Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O MOLEQUE BRANQUINHO E O PAI NEGÃO DO COLEGA

Estou aqui mais uma vez para contar um fato inesquecível que aconteceu comigo. Para que não sabe, sou fissurado em negões, principalmente casados com mulheres. Mas isso não é regra, pois o que adoro, na verdade, é uma rola grossa de macho de verdade. Sou boy branquinho, 1,80m, 77 kg, olhos e cabelos pretos, lisinho, rabudo, bundinha empinadinha, durinha e arrebitada e, segundo alguns coleguinhas da escola, pareço uma menininha. Bem, vamos ao conto.rnQuando tinha em torno de 19 aninhos, passei no vestibular de uma universidade pública no interior paulista e fui morar em uma república de estudante com mais 4 moleques, todos calouros, e não nos conhecíamos antes (conheci a república por meio da internet). Um desses colegas de rep era negro, mas a histária ainda não será com ele, mas sim com o pai dele, que é um negão gostoso pra caralho.rnUm dia esse colega perguntou aos integrantes da república se alguém estaria em casa no dia seguinte para receber o pai dele, pois ele estaria na universidade fazendo prova e não poderia receber seu pai, que viria arrumar a sua cama, que estava quebrada, e montar seu guarda-roupa (detalhe: eu dividia quando com essa pessoa). Me ofereci para recebê-lo, sem nenhuma malícia até então (juro!!!), pois sá teria compromisso no final da tarde, além do que eu não conhecia seu pai.rnNo dia seguinte, estava sozinho à tarde. Como combinado, o pai do meu colega de república apareceu. Como disse, eu não o conhecia, mas quando o vi, quase cai das pernas, era o meu número, pensei naquele momento. Ele era um negão que exalava tesão e, quando me deparei com ele, tive que disfarçar para não dar pinta e mostrar que tinha ficado com as pernas bambas. Era um tesudo do caralho aquele negão! Tive que me conter, pois, além de ser pai do meu colega de república, era macho pra caramba. Que o dia o aperto de mão que ele me deu! Imaginem uma menininha como eu recebendo um aperto de mão de um negão como aquele, que tinha as mãos grandes, grossas e ásperas, por conta do trabalho. rnEle era muito simpático, ao mesmo tempo que era muito gostoso, e isso me deixou um pouco menos nervoso. Tentei me concentrar na conversa, mas confesso que não conseguia muito, porque a figura daquele macho negão na minha frente não me permitia isso. Fiz de tudo para agradá-lo, oferecia água, entregava as ferramentas de que ele precisava e até fiz um cafezinho pra ele! Durante o trabalho dele, via o tamanho dos músculos daquele cara. Cada braço correspondia a uma coxa minha! Tinha um peito cabeludo e forte, costas largas. O cheiro de macho já estava todo impregnado no meu quarto, pois ele suava muito.rnO trabalho estava durando mais do que eu esperava. Já eram por volta das 5 da tarde e eu tinha que sair. Então, resolvi tomar um banho e me aprontar enquanto aquele negão macho terminava de montar o guarda-roupa do seu filho, colega meu de rep que dividia quarto comigo. Tomei meu banho, mas me esqueci de levar minha roupa para me trocar no banheiro, sá tinha levado a toalha. Então, ao terminar meu banho, me enrolei na toalha, que não era daquelas toalhas grandes, que envolvem muito bem o corpo, e fui até o meu quarto. rnQuando cheguei lá, aquele macho negão me deu uma olhada que me intimidou. Achei que estava me estranhando ao me ver daquele jeito. Eis que eu disse:rn- Me desculpe estar assim, é que eu esqueci de pegar a minha roupa para me trocar no banheiro.rnE ele responde:rn- Tranquilo, cara. Pode pegar a roupa aí, sem problema. Já terminei o trabalho. 'Tô dando um tempo aqui porque 'tô todo suado aqui.rnMeu Deus, mal sabia ele que estava um tesão daquele jeito!rnQuando me abaixei para abrir a gaveta e pegar a roupa, minha toalha se desamarra da cintura e cai no chão, deixando-me completamente nu na frente daquele negão. Imediatamente, eu falo:rn- Me desculpe, me desculpe. Ai que vergonha!rnE ele retruca rapidamente:rn- Ei, ei, ei...rnLogo achei que ele iria ficar muito bravo porque eu estava daquele jeito. E ele continua, enquanto meu coração já batia acelerado de medo:rn- Posso te pedir uma coisa?rnRespondi afirmativamente.rn- Deixe eu ver essa bundinha direito?rnEsperava tudo, menos aquilo. Fiquei sem saber o que responder, mas minha intuição de putinha não me traiu:rn- Sim, sim. Falei com a voz trêmula.rn- Fique em pé, um pouquinho.rnSá ouvia uns gemidos, uns sons que pude perceber que eu estava diante de um grande fodedor de rabinhos. Depois de um tempo entre gemidos e sussurros, ele me pergunta:rn- Cara, muita linda essa sua bunda! Posso dar uma apertadinha?rnMais uma vez respondi que sim.rnEle apertou. Indescritível aquela sensação de ter aquela mão grande, grossa e áspera apertando minha bundinha que era delicada! Sentia que sua mão arranhando um pouco a minha pele. Mas estava adorando tudo aquilo.rn- Nossa, cara. Que bundinha!, continuava ele. Nossa, me desculpe te dizer isso, mas fiquei de rola dura aqui! Ele me disse, com a voz ofegante de tesão e fazendo uns sons que parecia de um leão faminto.rnQuando olhei para a bermuda dele, vi um volume enorme daquele negão. Era lindo ver os contornos daquela rola sob a bermuda. Ele não parava de apertar.rn- Posso ver seu cuzinho?rn- Sim, lhe respondi.rnMais sussurros e gemidos ouvi, dessa vez acompanhados de uma pergunta que me deixou todo excitado:rn- Você gosta de rola dura de macho como essa aqui?rn- Sim, sim. Lhe respondi prontamente.rn- Quer a minha? Ela 'tá até doendo já de tão dura que ela ficou. Tua bundinha é linda, cara! Parece de uma menina... meu filho 'tá bem servido! E deu uma risada sacana, de fodedor, ao mesmo tempo que dizia tudo isso.rnNão tive tempo de responder, pois ele logo tirou aquela barra de ferro de dentro da bermuda e me pôs a mamar. Mamava com dificuldade, pois ela era muito grossa.rn- Mama, viadinho. Mama essa piroca do negão, mama. Putinha safada!rnComo estava com dificuldade para mamar, me engasgando sempre, ele continuava dizendo:rn- 'Tá engasgando por que, putinha? Abre bem a boquinha pra mamar essa piroca leiteira... mama bem gostoso... isso, viadinho, filho da puta, vou te dar aquilo que você 'tá louquinha pra ter desde que viu na porta, filha da puta.rnEle me xingava muito, e muito dava muito tesão. Depois de um tempo mamando aquela piroca magistral, ele me pega pela cinturinha e me põe na cama do filho dele e diz:rn- Fica assim de 4, cadelinha. Vou meter ferro nessa bundinha linda, de mulherzinha que você tem. Quer dar pro negão, quer, viadinho? Insistia na pergunta.rnE eu sá dizia que sim, que queria. Estava com muito tesão no rabinho. Aquela rola daquele negão era muito deliciosa.rn- Sente a piroca do negão entrando, branquinha. Isso, putinha... 'Tá tomando ferro nesse rabinho, né, filho da puta. Ele dizia isso quando metia no meu cuzinho, todo delicado de putinha...rnDoía muito, mas meu tesão maior. Estava tomando no cu... estava levando ferro de um negão delicioso, pai do meu colega de república. Acho que isso aumentava meu tesão... Empinava cada vez mais meu rabinho pra ele meter.rn- Isso, filha da puta... arrebita esse rabinho, vai... sente do negão... toma no cu, putinha, é isso que você tem que levar...rnEle metia muito forte, dava pra sentir as bolas do saco batendo na bunda e ouvir o barulho da foda que eu 'tava levando daquele negão.rnDepois de um tempo metendo, aquele negão começou a urrar, parecia um leão, e dizia: - Vou gozar, putinha, vou gozar... vem tomar meu leite, vem... vem, vem, vem... ahhhhhhhhhhhhhhhh, toma, filho da puta, toma teu leite, toma da piroca, toma... Ele me dizia quando jorrava aquela porra grossa dentro da minha boca.rn- Ah, branquinha, você é deliciosa, sabia? Teu rabinho é uma delícia... putinha, safada, aguentou direitinho a piroca do negão aqui né...rnE eu sá balançava a cabeça, ajoelhado, com a boquinha toda lambuzada de porra daquele machão.rn- Teu negão vai ter que ir embora, mas volto pra te foder, cadelinha. Meu filho 'tá bem servido aqui, viu? E olha... disse enfaticamente... ele fode putinha também...rnFiquei entusiasmado com a notícia, mas esse é um outro conto. Por ora, sá quero dizer como eu estava satisfeito com aquela pirocada que eu tinha levado. Meu rabinho ardia pra caramba, mas eu 'tava feliz...rnrnMe desculpem pela extensão do texto. Gosto de detalhes. Espero que tenham gostado. Quem quiser me adicionar pra real, é sá me escrever: [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Contos de sogras velhas crentes rabudas dando o cux. video. do. medico. gatogayContos eroticos com animaiscontos não resisti ao cacetaocontos homem casado chupa picq homem casadogozadas na boca do menino contoshistorias heroticas detalhistas de peitudas gostosascasa do conto minha filha sentou no meu colo de mini saiaconto comi a buceta da mae do meu amigozoofilia mobile ticas pornominha tia e puta contoComtos heroticos da cunhadinha viviane dando pro cunhado reinaldocontos completos quentes esfregando so pra judiar pedindo masconto erotico lesbico chupa meu grelinho ai vou gozar isso não para ai ai ai to gozandoRex dando o cucontos deu o cuzinho por um celularO coroa com ele em cima da sua lancha ele me fuder conto eroticocontos erotico-meu cuzinho acostuma no teu paucontos de sexo com novinhas trepando com advogadosconto herotico fiz ela grita de dor na buceta mas estorei o cabacinho delasexo com a irmãzinha contos eróticoscache:FPfKk_mm7mAJ:okinawa-ufa.ru/conto-categoria-mais-lidos_9_9_zoofilia.html casada rabuda conto eroticozoofilia ela casou com negao mais quando viu o tamanho do pau enorma dediu ajudaa maeBrincadeira na piscina com meu irmao poran vedeoscontos eroticos mamando na novinha cheia de leite no riacho de biquiniquelegal vouponhamulher com uma bu dando nda inmencacontos eroticos separou pra levar picavoyeur de esposa conto eroticocavalo e pônei cheio de tesão tentando dar em cima da mulhercontos erótico de incesto eu novinha ano ... meu tio com 26*6cm de rola me arrombou flagas de encesto com zoofolia contosconto - so cabia um dedinho na bucetinha delaver rapasea novos grizalhos pelados de pau duroperdendo o sele o selo do cucontos chupando buceta cabeludaas antigas Sophie travestis masturbando na salacontos velho nojento pauzudocontos eroticos sou casada realizei os desejos do meninoContoseroticos minha enteada novinha sendo estuprada por dois roludosConto enteada nao aguentou tudoconto erótico sentada melpornô doido p*** fazendo fio terracontos casada bunda com celulite fotos velhaputão na vara contoscontos eróticos na Fazendavoyeur de esposa conto eroticoUm professor gay fode sim com um aluno com o pau doro na bocanegao bota ate o'talo na novinhachupada buceta contoconto erotico pega no flagracontos heroticos gay meu tio de dezessete me comeu dormindo quando eu tinha oito anosesposa da o cu au marido sorindahistória verdadeira de sexo entre homens bi sexual no banheiro metrô trem ônibusgay violentado contosnegao pegando a velha no mato conto eróticoContos eroticos Minha filha choronacontos zoofilia passei doce de leiteTia de shortinho partindo a bucetavideos porno sobrinha branquinha fugindo dos tios negoescontos virei mulhercontos minha mulher deu na frente de casaQuale melhor foda com a minha namorada?minha sogra pediu pra ver meu pintoraparam minha buceta a força contos.conto gay negro trapezistaconto ele ficou sabendo do tamanho da bucetaContos eróticos de bebados gaysContos eroticos pego pela sogracontos eroticos estuprada e gemendo gostoso issooo vaiiii nao paraescravasbonitas rebolandocontos chineladas da empregadaassisti vídeo porno de mulher de chortinho curto depano fino ela dentro de casaconto gay meu primeiro cuMeu primo que chupa no meu pauo corpo da colegial tem que ser magro fetichecontos eroticos gay meu vizinho de dezenove anos me comeu quando eu tinha dez anos