Aviso: Voltamos Envie seu Conto estamos aguardando, recupere sua senha caso ja foi cadastrado antes !
JŠ estŠ liberada a Šrea de Cadastro de contos. Cadastre-se e evie-nos o seu conto

NOSSA AMIGA INTIMA

Eu e minha mulher resolvemos apimentar o casamento fazendo um m√¬©nage, ela queria que primeiro fossemos com uma mulher para depois tentar com um homem. Temos de 4 anos de casados, tenho 39 e ela 34. Sou branco de 1,89m, peso 98 kg e tenho um pau que m√¬©dio 19 cm e ela loira 1,68m, com 62 kg. Ela j√¬° tinha em mente uma amiga dela, Marta. Planejamos um jantar com essa amiga em nossa casa e Marta aceitou. O jantar rolou num clima rom√¬Ęntico que hav√¬≠amos preparado, depois do janta passamos a tomar um vinho muito bom e percebemos que ela havia bebido um pouco mais que o normal, ficamos n√¬≥s tr√™s, eu, Lara e Marta, ouvindo m√ªsica na sala e tomando mais uma garrafa de vinho. Quando a garrafa secou, Marta come√¬ßou a falar de todas as fantasias dela √ā¬ī√ā¬ī Sabe que sou louca para transar um casal‚¬Ä¬Ě, sem poder dizer nada permanecemos calados e levamos numa boa. Ent√¬£o ela me perguntou a minha e eu disse : que tamb√¬©m gostaria de fazer um m√¬©nage com minha mulher e outra mulher. Minha mulher se assustou com a frase por mim pronunciada e acabou falando ‚¬Ä¬ď Quem sabe a Marta n√¬£o topa realizar nossa fantasia. Depois de falar aquilo, vi nos olhos de Marta um brilho e um olhar safado. Marta tem 33 anos e √¬© separada, trabalha com minha mulher, uma bela morena, quadris largos, coxos grossas e bem torneados, bundas grande e seios redondos. Uma del√¬≠cia. Depois do acontecido resolvi abrir mais uma garrafa de vinho, mesmo sob protestos de minha esposa e enchi seu copo e o de Marta. Lara foi √¬† cozinha e Marta n√¬£o esperou nem ela fechar a porta direito, me perguntou se Lara n√¬£o topava mesmo? Respondi que sim sempre fantasi√¬°vamos esta situa√¬ß√¬£o, ent√¬£o ela disse: ‚¬Ä¬ú- eu toparia, sou Louca para realizar essa fantasia.‚¬Ä¬Ě Fiquei louco s√¬≥ de pensar em com√™-la, mas tinha que ser em outra ocasi√¬£o. Lara voltou e Resolvi tomar um banho primeiro, as duas ficaram na sala conversando. Tomei meu Banho e vesti um roupa mais um bermuda sem cueca nem camiseta e fui para a sala para terminar o vinho. Nisto minha mulher me beijou e foi para o nosso quarto para tirar a roupa e tomar um banho. Logo que ela saiu Marta pediu para ver meu pau, fui at√¬© o quarto e vi que minha mulher j√¬° estava no banheiro e voltei Marta continuava sentada, coloquei-me atr√¬°s dela e pus o cacete para fora em cima do encosto do sof√¬°, bem pr√¬≥ximo √¬† sua cabe√¬ßa, ela virou bem r√¬°pido e se assustou com meu pau a altura de sua boca, pegou e passou a l√¬≠ngua na cabe√¬ßa e disse: - ‚¬Ä¬úlindo e duro, do jeito que gosto‚¬Ä¬Ě. Falei para que ela deveria aproveitar e tomar banho junto da minha mulher, pois eu daria um jeito de me aproveitar da situa√¬ß√¬£o e comer as duas. Ela, um pouco tonta, largou meu cacete e foi para o banheiro, consegui ouvi-la dizer para Minha mulher se ela n√¬£o queria uma companhia. Esperei um pouquinho e depois fui para o quarto sem fazer barulho, ouvi Marta pedir para que minha mulher a ajuda se a tomar banho. No closet, olhei para o banheiro, a porta meio aberta e vi que Marta tinha uma linda buceta, o pau j√¬° estava para estourar de tanto tes√¬£o. N√¬£o ag√¬ľentei, tirei o short e entrei banheiro adentro, estava louco de tes√¬£o e fui abra√¬ßando minha mulher, ela se derreteu aos beijos e abra√¬ßos, quando senti uma boca quente em meu cacete, era Marta ajoelhada pagando um excelente boquete e ao mesmo tempo alisando a xotinha de minha esposa. Ficamos nesta brincadeira por algum tempo e depois fomos ao quarto. Deitamos os 3 na cama de casal, Marta n√¬£o tirava o meu pau da boca e eu de boca na xota da minha esposa, enquanto esta brincava com grelo da morena. Pedi para minha mulher trocar de posi√¬ß√¬£o com a Marta, pois eu tava doido para sentir o sabor daquela buceta morena, ela respondeu que era para eu n√¬£o me apaixonar pelo grande grelo que Marta tem. Nos chupamos muito at√¬© que pedi para com√™-las, meti primeiro em Lara enquanto Marta nos chupava, depois inverti e botei as duas para fazer um 69, reclamaram alegando que n√¬£o curtiam muito chupar outra mulher, mas eu disse que elas n√¬£o sabiam o que estavam perdendo. Toparam. Lara por baixo e Marta de bunda pra cima. Posicionei-me atr√¬°s da morena e comecei a penetr√¬°-la, estava super lubrificada, mas era bem apertadinha, empurrava at√¬© a metade e voltava, repetia o mesmo movimento bem devagar, hora ou outra tirava e deixava minha mulher lamber o cacete e sentir o gosto da xota da amiga. Voltava a enfiar na xaninha da morena e tirava. Falei que eu queria tamb√¬©m comer o rabinho delas e que elas n√¬£o podiam me negar isso. Trepei um pouco com minha mulher me cavalgando enquanto a morena lambia seu rabinho e enfiava dois dedinhos. Lara n√¬£o demorou muito e gozou, uma, duas vezes seguidas e n√¬£o saia de cima, com o cacete todo enterrado naquela xotinha rosada. Marta pediu para sentar tamb√¬©m, mas Lara continuou sem parar de rebolar e pular at√¬© gozar de novo. Eu estava me segurando para n√¬£o gozar. Lara parou e saiu de cima e disse que queria ver Marta sentar, mas tinha que ser de costas pra mim. A morena n√¬£o pensou duas vezes, arrega√¬ßou as pernas e sentou engolindo quase todo o bicho de uma vez. Minha esposa aproveitou-se e passou a lamber o grelinho da morena e tamb√¬©m o resto do meu pau que estava de fora. De repente Marta come√¬ßou a gritar feito uma louca e engolia tudo com muita vontade, pulando feita pipoca na panela, impedindo que Lara continuasse chupando sua xota e gozou feita uma potranca no cio. Mudou de posi√¬ß√¬£o e disse que queria levar de 4 de novo, atendi seu pedido e pedi para Lara sentar na cabeceira da cama para que eu pudesse chup√¬°-la enquanto metia em Marta. A morena gozou de novo, desta vez mais intensamente e quase desfaleceu. Senti que era a minha vez, falei que ia botar naquele cuzinho. Marta n√¬£o teve for√¬ßa para dizer n√¬£o. Passei um gel lubrificante que temos em casa na cabe√¬ßona e tamb√¬©m no cuzinho dela e comecei a for√¬ßar a entrada, ela gemia, dizia que tava doendo e eu continuava sob o olhar e palavras de incentivo de minha mulher, que n√¬£o parava de incentivar nossa amiga a press√¬£o deu certo e a cabe√¬ßa come√¬ßou a sumir naquelas carnes, devagar fui conduzindo o bicho at√¬© passar toda a cabe√¬ßa, Marta gemia mais forte e choramingava feita criancinha dengosa. Lara passou para frente de Marta e deitou com a xota na cara da amiga que mal conseguia lamb√™-la. Continuei empurrando at√¬© chegar na metade e perguntei se estava bom ou era para empurrar mais. Lara deu a ordem para que eu continuasse e enterrasse at√¬© os ovos, pois Marta era uma tremenda puta e adorava dar o rabo. Pedi que Marta rebolasse e fosse empinando a bundinha, pois n√¬£o queria mais empurrar, queria que ela levasse at√¬© onde quisesse; ela atendeu e rebolando e empurrando o bumbum para tr√¬°s foi engolindo cent√¬≠metro a cent√¬≠metro at√¬© chegar no fim. Quando meus pentelhos encostaram-se √¬† sua bunda eu disse isso √¬© que √¬© uma boa enrabada depois quero seu rabo Lara . Minha mulher gozou s√¬≥ de ouvir aquilo, disse que eu podia fazer o quisesse de seu rabinho. Fiquei mais um pouquinho bombando naquele rabo gostoso, tirava at√¬© a metade e empurrava at√¬© o talo. Marta falava que nunca tinha levado no cu um pau t√¬£o gostoso. Parei os movimentos e retirei meu pau, pois quase gozei naquela bunda deliciosa e queria saborear o outro cuzinho. Chupei minha mulher enquanto esfriava o sangue, Marta tava descansando deitada e alisando o seu cuzinho que estava todo vermelho depois que usei. Quando Lara j√¬° estava bem excitada,coloquei ela de frango. Comecei a for√¬ßar a entrada no rabinho dela. Lara soltava gritinhos de dor que me deixavam mais excitado ainda Fiz bem devagar com a ajuda de Marta que sugava o grelinho de minha mulher, que realmente √¬© bem pequeno, mas que j√¬° estava bem inchado, a morena colocava um dedinho na xota de Lara . N√¬£o ag√¬ľentei segurar mais e gozei, na hora do gozo acabei por empurrar tudo de uma vez o que fez Lara berrar de dor; Marta reclamou, queria que eu gozasse em sua boca, pois adorava esperma, falei que depois daria leitinho pra ela. Terminamos e fomos banhar, elas estavam cansadas e se diziam satisfeitas, depois daquela batalha de mais de 2 horas seguidas com o pau em riste. Dormi no meio das duas e Lara segurando meu pau, acho que com medo da outra acordar e abocanh√¬°-lo. Depois desta data, Marta passou a freq√¬ľentar toda semana nossa casa vinha com Lara do trabalho e dormia com a gente e eu comia o cuzinho das duas quase todas vezes. Depois escrevo mais. Quem quiser me adicione [email protected]

VISITE NOSSOS PARCEIROS

SELE«√O DE CONTOS


Online porn video at mobile phone


videos de motoristasbatendo punhetasminha professora me deu carona e pegou mo meu cacetetransparente e coladinha bucetinhacontos porno com vigilantes mulherdeixei meu sobrinho me ver nua contoscontos eroticos com objetoscontoseroticosarrombandocontos eroticos eu e minha esposa cinepornoconto er√≥tico minha mulher me ofereceu sua amiga travestiContos er√≥ticos papai me quercontos camioneiro pau muito grossoWww contos com fotos d putinha casadas d juazeiro ba.comcontos de incesto onde tio coloca sobrinha de nove anos no coloConto surpreendi meu maridocontos er√≥ticos meu padrasto lambia minha buceta como loucocontos minha tem buceta gostosa ela ta dando pra outro picudocontos de rasguei o cuzinho da minha av√≥Contos er√≥ticos dando de mama pra minhas irm√£zinhascabacinho rasgadinhoContos deliciosos tomar no cuPeguei meu filho mostrei minha vagina contos eroticosconto erotico sou vaca leiteira eu gostocontos gay o menino que era um femea escondidoler contos porn√ī de incesto durante um assaltanto eu fui obrigado a fuder minha m√£eandei com a cara gozada na ruacontos eroticos gay meu tio de dezessete anos me comeu dormindo quando eu tinha oito anoscontos de penis que custou para entrar na buceta da loiraconto erotico fiquei com o cuzinho bem arrombado e cheio de porraContos prima das coxas peludarelato de mae dando a buceta para o filhoconto engravideijapa enfia o dedo no seu cu virgemcontos er√≥ticos gay encarado na escolacacetudos e contos er√≥ticosDei o rabo no estoque contosboqueteira gaucha contoconto erotico fudeno mulher casadaporque.que.depois.que meu namorado chupou os meus peitos eles ficaram com o bico descacandocontos er√≥ticos de empregadascontos eroticos de namorada fazendo sexo pelo celular com o namoradocontos uma menina me seduziuconto aproveitou a irma dormindo e sentou na pica do cunhadocontos enfermeira casada e safadacontoincestocolocontos eroticos gay meu tio de dezessete anos me comeu dormindo quando eu tinha oito anosConto erotico comendo gordinha durante colheita do caf√©Porno contos incesto familia prazer total qualquer idadeconto erotico arrombei o travesti do baile funkcontos eroticos minha sogra franciscacontos erotico loira trabalhonegra atola a rola e ela da pidozoofilia em canilConto gay velhocomtos arrobadawww.contos eroticos sogra gostosa da cu pro genro novinho pauzodocontos eroticos fui comida pelo cara que conserta sapatosPeguei meu entiado masturbando com minha calcinha.conto eroticomeu professor meu namorado contos gaycontos gays com g√©meosconto pegei minha cunhada novinha se mastrubandodei a buceta no trabalho. contos.contos eu e minha nora vomos enrabadas na praiacontos minha aluninhabuceta virgem sendo chupada e descaba√ßada por coroas contosmasturbou pau dele pra tr√°sDeusa mulata levando pica branca na bucetacomendo a carlinha casa dos contoscontos eroticos marido foi trabalhar e meu sobrinho me pegou no banhocontos masturbandcontos zoofilia eu ela engatada cao praia desertacontos er√≥ticos muleque pega no flagra muleques tocando punheta no matocontos porno eu e meu amigo fudendo minha maeadoro ser estuprada contosComi um cu fedodo contoscontos eroticos sobre virgindadecontos eroticos meu primo me comeuconto irma casadaconto erostico cASALCOM UM MOLEGUE EM CASAcontos heroticos gay meu tio de vinte anos me comeu dormindo quando eu tinha novecunhada chamada de Ana f****** gostosocontoseroticos meninicecontos er√≥ticos de sequestros