Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

OS UNIVERSITÁRIOS DA REPÚBLICA

Olá, estou aqui para contar a historia do Ricardinho, um amigo de um amigo meu... rsrsr. Ele morava num prédio de Belo Horizonte, no bairro do Funcionários. Tinha 19 andares: nos 5 ultimos, moravam familias ja tradicionais e antigas moradoras.. já nos primeiros andares, os apartamentos eram menores e acostumava abrigar solteiros, recém-casados e às vezes, repúblicas.



Ricardinho, ou Ric, morava no 5ª andar, e quase nao tinha amigos; os garotos de seu predio o excluiam por ser diferente e rebelde, odiava pessoas que adorassem seguir modinhas, Por isso, levou uma adolescencia de poucos amigos. Aos 19 anos, não saía muito de casa, mas tinha varios hobbys: assistir seriados, ouvir musica e ler ao ar livre.



Foi lendo "Dom Casmurro" no jardim de seu edifício que percebeu um caminhão baú chegar e descarregar sua mobilia. E, na organização, dois jovens adultos. Depois de ver os mancebos, Ric não conseguiu mais ler o livro. Foi até o hall do prédio ter uma com o porteiro. Lá, descobriu que os rapazes que acabaram de se mudar eram estudantes de engenharia de uma universidade que Ric nem prestou mais a atenção, pois neste exato momento, um dos rapazes se aproximava.



O rapaz tinha o cabelo castanho claro - curto, meio bagunçado -, trajava bermudinha de tectel e uma camiseta suada do trabalho da mudança. O cara era meio banco, parecia que não gostava de tomar sol e Ric reparou na tatuagem que cobria todo o braço do rapaz, depois disso, não conseguiu nem disfarçar sua fixação pelo novo vizinho e nem ao menos escutou o que veio ter com o porteiro.



Quando o novo morador estava indo, Ric reparou que ele não era muito forte, pelo contrario, devia ter no máximo um ano de academia, mas era muito gostoso e exibia uma bunda linda pelo corredor, que hipnotizara Ric, que sá foi “acordado” com um cutucãozinho do porteiro.



Ric ainda descobriu que eram os novos moradores do 201, apartamento que era de um casal de homossexuais, que se mudaram para Austrália. Ele voltou para o jardim mas já não encontrara mais o caminhão e muito menos os rapazes. Subiu correndo para seu apartamento e se refugiou no banheiro e se masturbou pensando nos braços e na bunda do cara com que deparou na portaria. Estava com tanto tesão, que gozou rápido e com uma gemidinha de leve, revirando os olhos e suspirando fundo.



Depois daquele dia, nosso querido garoto foi ler seu livro todos os dias no jardim e não faltava um dia, lendo durante horas – terminando de ler 3 livros em apenas 1 semana.

Mas não achava os jovens por nada. Foi então numa 4ª feira às 16h, que os dois rapazes chegaram juntos. Um, levava uma imensa caixa com uma televisão. O outro (que Ric vira na portaria), carregava um vídeo game e vários jogos. O segundo rapaz estava todo atrapalhado, com aquele monte de fios e de jogos, deixando um deles cair no chão. Ric não pensou duas vezes e ajudá-los.



Pegou rapidamente o jogo, para não dar chance do rapaz se agachar, e entregou-o. Dizendo que o jogo era um máximo e pedindo para ajudá-los. Os rapazes não queriam, mas Ric insistiu e conseguiu. No caminho ao apartamento dos jovens, Ric descobriu que o rapaz que vira chamava Victor e o outro Breno. Cursavam o 4ª semestre de engenharia civil da universidade federal e eram do interior. Ric se apresentou falando onde estudava e qual andar morava.

Chegando no apartamento, Breno soltou um gemido e colocou a televisão em cima da mesinha, e como estava suado, retirou a camisa mostrando seu peitoral com poucos pelos e foi pegar água para todos. Breno também era branco, mas um pouco bronzeado, muito atlético, cabelos negros e com um corte moicano. Tinha barba curta e mal feita, enquanto Victor ostentava uma cara que parecia mais uma bunda de neném. Até mesmo Ric, tinha mais pelos no rosto.



O assunto da vez então, era vídeo game e jogos. Ric não era muito chegado em vídeo games, mas disse que adorava, e sabia algo mesmo. Pois desde criança, seus pais lhe agradavam com bons presentes, e Ric já tinha 2 video games e vários jogos que mal jogavam. Mas Ric era inteligente e antenado, sabia opinar sobre os jogos e qual tipo mais gostava. Ric, gostava de jogos mais infantis e os outros preferiam lutas. Mas em uma coisa concordavam: nenhum dos três gostavam de jogar futebol.



Victor reclamou do calor de Belo Horizonte e aproveitou para tirar sua camisa, e Ric pode ver seus mamilos ráseos e seu peitoral liso, mas logo desviou o olhar: Breno chegava com a água. Mas Ric não aguentou de tesão e se despediu. Os rapazes insistiram para não ir, mas Ric não deu ouvidos e seguiu. No elevador, Ric percebera que estava de pau duro, formando uma neca grande e bem volumosa. Colocou rapidamente a mão em frente, saiu do elevador e foi correndo para o banheiro social de seu apartamento, sem nem olhar para os lados. Trancou a porta, abaixou as calças, desceu a cueca azul clara até o joelho e bateu uma em pé de frente para o sanitário, gemendo alto e torcendo para que Julinha (sua “secretaria do lar”) não ouvisse.



Algumas semanas se passaram, resumindo-as: Ric continuou lendo os livros no jardim e não tinha assunto com os rapazes, apenas os cumprimentava. Descobriu que chegavam sempre às 15h juntos. E saiam geralmente às sextas e sábados à noite. Ric os achou no Orkut, onde pode encontrar fotos deles sem camisas e uma de Breno de sunga em Porto Seguro. Foi sua diversão por estas semanas.



Ric não aguentou: pegou sua caixa de jogos (inutilizados) e fora no apartamento a fim de trocar jogos. Chegando lá, Breno - mais uma vez apenas de shorts – atendeu a porta. Convidou pra entrar e Ric se sentou no novo sofá dos meninos. Breno se sentou despojado com as pernas abertas e pediu para Ric se sentir a vontade e escolher os jogos. Ric não conseguia se concentrar, toda hora olhava para Breno ao seu lado e admirava sua mala sobre o short e seu peitoral delicioso. Ric então pergunta sobre Victor. Breno responde que esta reunido com uns amigos, mas já volta. Ric não aguenta e passa a mão de leve nas coxas de Breno como se fosse sem querer. Breno faz que não viu e continua a assistir o filme “O Contrato”. Eles então, começam a falar sobre o filme, que nem um e nem o outro curtiam muito esse tipo de filme de ação, que o negocio deles era mesmo comédia e aventura. Breno comenta que sábado eles não iriam sair, iam ficar jogando vídeo game ou vendo filmes, Ric diz que legal. Então, Breno não pergunta se ele não queria dar uma passada no apartamento deles. Ric diz que não haveria compromissos no sábado, então aceitou.



Depois de mais uns 5 minutos de silencio apenas os dois se entreolhando e fingindo que nada viram, Ric se despede e sai sem nenhum jogo, inclusive sem os seus.



Ric não aguentava de ansiedade, no sábado não conseguia ler nem um parágrafo de seus livros, sá imaginando como seria a noite ou como poderia seduzi-los ou algo do tipo. Quando deu 19h, nem havia nem escurecido ainda, Ric sai correndo de seu apartamento e desce as escadas até o 2ª andar. Chegando lá, Victor abre a porta e fala de como esta cedo ainda. Então convida-o a entrar e se sentam no sofá. Victor pergunta sobre como é o prédio, o que Ric quer ser quando crescer, etc, faz aquela “sala” para o adolescente. Breno sai do banho de toalha, cumprimenta Ric, vai à cozinha e volta para o seu quarto. Volta trajando apenar, de novo, um shortinho preto. Ric, até ironiza perguntando se eles ainda não tinham máquina de lavar roupa ou se Breno não tinha outro short. Breno brinca ameaçando tirá-lo, e para o azar de Ric, apenas ameaçando. Breno sentou no chão entre as pernas de Victor e Ric e perguntou o que iriam fazer primeiro. Victor falou pra jogar “Def Jam” um jogo de luta, todos concordam. Victor pega a manete e coloca sobre sua mala. Breno fala para deixar a visita jogar primeiro. Ric foi com tudo na manete e relou bem de leve na neca de Victor, não dando chance do rapaz lhe entregar o brinquedo.



Passou algumas horas, e Breno ganhava sempre todas as lutas. Chegando a falar que quem perdesse para ele agora, iria ter que chupá-lo. Era minha vez e perdi de “PERFECT”(quando você não consegue dar nem um golpe no adversário), e os rapazes começaram a rir, falando “vai ter que chupar”. Eu falei “então, ta”. Os meninos pararam de rir na hora e se entreolharam espantados. Ric caiu na gargalhada e falou que estava apenar brincando. Os meninos fizeram que engoliram a minha brincadeira e continuaram jogando.



Quando Ric percebeu, passava da 0h, pois minha mãe tinha acabado de me ligar. Os rapazes falaram pra eu não ir, pq eu era muito “pato”, de quem eles iriam ganhar? Então convidaram-no para dormir ali mesmo, davam um jeito. Depois de algum tempo, conseguiu dobrar sua mãe e ficou. Não iria perder essa oportunidade.



Depois que desligou o celular, os meninos desligaram o vídeo game e falaram que tinham cansado de jogar. A essa hora, já estávamos os três sentados no tapete em frente à TV. Então, com tudo desligado os garotos começaram a fazer algumas perguntas a Ric. Se ele já tinha namorada, se ele eu BV, se ele era um punheteiro, se ele já tinha transado. Ric respondeu tudo negativo. Mas o que os rapazes não imaginavam era que Ric já tinha beijado homens, era um grande punheteiro e já havia dado algumas vezes.



Breno foi mais safadinho e perguntou se já não teve curiosidade de fazer sexo com homens. Ric, ficou com vergonha, não sabia o que responder, e logo pensou que macho que macho não faz essas perguntas. Então, respondeu que às vezes sente algo diferente perto de alguns homens fortes. “Tipo o Breno?” Perguntou Victor. Ric apenas respondeu afirmamente com a cabeça e começou a ficar de pau duro.



Breno então começou a acariciar a perna de Ric, que fez um movimento de repulsa. Foi então que Victor se aproximou e pertinho do ouvido de Ric e o perguntou se não queria dar para eles. Ric virou o rosto para o lado de Victor e os dois ficaram se olhando. Foi quando o práprio Ric lhe deu um beijo. Victor beijava tão carinhosamente, que Ric não tinha mais vontade de parar e desgrudar daquela boca rosada e carnuda. Breno então, começou a passar a mão em Ric, e começou por sua bunda.



Ric desceu a mao pelo peitoral de Victor até sua mala que já estava cheia e abriu o zíper e pôs sua mãe dentro da bermuda dele. Breno, por sua vez, abaixava o short de Ric e acariciou sua bunda enquanto beijava suas costas que já haviam sido descobertas por ele mesmo.



Breno então ficou apenas de cueca preta e deixou Ric apensas de cueca branca.Victor ainda estava todo vestido, mas era tão intenso, que Ric não queria soltar seu pau por dentro da bermuda. Até que Victor para e retira a blusa e a bermuda, ficando com a cueca e seu pau pra fora. Era um pau médio, devia ter uns 16cm, mas era grosso e cabeçudo, uma cabeça linda que hipnotizou Ric que caiu de boca na geba.



Enquanto Ric chupava e se deliciava com o pau de Victor, este gemia e suspirava, repetindo varias vezes para não parar. Breno continuava acariciando a bunda de Ric, quando resolveu abaixar a sua cueca branca e descobrir aquela bunda redondinha e rechonchuda de Ric. Breno não pensou duas vezes e começou a beijar vagarosamente a bunda dele indo até o ânus, rosadinho e apertadinho que piscava de excitação.



Então Victor, chama Breno. Foi quando ele retira sua cueca e mostra aquele cacetao grosso de 18cm. Vai até Victor que se lambuza com o liquido lubrificante que Breno já

Havia ejaculado de tanto tesao que estava da bundinha de Ric.



Breno então fala: “Vamo tirar o cabaço desse viadinho?” Ric levanta na hora e fala para ir com cuidado pois era virgem. O que não passava de um charminho, pois já era sua 5ª ou 6ª vez. Victor então se posiciona atrás de Ric, mas Breno o impede e fala que o cuzinho dele pedia uma geba bem grossa. Então, Ric se posiciona debruça sobre o sofá ajoelhado no tapete. Breno se encaixa atrás de Ric, e começa a passar a vara na portinha de Ric, que solta um gemido de muito de tesão. For então que Ric pede para Breno lhe introduzir seu cacete. Breno nem pensa duas vezes e coloca bem devagarzinho para Ric não sentir dor. Ric espreme os olhos e geme de dor, mas fala para não parar. Breno responde que não vai parar. Breno enfia até as bolas e começa a bombar lentamente, e Ric começa a gritar de dor. O rapaz então fala para a putinha se calar e fala ao colega para tampar-lhe a boca com uma rola. Victor rejeita e fala que é sua vez de meter. Mas Breno lhe responde negativamente e começa a bombar muito rápido e goza dentro de Ric, que solta um gemido muito grande, que lhe faz receber um tapa na bunda de Breno para calar a boca.



Então, Breno senta no sofá e Ric debruça-se sobre as coxas dele, começando a chupar suas bolas raspadas. Victor aproveita a porra de Breno no cu de Ric e lhe introduz seu pinto vagarosamente até as bolas e fica assim sem bombar. Victor geme de prazer, enquanto Ric, mas uma vez geme de dor. Breno fala: “Toma rola seu viado e pára de gritar”. Ric então, chupa Breno até que ele goza de novo em sua boca. Então Breno sai e vai se limpar no banheiro dizendo para Victor acabar com a putinha desvirginada.



Victor chega bem práximo de Ric e fala para a bichinha não se preocupar que vai tratá-la com muito carinho. Victor então começa a bombear bem devagar, enquanto Ric continuar gemendo de dor nem conseguindo falar, conseguindo apenas rebolar enquanto é penetrado pelo varão. É então que grita de prazer: era Victor que já estava gozando dentro dele de novo. Breno sai do banheiro e Victor e Ric entram juntos e tomam uma ducha. Quando voltam, arrumam colchões no tapete da sala e dormem os três lá mesmo assistindo um filme do Senhor dos Anéis.



De manha ainda, Victor acorda de pau duro com Ric acariciando sua mala. Os dois vão até o quarto e Ric chupa-o de novo até gozar. Dessa vez não fazem nada alem disso, para não acordar Breno. Se beijam até perceber que o rapaz se remexia na sala.



O celular de Ric toca: era sua mãe que lhe chamara pra voltar pra casa. Breno acorda e fala que é melhor mesmo ele ir. Mas alerta a Ric que na práxima ele não escapa de uma DP. Os três caem na gargalhada. Ric se despede e vai embora.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


contos meninas novinhascontos eroticos morena gostosa malhadacontos gay pai bebado suadocalcinha incesto contosxvidio mocinhaContos minha irma e meu cunhado vieram passar uns dias conoscomulheresporno da baladasConto erotico levantaram minha microsaia e me comeram gostosomeu padrasto me fudeo todAconto o sarado e a gordinhaconto gay eu e meu irmao viramos veadocomi a crente ccb contocontos erotico mulher experimentando um travestiCONTO EROTICO:FIQUEI COM A CRENTE SUPERGATAmulher fia exirtadarcontos eroticos ele insistil que deixei tira camisinhafoda gostoza mulher caszada tro cano omaridocontos gay trans teencontoseroticos chupando pica cheia de sebocontos-gays fui arrombado por um bombeiro no motelcontos de corno no cinema com 2 negros bem dotados estuprada esposa loiraIncesto de contos eroticos sou agora mulher do meu ex primo viuvofiquei olhando o travesti encoxando meu marido no onibuscontos eroticos de pau gigante arregassando bucetacontos eroticos algemada e sentindo um tesao e eles ainda me torturava mexendo na minha buceta tiraram a roupa da esposa contochuupadarelatos reais eróticos - saciada em casaeu liberei minha esposaencostou o cotuvelo no meu peito fiquei loca conto eroticocontos eroticos presidiomae e filha sendo arrombadas contogozarnopeitomulhercomo chupar o pau do meu marido e fazer ele gozar lejeiro e gemer mais que tudoconto porno come o cu da minha cunhada e a amante e sua amigaantes caçava agora sou cacador de bctcomi minha enganado contos eroticoscontos noivas deram pra cunhadocontos meu pai me seduziucontos eroticos casada vê abelhar com pau grande no cúconto fala todas solteiro cornomeu pai batendo punheta.eu foi fala com ele e ele madou eu bate pra eleNo motel os dois cabaços das duas amigas da minha filha conto eroticosozinha com meu sobrinho deixei ele me foder contos sado marido violentoscontos de sexo meu pai viuvo anoite primeiro meu encouxandoprofessor cacetudo comendo o cuzinho do menino afeminado no banheirocontos testou a esposavou rasgar sua boceta vagabundaPeguei meu entiado masturbando com minha calcinha.conto eroticopapai e seu amigo comeu meu cuzinhocontos eroticos pivetescontos... me atrasei para casar pois estava sendo arregaçada por carios negoesconto megao roludp fudeu. minnja mulhercontos amiga xoxotudaconto erotico minha patroa me viu de pau duroNegão e minha filha contos eróticosconto transformado travestiConto erótico infância dupla penetracaocontos eroticos camisoladoutor esporreando muito no travedticontos eroticos tomando conta de uma desconhecidacontos eroticos minha baba dormindocontos escraviseiconto de sogra dando para genroGoiás borracheiro endereço conto gay de calcinhaContos eróticos e roseconto erotico esposa e sograsou rabuda contos eroticosDedo na xoxota contostransa shopping Interlagos contoquero ver buceta do pigele grade