Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

PRIMEIRA VEZ, MEU PRIMO GOSTOSO

O que vou contar aqui é real, mas mudarei o nome de algumas pessoas para preservação de identidade, me chamando de Leonardo.

Eu nasci numa família de classe media alta, puxei muitos traços do meu pai, cabelo ruivo, olhos azuis, pele rosada, mas puxei traços também da minha mãe, boca carnuda, as pernas e o bumbum torneados, traços bonitos e delicados demais pra um menino.

Eu estranhamente percebi cedo que de um jeito eu era diferente, gostava de andar com as meninas, reparar nos meninos, e um dia descobri o que eu era, mas percebi também que as pessoas tinham muito preconceito, e decidi ficar no armário.

Meus pais sempre trabalharam, e eu sempre tive uma empregada pra cuidar de mim, claro que havia uma constante mudança de casa e consequentemente da mesma, esse historia começa quando eu tinha nove para dez anos.

Bem nás já estávamos morando perto da minha tia Lais há quase um ano, e a empregada saia quase duas horas antes de minha mãe chegar, pra mim não ficar sozinho, a minha mãe pedia pra ir ficar lá na casa da tia, mas era muito chato e não tinha nada pra fazer, então as vezes eu dormia e fingia esquecer.

Foi então que meu primo Renato começou a ir ficar lá em casa comigo, no começo eu achei chato ter outra pessoa, mas o meu primo era muito legal, além é claro de lindo, era quase dois anos mais velho que eu, alto, olhos e cabelos castanhos, bronzeado, um sorriso travesso. A gente brincava até minha mãe chegar de vídeo game e depois ele ia embora, e eu ficava chateado.

Com o tempo passando eu fui gostando muito das idas dele lá em casa, e comecei até ter meus primos devaneios com meu priminho, afinal de contas eu não era inocente, sabia do esconderijo secreto das revistas do meu pai, e de certa maneira percebi que o Renato também me olhava diferente, como se quisesse falar algo que estivesse com medo. Pois bem tomei a iniciativa e como priminho mais novo perguntei sobre sexo, pronto ele se desatinou a falar, e seguidos os dias foi se mostrando cada vez mais safado.

Um dia nás estávamos brincando de esconde-esconde, e eu o achei no quartinho dos fundos que era usado como deposito por não ter nenhuma janela, sentado com uma das revistas do meu pai na mão.

-Você sabia que seu pai tinha isso?

-Não. – Eu balancei a cabeça inocentemente.

-Vamo da uma olhadinha? – Como se ele já não estivesse olhando.

Eu sentei ao lado dele, e começamos a foliar a revista, mas apesar da revista ser interessante, eu realmente estava olhando o volume no short dele, mas tentava a todo custo disfarçar.

-Cara? – Ele me olhou. – Se eu bater uma punheta pra você, se bate uma pra mim?

Pois a minha única reação foi ficar sem palavras, eu tinha medo de concordar, mas tinha medo de nunca mais ter essa chance.

-Ta bom. – Eu disse como se isso não fosse nada demais.

Eu fui o primeiro a tirar o pinto pra fora, mas foi meio constrangedor, pois meu o Renato começou a dar risadinhas de mim.

-Que foi?

-É meio pequeno não. – ele abriu o zíper tirando um pinto lindo de dentro da cueca. Era bem maior que o meu, e apesar do Renato sá ser dois anos mais velho, ele já tinha muito pelo, eu me assustei. – Sem medo ta.

Ele foi o primeiro a tomar total iniciativa, segurou meu pinto com dois dedos e começou a me masturbar, eu não tive a mesma resposta rápida, então ele me puxou com um dos braços e me beijou, aquela boca foi um delírio.

Pois ai veio a minha resposta, eu relaxei e minha pequena mão procurou aquele membro, logo nás dois estamos nos masturbando.

Nás foliamos a revista, e eu amei aquilo, o pau dele era diferente eu precisava da minha mão toda, além de gostar de sentir os pelinhos na descida, e isso tudo enchia o ambiente de excitação, minha boca encheu d’água.

Vendo as cenas da revista eu não me contive, coloquei a mão no peitoral dele e empurrei pra trás, levando a minha cabeça para baixo, sentir o cheiro conforme minha boca se aproximava me fez tremer.

-Não tenha medo.

Com essas palavras eu abocanhei todo pau dele, começando a melhor chupetinha que eu tinha pra oferecer, e mesmo sendo custoso chupar tudo aquilo, eu gostei muito.

Depois de chupá-lo bem, ele me abraçou, acho que pra evitar que eu me arrependesse ou fugisse.

-Eu preciso te comer. – Ele sussurrou ao meu ouvido, e do modo como ele me pediu jamais negaria.

Ele passou saliva no dedo, e lubrificou bem meu cuzinho na posição de frango assado, e de repente eu senti algo me rompendo, como se fosse me dividir ao meio. O Renato me entrou com tudo, eu sabia que ia doer, mas não imaginava que era tanto, eu na hora quase o empurrei para fora e fugi, mas resisti e deixei-o acabar comigo, num vai e vem ludibriante, e sentindo-o tremer, ouvindo seus gemidos maravilhosos na minha orelha.

Não consegui sentar direito por uma semana, e como foi sofrida essa semana.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


netinha alizada pornodoidoConto erotico incesto japones, pais japoneses liberaisCacetudos batendo punheta no alimentoscontos eróticos coroas na casa de repousocoroa deito e pediu pa enfia devagarsinho nu.seu.cuconto erotico colegiais sexo entre familiacontos de sexo comi minha sogra vadia na frente da irma delacontos de rabudascontos meu genro me comendoaregasando a b da nnegao marido de aluguel com casadas contoscontos de filhas enrrabadas pelos pais de pénis grandes e grossoscontos bund 130cmContos gay Massagemcontos eroticos familia unidadando a buceta na maquina e quase morrendocontos eroticos linguada no cuconto erótico cachaça pescariainfancia contos de encestocontos minha mulher transava e me beijavacontos eroticos dei o cu dentro do onibusTRAVESTI CHUPÁ OUTRO TRAVESTI E BEIJO NA BOCA E FUMANDO O CIGARRO www.contos de gozadas na marraincesto reais irmão tirando virgindade de irmã pequena em van escolarmarido corno nao ve mulher paasa a mao no pau d outrocontos eroticos gay acordado na noite pelo meu paicontos eroticos flagracomendo minha irma de seis anos contos eroticosFotos de mulheres com opriquito melado e de fio dentalcontos gay comendo o amigo rabudo em casafui bolinada na.mesa junto.com.o marido.contoscontos eroticos medicohistorias pornos virando mocinha conto erotico esposa trilhaCasada leva marido bebado e o sogro fode a gostosa contocontos eroticos realizei meu sonho comi minha cunhada novinhapedreiro gozou vendo munher lavando roupas/conto eroticocontos er safadocontos comi minha cunhadamulher gozando a um metro de distansia e mijandocontos eroticos mamãe apanhandogayzinho passou rebolando na minha frente contofazenda fravia dan xeso anal lua demelcontos eroticos coroa carenteContos de sexo virgem dor extrema membro grosso teen incestoxvidio pag biixinha gostosa cem caucinhamorena goza se esfregando e/apanhando contossuruba dios cachorro macho dando o cu papai traindo mamae comigo contos eroticoscontos eróticos gay me vesti de colegialfui iniciada em zoofilia desde pequenaContos eroticosBuceta grandeconto erotico eu meu marido e o entregadocontos/minha cona era apertadinha e virgemcontos heroticos comendo a vendedora de trufascontos eroticos com mts mamadas nos peitos/sexo com o amigovidios pornô com sogra e esposade uma ves so tudo doidofui tomar banho na casa do amigo e comeu a mulher deleO pau preto do papai contos eróticosconto erótico as duasme tarandoContos eroticos tatuagem da esposasobrinha de 9 contosa vovo gostosa conto eroticocontos minha namorada me fez corno com vizinho marrentomãe, filho, beijo na boca, excitado, biquini praia seios beijo boca camisolscontos swinger fudendo sogra e sogro biver dvd porno homems chupa bucetas de baicho da mesa tira calcinha do ladocontos eróticos genrocontos eroticos ai me mete me fode primo fodeContos erótico pombinha inchadaconto erotico dopei estuprei o cu de uma.freiracontos eróticos de cunhadas e subrinhascontos eróticos inversão bêbadocontos coxudas de saiacrente viciada em engolir