Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
Já está liberada a área de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

REBOLA NO MEU PAU, FERNANDA!

Talvez a única utilidade dessa distância seja me deixar que nem bicho, louco pra te comer. Quando você chegar no Rio, larga suas malas em casa, bota um vestido curto deixando as coxas de fora e uma calcinha pequena, mal cobrindo sua boceta e toda enfiada na bunda. Mas quando a gente se encontrar e eu já chegar apertando sua bunda falando no seu ouvido que quero te foder logo, você faz um doce, diz que não vai me dar, que está cansada e é melhor deixar pra outro dia. rnChegando aqui em casa eu te puxo pra dar um beijo todo de desespero tentando te convencer a me dar, você me beija de volta com vontade, não oferece resistência quando começo a subir as mãos pelo lado das coxas, ate chegar no vestido e enfiar as mãos por baixo até tocar numa calcinha minúscula. Quando eu vejo o tamanho dela, te beijo mais forte e já passo as mãos pra tás, rapidamente descobrindo sua bunda toda.. Fico alisando, sá curtindo como está macia, até que vou pro meio dela e seguro abrindo pelas polpas, apertando sua bunda com tanta força que quase te levanto do chão. Voce tenta se desvencilhar e vira de costas pra mim, eu vejo aquela bunda grande com uma calcinha toda enfiada e fico louco de vez. Te encosto na parede e enquanto mordo seu pescoço, você percebe meus movimentos e sente que botei o pau pra fora do short pra ficar esfregando na sua bunda, ja muito duro e te forçando ainda mais contra a parede. Você deixa eu roçar, mas fica falando que não vai dar pra mim, pra eu ficar calmo. Eu mal consigo falar de tanto que respiro pesado e sá respondo que preciso te comer de qualquer jeito. Você tenta se virar de frente pra mim e se soltar, eu te aperto mais forte contra a parede e mando você ficar quieta, Fernanda, deixa eu esfregar meu pau nessa bunda, deixa. Você tenta se soltar, mas não tenta muito, fica aproveitando e diz que pode bater uma punheta pra mim, se eu quiser. Eu te viro de frente, pego sua mão e boto no meu pau. Você aperta de leve e começa uma punheta devagar, eu por fim te solto e fecho os olhos, gemendo e curtindo meu pau na sua mão, aquela punheta que eu queria tanto no tempo que ficou longe, nas punhetas que eu tocava e tentava imaginar que era sua mão segurando meu pau de leve enquanto subia e descia.rnVocê para de repente, diz que é melhor parar senão eu vou querer te comer e reclama sério quando tento ir pra cima de você. Sem muita opção, eu tento acalmar, mas você não ajuda. Diz que está muito quente e vai ficar sem vestido, mas que é pra eu ficar quieto. Eu sento na cama e te vejo fingir indiferença enquanto começa a tirar o vestido. Eu já tinha guardado o pau dentro do short, mas não aguento, boto pra fora de novo e começo uma punheta enquanto você vai tirando o vestido. Você fica de frente quando levanta o vestido, eu vejo aquela calcinha preta que fica bem cavada na frente, que quase some nas suas coxas e por muito pouco não mostra sua boceta. MInha punheta fica mais rápida e então você passa o vestido pelo sutiã, queria que estivesse sem e tento lembrar daqueles bicos clarinhos, mas sinto que nem a punheta duraria muito tempo naquele ritmo. Pra me matar de vez, você termina de passar o vestido pela cabeça virando de costas pra mim. Seu cabelo sobe e desce se espalhando quando por fim sai o vestido, mas não consigo tirar os olhos da sua bunda, ainda marcada dos apertões que dei. Vejo aquela pintinha da sua bunda e sinto vontade de te morder começando por ela. rnVocê manda eu sossegar e deita na cama, pede pra eu deitar com você e ver tv. Deitamos meio de lado, eu atrás de você, colado na sua bunda, mas você diz pra eu parar com a esfregação, sá ficar junto. Mas sacana como você é, fica junto mas joga a bunda bem pra trás, forçando em mim. Eu tento ficar parado e vou passando a mão no seu braço num carinho leve. Vou ampliando os movimentos e alcanço o ombro, do ombro desço um pouco pro seu colo, continuo descendo os carinhos ate quase chegar no seu peito, mas o sutiã ainda está lá. Você finge que nem é com você e vou avançando, fico descendo os dedos e indo de um lado pro outro no colo, até que enfio os dedos finalmente por baixo do sutiã e toco seu bico. Fico passando o dedo de leve nele, subindo pro colo mas voltando logo pra senti-lo ficar duro. Logo já estou colocando a mão toda dentro do seu sutiã e sentindo o bico na palma da mão, enquanto começo a apertar ainda de leve. Você já não fica mais de costas pra mim, vira um pouco e está de olhos fechados, gemendo baixinho e ensaiando umas reboladas a cada apertão no peito. Desço a mão até sua calcinha, faço menção de tirá-la, mas você me segura e diz que não vou te comer. Você ainda de lado pra mim, eu desço e vou beijando sua bunda, mordendo, até bota-la de lado e vou descendo a lingua lá de cima, fico passando a lingua bem úmida no seu cu. Te deito de bruços enfim e monto em você, continuo lambendo seu cu enquanto abro bem sua bunda, aperto ela e sá paro pra falar sua bunda é gostosa pra caralho. Você já ta gemendo muito e pede pra eu te comer logo, mas eu desço mais e começo a chupar sua boceta, molhada demais, você não queria me dar mas tá toda molhada, sá passar a mão no seu peito que você já fica doida pra dar. Te viro de frente e enfio o dedo, vou te masturbando enquanto passo a língua no meio das suas coxas e vou subindo. Continuo te masturbando e te arregaço, abro suas pernas e vou lambendo seu grelo, passando a lingua toda e depois sá a ponta, subindo e descendo com a lingua bem molhada. Puxo a pele e continuo chupando, agora subindo a mão, você apertando minha mão contra seus peitos, vou chupando sem parar de apertá-los e você gemendo mais. Então larga minha mão e vai puxando minha cabeça contra sua boceta, apertando cada vez mais contra você e rebolando na minha boca. rnEu saio e deito, falo pra você sentar na minha boca e te viro num 69. Enquanto você senta, vai me chupando, sentindo meu pau muito duro na sua boca e vai rebolando e esfregando sua boceta na minha cara. Eu vou te chupando e apertando sua bunda, puta gostosa, chupa meu pau, vai. Começo a chupar mais forte, você para de me chupar um pouco e geme pra eu continuar, depois enfia meu pau na boca, vai chupando e gemendo, sentando cada vez mais, fazendo pressão na minha boca até começar a gozar, gozando forte e eu não paro de te chupar e aperto mais forte essa bunda. rnVocê pede pra eu te comer logo, que quer sentar no meu pau e me dar. Eu deito e mando você sentar de costas, meu pau entra, você vai sentando mais rápido, sua piranha gostosa, rebola no meu pau, vai Fernanda. Fica a sua bunda subindo e descendo, fico vendo meu pau abrindo sua boceta a cada descida e abro sua bunda, aperto, você fica gostosa pra caralho sentando, você senta mais forte ainda e eu falo pra voce ficar de quatro logo que eu quero gozar assim. Você se ajeita e levanta a bunda pra mim, eu vou enfiando e logo você me puxa a mão pra ficar apertando o peito, piranha demais, adora tomar de quatro com uma mão te apertando os peitos, vou metendo, rebola, Fernanda, quero ver essa bunda rebolando no meu pau, começo a meter mais forte, mais forte, puxo seu quadril com força contra meu pau, aperto esse bundão, dou uns tapas e mando me dar pra eu gozar tudo em você, seguro seu cabelo e você jogando a bunda pra trás com mais força, eu não paro de apertar até que começo a gozar, gozar muito, encho sua boceta de porra e vou gozando e metendo ainda, gemendo, falando que é muito bom te foder de quatro e gozar forte assim em você[email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELEÇÃO DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


Conto eu e meu marido bebemos muita porra fresquinhaseios da esposasaindo fora da blusa no sexotetudaCaidaContos eroticos iniciando as meninasmeu vizinho fica me olhando de shorteu gozei na vagina de Beth minha amigaconto submissa ao paus negros e grandeAmigos de meu filho eu provoquei e eles vieram conto eroticocontos eroticos de novinhas sem calcinhacontos eróticos de bebados e drogados gaysminha tia e a minha puta casa do contogostosinhacontoeroticoporno conto irmawww.porno zoofilia.com/dando buceta virgem engatada dois cachorros?Cercada por varios contos eroticoszoofikia contis eriticos homem aosixonado pela eguaA rainha que dava a bunda para os strapon conto fetiche apanhando da namoradaestuprado pelo pai na infancia gay contocontos eroticos de orgias com minha mãe negraContos eroticos seduzi a mae do meu amigo uma coroa bem recatada e dona de casaconto eroticogay flagrado comendo cavaloviolentadacontosjovem mostrando os pelinhis fino ds bucetacontos convenci minha avo velha a fuderpai e filinha pequen q deixa pai come ela contospirulito do titio contos eroticoscontos eróticos mamãe meteu uma cenoura em minha bucetinhafinalmente o telefone tocou conto erotico cornodado pro tio na fazenda, conto gayfoda gostoza mulher caszada tro cano omaridofode rebola nele vaicamila da o cu ao pedreiro contoscontos esposa evangélica e cunhadaAdorei meu primeiro anal contos eróticosvhupou minha buceta lesbicaconto eróticowww contos eroticos doce recordacoesconto erotico raquel morena deliciosaContos eroticos gordinha gostosacontos de cherado decalsinha[email protected]como e que aimha vagina abre na hora do sexo?meu namo puchou meus cabelos e deu vários beijos em mim o que significa isso?se desespera quando soca no cu essa gordaContos erotico suruba com meninas pequenas e vigemspiercing no mamilo da priminhaContos meu sogro arrombou minha bundacontos er safadoConto fio dental taradomulheres secando bêbadas cheias de tesaocontos papai socou tudo no cu da filha ela se cagouwww.contos eroticos minha irma caçula da cu pro meu marido bem dotadocconto erotico de netinho decinco anoscontos eroticos cumendo o cuzao cabeludo da minha maecomi varios cu na casa de sungcontos com fotos no carnaval levei chifrecontos eroticos. esposo duvidou da esposacontos eroticos vizinha novinha ecuriosaconto erotico minha vizinha fode com o marido e pra me procarContos erotico s de travesti bedotado ativocontos eroticos espadinho com o pau estoria de cantos erotico novinha sentou no colo do Homem dentro do ônibus na viagemo padre ecoroinha no conto erotico gaycontos padrasto malvado me arregaçoucontos eroticos na piscina com a famila todos nus no reveioncontos pediu uma massagem e acabei comendohomem perdedo a virgidade no puteirocontos vizinha dona de casa tetuda caidahistória verdadeira de sexo entre homens bi sexual no banheiro metrô trem ônibusconto cu suado da bonecacontos eroticos, comendo a filhameu irmao tirou minha virgindadeSebastião, o vaqueiro que gostava de cavalgar 2bem novinha virgem chorando najeba gigante contosconto erotico espiando pelo buraco da fechaduracontos eróticos de un gordo virgemlambendo meu cu contos exibicionismoconto erotico esposa estava nua pai chegou