Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

O MEU PRIMO FABIO - 5

Finalmente chegaram as férias de Verão e lá fui eu para casa da avá.

- Estás sázinha avá?

- Não. O Fabio chegou ontem. Ele anda por aí... deve ter ido tomar banho no rio.

Uau, que maravilha. Fiquei feliz. Arrumei o saco, vesti calções de banho, agarrei uma toalha e fui procurar o meu primo. Lá estava ele, a correr junto ao rio, a brincar com dois rapazes. Parou quando me viu, apertou-me a mão, apresentou-me aos amigos: o Nuno, magro, alto, cabelo louro, tinha a minha idade, quase 19 anos, e o Xico, mais baixo, também magro e louro, com a idade do Fabio, 19 anos acabados de fazer. Continuaram a brincadeira, eu, um pouco decepcionado com a recepção do meu primo, sentei-me na relva a observá-los. O Fabio tinha crescido (e eu também), estava mais forte, notavam-se os músculos nos braços, os ombros mais largos e a cintura fina. Usava um calção vermelho de licra que se colova ao corpo, nas pernas musculadas já se notavam os pelos. Saltaram para a água, continuaram as brincadeiras lá dentro. Eu estava cansado da viagem, deitei-me a apanhar sol e acho que adormeci pois sá dei conta que eles me agarraram pelas pernas e pelos braços quando já estava a chegar à água e já era tarde para resistir. Senti a água fria no meu corpo, insultei-os aos gritos, eles na margem a rirem-se às gargalhadas. Depois saltaram os três para a água e rodopiaram à minha volta, eu não nadava suficientemente bem para lhes escapar, a dado momento senti que puxavam os meus calções e depressa me deixaram nu. Atiravam os calções uns para os outros, como se fosse uma bola, eu tentava agarrá-los mas não conseguia. Subiram para a margem, penduraram os calções num ramo de uma árvore e incentivaram-me a ir buscá-los. Eu tinha vergonha, deixei-me ficar dentro de água até não poder mais, pois eles não desistiam. Corri a apanhar os calções, eles caíram-me em cima os três, derrubaram-me no chão, tive que lutar para conseguir vestir-me. Fiquei chateado e corri para casa. O meu primo tinha-me desiludido com aquela atitude.

à noite a avá mandou cada um para o seu quarto. Estava calor, eu tentava adormecer quando ouvi uma voz, olhei para a janela aberta e vi o Fábio.

- Vem primo, salta cá para fora - sussurrou.

Saltei. Estava luar, via-se bem. Eu tinha apenas umas cuecas, o Fábio também, mas trazia um cobertor enrolado debaixo do braço. Sorriu-me, fez-me sinal para não fazer barulho e corremos em direcção ao rio. Estendemos o cobertor na relva e deitamo-nos a olhar para as estrelas no céu. Ficamos parados durante bastante tempo, nenhum tomava a iniciativa. Voltei-me para o meu primo, ele virou-se para mim e abraçamo-nos, beijamo-nos na boca com sofreguidão, as nossas mãos a apalpar as nádegas um do outro. Eu estava louco de tesão, a minha piroca não cabia nas cuecas. O Fábio agarrou-a, despiu-me as cuecas e começou a lamber. Eu segurava-lhe a cabeça, mas também queria chupar, não podia esperar mais. Arranquei-lhe as cuecas e deitamo-nos de lado, a cabeça de cada um no meio das pernas do outro, a fazer 69. Tinham-lhe crescido pelinhos por cima da pila, que estava mais grossa e mais comprida. Lambi-os todos, chupei-lhe as bolinhas, engoli o pequeno bacamarte, suguei-lhe a cabeça destapada. Ele fazia-me o mesmo e era muito bom, eu estava quase a explodir. Vi as bolas dele a subir, pareciam desaparecer na base do pénis que ele empurrou para bem dentro da minha boca e ...aaaahhhhhgggggg, senti o esperma na garganta. Não estava à espera, pensava que ele ainda era seco. Com o frenesim da ejaculação o meu primo quase me arrancava a pila, tal era a força que ele sugava e me apertava com os dentes. Esporrei-me quase ao mesmo tempo, também o apanhei desprevenido, obrigando-o a engolir o meu esperma. Sentamo-nos, ficamos a rir um do outro, com a porra branca a sair-nos pela boca.

O Fábio parecia mais bonito, os olhos verdes a brilharem, já se notava uma espécie de bigode por cima do lábio. Aproximou-se do rio para se lavar, quando se baixou fiquei louco de vontade de voltar a enterrar o meu mangalho naquele cuzinho moreno. Também me fui lavar, o meu primo admirou o meu bacamarte e os meus pentelhos.

- Eh primo, agora esse pau é capaz de me rebentar todo! O que é que tu fizeste para ele ficar assim tão grande?!

- Toco punhetas todos os dias a pensar no teu cuzinho. Anda primo, deixa-me entrar nesse cuzinho. Lembras-te como eu te fodia bem, nunca te magoava e tu querias sempre mais.

- Está bem. Mas primeiro sou eu. Quero comer o teu cu, vai ser a minha primeira vez, tens que me deixar.

Sinceramente não me apetecia nada levar no cu.

- Desde quando é que tu já deitas leite? Ainda és muito novo!

- Foi para aí há um mês, ainda tinha 19 anos. Eu tocava punhetas todos os dias, a lembrar-me de nás os dois na casa da avá e um dia aconteceu. Anda lá primo, deixa-me enrabar-te. Olha o que eu tenho ali, na bolsinha da toalha.

Fui ver, era um tubo de vaselina. O maroto tinha tudo planeado. Tinha que ser, besuntei-lhe bem o pau, que cresceu e ficou bem duro nas minhas mãos, untei o meu buraco, meti um dedo com muito creme lá para dentro e pus-me de quatro. O Fábio veio por trás, tentou enfiar-ma mas não conseguia. Deitei-me de lado, ele veio, apontou ao olho e forçou. Senti dor.

- Espera, pára. Devagarinho. Empurra agora, aiiiiiii, pára, pára. Empurra, mais um pouquinho, mais. Ohohoh. Mais, mete mais, está quase. Pára agora. Está a ficar bom, empurra agora, até ao fundo, não pares. Boa, está todo dentro, já sinto os teus tomates no meu rabo, deixa-me agarrá-los. Hum, que bom, anda, mexe-te, mete e tira, mas não saias, não saias fora. Isso, assim, mexe-te, mete, tira, mete, tira, para lá, para cá, para lá para cá. Mais força agora, mais força. Estás a gostar? Ui que bom! Que tesão, agarra a minha pila, agarra a minha pila, aperta-a, aperta-a. Mexe-me nos tomates, mexe-me nos tomates. Oh sim, estás-te a vir, estás-te a vir, estou a sentir, estou a sentir o teu leite quente. Hum que bom, que bom, não pares, não pares, leitinho bom, leitinho bom. Que pila boa, que encheu bem o meu cuzinho.

O Fábio estava exausto, todo transpirado, mas eu queria comê-lo, tinha que o possuir já. Passei a vaselina no meu bacamarte enorme, afastei as pernas do meu primo que estava deitado de costas e untei-lhe o cuzinho, enfiei-lhe um dedo, depois dois dedos, suavemente, para preparar o buraco. Ele parecia ensonado, deixava-me fazer sem reclamar. Deitei-me por cima dele, arreganhei-lhe bem as nádegas e comecei a introdução. Não o queria magoar, fui devagarinho. A cada gemido dele eu parava logo. Esperava que relaxasse e voltava a forçar. Ele fazia ui, eu parava. Pacientemente fui entrando nele, até ter o pau todo enfiado, os colhões a baterem-lhe no cú. O Fábio começou a ficar desperto, começou a mexer as ancas, enganchou as pernas nas minhas nádegas, voltou a ser a minha putinha.

- Fode-me, fode-me com força. Anda, dá-me com força. Força, força, força. Oh que bom, que bom. Força paneleiro, fode-me. Mexe esse grande pau. Rebenta-me todo. Eu sou a tua putinha, lembras-te? Fala, chama-me puta.

- Minha puta, minha putinha. Vou-te inundar de leite, vou-te fazer um filho. Anda, geme puta. Toma.

- Aaaaiiii...uuuuiiiiii...que bom...mmmmmmm...

- Estou-me a vir, estou-me a vir... aaaaagggggggg...

- Vem-te cabrão, vem-te paneleiro, enche-me de esporra. Eu sou a tua puta, a tua putinha.

- Minha putinha, minha putinha..., dizia eu, e o meu esperma não parava de entrar naquele cu tão delicioso, e eu beijava-lhe os olhos, metia-lhe a língua nas orelhas, lambia-lhe o projecto de bigode e chupava-lhe os mamilos, até cair exausto em cima dele, acabando por adormecer.

Acordei já com o sol a despontar. O meu primo dormia profundamente, com a cabeça encostada ao meu peito, todo bem juntinho a mim. Corria um ar fresco.

- Fábio acorda. Acorda, já está a ficar dia. Abriu os olhos, quando percebeu onde estava levantou-se de um pulo.

- Vamos, despacha-te. Onde é que estão as cuecas. Estão ali. Veste-te, vamos antes que alguém nos veja - dizia ele. Enrolou o cobertor e correu para casa. Corri atrás, saltei pela janela para dentro do meu quarto e,.. estava lá a avá, sentada na cama, à espera.

- Onde é que vocês os dois estiveram? O que é que andaram a fazer?

Eu fui para a cama, dormi o dia todo, não me apetecia falar com a avá. à noite ouvi uma voz de homem, fui espreitar e vi que o Fabio se ia embora com o pai. Na manhã seguinte a velhota disse-me que tinha chamado o meu tio porque não aceitava "poucas vergonhas". Mas eu sabia que ela estava a mentir, pois o Fabio havia-me contado que o pai o vinha buscar para irem passear de auto caravana pela Europa e que voltariam ainda antes do fim das férias.

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Conto surpreendi meu maridoContos eroticos mae inociando filho novinho conto realmamei os peitoes contoscontos eroticos lambendo bucetadconto esposa no cinecontos de heteros branco comendo bunda negrachupei o grelo da minha amante contos eroticoscontos arrombado no banheiroso mrninas na mastubando n causinha toda melada video mobilconto erótico teen virgemcontos sexo.minha esposa hosana adora comer meu cucontos de coroa com novinhocontos encoxei minha cunhada casadaheterosegurandoabaixei e vie a calcinha da minha por baixo da mesa contoscontos eroticos dei o cu dentro do onibusContos eroticos - me come vai, mete maninho.Minha namorada deu a bucetacontos eroticos de incesto de pai pasto e filhacontos eroticos comi a noiva do otariocontos convenci ela a dar o cuzinhocontos incesto mãe fofinhacasa dos contos meu pai chamou dois amigos dele pra arrombar meu cuzinho virgem dpcontos eroticos mulher casada bi sonia e suas amigasconto crossdresser.vestido de minha esposaconto tio agarrou a moça e comeu elacomendo minha irma de seis anos contos eroticosccnto iroicos comedo o cuzinho do meu filho bem novinhocontos meu marido dxou o amigo dele me massagiargarota no cio brincando com cachorroconto minha mostrouchupando pica abrancando o namorado pela cintura amadorcomtos de viados dando o cu pra pica bem grossaegrandeContos de transexicontos eroticos filha so.de calcimcontos erotico fis a filinha pequenininha adolecete do amigo meu chupo meu cacetecontos eroticos abri sua boceta e minha porra escorria do seu buracomulher tem fetiche tama pirocada de travesticontos eróticos de incesto minha mae no meu colocontos eroticos padres e zoofiliacontos eroticos de tiacontos eróticos família vavela minha mãe comigo no banheirocontos dei o cu e saiu merdacontos eróticos de negras no metrôcontos tia gostosaa ai delicia ai vai vaiQuale melhor foda com a minha namorada?Conto erotico dotado no vilarejovelhos gay contoscontos coroas casadas sexoContos Mamadas no paizimcontos gays seu tiaocontos meu marido descobriu quando cheguei arrombadaContos eroticos titio me chupando forte as tetas ate ficar vermelhinhasconto erotico foda com a viuvinhadando uns amasso na minha sublinha e acabei gozando nas pernas delaMeu ex primo viuvo conto eroticoContos namorada baixinha e bruta bundonaconto gay fui abusado no alfanato pelo os fucionarioConto de putinha objeto de prazer para todos os machoscontos eroticos eu e minhas amigas muito novinhas pai arrombando o cuzinhovideos porno sobrinha precisando de dinheiro da para o tioKm zoofilia lulu meu amante secretocontos eróticos perdi minha virgindade com um pau grande e grossocontos eroticos primeira vez siririca com 07 anos sozinhaconto erótico fui chantageada pelo meu primo Fernando que comeu a minha mulherconto gay fudeu e filmoucuzinho apertadinho do filho contos eroticosadoro ser estuprada contosso as japonesinha cabiceiras trasandocontos comi minha filha caçula dormindocontos eroticos tia marta morena coroa tenho bunda grandecontos tio enrraba sobrinhoCu maislargo do mundo em fotoscontos eroticos mãe gostosasou puta do meu cachorrocontos eróticos virei cd para usar fio dentalconto de encesto meu pai ficou empotentecasadas baxias di calsias na zoofiliahistorias de sexo eu e minha madrasta bia de raboconto erótico terminando a reforma com esposameu padrinho mim comeu quado eu era menia aindaContos mulher coloca silicone e vira putaconto minha tia pelada no quintalcontos eronticos sou crente mais minha buceta vivi picandohomens com pau instigante