, com uma sede insuspeitada, sua língua lambia e chupava a minha, enquanto ela tentava enfiar sua mão por dentro de minha calça jeans. Era um pouco difícil e eu resolvi facilitar desabotoando e abrindo o zíper.

Sua mão deslizou por dentro da minha calcinha e ela ficou mexendo no meu grelo e deslizando os dedos por minha buceta molhada. Gozei em um minuto. Ela retirou a mão e lambeu os dedos.

─ Venha comigo – disse numa voz rouca.

Saímos da Loja e eu a segui meio tonta em direção ao carro parado no estacionamento.

Em silêncio seguimos para o apartamento dela, que era bem perto do Shopping, onde chegamos em poucos minutos.

No elevador, voltamos a nos beijar. Ela bolinando meus seios sob a blusa.

Entramos no apartamento. Me ofereceu um drinque e perguntou se eu queria ouvir música. Disse que sim e enquanto ela preparava as bebidas eu liguei o som e coloquei um CD (Diana Krall).

Provei o dinque, mas o que eu queria mesmo era sua boca. Disse isso a ela, que sorriu e me agarrou outra vez. Caímos sentadas no sofá.

Ficamos nos beijando por um longo tempo e tiramos as roupas uma da outra.

Depois, ela me pegou pela mão e me levou pro quarto dela.

─ Aqui é mais confortável e eu vou lhe dar o que você merece – murmurou no meu ouvido, lambendo o meu pescoço.

Não era propaganda enganosa. Do meu pescoço, sua boca desceu, sem escalas, direto pra minha buceta. Sem mais demora, passou sua língua lentamente de baixo até em cima, no grelo, que ela abocanhou, prendeu e passou a chupar e estocar com a ponta da língua. Gozei rápido outra vez, mas ela não parou. Apenas abandonou meu grelo, que estava sensível demais, e ficou lambendo toda a minha buceta, bem devagarinho, saboreando.

Eu estava excitada de novo. E ela beijava e lambia minhas coxas, subiu por minha barriga, chegou aos seios que ela mamou, e voltou à minha boca.

Ela estava deitada sobre meu corpo, me beijando, enquanto eu enfregava minha mão na xoxota dela. Úmida.

Falei pra ela, bem baixinho no ouvido, como ela fez comigo, que eu também queria sentir o gosto daquela buceta carnuda que ela tinha.

Consegui ficar por cima dela e passei a dar um banho de língua. Comecei pelos seios que eu lambi e chupei um por um, deixando os bicos duros, descendo pela barriga, me concentrei no umbigo por alguns instantes e desci mais.

Senti que a respiração dela estava mais ofegante, então resolvi prolongar um pouco mais passando direto pras suas coxas, ignorando sua buceta molhada. Lambi a parte interna das coxas com movimentos em direção à sua virilha. Ela gemia. Olhei pra cima e vi que ela me observava com um olhar quase transtornado.

Fechei os olhos e mordi seus grandes lábios. Ela gemeu mais alto. Com as mãos, abri mais sua buceta e comecei a alternar mordidas nos grandes e pequenos lábios com lambidas no seu buraco. Ela estava quase gozando e movia os quadris pra cima e pra baixo. Meti dois dedos nela e dei o golpe final passando a ponta da língua, dura, no seu grelo. Ela gozou gritando e puxando meus cabelos. Continuei lambendo suavemente até ela se acalmar.

Depois, enquanto ela ia à cozinha preparar um tiragosto, eu tomei uma ducha e voltei pra sala enrolada numa toalha. Quando ela me viu, me disse que ainda não tinha acabado e perguntou se eu esperaria que ela também tomasse um banho. Eu disse claro que sim e fiquei dando olha olhada nos seus CDÂ’s.

Estava nessa, distraída, sentada com as pernas cruzadas quando ela se abaixou atrás de mim, e começou a beijar meu pescoço. Abriu minha toalha, e suas mãos, outra vez, começaram a trabalhar numa siririca lenta. Enquanto eu me deitava, ela me beijou e passamos a nos masturbar mutuamente.

Entre beijos, me disse que o nome dela ela Simone. Estamos tendo encontos semanais há quatro meses. Não sei quanto tempo vai durar.



VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


cumi a bucrtina contos eroticoscontos eróticos insertos tiavideos de garota sendo desvirginadas do cu e buceta elas chorando e gritandoContos bdsm sequestradaconto de dei meu cu e não aguentei a pica grande delecontos eroticos gay o inicio de tudoMeu ex primo viuvo conto eroticocontos eroticos baba pretinhacontos eróticos mamãe deu o cu eu vicontos chantagiei minha mae e mi dei bemmeu namorado masturbou me na descoteca contoswww.meti na minha filha a forçaconto sexo gostoso rebola gato gaycontos eroticos dentista coroa casada tarada por sexomulher casada e evangelica dando o cu,contos sexcoroa.muito.gostosa.43.ano.cimasturbandocontos incesto o cofrinho da mamaecontos eróticos caseiros com o filho rapaz do patrãoContos eróticos minha tia me chupouhttps://idlestates.ru/conto_23966_fazendo-amor-com-o-filho-adotivo.htmlconto de desmaiei com a pica grande no meu cuzinho apertandocontos de incesto minha filha se tornou um mulheraomulhe de calsiha coladinhozoofilia mulheres beijando e transando com cachorros contos eróticosminha cunhada casada me esnobou contoscontos sogra olhando em direção ao meu pintocontos corno e pintinho fio terrahomem comeno a espoza de pois asograrelato ocaseiro do sitio arrombou o cu da minha esposaconto eroticos troca troca com amiguinhomulher de saia curta das pernas groça pornocontos eroticosgosto de mulher mais velhasadomasoquista gozando com garrafa enfiadacontos esfrega buc gozada corninhoconto de comi o cuzinho da minha neta com a pica grandeConto erotico esposa baixinhafudi cm tds na praia contosContos eroticos-lesbica plugcontos eróticos comendo a genteconto porno xixi padrinhoConto minha filha so anda de fio dental em casacontos eróticos- virei mulher do meu paiGoiânia conto vigia da obra gay cuContos eroticos com lixeiro e mulher de calcinha fio dentalcontos eroticos fudendo a mae travestirealizei a minha maior fantasia transei com um jovem loiro do pau grande e meu marido assistindocontos gay fudendo com o desconhecido no terreno baldioconto eu doida pra gosar mas si tinha meu papaiContos eroticos sempre quis da meu cu pro vizinhoconto marido do ladoContos Eróticos DE Dei Para O Amigo Do Meu Filho Na Minha Casacontos eróticos cadela e putona famíliasContoseroticosdesolteirascontos eróticos do primo negrinho dotado chupando a buceta da primaconto erotico papai me passou a rolacontos erotico estrupando novilhascontos eroticos casada perto do maridoler contos eroticos incesto mae transa com filho e pai esta desconfiandoContos erotico ubatuba telcontos gay fudendo com o desconhecido no terreno baldiocontos minha esposa eu e mais 2 travestisContos porno de irma que traem com grandecontos/minha filha esfolou meu pauconto gay carona rebolei calcinhaconto erotico minhas prima se apaixonou por mimcontos eróticos cantada na rua não resisti e traímeu sobrinho menor conto eróticobaixo forte troncudo e pau grosso gaymulher louca de tesão gozando no peito na boca o dedo na bocaSou escrava sexual do meu filho ences,contos erot.conto porno onibus sou afastou a calcinhaconto com cunhada chantagista