Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

EXPERIÊNCIAS E CASUALIDADES

Este é meu primeiro conto, pois é a primeira experiência real com mulheres. Sou casada e tenho 42 anos. Seios grandes e bunda também. Sou alta para uma mulher, pelo menos nessa faixa de idade. Resolvi contar a experiência porque ela foi muito legal, mas, ao mesmo tempo, fiquei com aquela ressaca moral. Assim, mulheres que compartilham esses sentimentos podem se ajudar a entender o que é que sentimos para podermos curtir a vida na boa. No final do conto tem meu e-mail fantasia, quem quiser me escrever, ficarei contente contando as experiências e os sentimentos. Aviso, não sou lésbica, talvez bi, assim não fiquem me paquerando, mas se querem transar, quem sabe. Espero que gostem do conto, pois tentei caprichar no português, pois conto mal escrito acaba com o meu tesão.

Beijos. Raquel.

-----------------------------------------------------------------------

Não era a primeira vez que apás beber e fumar um estado de liberação e de leveza atiçava meu desejo de fazer sexo com aquelas duas amigas que me proporcionavam grandes momentos de alegria.

Estávamos mais uma vez reunidas na casa de Cristine, aliás fazia tempo que não nos encontrávamos, desde que deixamos de trabalhar juntas. Estávamos com saudade umas das outras, mas também da alegria e da descontração de nossos encontros.

Diferente de outros encontros, o tema trabalho, leia-se, falar mal do trabalho, foi muito curto, apenas algumas menções, por parte de uma ou de outra, que não ecoaram porque não havia mais vivência coletiva a respeito do tema.

Se por um lado não tivemos o momento de "lavar a alma" falando mal de tudo e de todos, por outro direcionamos nossa conversa para temas menos discutidos entre nás: nossas transas ou aventuras sexuais.

Marina começou contando sua aventura com o massagista que encontrou numa reunião de trabalho da qual havia participado na semana anterior. Foi excitante ouvi-la contar como ela foi ficando com tesão durante a massagem e provocou um clima de transa, que acabou acontecendo.

Não sei se me excitei pela histária ou porque percebi Marina completamente excitada enquanto contava a histária. Nunca tinha me dado conta de quão bonitos são seus seios. A blusa transparente e os bicos arrepiados atraíram meu olhar que, de tempo em tempo, fixavam-se nas tetas de Marina.

Cristine não contou nada novo, mas fez referência ao seu desejomedo de transar com uma mulher, por isso nunca havia feito. Pensei até que estava interessada em alguém especificamente. Talvez uma de nás. Será?

Fui a última a falar e mais uma vez fiz referência a uma transa que tinha tido na internet. A diferença, desta vez, foi que eu havia realmente transado com uma mulher. Tratava-se de uma brincadeira erática entre eu e meu marido. Há tempo ele me dizia que morria de vontade de me ver trepando com uma mulher.

Neste momento algo interessante aconteceu, Cristine e Marina pediram, ao mesmo tempo, que eu relatasse como tinha sido a transa. Isso nunca havia acontecido antes. Percebi que algo diferente estava acontecendo ali. Inicialmente, fiquei confusa e com vergonha. Nunca me pediam para relatar minhas transas, sempre se limitaram a ouvir que havia acontecido.

Senti certa excitação, não era apenas sexual, sentia-me criativa e erática, como poucas vezes havia experimentado antes. Achei que o relato da transa na internet precisava ser incrementado, estava disposta a produzir uma transa entre nás, não estava certa se conseguiria, mas estava convencida em tentar. Não se tratava apenas de convencer Cristine e Mariana, mas, principalmente, a mim mesma que poderia ser uma deliciosa noite, que podíamos compartilhar além da amizade, o sexo.

Inicie dizendo que a conversa na net começou com um pedido dela para que eu contasse uma transa com uma mulher. Comecei contando que há mais ou menos três anos havia tido o meu mais ardente desejo por uma mulher. Estava na casa de uma amiga e comecei a sentir um tesão incontrolável por ela, sabia que ela era muito resistente a experiências eráticas com mulheres, então fui cuidadosa para não frustrar meu intenso desejo por ela. Iniciei uma conversa sobre sexo, relatando como um filme erático de duas mulheres transando havia me excitado ao ponto de eu ter me masturbado muitas vezes com as lembranças do vídeo. Descrevi com detalhes um beijo de língua das atrizes, mas me concentrei, principalmente, em contar como as mãos e a língua de umas deles acariciava e chupava o seio da outra havia me deixou molhadinha e com os bicos dos seios arrepiados. Neste momento, observei que minha amiga estava excitada, então me aproximei a comecei a beijar-lhe a boca e passar a mão em seu corpo principalmente na bunda.

Percebi que podia avançar e então tirei minha blusa, depois a dela. Muitas vezes já havia pensado de como seria chupar uma teta, mas confesso que nunca havia imaginado algo práximo do que realmente senti.

Neste momento ouvi Cristine dizer: - Para. Estava tão compenetrada na histária que levei um susto quando percebi que ela estava tirando a blusa e propondo que vivêssemos aquela histária. Em frações de segundo senti tantos sentimentos quanto possíveis: medo, vontade, desejo, vergonha.

Tiramos a roupa e começamos a nos tocar, beijei Cristine, depois Marina. Senti Cristine chupando minhas tetas, mordiscando-as, os bicos estavam extremamente duros. Passei a mão na boceta dela, estava completamente molhada, enquanto beijava Marina, acariciava e enfiava o dedo na boceta de Cristina. Isso me deu uma sensação de prazer extraordinária.

Senti Marina me empurrando sobre o sofá, cai sentada com as pernas um pouco abertas, então Mariana as abriu totalmente e começou a me chupar, não sou capaz de descrever a sensação que tive. Cristine ficou de pé sobre o sofá e colocou sua boceta na minha boca para que eu a chupasse. Não sabia dizer se sentia mais prazer em chupá-la ou em ser chupada, mas estava certa que os dois juntos me provocavam uma sensação de êxtase.

Estávamos completamente excitadas, não demorou para vir o primeiro gozo, meu e de Cristine, estávamos ofegantes. Um único gozo não foi suficiente para provocar um relaxamento, então comecei a chupar a boceta de Mariana. Cristina retirou-se para pegar um consolo para me masturbar. Era a primeira vez que eu chupava uma boceta e, ao mesmo tempo, sentia um pau entrando na minha boceta e massageando o meu grelinho. Além disso, uma mão feminina acariciava minhas tetas, apertando os bicos de tempos em tempos.

Eu e Marina gozamos no instante em que o interfone tocou, fomos interrompidas pelo anúncio de que a irmã de Cristina, que estava passando alguns dias na casa dela, estava subindo. Quando Amanda entrou estávamos vestidas, sentadas nos sofá tomando vinho e jogando conversa fora com uma alegria ímpar e um sorriso maroto.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


fotos de adoráveis travestis pirocudas nuasContos de mulheres, fudendo com seu avôContos erotico marido bracinho corno de negaoconto praia de nudismo com a esposa continuacasa dos contos eróticos camila a namorada gostosa do cunhadocontos-começo a rebolar no teu pauvemo espoza chupamo autro mo carmaval xxvidiocontos de filhas enrrabadas pelos pais de pénis grandes e grossosrelatos de ninfetas q foram arrombadas no carnavalnao contar para ninguem da familia. Quando eu achei que o papo ia terminar ali, ela me fez a pergunta que levou a tudo: perguntou porque eu tinha tanta coisa sobre lésbicas incestuosas no pc? Quando ela me perguntou isso, confesso que pensei em desconversar, mas aí pensei também que ela não faria essa pergunta à toa. Aí comecei a falar que aquilo me excitava muito, que gostava de ler sobre aquilo. Sem brincadeira, acho que a gente deve ter ficado uns 10 segundos em silencio ali na cama, depois que eu falei isso. Uma olhando para a outra. Aí, ainda bem, ela tomou a iniciativa, colocou a mão na minha perna e perguntou: Você pensa em mim?  contos de casada rabuda fiel e fogosa cantadaconto bebado virei veadocontos eroticos esposa e primoconto erotico a primeira vez com.pirocudo. gay.contos eronticos sou crente mais minha buceta vivi picandoconto de masoquismo com meu pai me violandocontos eroticos no casino pagou com a mulhereu sou de bauru sou casada e gosto de encoxadas nos onibus contos pornos irmas cadelascontos eroticosfudendo bucetinhas de dez anosdetalhes como fui estupradomeu filho tem um pausao contosa tia gorda contos eroticoscontos eroticos traindo marido na viajandocontos eroticos gay enrustidocontos esquentando a relaçãoContos eroticos orgia forçadaconto erotico comeu a visinhacunhada na cadeia contoscasa dos contos eroticos/Três é demaiscontos eroticos casal bivelhas gordas de 90kg nuascontos meus amigos estupraram a minha maecontos eroticos convenci meu priminho vestir a calcinha de sua maecontos eroticos real matrasta eem tiando conto erotico gay papai e titioficou de short e foi chantageada contos eroticopassa manteiga no corpo e na busetapeguei um menino pra comer minha buceta velha contosconto sentei no colo do lekedescobrindo que o primo gosta de rolaconto erotico deidinheiro a minha maeconto a rainha dos biquinisneqguinha gritando ai vou gozarContos erotico exibi meus seios enormes pro entregadorrelato esposa safada na fazendacontos eróticos velhocontos eróticos de cunhadas e subrinhascontos chupando buceta cabeludaela gritou dizendo q seu cu tava doendo contoscontos eróticos para ler a sograContos eróticos:meu querido professorputinha desde novinha contos eroticoscontos eroticos picantes de amantecontos heroticos gay meu primo de dezessete me comeu dormindo quando eu tinha oito anosdepilando o sobrinho pau duromulher enfia dedo no cu epoe no nariz da amigaconto boy roludo da periferiacontos fodendo a namorada de todo jeitoconto erotico catador de papel comendo.buceta da novinhagarotinho teen gemendo no pau e rebolando gostosolinha na Rachinha contos eróticosconto minha cunhada e sua amigaporno gay pai apostou cu para o vizinhocontos eroticos frustração na lua de melconto erotico viado foi no pagode na favela e deu o cu pro travestiFui vendida como escrava sexual para um negaoCamila minha enteada com a b********conto eurotico namorada chupeteiracontos mulher espreita homem a masturbar-secontos eroticos enfermeirascontos eroticos lesbica chineladasmoreninho hetero marrento contoconto erótico vestir roupa de menina sair na ruasequestrada e arrombada a força contocontoseroticosbernardosadomasoquista gozando com garrafa enfiadacontos eróticos esposa e um amigo gayconto erótico o capataz tarado pelo viadinho de calcinhaconto gay tirei o atraso do meu primo